Anúncios

Archive for setembro \30\UTC 2013

Lula não poderia mesmo ir ao Parque São Jorge

setembro 30, 2013

O ex-presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, foi a ausência mais sentida por Andres Sanches nos festejos de aniversário do Corinthians, realizados nas obras do “Fielzão”.

Tanto que Sanches, em discurso, mesmo debaixo de algumas vaias, esqueceu-se da desfeita, agradecendo ao líder petista pela enorme força na viabilização da nova casa corinthiana.

A verdade é que Lula, ultimamente, só tem comparecido em eventos que possa discursar, sem a interferência da imprensa.

Preferiu, então, se não arriscar a participar da quase certa sabatina a que seria exposto no Corinthians.

Dois são os assuntos que certamente o constrangeriam no evento.

Um deles, nacional, refere-se a demissão da “companheira” Rosemary Noronha, de enorme “proximidade” com o ex-presidente.

O outro, mais relacionado com os festejos, seria a dificuldade em explicar que argumentos teriam sido utilizados para convencer a Odebrecht a gastar R$ 1 bilhão na construção de um Estádio privado, fato inédito na história mundial, e, principalmente, que meios serão utilizados para ressarci-la.

Assunto tão complicado que obrigará o CORI, do Corinthians, a se reunir na noite de hoje para discutir a criação de um novo FUNDO de Investimentos para viabilizar o págamento, sem porém, que nenhuma explicação tenha sido fornecida para o fracasso do anterior, e, mais, quem arcará com os prejuízos de toda essa nova operação.

Anúncios

Debaixo do tapete: Palmeiras age para abafar Inquéritos Policiais que comprometem ex-dirigentes

setembro 30, 2013

porco dinheiro

O atual presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, foi mais um daqueles que, quando em campanha, prometeu fazer de tudo para apurar irregularidades e possíveis crimes cometidos contra o clube, além de punir exemplarmente os responsáveis.

Mas, como de costume, a mosquinha do poder voltou a atacar.

Aquela que obriga o gestor a fazer alianças com os investigados, em detrimento do clube, no intuito de conseguir apoio político para perpetuação própria, ou de seu grupo, no comando da diretoria.

Há diversos Inquéritos Policiais, bem conclusivos, além de fartos em provas, indicando maus feitos de ex-dirigentes, sendo abafados, neste momento, pela diretoria palestrina.

Três deles, os mais importantes, no 23º DP.

O que mais causa calafrios, e pedidos de “ajuda” em troca de apoio, é o IP de nº 860/10, composto por 11 volumes, englobando 22 pessoas, de 2004 a 2011.

São diretores envolvidos em negociações de jogadores, sonegação fiscal, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e crimes outros, para dar, vender e até emprestar.

Se a diretoria do Palmeiras estivesse mesmo a fim de mexer no vespeiro, bastaria entrar em contato com o Promotor responsável pelo caso, Dr. Paulo Eduardo dos Santos, ou vasculhar o nº do processo no DIPO, que é 008.2987-94.2010.

Existe também o IP 1596/12, com nº DIPO 010.9550-57.2012, que pede providências e investigação sobre os dados do relatório da TORGA Consultoria, aquele, já publicado no Blog do Paulinho, que relaciona os pagamentos de comissões a empresários, e a utilização do Clube dos 13 para realizar os repasses, numa maneira de impedir que Conselheiros do Palmeiras soubessem da operação, com os dados maquiados e, por consequencia, não discriminados no Balanço.

Sim, é grave ! Muito grave !

Sem falar no IP nº 1447/12, também oriundo de documentos publicados por nosso espaço, que comprovaram os desvio de R$ 290 mil praticados pelos conselheiros Antonio Corcione, Francisco Bueno e também pelo ex-advogado de Arnaldo Tirone, Dr. Pedro Renzo.

A grande verdade é que Paulo Nobre tem a obrigação moral, e estatutária, de exigir o resultado final das investigações, para que o clube possa, ao invés de empurrara sua sujeira para debaixo do tapete, expô-la a seus associados e conselheiros, para que se possa afastar da vida do clube os saqueadores, impedindo ainda que novos fatos se repitam.

CBF espiona adversários, mas, na Justiça, diz ser vítima de espionagem

setembro 30, 2013

Após a descoberta de que o presidente da Federação Paulista de Futebol estaria se utilizando dos serviços do gerente de TI da CBF, Fernando França, para espionar adversários políticos da CBF, o clima entre situacionistas e oposicionistas ficou insustentável.

Os ataques se sucedem.

Na última semana, recebemos provas de que mais duas pessoas, além das que já foram citadas noutras matérias, passaram pelo “notebook” de Del Nero.

Trata-se do Presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelleto Neto, CPF nº xxxxxx85015, PIS nº 128xxxxx74, e do ex-braço direito de Ricardo Teixeira, Marco Antonio Teixeira, CPF nº xxxxx353634 e PIS nº 100xxxxx635, ambos orquestradores de grupos oposicionistas à atual gestão da CBF.

Porém, em pré-defesa, evitando ser relacionada aos hábitos de Detetive Particular de Del Nero, a CBF ingressou com ações judiciais contra seus desafetos, dizendo ser ela a investigada, inclusive com invasão de sistema de informática, justamente a área controlada pelo “funcionário” do presidente da FPF.

Recentemente, a CBF teve pedido indeferido, no Processo nº 0007361-15.2013.8.19.0000, para identificação dos IPs, nºs 187.67.160 e 187.13.38.69, aos quais acusam de serem os invasores dos computadores da entidade.

O primeiro, com localização na Holanda, o segundo, do Rio de Janeiro, segundo apuramos.

http://www1.tjrj.jus.br/gedcacheweb/default.aspx?UZIP=1&GEDID=00044F3CE245E8DF2BC154450618BEC0C57CC5022A075437

Na sequencia, em Ação nº 0051769-88.2013.8.19.0001, a CBF mais uma vez se viu derrotada, ocasião em que acusou Marco Antonio Teixeira de vazar dados da entidade à imprensa e também ao MP-RJ.

http://www1.tjrj.jus.br/gedcacheweb/default.aspx?UZIP=1&GEDID=00045D692CE72044E29569EE555D84CFB053C5023A10632F

O problema agora, para os gestores da entidade, é que, no último dia 10 de setembro, deu entrada na 42ª Vara Criminal, do Rio de Janeiro, Ação nº 0313455-97.2013.8.19.0001, movida pelo MP-SP, que indica crimes cometidos pela CBF, entre eles as da referida “espionagem” clandestina”.

http://www4.tjrj.jus.br/consultaProcessoWebV2/consultaProc.do?v=2&numProcesso=2013.001.276206-2&FLAGNOME=S&tipoConsulta=publica&back=1&PORTAL=1&v=2

Ou seja, a verdade pode vir a tona, com mais nomes e novos escândalos, em breve.

Lembrando que não se trata da Guerra Fria, ou alguma rusga entre países inimigos, mas apenas a disputa pelo poder numa entidade gestora de futebol.

Lusa vence o “estranho” Corinthians. São Dida se impõe novamente contra o São Paulo

setembro 29, 2013

É possível tirar algumas conclusões, mas, principalmente, criar diversas dúvidas na derrota humilhante do Corinthians perante a esforçada Portuguesa, por quatro a zero.

Fica claro que algo estranho acontece no relacionamento entre o elenco de jogadores (alguns deles) e o treinador Tite.

Enquanto uns se matam no gramado, outros apenas observam a banda passar.

O três gols de Gilberto na faixa dos 30 minutos da primeira etapa, ajudado por atuação horrorosa do trio Paulo André, Cassio e Igor, só não foi pior do que a evidente falta de vontade de jogar de Guerrero, a correria descerebrada de Edenilson, e a pobreza tecnica de Ibson.

E como desgraça pouca é bobagem, na segunda etapa entrou Pato, uma nulidade daquelas que Tite precisa ter coragem de peitar definitivamente,afastando do elenco, evitando assim novas “contaminações”.

Teve ainda jogada desinteligente de Gil, que foi expulso e abriu caminho para o “olé” lusitano, com direito a quarto gol, e mais um ato criminoso da vagabundos da Gaviões da Fiel(ix), jogando garrafa d’água na cabeça do bandeirinha, e, certamente, proporcionando novas punições ao Corinthians na sequencia do torneio.

E tem dirigente no clube, covarde, que é capaz de receber essa gente no CT, durante a semana, até porque muitos deles estavam na festa de aniversário do clube, inclusive alguns “apóstolos” de Oruro.

Enquanto isso, no Morumbi, o São Paulo parou nas mãos de São Dida, que tem histórico de partidas memoráveis contra o Tricolor.

Raí que o diga.

Para piorar, levou um gol de Vargas, perdendo a partida, voltando a figurar numa zona incomoda do Brasileirão.

De positivo fica apenas a luta demonstrada no gramado, indicando que, se mantiver a cabeça no lugar, pode assimilar o tropeço, e iniciar nova retomada rumo posições melhores no campeonato.

 

Odebrecht está construindo “Fielzão” com restos do Parque Antártica

setembro 29, 2013

Passou quase despercebido, ontem, comentário de um dos entrevistados, em matéria do Jornal Nacional, da Rede Globo, Pierre Ziade, sócio-diretor da Eco-X Unisina de Entulho, recicladora de materiais de construção, afirmando que sua empresa recebia o lixo das demolições do Parque Antártica, reciclava, e depois vendia a Odebrecht para que fossem utilizados na construção do “Fielzão”.

Ou seja, de maneira até compreensível, a construtora, que gastou sozinha quase R$ 1 bilhão para levantar um estádio particular, sem a menor perspectiva real de recebimento, partiu para a contenção de despesas, comprando material bem mais barato do que se fizesse uso de produtos mais qualificados.

É enganoso, portanto, o discurso de que o “Fielzão” foi construído com o máximo de modernidade existente no mundo da construção.

Pelo contrário, exerceu-se, sim, a política da pechincha e do menor prejuízo para a empresa responsável pelo empreendimento.

A grande ironia é, sem dúvida,  que detrás do acabamento de mármore, e outras belezas visuais do estádio, esconde-se um pouquinho de Palmeiras.

Mais precisamente do material que o clube, arquirrival do Timão, dispensou em suas lixeiras, reaproveitado e vendido como novo aos dirigentes alvinegros.

Marin saiu satisfeito da Festa do Corinthians

setembro 29, 2013

andres-bobo-2-2013_03_07-19_30_38-UTC.jpg

Cerca de 3 mil pessoas compareceram, e correram risco, na festa de aniversário do Corinthians, realizada ontem, no “Fielzão”, sem alvará para funcionamento, mas, mesmo assim, com aval da Prefeitura.

Ah ! se fosse um evento de qualquer um de nós…

Muitos dos convidados imploraram pelo convite a seus desafetos, responsáveis pela escolha de quem participava ou ficava de fora dos festejos, alguns chegando ao ridículo de ficarem plantados, no Parque São Jorge, com a camisa “ALO Presidente”, de André Negão, mesmo tendo sempre conspirado contra o próprio, nas eleições anteriores.

E conseguiram.

Não sem antes serem expostos e ridicularizados por quem lhes forneceu a honraria, seja pessoalmente ou nas mídias sociais.

Mas quem se deu bem mesmo no encontro foi o presidente da CBF, José Maria Marin, que, não apenas compareceu ao local, mas também se regojizou com o fracasso das intenções de Andres Sanches em reunir dirigentes de Federações e clubes para prospectar eleitoralmente.

A adesão foi pífia, restrita a quatro ou cinco nomes de gente que já se sabia estar ligada aos oposicionistas.

Ou seja, enquanto Ivete Sangalo, a Rainha dos Shows superfaturados e do calote em pistas de aviões privadas, cumpria bem seu papel em entreter boa parte dos que se estapearam antes, durante e depois pelo privilégio do rega-bofe gratuito, o anfitrião, nervoso, recusava-se a ser entrevistado pelo CQC, até com certa truculência, e, com sorriso amarelo, entendia ainda mais sua insignificância política, observando não apenas a ausência absoluta de quorum dos convidados mais importantes, e, principalmente, o desprezo já anunciado do presidente Lula, que sequer telefonou.

Quermesse ou Baile de Gala no centenário do Palmeiras ?

setembro 29, 2013

Conselheiros do Palmeiras estão em desacordo sobre o que deve ou pode ser gasto nos festejos para comemoração do centenário do clube.

Há quem seja absolutamente contra uma festa grandiosa, sob pretexto de prejudicar os caixas palestrinos, preferindo os habituais jantares, e um ou outro evento pontual.

Porém, um grupo de conselheiros sequer pode escutar falar em contenção de despesas para um momento tratado como único na história palestrina.

Exigem um evento inesquecível.

Justificam os gastos com o discurso de que para pagar comissões para empresários, inclusive na atual gestão, não se pensa duas vezes, em ações que fogem, e muito, da cautela econômica pensada para os festejos.

Maçonaria das negociatas

setembro 29, 2013

Estranho o tratamento dispensado pelo UOL, hoje, fazendo questão de enfatizar, sem dizer de quem se trata, especificamente, que dirigentes de clubes e federações estariam observando o BOM SENSO FC, movimento de atletas que exigem mudanças para melhorar as condições da profissão, com hábitos de maçonaria.

Para justificar a associação, os jornalistas dizem que as reuniões entre os atletas são fechadas e que muito pouca informação, ou quase nenhuma, é vazada.

Sem entrar no mérito da maçonaria, em si – há quem adore, abomine ou até desconheça do que se trata – mas, se existe um grupo no mundo do futebol que se relaciona quase sempre às portas fechadas, com segredos, é o que está inserida a cartolagem.

E, diferentemente do que ocorre com os atletas, que buscam melhorias para a profissão, o “silêncio” dos cartolas em suas decisões e reuniões quase sempre se dá pela necessidade de esconder falcatruas, pagamentos de comissões não contabilizadas, facilitação a empresários, entre outras coisas.

Enquanto o BOM SENSO FC publicou manifesto detalhando suas exigências e perspectivas, os dirigentes lutam para aprovar seus balancetes no expediente interno, quase sempre comprando votos favoráveis, seja com dinheiro ou até mesmo promessas de facilidades políticas.

Se realmente hábitos maçonicos devem ser atribuídos a alguém – não pela maldade ou bondade, enfatize-se, mas pelo obscurantismo – evidentemente, não se pode falar dos atletas, todos conhecidos do público e signatários de seus movimento.

O simbolismo do vôo da bandeira no Parque São Jorge

setembro 28, 2013

Hoje, mesmo sem alvará de funcionamento, dirigentes de clubes, Federações, além de conselheiros e associados do Corinthians comparecerão ao “Fielzão” para os festejos do 103º aniversário do Corinthians, com direito a show de Ivete Sangalo, rega-bofe e, para alguns, encontros “religiosos”.

Como exemplo de cumprimento a Lei, até o Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, confirmou presença, dando a entender aos outros contribuintes da cidade, que “alvará” e sistema de segurança são obrigatórios apenas para os que não são parceiros de eleições.

Diante de tantas movimentações políticas e gente de nível complicado, um dos símbolos máximos do Corinthians não resistiu, e abdicou de participar do evento.

Na última quinta-feira, a bandeira do clube se desprendeu do mastro, e, como se procurasse ambiente mais higienizado, passou por cima da grade, ganhou a Marginal, que fica paralela ao Parque São Jorge, tendo seu destino final nas águas do Rio Tietê.

Bandeira que havia sido cedida ao clube pelo diretor financeiro Raul Corrêa da Silva, “corinthiano obsessivo”, figura chave nas gestões de Andres Sanches e Mario Gobbi.

Além do evidente simbolismo do episódio, fosse um ser humano, diríamos que a bandeira alvinegra, enfim, encontrou a paz.

Gilberto Cipullo utiliza Polícia de São Paulo para intimidar denúncias de suas facilitações a empresários de futebol

setembro 28, 2013

O ex-Vice-Presidente de Futebol do Palmeiras, Gilberto Cipullo, anda incomodado com as divulgações, pelo Blog do Paulinho, e também por outros meios de comunicação, de suas peripécias enquanto homem forte do futebol palestrino, anos atrás.

Ocasião em que diversos negócios nebulosos, inclusive com depósitos de cheques de empresários de jogadores em sua conta, foram flagrados.

As últimas publicações, de pareceres, auditorias, pagamentos de comissões, etc., estão tirando o sono de quem sempre tentou impor respeito pela arrogância.

Sem alternativa para estancar a sangria de informações que ainda está por vir, Cipullo decidiu, então, utilizar-se de “amigos” da Polícia de São Paulo para tentar intimidar, não apenas quem conta as verdades, mas também conselheiros do clube que julga, “parceiros” dos jornalistas em questão.

Uma atitude tosca, sem coragem, ineficiente e digna de sua insignificância.

Embora acredite ser um “corleone” dos filmes de Copolla, Cipullo não passa mesmo é de mero objeto, ínfimo e sem importância, de gente que, quando seus serviços não mais forem uteis, não pensará duas vezes em descartá-lo nas lixeiras imundas de alguma cantina italiana de baixa qualidade.

Tomara o Secretário de Segurança de São Paulo fique atento na parte que lhe cabe, ou seja, policiais sendo utilizados por dirigentes de futebol para fins particulares, nada nobres e que nos remete aos tempos sombrios que o regime democrático, conquistado a duras penas, não permite mais que retornem.

A FERJ acerta ao acabar com torneios que não possuem mais a mesma importância

setembro 28, 2013

Raras são as vezes, por razões óbvias, que este espaço tem oportunidade de elogiar ações de Federações e Confederações esportivas do Brasil.

Em regra, seus dirigentes, quando não incompetentes, tendem a cometer atos que geram suspeitas com relação a honestidade.

Embora seja difícil, ainda, saber as motivações que levaram a FERJ decidir-se pela extinção das tradicionais “Taça Guanabara” e “taça Rio”, além de corajosa, por ser impopular, a decisão é absolutamente coerente e correta.

Há tempos estes torneios, que já foram importantes, servem apenas para iludir os torcedores dos grandes cariocas, com títulos que hoje pouco valem, e que, por vezes, servem apenas para ocultar, por algum tempo, trabalhos medíocres de dirigentes.

O turno único não é a melhor das alternativas, mas, ao menos, ameniza a perda de tempo evidente das agremiações com viagens e partidas que nada acrescentam, tecnicamente, na preparação para vôos maiores.

São Paulo num beco sem saída para reformar o Morumbi

setembro 28, 2013

Antes da FIFA decidir qual seria a sede paulista do Mundial de 2014, o São Paulo tinha a faca e o queijo na mão para obter recursos que pudessem viabilizar as obras de modernização do Morumbi.

Porém, Juvenal Juvencio, no auge da soberba, deixou o que era quase certo escoar pelo ralo, ao cometer erros de avaliação, e insistir em mentiras fáceis de serem desmascaradas.

Subestimou os desejos do Governo de viabilizar um novo estádio para o Corinthians, além de ficar meses dizendo que tinha “investidores” para o estádio – nunca teve-  quando, na verdade, empurrava com a barriga diversos projetos, na esperança de também ser auxiliado financeiramente na construção.

Agora, os últimos cálculos dão conta de que o Tricolor, para reformar o Morumbi, terá que gastar, a princípio, mais de R$ 500 milhões.

R$ 100 milhões a mais do que o orçamento inicial da Arena Palestra, que é praticamente uma construção nova, e metade do que está sendo gasto no “Fielzão”.

E, por mais que Juvenal insista em levar ao público uma conversa de otimismo com relação a captação de parceiros – bem mais eleitoreira do que crível – basta observar a dificuldade enfrentada pela WTorre para obter recursos que possam finalizar a obra palestrina, além do caso corinthiano, que, mesmo sendo palco da Copa do Mundo, não consegue vender naming rights nem do banheiro de seu estádio, para entender o grau de dificuldade a ser enfrentado pelo São Paulo no intuito de transformar em realidade o sonho de sua diretoria.

De “jagunço” a “ALO Presidente”

setembro 28, 2013

andre negão antigaandrenegãocbf2

No final dos anos 70, início dos 80, o pré-candidato à presidência do Corinthians, André Negão, diferentemente da imagem política que transmite nos últimos anos, sempre sorrindo, com piadas, roupas de grife, era uma espécie de “jagunço” de um conhecido bicheiro de São Paulo.

Com hábitos rudes e pouca preocupação com a aparência, há quem diga que sua “política” era mais a do “dedo mole”, do que propriamente a “conversa” mole dos dias atuais.

Na sequencia, o próprio iniciou carreira solo na jogatina – que hoje nega continuar exercendo – com o restante da história, que o conduziu, agora, a fazer campanha ao cargo máximo do clube, com o slogan “ALO Presidente”, já bem conhecida pelo leitor desse espaço.

É interessante notar que dois de seus ídolos, Andres Sanches e Lula, no passado, tinham, assim como Negão, aparência e dificuldade de relacionamento civilizado com a população, mas, auxiliados por especialistas em “transformações” políticas, passaram a encarnar o personagem “paz e amor”.

Não deve ser coincidência.

andres espanhaandres-alo-presidente.jpg

lula bebadoimg_lula_livro_cabecaparabaixo

Erro de arbitragem, mesmo reconhecido, não configura Dano Moral ao torcedor

setembro 28, 2013

Recentemente, uma decisão do STJ, republicada no informativo 526, de 25 de setembro, acabou com todas as pretensões de torcedores que, vez por outra, ingressam na Justiça requerendo indenização moral por se sentirem atingidos por erros de arbitragem cometidos contra suas equipes de coração.

Em síntese, não havendo dolo (má-fé), não cabe a reparação moral.

E, convenhamos, é quase impossível comprovar a deliberada vontade de um arbitro prejudicar qualquer equipe.

Confira, abaixo, a íntegra da decisão:

“Não gera dano moral indenizável ao torcedor, pela entidade responsável pela organização da competição, o erro não intencional de arbitragem, ainda que resulte na eliminação do time do campeonato e mesmo que o árbitro da partida tenha posteriormente reconhecido o erro cometido.

Segundo o art. 3º da Lei 10.671/2003 (Estatuto do Torcedor), para todos os efeitos legais, a entidade responsável pela organização da competição e a entidade de prática desportiva detentora do mando de jogo equiparam-se a fornecedor nos termos do CDC.

Todavia, para cogitar de responsabilidade civil, nos termos do art. 14 do CDC, é necessária a constatação da materialização de ato ilícito – omissivo ou comissivo –, nexo de causalidade e o dano.

Vale destacar que, pelas características de uma partida de futebol, com a vedação de utilização de recursos tecnológicos, o árbitro, para a própria fluidez da partida e manutenção de sua autoridade em jogo, tem a delicada missão de decidir prontamente, valendo-se apenas de sua acuidade visual e da colaboração dos árbitros auxiliares.

Assim, diante da ocorrência de erro de arbitragem, ainda que com potencial para influir decisivamente no resultado da partida esportiva, mas não sendo constatado o dolo do árbitro, não há falar em ato ilícito ou comprovação de nexo de causalidade com o resultado ocorrido.

A derrota de time de futebol, ainda que atribuída a erro da arbitragem, é dissabor que também não tem o condão de causar mágoa duradoura, a ponto de interferir intensamente no bem-estar do torcedor, sendo recorrente em todas as modalidades de esporte que contam com equipes competitivas.

Nesse sentido, consoante vêm reconhecendo doutrina e jurisprudência, mero aborrecimento, contratempo, mágoa – inerentes à vida em sociedade –, ou excesso de sensibilidade por aquele que afirma dano moral, são insuficientes à caracterização do abalo, tendo em vista que este depende da constatação, por meio de exame objetivo e prudente arbítrio do magistrado, da real lesão a direito da personalidade daquele que se diz ofendido.

Por fim, não se pode cogitar de inadimplemento contratual, pois não há legítima expectativa – amparada pelo direito – de que o espetáculo esportivo possa transcorrer sem que ocorra algum erro de arbitragem não intencional, ainda que grosseiro, a envolver marcação que hipoteticamente pudesse alterar o resultado do jogo. REsp 1.296.944-RJ, Rel. Min. Luis Felipe Salomão, julgado em 7/5/2013.

*Colaborou o leitor Humberto Rufini – Curitiba/PR

Coluna do Fiori

setembro 28, 2013

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

1

Mais Uma da Série: Recordar é Viver

Onde estava Artur Alves Junior, presidente do SAFESP, como também, secretario da COAFESP, analista do trabalho dos árbitros e, principal componente da CA-FPF, nos episódios a seguir?

Os Emblemáticos Incêndios Ocorridos no Antigo prédio da FPF

Durante a semana lembrei-me das dezenas de árbitros afastados no inicio da gestão do “impoluto” Eduardo José Farah que entraram com ação na Justiça do Trabalho com propósito de serem reconhecidos empregados da FPF; como prova, foram anexadas documentações das exigências impostas pela federação, dentre estas:

Dia e hora para entrega dos relatórios, preparação física em local e horário definido pela entidade, exames médicos periódicos, e algumas outras

Primeira Queimada do Histórico dos Árbitros

O passar do tempo enervava o todo poderoso Farah, vez que os membros da justiça trabalhista pediam algumas explicações sobre os fatos; dado momento, parte das fichas contendo histórico dos árbitros foram transferidas para o ultimo andar do prédio da FPF, salvo engano, no andar, localizava-se a residência do funcionário Jovino e família. Como que um conto de fadas, misteriosa e precisamente, ocorreu incêndio que destruiu os arquivos

Segunda Queimada

Passado pouco tempo, Farah decidiu dar melhorada no espaço térreo do prédio, e, na sobra de lugar, determinou que se colocasse outro bocado da documentação referente a historia da arbitragem. Por mera casualidade, aconteceu outro incêndio, que, coincidentemente, consumiu a parte do histórico

Laudos

Ao que sei, nos dois casos, existe laudos assinados por peritos do Corpo de Bombeiros explicando os motivos dos incêndios, mesmo assim, não fizeram minha cabeça.

Cobrança

Por diversas ocasiões expressei ser dever e obrigação do sindicato, exigir da diretoria da FPF, a entrega das documentações e objetos referentes a historia da arbitragem do futebol paulista.

Conclusão

Eventos fortemente deploráveis

Brasileirão – 2.013- Séries A e B

Sábado 21/09

24ª Rodada da Série B

Palmeiras 2 x 1 Sport

Árbitro: Celso Amorim (SC)

Trabalho normal nos itens técnico e disciplinar; resultado normal

23ª Rodada da Série A

Vitória 0 x 0 Grêmio

Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-PE)

Item Técnico

Assistente 02 errou e prejudicou a equipe gremista por ter sinalizado impedimento do atacante Kleber no instante que pegou e passou a bola para seu consorte Alex Telles mandá-la pro fundo das redes da equipe baiana

Domingo 22/09

Corinthians 0 x 0 Cruzeiro

Árbitro: Felipe Gomes da Silva (PR)

Item Técnico: Erro intolerável

Por volta do vigésimo quinto minuto da fase inicial, deixou de sinalizar penalidade máxima cometida por Gil, defensor da equipe corintiana, no oponente Borges; houvesse assinalado, após a cobrança, haveria possibilidade de a equipe mineira consignar o gol

Item Disciplinar

Poderia e deveria ter sido mais rigoroso, exemplo:

Danilo, atleta corintiano, deveria ter sido advertido com cartão amarelo por ter dado carrinho perigoso em um dos oponentes

Internacional 0 x 1 Portuguesa

Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)

Item Técnico

Aos dezenove minutos da segunda etapa, bola dentro da área da Portuguesa, dado instante, a redonda tocou no braço de um dos atletas da lusa; bem colocado, o árbitro interpretou corretamente; nada marcou

Item Disciplinar

Acertou na expulsão do atleta Índio, defensor do Internacional

Partida referente à 11ª Rodada da Série A

Quarta Feira 25/09

Santos 1 x 1 Náutico

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (FIFA-AL)

Item Técnico

Aos 39º minutos da segunda etapa Francisco Carlos do Nascimento, prejudicou a equipe do Náutico por ter marcado falta do atleta Leandro Amaro, no santista William José no lance disputado legalmente, ocorrido próximo à entrada da área da equipe visitante:

– Cícero cobrou e, empatou

Item Disciplinar

Fraquinho

Conclusão

Francisco Carlos do Nascimento se ligue; desista da arbitragem.

Copa do Brasil 2013

Quarta Feira 25/09

Corinthians 0 x 0 Grêmio

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG)

Item Técnico

Ocorreram dois erros prejudiciais a equipe do Parque São Jorge

– Impedimento inexistente do atacante corintiano Guerreiro, ocorrido na primeira etapa, sinalizado por Kleber Lúcio Gil, assistente 02,

– na metade da segunda etapa, após descida da bola no interior da área gremista, Emerson Sheik, atleta corintiano e Rodolfo, defensor gremista, pularam objetivando a redonda,

– por ter usado de força incompatível, no momento que deu o tranco no costado do corintiano, Rodolfo cometeu falta penal,

– mesmo estando bem colocado, Ricardo Marques Ribeiro, erradamente, nada marcou

Conclusão

Ricardo Marques Ribeiro, mais um dentre os árbitros favorecidos com distintivo FIFA que poderia e deveria desistir de arbitrar futebol

Finalizando

“Não sou obrigado a vencer, mas tenho o dever de ser verdadeiro. Não sou obrigado a ter sucesso, mas tenho o dever de corresponder à luz que tenho!”

Abraham Lincoln

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se Liga São Paulo

Acorda Brasil

Sp-28/09/2013

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.


%d blogueiros gostam disto: