Anúncios

Archive for novembro \30\UTC 2014

Paulo Garcia e André Negão fazem campanha juntos no Parque São Jorge

novembro 30, 2014

negão paulo 1

Ontem, enfim, o empresário Paulo Garcia iniciou sua campanha no Parque São Jorge, com caminhada no clube ao lado do vice, Osmar Stabile.

Antes, porém, fez questão de posar para fotos com André Negão, do grupo apoiado pela atual gestão.

É evidente a proximidade entre as partes.

Ambos adeptos, com declarações publicadas a respeito, da abertura do “mercado” do clube a conselheiros, inclusive em transações de jogadores de futebol.

Constrangidos, aliados de ambos, mais por necessidade do que aprovação, ostentavam sorriso amarelo, inibidor da empolgação.

Garcia, ao contrário, sentindo-se “em casa”, estava absolutamente a vontade.

image

negão paulo 4

negão paulo 2

negão paulo 3

osmar e paulo

EM TEMPO: a camiseta de Stabile, com dizeres “Free Again”, segundo correligionários, pode indicar, dependendo dos passos de Garcia nos próximos dias, muito mais do que simples detalhe de moda. Será ?

Anúncios

Ronaldo “fenômeno” elogia gestão Ricardo Teixeira na CBF

novembro 30, 2014

ronaldo-valcke_thumb.jpg

(…) fiquei quase 20 anos na seleção e acompanhei a evolução do futebol brasileiro nesse período. Coincidentemente, era o Ricardo Teixeira no comando.

Ele, apesar de tudo o que aconteceu depois, fez muita coisa pelo futebol brasileiro. O futebol brasileiro era respeitado e organizado.”

Em entrevista a FOLHA, além da pérola acima, Ronaldo “Fenômeno” dá a entender que seria realmente o nome escolhido por Aécio Neves para o cargo de Ministro do Esporte do Brasil.

Se a derrota do mineiro foi ruim por manter a quadrilha petista no poder, salvou, ao menos, o esporte nacional de destino tão ruim.

Não que o PCdoB, por intermédios dos últimos infelizes que ocuparam o cargo seja melhor, muito pelo contrário, mas é que Ronaldo, pela fama e contatos que possui no submundo esportivo, poderia deixar a situação ainda pior.

Basta observar que em sua avaliação, a gestão de Ricardo Teixeira, aquele que pegou propina junto com Havelange, entre outras falcatruas, fez o futebol brasileiro ser “respeitado e organizado”, justamente o contrário da realidade.

Venceu o menos ruim nas eleições do Palmeiras

novembro 30, 2014

nobre pescachaça

Horas antes de mais um vexame no Brasileirão, o Palmeiras, que luta para não ser rebaixado pela terceira vez em suas história, reelegeu Paulo Nobre para mais uma mandato à frente do clube, justamente um dos responsáveis pelo desastre.

Não por mérito, evidentemente, mas porque o adversário representava um quadro político ainda pior.

Dos 4.032 votantes num universo de 10.000 aptos, Nobre recebeu 2.421 votos, contra 1.611 do apelidado “Pescachaça”.

O presidente palestrino, seja na série A ou na B, tem por obrigação manter a retidão das ações, mas também, mostrar que aprendeu com os erros, vários, de sua gestão.

Entre os quais entregar o futebol palestrino nas mãos de empresários do esporte, gente que, por razões obvias, e por sobreviver do ofício, pensou sempre mais no próprio bolso do que nas necessidades palmeirenses.

Há de se ter limites, também para gastos, evitando que, no final doutra gestão, o clube não apenas deixe de pagar o que já deve ao mandatário, mas seja obrigado a refazer os cálculos, ampliando ainda mais as despesas.

Pulso firme na arbitragem contra a WTORRE e mais dois anos de estádio limpo de criminosos organizados são fatores, também, a ser comemorados.

Com humildade para corrigir os defeitos e ao menos escutar as opiniões dos mais experientes, Nobre pode, e tem obrigação, de melhorar a vida do clube, que não merece, pela grandeza, estar em tão lamentável situação.

Tostão e Paulo Henrique Ganso

novembro 30, 2014

ganso

“Ganso, o mais brilhante jogador do São Paulo, ainda me deixa em dúvida se devo tratá-lo como um craque.”

(Trecho da Coluna de TOSTÃO, na FOLHA)

Carlos Degon e o gás – o Palmeiras se livrou de mais um problema

novembro 30, 2014

pescarmona e degon

Candidato derrotado nas eleições palmeirenses, Wlademir “Pescachaça”, declarou em vídeo, que seu diretor de futebol seria o reprovável Carlos Degon.

Desnecessário explicar para a coletividade palestrina de quem se trata, mas para o leitor do blog, nem sempre familiarizado com os bastidores do clube, trata-se de uma espécie parecida com “Paulo Serdan”, nos hábitos, costumes e vícios.

Há tempos, porém, muita gente no Palestra Itália trata Degon como “Carlinhos do Gás”.

Ontem, em conversa com conhecedores do assunto, descobrimos a razão do apelido: Degon, que pretendia ocupar o mais importante cargo na diretoria do Palmeiras depois da presidência, vive dizendo, para quem quiser escutar, com ar de “herói”, ter sido o responsável pelo famoso episódio do gás, em partida contra o São Paulo no saudoso Parque Antárctica.

Triste, mas adequado ao que se espera de gente desse nível.

O Palmeiras se livrou de mais um problema, e o Prof. Belluzzo, que se juntou a essa gente, de fazer parte de uma diretoria que, certamente, mancharia – com hábitos de “Mancha Verde” – seu afamado currículo.

Francis e o Petrolinho

novembro 30, 2014

francis

DA BBC BRASIL

Por LUCAS MENDES

Naquele outubro de 1996, no café da manhã antes da gravação, Francis estava de mau humor. Era normal. Acabava de sair da cama.

Meia hora depois ele estava de bom humor. Era normal. Nossa conversa na copa antes de gravar era fiada. Francis não falou em Petrobras. No meio do programa, ele jorrou denúncia e transcrevo a gravação:

Francis: “Os diretores da Petrobras todos põe o dinheiro lá…(Suíça) tem conta de 60 milhões de dólares…”

Lucas: “Olha que isso vai dar processo…”

Francis: “É…um amigo meu advogado almoçou com um banqueiro suíço e eles falaram que bom mesmo é brasileiro (…) que coloca 50 milhões de dólares e deixa lá”.

Lucas: “Os diretores da Petrobras tem 50 milhões de dólares?”

Francis: “Ahh é claro… imaginem… roubam… superfaturamento…é a maior quadrilha que já existiu no Brasil”.

Foi além, mas não deu nomes dos diretores. Nem citou fontes. No próprio programa, o número variou de US$ 50 milhões para 60 milhões. Preocupado, perguntei se queria que cortasse a denúncia, embora o programa, depois de gravado, só sofra cortes por tempo. Francis disse que não.

Na imprensa, numa escala de 1 a 10 em repercussão, a denúncia do Francis mal registrou uns 2 pontinhos. Saíram notas em colunas. Ninguém cobrou da Petrobras. Não sei por que o Francis nunca levou a denúncia para os poderosos Globo, Estadão e Jornal da Globo, onde trabalhava, além do Manhattan Connection, e tinham calibre muito mais grosso do que o GNT.

Seria o poder da Petrobras de silenciar a mídia com sua publicidade? Ou sua reputação na época estava acima de qualquer suspeita? A limitada audiência do canal?

Em novembro, Francis anunciou no programa, também sem aviso prévio, que estava sendo processado pelos diretores da Petrobras, que “queriam US$ 100 milhões de indenização”. Na primeira página da carta de intimação dos advogados dos diretores aparecem sete nomes, mas não há este número.

Ainda não descobri de onde saiu. Estes valores quase nunca constam da primeira comunicação entre o processador e o processado.

E pagou sete mil…

Francis entrou num inferno legal. Por sugestão do amigo Ronald Levinsohn, contratou uma advogada e pagou US$ 7 mil. Quando comentei que não era muito, o Francis ficou furioso. Disse que eu não sabia das finanças dele. Até que sabia, porque ele me contava, mas uma só defesa num processo grande poderia destruir a poupança dele. Se perdesse, ficaria arruinado por muito menos do que US$ 100 milhões.

Repercussão na imprensa sobre o processo? Mínima. Saíram notas sobre os assombrosos US$ 100 milhões.

‘Arrasado’

Em dezembro, Francis foi passar o Ano Novo em Paris com Sonia Nolasco, Diogo e Anna Mainardi. Diogo disse que ele parecia arrasado. Poucas semanas depois, em janeiro, ligou para o Diogo animadíssimo. Tudo estava sob controle. Diogo comentou com a mulher que o Francis devia ter tomado a bolinha certa naquele dia.

É possível que Paulo Mercadante, seu advogado no Brasil e amigo desde os tempos de Pasquim, tenha informado a ele que o processo não poderia correr na Justiça americana, porque o programa não ia ao ar nos Estados Unidos. Este tipo de processo no Brasil está mais para um punhado de reais do que para os absurdos US$ 100 milhões que assombravam o Francis.

Dia 28 de fevereiro, sexta feira, Francis apareceu na gravação passando a mão no ombro esquerdo e se queixando de dor. Saiu direto para o médico, Jesus Cheda, tomar uma injeção de cortisona, como sempre fazia quando estas dores apareciam. Bursite, dizia.

Quatro dias depois, terça-feira, por volta de 5 da manhã, Francis sofreu um fulminante ataque cardíaco e caiu morto no meio da sala, onde ainda estava quando cheguei. O telefone não parava, Sonia nao atendia. Atendeu um deles, do presidente Fernando Henrique Cardoso, que deu uma bronca póstuma no Francis pela irresponsabilidade com a própria saúde.

Francis, havia muitos anos, tinha parado de tomar porres, de fumar e de comer bifões crus. O controle da Sonia deu resultado, mas o controle não resolveu o problema da saúde preventiva nem o sedentarismo. Ela não conseguia levá-lo a médicos sérios para fazer check-ups regulares.

Cheesebúrgueres

Melhorou a dieta, mas continuou chegado nos cheesebúrgeres do PJ Clarke’s na frente da Globo na hora do almoço e comida chinesa perto da casa dele, onde fez sua última ceia, no Chien. Parecia um touro de forte. Teve tumores benignos no pescoço, mas não adoecia e nunca deixava de trabalhar. Nem fazia exercício, Nunca. O máximo era uma caminhada semanal com Elio Gaspari do museu Metropolitan ao restaurante Bravo Gianni, onde repunha as calorias perdidas na caminhada cultural.

Era o dia favorito dele. As noites favoritas eram no balé, com Sonia, ou assistindo óperas e filmes antigos em casa. O último na noite da morte, foi Notorious(Interlúdio no Brasil), de Hitchcock, com Cary Grant e Ingrid Bergman. Da denúncia à morte de Francis foram quatro meses.

Os diretores da Petrobras foram atrás do espólio e da viúva Sonia Nolasco, mas, em parte, por intervenção do presidente Fernando Henrique Cardoso e do próprio advogado, Paulo Mercadante, desistiram do processo. Felizmente o Brasil não desistiu. O petrolinho do profético Francis gerou o Petrolão. A operação Lava Jato deveria ser rebatizada Operação Paulo Francis

O Palmeiras tem que mudar, mas não pode piorar

novembro 29, 2014

6d627-paulonobre

Nas próximas horas, o Palmeiras decide seu futuro político, permanecendo sob comando de Paulo Nobre ou migrando para as mãos de Wlademir Pescarmona.

É fato que o clube precisa mudar, mas não pode piorar.

Nobre errou muito na condução do futebol palestrino, principalmente ao dar carta branca – que retirou ao final do mandato – a um “malandro” do esporte, de nome José Carlos Brunoro, que pode resultar no terceiro rebaixamento do Palmeiras.

Assim como se equivocou, também, em acostumar o financeiro alviverde a trata-lo como “Cheque Especial” sempre que alguma coisa desandava.

Mas teve acertos relevantes, também.

Entre os quais romper com as facções criminosas “organizadas”, aumentando a frequencia de familias nos estádios, e, por consequencia, a lucratividade do clube, além da coragem de enfrentar a WTORRE em questões contratuais que dirigentes anteriores engoliram como carneirinhos.

A mudança a que nos referimos no Palmeiras, pelo menos a mais adequada no momento, tem que partir das reflexões do próprio presidente palestrino, que, apesar dos erros, não pode ser colocado no seleto grupo de bandidos do esporte, o que, por si, já é grande coisa.

O Palmeiras não tem uma opção respeitável, e, principalmente, confiável, para ocupar o lugar de Nobre na presidência do clube nestas eleições.

Wlademir Pescarmona, que é tratado no clube como “Pescachaça”, além de evidente falta de compostura, é cercado por nomes que representam o esgoto da coletividade palmeirense.

Desde torcedores organizados – a quem prometeu fidelidade canina, ou suína – passando por indiciados pelo crime de estelionato e espertalhões diversos, ávidos pela boquinha que pode abrir uma nomeação a qualquer cargo no Palestra Itália.

Pobre Prof. Belluzo, que entre defeitos e virtudes, não poderia ter juntado seu conceituado nome a tão lamentável agrupamento.

Entre dar uma segunda oportunidade a quem não deu certo, mas não rouba, ou permitir a entrada na gestão do clube de elementos com as “qualidades” citadas na matéria, não há dúvidas do caminho a ser seguido pelos eleitores nas urnas palmeirenses.

ABAIXO AS LAMENTÁVEIS PROMESSAS FEITAS POR PESCARMONA AOS BANDIDOS ORGANIZADOS QUE SE DIZEM PALMEIRENSES

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Esse aqui é o Pescarmona que é candidato a Presidente do Palmeiras.

Tamo junto aê ! (SIC)

Você é o futuro Presidente do Palmeiras.

PESCARMONA

Vamos marcar um bate-papo.

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Eu falo sempre com o Carlão…

PESCARMONA

(Carlos) Degon ?

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Degon é meu irmão…

PESCARMON

Degon vai ser o meu Diretor de Futebol

Vamos fazer o seguinte… vamos marcar um sábado… a hora que vocês começam a fazer essa porra (churrasco) que horas é ? Meio dia… depois do meio dia ?

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Depois do meio dia

PESCARMONA

Vamos marcar com vocês, tipo, meio dia.

Vamos conversar…

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Pescarmona você tem o Nextel ainda ?

PESCARMONA

Tenho…

Vamos bater um papo… eu vou explicar a vocês o que eu tenho na cabeça, o que o meu grupo planeja, o relacionamento que eu quero ter com vocês

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Vocês torcida organizada, não esses imbecis… (em tom de cobrança)

PESCARMONA

A gente tem que ter na cabeça o seguinte… o patrimônio que nós temos é: a nossa história, os nossos troféus e a torcida, são as três coisas que nós temos que ter (comendo churrasquinho de gato)… se a gente perder isso…

Então vocês podem ter certeza que eu não vou abandonar vocês de jeito nenhum.

Não abandonar eu quero dizer: “onde é que vocês querem ir ? É lá ? E vamos ajudar” (insinuando auxílio financeiro).

Já estou meio de fogo… já bebi pra caralho

FACÇÃO CRIMINOSA ORGANIZADA “PORKS”

Eu vÕ na chapa aê… e vô tentar ser conselheiro… eu vô tentando… (SIC)

PESCARMONA

Eu tenho uma puta amizade com o Juninho… o que vocês (organizadas) precisarem, o Isidoro vai fazer o meio de campo…

Corinthians e a família de André Negão

novembro 29, 2014

lord andre negão

Publicamos, recentemente, provas de que o jogador André Vinicius, filho do conselheiro André Negão, recebe R$ 30 mil mensais do Corinthians para esquentar o banco do União Ilha da Madeira, da segunda divisão portuguesa.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/10/18/corinthians-paga-r-30-mil-mensais-para-jogador-filho-de-conselheiro-esquentar-o-banco-na-segunda-divisao-de-portugal/

Além disso, os documentos demonstram claras facilitações para renovações do atleta com o clube, sem motivação técnica, desde a gestão Andres Sanches.

André Negão, nos últimos anos, teve como rendimento oficial R$ 3 mil mensais, em cargo ocupado na Prefeitura de São Paulo, sem nada receber “oficialmente” do Corinthians.

Deve ter acertado a milhar no Jogo do Bicho.

Se não, fica difícil justificar sua moradia em apartamento de luxo, no Tatuapé, em que, sem nenhum constrangimento, tem publicado fotos como se fora um “lord” africano ou as recentes viagens com a esposa para Portugal, em visita ao zagueiro corinthiano, mas também ao escritório do clube, mantido em terras lusitanas, com a finalidade de negociar jogadores.

andre negão, vinicius e esposa - ilha da madeira

No vídeo abaixo, observe André Vinicius, sem a preocupação de ser escalado, mas sempre bem remunerado, “curtindo a vida adoidado” num possante nada barato, com música “de qualidade” ao fundo.

*vale sempre a pena relembrar que André Negão, vulgo André “da Sorte”, como é tratado no mundo da jogatina informal, é candidato a vice-presidente do Corinthians na chapa encabeçada por Roberto “da Nova” Andrade e complementada por Jorge “totó” Kalil.

Os heróis e o gênio

novembro 29, 2014

image

image

Coluna do Fiori

novembro 29, 2014

fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

“Beijar a pata de um cão é mais digno do que apertar a mão de algumas pessoas”.

Autoria desconhecida

————————————————–

No mundo da arbitragem do futebol

Ser sabujo não se reporta a diplomas frios; ser sabujo é perseguir árbitros que não aceitam escalas para arbitrar jogos amadores quando escalados pela entidade sindical; ser sabujo é usar o cargo de funcionário direto ou indireto da FPF, para se impor junto aos árbitros, ser sabujo é ficar argolado com dirigentes da CBF ou FPF, para se garantir na função; ser sabujo é deixar de cumprir o dever de dirigente da entidade representativa, não apresentando balanço mensal e anual, especificando, detalhadamente, todos os gastos, incluindo neste item, funcionários, prestadores de serviço, gastos com viagens, hotéis e, por ai vai. No geral, ser sabujo no mundo da arbitragem do futebol; é voltar a comer no prato do alguém a quem tanto criticou

Trigésima Sexta Rodada da Série A do Brasileirão – 2014

Sábado 22/11

Internacional 2 x 1 Atletico-MG

Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (FIFA-RJ)

Item Técnico

Prejudicou a equipe do Atlético por não ter marcado a penalidade máxima cometida por Gilberto,

– defensor do Internacional, no momento que esticou o braço para desviar a trajetória da bola, logo

– após finalização do oponente Marion

Item Disciplinar

Muita conversa; pouca ação

Domingo 23/11

Corinthians 1 x 0 Grêmio

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG)

Item Técnico

Por volta da metade da segunda etapa, o atleta Ramiro, defensor gremista, escapou pelo lado direito de

– seu ataque, chegando próximo da linha de fundo, bateu na redonda, cruzando-a para o interior da área

– adversária; na descendente, efetuando movimento normal de seu corpo, o zagueiro Fábio Santos, foi

– surpreendido com o toque da redonda em seu braço, de imediato, os atletas do Grêmio reclamaram que

– Fabio Santo cometeu penalidade máxima, não sinalizada pelo árbitro. Pra mim! Lance normal

Item Disciplinar

Muita justificativa poderia e deveria ter sido, mas enérgico; gesticulou e muito quando nas conversas

– com os atletas; precisa conter os ímpetos, ala Armando Marques.

Santos 0 x 1 São Paulo

Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra (SP)

Item Técnico

Algumas inversões de faltas

Item Disciplinar

Não foi muito exigido

Rematando

Os representantes das leis do jogo não tiveram influência no resultado da contenda

Final da Copa do Brasil 2014

Quarta Feira 26/11

Cruzeiro 0 x 1 Atlético-Mg

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (FIFA-SP)

Item Técnico

Uma e outra inversão na marcação de falta; por volta do 16º minuto da etapa inicial em lance de lateral

– alguns dos litigantes ficaram disputando quem seria o favorecido, sem vacilar, Luiz Flavio de Oliveira,

– corretamente, determinou lateral favorável a equipe atleticana

Item Disciplinar

Apesar dos 08 cartões amarelos e 01 vermelho, Luiz Flavio de Oliveira, poderia ter sido mais exigente

Rematando

Árbitro e assistentes não tiveram influência no resultado da contenda

Copa Sul-Americana

São Paulo x Nacional de Medellín

Árbitro Roddy Zambrano (FIFA- EQU)

Tempo normal

São Paulo 1 x 0 Nacional de Medellín

Classificação para outra etapa, decidida após cobrança de penalidades, resultado Final:

São Paulo 1 x 4 Nacional de Medellín (classificado)

Itens Técnico/Disciplinar

Desempenho normal dos representantes das leis do jogo

Política

1

2

Cinismo e reação tardia

No seu primeiro pronunciamento desde a prisão de dirigentes de empreiteiras no escândalo Petrobrás, a presidente Dilma Rousseff exaltou o mérito do governo de estar investigando a corrupção “pela primeira vez na História do Brasil”. Fantástico!

Em primeiro lugar, amigo leitor, o governo não está apurando nada. Ao contrário. Está sendo investigado. O juiz federal Sergio Moro não é um contínuo do Palácio do Planalto. É representante de outro poder da Republica.

A Policia Federal, independente e eficiente, não é um departamento subordinado aos interesses, caprichos e ordens da doutora Dilma Rousseff. O pronunciamento da presidente da Republica só pode ter duas explicações: cinismo ou preocupante desligamento da realidade

A operação Lava-Jato vai compondo um quadro de corrupção que arranhou gravemente a historia, a saúde financeira, a marca e o futuro de um ícone do Brasil: a Petrobrás. A atual presidente da Republica não é uma expectadora passiva da tragédia. O escândalo permeou mandatos de Lula e estourou com força no atual governo. Dilma foi ministra de Minas e Energia. Chefe da Casa Civil e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás no governo Lula. A presidente da República conhecida por seu perfil centralizador e autoritário, não pode fazer de conta que está em outro planeta. Ela está, queira ou não, no olho do furacão.

Chegou a hora da verdade para governantes e políticos. A sociedade está cansada de empulhação. Os culpados pela esbórnia com dinheiro público, independentemente da posição que ocupem na cadeia corruptora, devem ser exemplarmente punidos. E isso não significa, nem de longe, ruptura do processo democrático, golpismo ou incitamento a radicalização

Dilma Rousseff foi reeleita legitimamente presidente da República. Pregar um golpe explicita ou implicitamente, é tudo, menos comportamento democrático. Isso não significa, por óbvio, admitir barreiras protetoras absurdas ou chancelas de impunidade. Todos, incluindo a atual presidente, podem e devem ser responsabilizados por seus atos

Os meios de comunicação social existem para incomodar. Um jornalismo cor-de-rosa é socialmente irrelevante. A imprensa, sem precipitação e injustos prejulgamentos, tem o dever de desempenhar importante papel na recuperação da ética na vida pública. Nosso compromisso não é com celebridades, mas com a verdade, com a informação bem apurada, com os leitores

O Brasil está passando por profunda mudança cultural. Transparência nos negócios, ética e competência são as principais demandas da sociedade. E a imprensa está sintonizada com essas aspirações

Autor: Carlos Alberto Di Franco, advogado e doutor em comunicação

———————————————————————————————

Finalizando

INVERSÃO DE VALORES:

“Infelizmente estamos em uma época que a desonestidade virou qualidade.”

O cidadão que age de forma correta, com princípios, ética e retidão fica marginalizado diante de uma maioria esmagadora de aproveitadores, enganadores e bandidos…

Mesmo assim fico com a minoria!!!

Orlando Salustiano Júnior (Landinho)

—————————————————————

Chega de Mentiras, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-28/2014

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Em decisão exemplar, Celso de Mello impede censura a jornalista de Goiás

novembro 29, 2014

Por CLEUBER CARLOS

Ministro do STF Celso de Mello é
Contra a Censura a Imprensa
“Uma das maiores vitorias da liberdade de imprensa no Brasil.” 

O Ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello reformou decisão proferida pelo Juízo de Direito do 2º Juizado Especial Cível da comarca de Goiânia/GO na qual censurava o Blog do Cleuber Carlos de publicar opiniões, informações e criticas ao empresário e dirigente de futebol do Goiás Esporte Clube, Edmo Mendonça Pinheiro (Edminho Pinheiro) na matéria – A História Secreta do Goiás Esporte Clube – . A reportagem relata como o Goiás deixou de ser um clube sem dívidas até 2007 para se transformar em um clube com uma dívida de 82 milhões de reais. Dívida esta construída nos últimos 7 anos, sob a administração da família Pinheiro. Neste período Hailé Pinheiro foi presidente executivo do do Goiás, Edminho Pinheiro foi vice-presidente e responsável pelas negociações no clube.

A reportagem detalha as manobras que o Goiás fez e faz para não pagar uma dívida que hoje está na ordem de R$ 40 milhões de reais junto a empresa JF Esportes Ltda e tentativa de incriminar o ex-presidente Raimundo Queiroz pelo endividamento do clube. Manobras que passam por inquérito “armado” na Polícia Civil e decisões “suspeitas” no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás e no Ministério Público/GO com suposto uso de poder de influência sobre juízes, desembargadores e promotor de justiça.
Dirigente do Goiás Edminho Pinheiro
A pedido do empresário e dirigente do Goiás Esporte Clube, Edmo Mendonça Pinheiro, que foi vice-presidente do Goiás no biênio 2007/2008, o juiz Aldo Guilherme Saad Sabino de Freitas, concedeu uma liminar, censurando este jornalista e ordenando  a retirada de  comentários negativos a respeito do senhor Edmo Pinheiro, de  qualquer rede social, principalmente na matéria que mostra a verdadeira historia de endividamento do Goiás com seus respectivos responsáveis, conforme relatado na reportagem Juiz Goiano Aldo Sabino Censura a Imprensa.
A decisão do magistrado foi considerada por mim como sendo esdrúxula, grotesca, estapafúrdia e teratológica.
Durante o tempo que este blog esteve censurado, recebi total apoio e solidariedade do amigo Paulinho – Blog do Paulinho, O blog mais lido do Brasil,   no qual sempre busquei referência  para  realizar reportagens embasadas com documentos e provas. Embasado e com documentos, Paulinho  não se intimidou e publicou reportagens reveladoras sobre o caso, sendo inclusive ameaçado pelo advogado de Edminho Pinheiro. Ao Paulinho, pela amizade e parceria de muitos anos, dedicou essa vitória expressiva no Supremo Tribunal Federal. Vitória essa que certamente servirá para fundamentação em futuros embates que ainda teremos pela frente. Essa é também uma vitória do Paulinho,  que lutou junto comigo nesta batalha.
Goiás: Justiça Federal investiga crimes fiscais e ligação de dirigentes com crime organizado.
“Nós te localizaremos”, ameaça dirigente do Goiás, via advogado, após denúncias de ligação do grupo com crime organizado

 A MASCARA CAIU – PARTE 2

Goiás: Justiça Federal investiga crimes fiscais e ligação de dirigentes com crime organizado.
Após tentativa de fraude, Justiça condena Goiás a pagar R$ 40 milhões a JF Esportes
Carlos Leonardo vitorioso no STF
Inconformado e indignado com a decisão do Juiz, Aldo Sabino, constitui como procurador, o advogado DR. CARLOS LEONARDO PEREIRA SEGURADO que protocolou um Mandado de Segurança para derrubar a liminar, que foi conforme de praxe,  mantida  pela Turma Julgadora.
O Dr. Carlos Leonardo Pereira Segurado ingressou com uma reclamação no Supremo Tribunal Federal contra a decisão do juiz Aldo Sabino. Com muita agilidade, o Ministro Celso de Mello despachou cobrando explicações do magistrado goiano:
Despacho: 
 
Solicitem-se prévias informações ao juízo de Direito do 2º Juizado Especial Cível da Comarca de Goiânia/GO, especialmente sobre alegado desrespeito `a autoridade que o Supremo Tribunal Federal proferiu, com efeito vinculante e eficácia “erga omnes” , no julgamento da ADPF 130/DF, supostamente cometido na decorrência de concessão, pela autoridade ora reclamada, de provimento cautelar deferido no processo nº 5573540.39.2014.8.09.0060.  Ministro Celso de Mello. 
Ministro do Supremo Tribunal Federal Pede Explicações a Juiz Que Descumpriu a Lei de Imprensa
Em resposta o magistrado goiano argumentou ao ministro com falácias, sem fundamentar e não explicou porque descumpriu e desrespeito a autoridade do Supremo Tribunal Federal que já havia sumulado sobre a Lei de Imprensa.
 
Pois bem, depois das explicações de Aldo Sabino, o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, despachou reformando a decisão do magistrado goiano e cassando a liminar. A decisão do Ministro ganhou destaque nacional e foi publicada uma ampla reportagem na página principal do Supremo Tribunal Federal:
 

A noticia tem grande repercussão na imprensa brasileira. Praticamente todos os sites jurídicos do Brasil dão grande destaque a decisão do Ministro.

Liminar do ministro Celso de Mello impede censura a blog de jornalista
Site do STF
“O exercício da jurisdição cautelar por magistrados e Tribunais não pode converter-se em prática judicial inibitória, muito menos censória, da liberdade constitucional de expressão e de comunicação”. A afirmação é do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) que, ao conceder liminar em Reclamação (Rcl 18836) ao jornalista e blogueiro Cleuber Carlos do Nascimento, suspendeu uma decisão do juiz do 2º Juizado Especial Cível da Comarca de Goiânia.
O juiz havia concedido antecipação de tutela ao ex-vice-presidente do Goiás Esporte Clube, Edmo Mendonça Pinheiro, determinando o prazo de dois dias para o jornalista excluir de seu perfil “em qualquer rede social”, os comentários negativos feitos contra o ex-dirigente do clube, sob pena de incidência de multa diária de R$ 200.
O jornalista ajuizou a reclamação no STF, alegando que o juiz teria despeitado decisão da Suprema Corte, com efeito vinculante, tomada no Julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 130, que considerou não recepcionados pela Constituição Federal de 1988 diversos dispositivos da Lei 5.250/1967 (Lei de Imprensa).
Admissibilidade e Legitimidade
Preliminarmente, o ministro Celso de Mello verificou que é admissível o ajuizamento de Reclamação para questionar o que chamou de “transgressão à eficácia vinculante de que se mostra impregnado o julgamento do Supremo Tribunal Federal, proferido no âmbito de processos objetivos de controle normativo abstrato, como o que resultou no exame da ADPF 130”.
Na avaliação do ministro Celso, mesmo que, no caso do jornalista, ele não tenha participado diretamente como parte naquele julgamento que envolveu a Lei de Imprensa (ADPF 130), ele tem legitimidade ativa para reclamar junto ao STF quaisquer decisões contrárias ao entendimento firmado de forma vinculante pelo STF, “em sede de ação direta de inconstitucionalidade, de ação declaratória de constitucionalidade ou, como no caso, de arguição de descumprimento de preceito fundamental”, afirmou.
O ministro ressaltou que, ao julgar a inadequação da Lei de Imprensa perante a Constituição Federal de 1988, o STF “pôs em destaque de maneira muito expressiva, uma das mais relevantes franquias constitucionais: a liberdade de manifestação do pensamento, que representa um dos fundamentos em que se apoia a própria noção de Estado democrático de direito e que não pode ser restringida, por isso mesmo, pelo exercício ilegítimo da censura estatal, ainda que praticada em sede jurisdicional” .
Assim, enfatizou que o repúdio à censura já está consagrado constitucionalmente e que a liberdade de expressão e pensamento inclui o direito à crítica. Dessa forma, observando que o poder geral de cautela exercido pelos juízes não pode se transformar “anomalamente” em uma nova forma de censura, o ministro Celso de Mello deferiu o pedido de liminar feito pelo jornalista, suspendendo cautelarmente a decisão proferida pelo juízo de Goiânia.
A decisão do ministro ainda autoriza “a normal veiculação, em qualquer rede social, de matéria jornalística sobre o tema censurado, afastada a incidência da multa cominatória diária imposta no ato de que ora se reclama”. Segundo Celso de Mello, “o pensamento há de ser livre, permanentemente livre, essencialmente livre”, ao citar a Carta de Princípios denominada Declaração de Chapultepec, assinada no México em 1994, durante a Conferência Hemisférica sobre Liberdade de Expressão.

Esta não é apenas uma vitória pessoal minha e do Paulinho que sofremos  constantemente tentativas de intimidação judicial, mas uma vitória de todos os jornalistas do Brasil que sofrem  constantemente ações de pessoas que usam seu poder econômico e de  influencia para censurar a imprensa. 

O STF sumulou na (ADPF) 130  que o pensamento crítico é parte integrante da informação plena e fidedigna. O possível conteúdo socialmente útil da obra compensa eventuais excessos de estilo e da própria verve do autor. O exercício concreto da liberdade de imprensa assegura ao jornalista o direito de expender críticas a qualquer pessoa, ainda que em tom áspero ou contundente, especialmente contra as autoridades e os agentes do Estado. A crítica jornalística, pela sua relação de inerência com o interesse público, não é aprioristicamente suscetível de censura, mesmo que legislativa ou judicialmente intentada. O próprio das atividades de imprensa é operar como formadora de opinião pública, espaço natural do pensamento crítico e “real alternativa à versão oficial dos fatos”

O Poder Público somente pode dispor sobre matérias lateral ou reflexamente de imprensa, respeitada sempre a ideia-força de que quem quer que seja tem o direito de dizer o que quer que seja. Logo, não cabe ao Estado, por qualquer dos seus órgãos, definir previamente o que pode ou o que não pode ser dito por indivíduos e jornalistas. 
A LEI DE IMPRENSA NÃO PODE SER DISCUTIDA POR JUIZ EM 1º GRAU
As matérias reflexamente de imprensa, suscetíveis, portanto, de conformação legislativa, são as indicadas pela própria Constituição, tais como: direitos de resposta e de indenização, proporcionais ao agravo. E neste terreno que o juiz deve atuar e não no campo da censura.
Celso de Mello  deixou claro seu pensamento quanto a censura da imprensa no julgamento da ADPF/130DF 
 
“Uma imprensa livre é condição fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade, não devendo existir, por isso mesmo, nenhuma lei ou ato de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação”
“I – Não há pessoas nem sociedades livres sem liberdade de expressão e de imprensa. O exercício dessa não é uma concessão das autoridades, é um direito inalienável do povo. 
II – Toda pessoa tem o direito de buscar e receber informação, expressar opiniões e divulgá-las livremente. Ninguém pode restringir ou negar esses direitos. 
 
VI – Os meios de comunicação e os jornalistas não devem ser objeto de discriminações ou favores em função do que escrevam ou digam.
Liminar do Ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello Impede Censura a Blog de Jornalista from Cleuber Carlos Nascimento

Morre Roberto Bolaños, o Chaves, gênio do humor

novembro 28, 2014

chaves

Morreu Roberto Bolaños, o eterno Chaves, aos 85 anos, que já respirava com dificuldades há alguns meses, informam as emissoras mexicanas.

Um gênio do humor.

Bolaños se consagrou em toda a América Latina, como uma espécie de Chaplin da região, mas foi no Brasil, país apaixonado por suas inspiradas criações, que se tornou ainda maior.

Seus programas, “Chaves” e “Chapolim”, marcaram toda uma geração, e até hoje são exibidos, sempre com enorme audiência, na tela do SBT.

O Mito vai correr o risco até agosto… ou dezembro ?

novembro 28, 2014

autografo ceni

Como era de se esperar, após a eliminação da Copa Sul-Americana, o Mito Rogério Ceni não se conformará em encerrar a carreira sem levantar a última taça pelo Tricolor, razão pela qual acaba de renovar seu vínculo com o clube até agosto de 2015, mês em que a Libertadores da América estará decidida.

É de fato um grande risco.

Ceni não precisa mais provar sua importância a ninguém, principalmente ao torcedor que o idolatra, há décadas, no Morumbi, mas talvez tenha necessidade de sentir, pela última vez, a emoção de erguer a taça pelo clube que tanto ama.

Sabe, porém, que uma má jornada no torneio sul-americano pode criar desconforto à própria imagem, ainda mais num mundo em que a memória do torcedor costuma ser do tamanha da educação, com exceções, é claro.

Mas com coragem assumirá os desafios, que sabe, não são pequenos.

O sonho, muito mais do que encerrar sua jornada no clube com a Libertadores na mão é o de poder, novamente, representar o São Paulo no Mundial de Clubes, fator que adiaria novamente, e, provavelmente, definitivamente, sua carreira até dezembro do mesmo ano.

Por sinal, com risco ainda maior, perante gigantes europeus que mais parecem Seleções do futebol mundial.

Mas não é assim que vivem os heróis, se arriscando ?

Corinthians terá quatro candidatos a presidente

novembro 28, 2014

citadiniilmar

paulo e andres 3duilio sanches gobbi roberto

Não é verdadeira a informação, publicada no Globo Esporte, de que a oposição do Corinthians se uniu em consenso para apoiar o nome do dono da Kalunga, Paulo Garcia, na disputa para a presidência do Corinthians.

Aliás, muito longe disso.

Movimentações de bastidores, que obrigam os candidatos a relacionarem 250 pessoas para a chapa do Conselho Deliberativo do clube, deixam bem claro que o Corinthians terá, de saída, quatro candidatos a presidente.

O vendedor de carros Roberto “da Nova” Andrade é o representante da situação, que já definiu como vices o ex-bicheiro e dono de desmanche André Negão, além do “laranja” de Carla Dualib, Dr. Jorge “Totó” Kalil.

Derrotado nas últimas três eleições, Paulo Garcia, se não mudar de idéia, tentará competir novamente, com Osmar Stabile na vice-presidência, ficando ainda uma vaga aberta para o segundo nome a ser indicado.

Trata-se de um grupo que se apresenta como oposição, mas, de todos, é o que mais proximidade possui com os hábitos, que até defende, da atual gestão.

Ilmar Schiavenato deixou a diretoria descontente com o que presenciou, e lançou-se como alternativa.

Tem a seu favor o ótimo relacionamento com associados, mas é considerado inexperiente para as questões do futebol.

Por fim, apesar de não confirmar oficialmente, é certo que Roque Citadini tentará, pela primeira vez, ocupar o cargo máximo do Corinthians, clube pelo qual conquistou títulos em sua passagem pela diretoria de futebol.

Conselheiro do TCE-SP, o candidato vem expondo suas idéias em entrevistas, vídeos, textos em seu blog e reuniões com associados.

Tem apoio de personalidades históricas do clube, muitas delas ex-adeptas do grupo de Garcia.

Este é o verdadeiro quadro eleitoral do Corinthians, até o momento, com pouca margem para alterações.

Irmão de Paulo Garcia está financiando campanha de candidato a presidente do Santos

novembro 28, 2014

fernando silva

Os interesses da família Garcia, conforme notícias veiculadas pela imprensa durante a semana, vão bem mais além do que os “esquemas” conhecidos no Parque São Jorge.

Para tal, não poupam esforços, nem dinheiro, para atingir os objetivos.

Os empréstimos milionários, e irregulares, ao Corinthians, acrescidos da generosa doação à campanha de Andres Sanches, eleito Deputado Federal com R$ 600 mil da Kalunga no bolso, garantiram ao grupo prioridade na escolha de atletas no elenco alvinegro.

Politicamente fez Paulo Garcia atuar em duas frentes, com benefício certo, seja com a vitória da chapa que encabeça ou com o êxito de Roberto “da Nova” Andrade, boneco de Andres, sócios de seu irmão, Fernando Garcia.

Mas as ações não param por ai.

Se no Botafogo os comparsas embolsaram R$ 300 mil em comissões, num empréstimo de R$ 3 milhões, com cheiro de crime de agiotagem, é no Santos, conhecido celeiro de craques, que o dinheiro de Fernando Garcia está sendo investido, em apoio ao candidato, seu xará, Fernando Silva, conhecido empresário de jogadores de futebol, que foi retratado, em parte, numa de nossas postagens.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/10/30/candidato-a-presidente-do-santos-fernando-silva-tem-curriculo-incompativel-com-a-fama/

A intenção é empurrar de volta ao convívio dos garotos do Peixe a ação nociva de Thiago Ferro, sócio de Garcia, que, não muito distante, foi enxotado da Vila por exagerar nos desvios de conduta, e de atletas.

Sem contar o “golpe” das procurações, que Delci Sonda conta para quem quiser escutar, dizendo ter sido roubado pelo grupo.


%d blogueiros gostam disto: