Archive for junho \30\UTC 2008

Lama no reino do Pinóquio

junho 30, 2008

Do Jornal LANCE!

JÔgada de Mestre

Maurício Oliveira, Lance!

Amigo de Kia e ex-representante do MSI ,agente compra 10% e lucra R$4 milhões em 50 dias.

A transferência de Jô para o Manchester City (ING) levou de volta ao Corinthians empresários ligados ao Grupo MSI – a parceria ainda não rescindida na Justiça- e pode desencadear uma grave crise política no Parque São Jorge.

Vendido pelo CSKA (RUS) por pouco mais de 18 milhões de libras (cerca de R$58 milhões), o atacante renderia ao Timão quase R$ 6 milhões, se o presidente corintiano Andrés Sanchez, não tivesse negociado, no inicio de maio, os 10% a que o clube teria direito desde 2005, quando foi morar na Rússia.

De acordo com Sanchez, o Corinthians recebeu US$1,25 milhões (quase 2 milhões) pelos 10%. São R$ 4 milhões a menos. Mas não é só este o problema da negociação.

Quem comprou a parte corintiana no valorizado Jô foi uma das empresas do agente FIFA, Giuliano Bertolucci,amigo do iraniano Kia Joorabchian,ex-presidente do MSI.

Ao mesmo tempo em que “ajudava” o Corinthians quitar parcela de dívidas antigas, o mesmo Bertolucci participava da longa negociação entre City e CSKA. Ele, no entanto, não foi o único empresário, ou investidor, ligado ao ex-parceiro do Corinthians a fazê-lo.

Não sei direito como e qual foi a influência de Giuliano nesse negócio . O que sei é que teve a participação pessoal do Pini (Zahavi) e de Kia também… afirma o empresário Marcelo Djian, representante de Jô desde que o atacante estreou no Corinthians em julho de 2003.

Pini Zahavi foi identificado pelo ex-presidente do Corinthians Alberto Dualib como um dos representantes dos principais investidores do MSI- o magnata russo Boris Berezovisky e o georgiano Badri Patarkatsihvili, que morreu de “causas naturais”em fevereiro deste ano, eram os outros dois.

Em 27 de maio, o jornal londrino “The Times” apontou Zahavi como super-agente responsável por supervisionar as ofertas pelo atacante Jô.

A divisão de Jô era assim: 10% era do MSI; outros 10% do Corinthians e 80 do CSKA. Eu nem sabia que Giuliano tinha comprado os 10% do Corinthians – afirma Djian.

Em 2005, Bertolucci representou Kia e o MSI nas contratações de Marcelo Matos, Carlos Alberto,Roger e Nilmar, todos negócios milionários.

Kia, por meio de sua assessoria de imprensa, nega ter parte de Jô.

Já com os cerca de R$2 milhões na conta, dirigentes corintianos dizem que foram pegos de surpresa quando a transação milionária foi fechada.

Quem podia imaginar que Jô valeria tanto? – questiona o vice de finanças Raul Corrêa da Silva.

Heleno das Obras e seus comparsas.

junho 30, 2008

Começa a ser desvendado o esquema “não transparente” que envolve a possível construção do estádio do Corinthians, na Marginal Tietê.

O projeto foi apresentado por Edgard Soares, conselheiro corinthiano.

Digamos que o cartão de visitas não poderia ser pior.

As construtoras apresentadas estão envolvidas em problemas judiciais que envolvem superfaturamento, e já foram até condenadas pela justiça.

Os motivos acima já seriam suficientes para a não aprovação da obra, em minha opinião.

Mas tem coisas ainda piores.

Andres Sanches escolheu seu vice-presidente, Heleno Maluf, para comandar o empreendimento.

Durante a campanha para presidente do clube, sua chapa, a “Renovação e Transparência”, gritava pelo Parque São Jorge que Heleno teria superfaturado as obras da nova sede construída logo na entrada do clube.

O valor foi astronômico.

Heleno Maluf trabalhava, na época, para Alberto Dualib.

Composições políticas fizeram com que a “memória” de Andres se tornasse seletiva.

Simplesmente apagou o passado de Heleno de suas lembranças.

Pior ainda é a equipe de obras que acompanha o vice-presidente.

Roberto Cerqueira Cesar, o Robertinho, foi acusado essa semana, de superfaturar equipamentos nas obras de Itaquera.

Até boletim de ocorrência foi aberto.

Imaginem o que não podem fazer em uma obra grandiosa como a construção de um estádio.

Será uma farra.

Outro membro da turma é o “honesto” Celso das Obras.

Heleno Maluf, Robertinho e Celso, sob o comando de Andres Sanches.

Alguém acredita em honestidade no projeto ?

A guerra dos irracionais

junho 30, 2008

 

 

Eles não tem jeito.

Bandidos organizados da Mancha verde conseguiram brigar com a outra facção criminosa que se diz torcedora do clube, a TUP.

Com certeza o motivo não foi a partida entre Palmeiras e Náutico.

Divisão de roubo, demarcação de área para o narcotráfico, bajulação de políticos do clube são os motivos possíveis.

Enquanto isso o torcedor comum sofria para ser tratado com o mínimo de dignidade no estádio.

E ainda era obrigado a assistir essa briga de animais descerebrados.

Melhor assinar o pay-per-view.

Cyborg conta o que sabe sobre a venda de Jô para Kia Joorabchian

junho 30, 2008

 

A negociação do atleta Jô deu o que falar ontem no Parque São Jorge.

A diretoria do clube não consegue explicar.

O dinheiro não está nos balancetes divulgados.

Andres Sanches escondeu que a negociação foi conduzida por seus “parceiros” Marcelo Dijian e André Campoi, com Kia Joorabchian, da MSI.

Joorabchian, após adquirir os direitos do atleta, repassou para seu sócio, Pini Zahavi.

Conforme aponta reportagem do jornal britânico “The Times”.

Um cinegrafista amador, João Alberto, estava ontem no clube e conversou com Rolando Wollers, conhecido como Cyborg.

Ele foi um dos principais articuladores da campanha do atual presidente.

Sabe muitos particulares que Andres preferia esquecer.

Cyborg confirma que Nesi Curi já havia lhe contado sobre a negociação de Jô.

Diz que conversou com Andres, que admitiu a participação de seus testas de ferro (Campoi e Djian) na negociação.

Cita a participação de Kia Joorabchian na transação.

Falou também sobre a reunião da torcida organizada do clube com Nesi Curi.

Amplamente negada pelos Gaviões da Fiel.

Confira abaixo.

 

 

Cyborg

“Gostaria que todos os atos no Corinthians fossem atos legais.

Estão assustadoras as matérias desses dias sobre o caso do Jô.

Eu estou assustado.

Por coincidência estive com o Andres, depois de minha conversa com Nesi Curi, em que fui impedido de marcar uma reunião…tentaram blindar uma reunião do Nesi Curi com os líderes das torcidas.

Mas felizmente alguns dos líderes das torcidas foram e se reuniram com o Nesi.

Lá o Nesi me falou sobre a venda do Jô.

E eu conversei com o Andres.

Ele me falou que a venda do Jô foi limpa.

O André Campoi recebeu U$ 250 mil, ele e o Marcelo Djian, e o Bertolucci (empresário ligado a MSI), ganhou os outros U$ 250 mil.

Foram U$ 500 mil de comissão.

Eu não sabia que o Corinthians tinha direito a 10 % da venda do Jô.

É assustador saber para quem ele negociou.

Ao que parece negociou para o Kia Joorabchian e o Pini Zahavi, o israelense, sócio do Kia.”

O Flamengo é o lider do Brasileirão

junho 29, 2008

Eu nunca tive dúvidas.

O Flamengo, com uma equipe modesta em relação a outras que disputam o torneio, é o líder isolado do Campeonato Brasileiro.

Caio Junior é o responsável.

Foi uma evolução clara a troca de Joel pelo treinador atual.

A equipe ganhou em padrão tático e conseguiu encaixar o que havia de melhor tecnicamente em função do coletivo.

Com o tempo as coisas tendem a melhorar.

Caio não faz o alarde de treinadores que passam uma vida fazendo fama em cima de elencos milionários.

Com humildade e muito trabalho aos poucos vaio conquistando o seu espaço.

Esperamos que continue assim.

Palmeiras vence no Parque Antártica

junho 29, 2008

Por Juca Kfouri

http://blogdojuca.blog.uol.com.br/

Pode um time terminar o primeiro tempo ganhando de 1 a 0 por causa de um gol nascido de pênalti inexistente e mesmo assim o placar ser justo?

É raro, mas pode.

E foi o caso da vitória parcial do Palmeiras sobre o Náutico no Palestra Itália.

Alex Mineiro marcou no fim do primeiro tempo depois que Élder Granja se jogou na grande área.

Aliás, o placar nem foi justo mesmo.

Porque o justo teria sido uns 4 a 0 para o Palmeiras, único time em campo contra um apavorado Náutico, de dar pena.

E de dar raiva, porque perdido por 1, perdido por 10, o Timbu achou de jogar de igual para igual no segundo tempo e não se deu mal, além de ter honrado sua camisa.

Alceu foi expulso por falta violenta em Kléber e Kléber também foi expulso em seguida, por falta de cabeça.

Quando o Náutico era melhor e até ameaçava empatar, aos 41, Denílson fez lindo gol depois de driblar um zagueiro e se livrar do goleiro: 2 a 0.

O Palmeiras entrou no G-4 e tirou o Náutico dele.

Empate em Minas

junho 29, 2008

O São Paulo entrou mal na partida contra o Cruzeiro.

Os mineiros, dominando o setor de meio campo, jogavam e não deixavam jogar.

Mas, ofensivamente, pecavam no momento final.

Apenas aos 33 minutos, em boa jogada pela direita, Guilherme abriu o marcador.

E foi só.

O ditado é antigo, mas sempre funciona.

Não se pode dar asa para cobra.

E o Tricolor voltou melhor na segunda etapa.

E logo no início, aos 39 seg., Borges empatou a partida.

Que a partir daí poderia ter qualquer das equipes como vencedora.

O Cruzeiro poderia ter matado no primeiro tempo.

Não fez.

E o empate acabou sendo justo.

A Europa é espanhola !

junho 29, 2008

O futebol alegre venceu.

A Espanha é a dona da Europa.

Bateu o pragmático e sisudo futebol alemão.

De maneira incontestável.

A Alemanha começou um pouco melhor, mas durou pouco.

Logo depois dos primeiros 15 minutos a equipe espanhola iniciou o que seria um show de bola.

Toques rápidos, envolventes e marcação precisa, sem dar chances de criação ao adversário.

Os alemães nunca estiveram tão apáticos em uma final.

Apatia gerada pela impotência diante de um futebol tão bem jogado.

O meio de campo espanhol jogava por musica.

Marcos Senna, aquele brasileiro que V(W)anderlei(y) Luxemburgo dispensou do Corinthians, foi um leão em campo.

Fernando Torres, que já havia colocada uma bola na trave, aos 21 minutos, decidiu o marcador logo depois.

Que jogador.

Eram jogados 32 minutos quando Torres disputou uma jogada na corrida com o a “avenida” Lahm, venceu, na raça, e com um toque genial encobriu o goleiro alemão e fez o gol do título.

Na segunda etapa o passeio foi ainda maior.

A Alemanha, impotente, só assistia.

Desgastada por ter que correr atrás de um grupo de garotos talentosos, nada poderia fazer.

E a “Fúria” começou a perder gols, na mesma proporção que encantava o torcedor com toques de primeira e jogadas de muita plástica.

Quando o jogo terminou a Europa já era espanhola.

Espanha que tem tudo para surpreender no próximo mundial.

Venceu uma Eurocopa de altíssimo nível.

Em que ficou demonstrado que o futebol pode ser eficiente e ofensivo ao mesmo tempo.

Que não há a necessidade de se escalar jogadores “botinudos” para praticar uma marcação eficiente.

Em 31 jogos apenas três jogadores foram expulsos.

Que o exemplo seja seguido.

Parabéns Espanha.

O amante do futebol bem jogado agradece.

50 anos da maior seleção de todos os tempos

junho 29, 2008

 

 

A maior seleção de todos os tempos foi Campeã do Mundo em 1958.

Muitos eram os craques.

Mas o Brasil tinha dois jogadores inigualáveis.

Pelé e Garrincha.

Foi o único torneio mundial em que ambos puderam atuar juntos na plenitude de suas formas.

Com os dois em campo a Seleção Brasileira nunca foi derrotada.

Hoje faz 50 anos dessa conquista histórica.

Como forma de agradecimento por tudo o que fizeram pelo futebol eu selecionei uma preciosidade.

Encontrei no blog do Marcelo Damato um link que possibilita assistir a partida final, contra a Suécia, na íntegra.

http://www.svt.se/content/1/c8/01/18/18/27/080628SVEBRAVM58.asx

Andres, Raul e Dr. Alvarenga, como explicar ?

junho 29, 2008

 

Andres Sanches precisa se explicar.

Kia Joorabchian e Pini Zahavi participaram da transação de Jô.

Acabo de ser informado quem foram os empresários que estiveram com o testa de ferro da Máfia Russa .

Marcelo Djian e André Campoi.

Nós sabemos bem a relação que possuem com o presidente.

Precisamos saber também onde está o dinheiro.

Quem sabe o arrogante vice-presidente de Finanças possa nos responder.

Dr. Alvarenga também nos deve algumas explicações.

Disse que “investidores” compraram a parte corinthiana do atleta.

Duvido que não soubesse de que investidores falava.

Renovação e Transparência.

Que piada.

O Tricolor tem que abrir os olhos

junho 29, 2008

 

O São Paulo terá problemas com a abertura do mercado europeu.

Seus principais atletas já têm propostas ou sondagens.

Hernanes, Miranda, Alex Silva, Richarlyson e Dagoberto podem sair.

Muricy Ramalho também foi sondado, mas não acredito que abandone o barco, até pela gratidão que possui com Juvenal Juvêncio.

O “X” da questão está na reposição de peças.

E nisso o tricolor costuma se dar bem.

Mesmo assim é bom ficar ligado.

Andres Sanches negociou Jô com Kia Joorabchian

junho 29, 2008

 

Andres Sanches tentou esconder, mas a verdade apareceu.

Quem comprou os 10 % dos direitos do atleta Jô, que pertenciam ao Corinthians, foi Kia Joorabchian, pela MSI.

Pior do que isso é descobrir que a venda já estava acertada a cerca de dois meses, ou seja, Andres vendeu por um preço menor sabendo que a proposta do time inglês era maior.

Lesou os cofres do clube.

Adivinhem que é o comprador do Manchester City ?

Pini Zahavi, sócio de Kia Joorabchian na MSI.

A ligação é evidente.

Andrés negociou com Kia, por um valor menor, após o iraniano ter combinado a negociação com Pini Zahavi.

A entrada do dinheiro, obvia, tem tudo a ver com a Salamandra.

O dinheiro não aparece nos balanço do clube.

Andres terá que se explicar.

A mentira tem as pernas curtas.

Confira abaixo reportagem do jornal inglês “Times”, do dia 27/05/2008.

A máscara caiu, mais uma vez.

 

From The Times

May 27, 2008

Manchester City line up Brazil striker Jo

http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/manchester_city/article4009678.ece

 

Manchester City are on the verge of smashing their transfer record to sign Jo, the highly rated CSKA Moscow and Brazil striker, as Thaksin Shinawatra, the club’s controversial owner, takes his first steps towards attempting to pacify supporters appalled by his treatment of Sven-Göran Eriksson.

Jo was in Manchester over the weekend to discuss personal terms and City are hopeful that the deal, worth about £18million, will be concluded within the week once the final details of the move have been ironed out.

Everton were also keen to sign the 21-year-old forward but the Merseyside club have conceded defeat as City put the finishing touches to a transfer that would dwarf their previous record of £13million, paid to Paris Saint-Germain for Nicolas Anelka, the Chelsea and France striker, in 2002.

The deal has been complicated by the fact that Jo is partly owned by Media Sports Investments (MSI), the consortium led by Kia Joorabchian.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

Although a season-long loan had been mooted, City were eager to buy Jo outright to avoid the problems presented by third-party ownership, but while the exact structure of the deal is unclear, it is understood that the club will become the sole owners of Jo with the transfer fee paid in instalments.

Given that Jo has only been capped once by Brazil, he may initially have difficulty receiving a work permit, but the club are hopeful that he will be able to obtain one upon appeal.

What impact such a significant arrival might have on the fans’ feelings towards Thaksin remains to be seen, but Jo is unlikely to be the only high-profile signing as the City owner prepares to contradict claims last month that he would “not be spending huge amounts of money this summer”.

City spent about £40million on eight players last summer and a similar outlay is expected this time around, albeit on probably half the number of recruits.

Pini Zahavi, the Israeli “super agent” who has overseen the negotiations to sign Jo, has been instructed to handle most of City’s transfer activity during the summer, much as another agent, Jerome Anderson, did last summer, and moves are also afoot to sign Giovani Dos Santos, the £8million-rated Barcelona and Mexico striker.

The anticipated arrival of Jo and Giovani would probably signal the end of City’s interest in Andrei Arshavin and Daniel Carvalho, the Zenit St Petersburg and CSKA Moscow playmakers respectively, but Pablo Zabaleta, the Espanyol full back, is another wanted man, as is Jean Makoun, the destructive Lille midfield player.

Quite where Eriksson stands in all of this only Thaksin seems to know. Sources close to the City manager indicated last night that he was still in the dark as to whether he would be given his marching orders, but it is expected that Thaksin will sack the Swede once he has completed his review of the club next week.

Thaksin is growing increasingly resigned to the prospect of being unable to lure Luiz Felipe Scolari, the Portugal coach, to the club as Eriksson’s successor, but Avram Grant, the former Chelsea first-team coach, is not believed to be in contention to take charge of City.

Liverpool are another club that has had to contend with much turmoil behind the scenes, but Rick Parry, the chief executive, believes the team must make a more concerted challenge for the Barclays Premier League title next season.

“We have to be real contenders,” Parry said. “The points gap has narrowed but it’s still not enough.” Bids have been lodged for Gareth Barry, the Aston Villa midfield player, and Andrea Dossena, the Udinese left back, while Rafael Benítez, the manager, could yet move for Stewart Downing, the Middlesbrough winger. Albert Riera, of Espanyol, who endured an unconvincing loan spell at City in 2006, is an alternative.

Palavra do Magrão

junho 29, 2008

Sobre craques e emoções

http://www.cartacapital.com.br/app/coluna.jsp?a=2&a2=5&i=1305

Por SÓCRATES

Júlio Baptista é um daqueles jogadores que poucos o vêem como ele realmente é. Talvez por causa de sua grande massa muscular ou de sua altura ou mesmo por não ter medo de divididas, mesmo as mais perigosas, o ex-jogador do São Paulo jamais foi muito valorizado por aqui, ainda que tenha se transferido já há algum tempo para a Europa e feito bons campeonatos pelo Sevilha e pelo Real Madrid. Dois anos atrás, já no Arsenal de Londres, ele pouco jogou e não teve chance de se firmar. Depois das boas exibições na Copa América, Júlio retornou ao Real, mas ainda continua buscando seu lugar na equipe.

E este fato me intriga. Júlio é um atleta que eu gostaria de ter no meu time, caso o tivesse. Creio que é o jogador brasileiro com mais capacidade de se adaptar às exigências das inúmeras variantes táticas que encontramos nas equipes de hoje. Vejo-o não só como um volante, como a maioria o reconhece, mas sim como um atleta que pode jogar, e bem, como zagueiro, meia ou atacante.
É claro que jamais será um Ronaldinho gaúcho ou um Kaká, exatamente porque não é um especialista. É, contudo, uma opção excelente para qualquer equipe que o tenha no elenco. Tecnicamente, possui todos os fundamentos necessários para a prática esportiva muito bem desenvolvidos. Cabeceia e chuta bem, marca com afinco e respeito os adversários e é muito solidário com os companheiros. Enfim, um belo jogador para os dias de hoje, apesar de não ser um craque na acepção da palavra.

O salvador da pátria

No ano passado, graças às atuações do goleiro Felipe, muitas vezes o Corinthians se safou de derrotas que antecipariam a trágica queda para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. Difícil acreditar que uma equipe com as tradições corintianas e com a força de sua marca tenha tido o seu goleiro como principal jogador em toda a temporada. Mas esta era a melhor representação do quão limitado e incapaz era o seu time.

O goleiro que chega a se destacar como Felipe é porque tem à sua frente uma equipe desorganizada, de jogadores de nível técnico discutível e que não consegue atuar de forma a se preservar contra quaisquer adversários. Lembro-me do Juventus (SP) dos anos 70, que possuía como principal característica jogar na defesa como um grupo de guerrilheiros enfrenta seus oponentes. Assim, geralmente seus goleiros eram os que mais trabalhavam, destacando-se tanto que em pouco tempo chamavam demasiada atenção e vinham a ser contratados pelas grandes equipes. Um time pequeno, como pequeno foi o time do Corinthians, deveu-se à falta de planejamento e a uma gestão fraudulenta e incompetente. O clube não conseguiu escapar do rebaixamento e hoje tenta reerguer-se. Fez um investimento gigantesco, modificando radicalmente o seu elenco, menos o goleiro. Este parecia intocável pelos créditos que possuía. Entretanto, gradualmente ele foi sendo fritado, não pelo seu jogo, imagino, e sim por sua conduta. Até que, como se esperava, na doída derrota na final da Copa do Brasil torna-se o vilão da perda do título. E todos os seus créditos se esvaem.

Fragilidade emocional

As meninas da seleção de vôlei do Brasil mais de uma vez sucumbiram em uma partida decisiva, devido à sua fragilidade emocional. Muitas vezes, como contra a Rússia na semifinal das Olimpíadas, tiveram o jogo na mão e desperdiçaram a oportunidade. Geralmente começam bem, mas basta o jogo se tornar mais equilibrado para as alterações emocionais se estabelecerem, complicando o desempenho. A partir daí, nada dá certo e, pior, a instabilidade é recebida até com certa apatia por quase todas as jogadoras, como se não pudessem enfrentá-la. E os erros passam a se suceder em profusão. Com isso, não há mais jogo de um lado da quadra e a vitória das adversárias ocorre com facilidade.

Não é de hoje que nossa equipe tem dificuldades em lidar com seu emocional. Ela tem qualidade técnica suficiente para enfrentar em igualdade de condições os melhores times do mundo, porém não tem equilíbrio suficiente para superar dificuldades. Seria de bom-tom que se utilizasse em período integral (e não ocasionalmente) um bom trabalho psicológico para oferecer às jogadoras respaldo nesse quesito.

Se esse trabalho não for feito, dificilmente chegarão onde podem e muitos títulos ainda serão perdidos. É só uma questão de bom senso e competência de quem monta uma comissão técnica.

Hoje sai o campeão da Europa

junho 29, 2008

Hoje a Europa vai parar.

Teremos o campeão da Copa do Mundo sem Brasil e Argentina.

Duas escolas distintas decidem o título.

A Espanha, com o futebol mais solto, porém menos eficiente na defesa, tenta vencer seus fantasmas.

Do meio para frente a “Fúria” é melhor que o adversário.

Resta saber como vai se portar perante a sempre favorita Alemanha.

Que tem uma equipe fria, calculista e decisiva.

Como é o costume de sua escola.

A Alemanha nunca é lembrada por equipes memoráveis.

Mas sempre está nas finais.

Quem vencerá ?

Aposto na Alemanha.

Homenagem aos “heróis” do Futebol Interior

junho 29, 2008

O site Futebol Interior vem passando por algumas dificuldades.

Foi expulso do jornal AGORA São Paulo.

Banido do portal IG.

Perdeu seus principais patrocinadores.

E agora é obrigado a desembolsar cerca de R$ 12 mil por mês para se hospedar em um inexpressivo provedor de Campinas.

A vida realmente fica difícil quando se perde a pouca credibilidade que já tinha.

Resolvi homenagear os “heróis” que ainda ousam escrever suas colunas em tão nobre espaço.

Guarde bem esses nomes.



%d blogueiros gostam disto: