Anúncios

Archive for maio \31\UTC 2008

Gaúchos em fria.

maio 31, 2008

Por Alberto Helena Jr.

http://ultimosegundo.ig.com.br/esportes/opiniao/alberto_helena_jr/

O sábado foi uma fria para os gaúchos. Não apenas pela onda gelada que invadiu o Sul, mas, sobretudo, pelos resultados de Inter e Grêmio, no Brasileirão.

O Grêmio, por exemplo, foi a São Januário, dominou o primeiro tempo, fez 1 a 0 e, quando parecia que iria voltar pra casa na liderança do campeonato, levou a virada, dois gols de Jean, que transfigurou o Vasco no segundo tempo.

O Inter, por seu lado, em pleno Beira-Rio, também saiu na frente com Alex, criou mais duas boas chances, marcou dois gols justamente anulados, controlou o jogo, mas tomou o empate em seguida, com Leandro Machado, e refluiu, sobretudo no início do segundo tempo, diante de um Sport que está encantado.

E olhe que Renan salvou a pátria, quando o Sport, com um a mais (Sidney fora expulso), teve um pênalti a seu favor. Renan não apenas rebateu a cobrança de Carlinhos Bala, como também salvou o rebote.

Confesso que começa a me preocupar esse Inter, que tem tanto e obteve tão pouco neste Brasileirão.

Anúncios

100% na Série B

maio 31, 2008

O Corinthians entrou em campo no Pacaembu e fez um treino de luxo para a partida decisiva contra o Sport.

O Fortaleza além de ser uma péssima equipe de futebol veio à São Paulo achando que poderia segurar o Timão na base da pancada.

Não conseguiu.

O Corinthians, mesmo sem forçar muito foi o senhor da partida.

Criou boas chances na primeira etapa e aos 22 minutos, com tranqüilidade, chegou ao seu gol.

Falta batida rasteira pela esquerda de André Santos para Alessandro, que de primeira concluiu, a bola resvala na zaga e entra no gol do Fortaleza.

Na segunda etapa o Corinthians se poupou ainda mais.

Passou a administrar a partida e claramente dava mostras que faria o segundo gol no momento que acelerasse um pouquinho o ritmo.

As coisas ficaram ainda mais fáceis quando Marcio Azevedo, um dos cavalos do Fortaleza, foi expulso por jogo violento em cima de Carlos Alberto.

Logo depois Elias, que fez boa partida, recuperou uma bola perdida na lateral, fez boa tabela com Herrera, que dominou e com categoria bateu rasteiro no canto direito do goleiro.

A missão estava cumprida.

Resta agora aguardar pelo Sport.

O desabafo de Romerito

maio 31, 2008

 

Sr. Junior e o caso Romerito

maio 31, 2008

 

O Goiás proibiu o atleta Romerito de disputar a final da Copa do Brasil pelo Sport.

O contrato de empréstimo termina amanhã e a equipe goiana se recusa a prorrogá-lo.

Pensei, por que uma atitude tão radical em um caso que poderia ser facilmente resolvido com um mínimo de boa vontade ?

Senti um cheiro ruim no ar.

Resolvi ligar para algumas pessoas e tentar esclarecer o assunto.

Dei sorte.

A verdade apareceu.

Um conhecido assessor de imprensa, negociador de atletas, com relação próxima da diretoria goiana, resolveu intervir.

Teria ligado para os mandatários da equipe e conseguido, com seu poder de “per$ua$ão”, convencer os dirigentes de que a presença de Romerito seria importantíssima, economicamente falando, para os cofres do clube.

Se é que me entendem.

Enquanto o departamento em que o nobre Sr. Junior trabalha é um verdadeiro esgoto infestado por ratos, dentro de campo tudo parece caminhar bem.

Equipe raçuda, que demonstra ter incorporado o espírito de sua torcida.

Para que agir com sacanagem extra-campo ?

Eu respondo.

Para não perder o costume.

Qual será o mistério ?

maio 31, 2008

Parceria com a milionária TRAFFIC.

Dinheiro da FIAT, R$ 8,5 milhões.

Vencedor do Paulistão.

Mesmo assim o balanço do Palmeiras é alarmante.

Déficit no futebol de R$ 3 milhões.

Como explicar ?

“Obrigado, Zeca Pagodinho”

maio 31, 2008

Da Folha de São Paulo

Por Barbara Gancia

“Sou pai de uma menina de 15 anos e de um menino de 13. O meu calvário está apenas começando…”

FOI SURPREENDENTE A resposta à coluna da semana passada, “Chegou a Zeca-Hora de dar um basta”, sobre a letal combinação de bebida, direção e juventude.

Mesmo tendo sido publicado no meio de um feriado prolongado, o texto gerou mais de 200 e-mails de leitores. Desses, apenas quatro, enviados por jovens com menos de 25 anos, traziam críticas às minhas considerações. O número reduzido de protestos é inusitado em se tratando de coluna assinada por mim.

Posso dizer que, em 24 anos como colunista da Folha, nunca tinha visto tamanha unanimidade.

Pelas mensagens recebidas, deu para perceber que pais e educadores estão fartos de ver a molecada se matando no trânsito. Para aqueles que compartilham desse sentimento, hoje resolvi publicar trechos de algumas das mensagens que me foram enviadas. A eles: “Sua coluna expressa toda a minha angústia e desespero como mãe de jovens de 21 e 23 anos. Toda vez que eles saem de casa, só consigo dormir quando ouço o barulho da chave na porta. O estresse é total. Os pais na maioria são coniventes, e já cansei de ouvir de amigos que eles entregam a sorte ao anjo da guarda dos filhos, uma vez que nada podem fazer”.

“É possível apontar apenas uma tímida denúncia da imprensa, obediente às robustas verbas publicitárias. Enfim, essa questão deve ser resolvida pelas famílias, pois nossas instituições fracassaram.” “Como pai de um jovem, fui um dos signatários do abaixo-assinado entregue ao Congresso pedindo urgência na votação da lei que regulamenta a propaganda de bebidas.

Infelizmente, fruto da pressão daqueles que você apontou como causadores dessa verdadeira conspiração contra os jovens, o referido pedido foi retirado.”

“Como professor da USP e tendo contato próximo aos alunos, vejo com preocupação o crescente consumo de bebidas alcoólicas. Talvez os grandes culpados sejam os “jovens” da nossa geração…” “Obrigado, Zeca Pagodinho, por tudo o que o senhor tem feito pelo país, principalmente pela juventude, nosso muito obrigado. Obrigado pela Zeca-feira, dia consagrado ao maior consumo de cerveja (…)

Não podemos culpá-lo por tudo, sabemos que vários fatores fazem aumentar o consumo de bebidas. Mas será que o senhor se lembra das cinco jovens mortas em acidente em Mogi das Cruzes: Narel, Liliane, Suelen, Jéssica e Alessandra? O porta-malas do carro em que elas trafegavam estava cheio de garrafas.”

“Trabalho no pronto-socorro do Hospital das Clínicas há 15 anos. Estamos diariamente expostos a diferentes tipos de traumatismos com freqüência assustadoramente elevada. Estamos diante de uma epidemia de trauma!”

“Tenho uma sugestão: que tal o bom e zeloso governo controlar um pouco a sertanejada e suas maravilhosas canções? “Beber, Cair, Levantar” é um hit da genial dupla Bruno e Marrone. Toca o dia inteiro, até em festa junina de escola.”

“No feriado, estive no pronto-socorro de Campos de Jordão acudindo dois jovens que compraram pinga num posto de gasolina para fazer o tal “esquenta”. Eles caíram bêbados na rua e nem conseguiram chegar à festa. Sou pai de uma menina de 15 anos e de um menino de 13. O meu calvário está apenas começando…”

A quadrilha de Garotinho

maio 31, 2008
Olha a cobra!!!

por Tutty Vasques, Seção: Flagrante s 19:54:20.

http://blog.estadao.com.br/blog/tutty/

Garotinho não tem o que esconder.

Vai se apresentar com toda a sua quadrilha na festa junina da igreja Presbiteriana.

Desviando o foco.

maio 31, 2008
Calma, Animal!

por Tutty Vasques, Seção: Caidaço s 00:03:21.

http://blog.estadao.com.br/blog/tutty/

Alguém precisa dizer ao Edmundo que ele não precisa parar de jogar futebol.

Basta não bater mais pênaltis, caramba!

Covarde organizado passa vergonha.

maio 31, 2008

Assistam abaixo o que acontece quando um covarde organizado tenta agir da mesma maneira de quando está com seu bando.

O Nirvana e a Seleção

maio 31, 2008

Por ROBERTO VIEIRA

http://oblogdoroberto.zip.net/

Quatorze anos após a morte de Kurt Cobain a seleção brasileira chega a Seattle para enfrentar o Canadá.

A seleção brasileira enfrentando o Canadá em Seattle é tão grunge quanto uma seleção de futebol americano enfrentando o Equador em Caruaru durante o São João.

Eu digo grunge, mas o certo talvez fosse dizer psicodélico. Os cartazes que apresentam a seleção trazem Ronaldinho e Kaká. São, no mínimo, propaganda enganosa.

Mas será que a CBF está dando ponto sem nó? Por que jogar em Seattle? Seattle que não está nem um pouco interessada no futebol?

Vejamos. Os clubes da Major League Soccer (MLS) foram liberados para exibir patrocínio em suas camisas na temporada passada. Logo, a Herbalife anunciou o patrocínio do Los Angeles Galaxy. Mês passado, a Volkswagen adotou o DC United.

Seattle, além de terra do Nirvana e do Pearl Jam, também é a terra da Microsoft.

A terra de Bill Gates. E a Microsoft decidiu patrocinar o Seattle Sounders Futebol Clube, que estréia na Major League no próximo campeonato.

E como fazem desde os tempos de Pelé no Cosmos, lá vão os brasileiros tentar fazer da terra do baseball a terra do football. Como o bebê na capa do álbum Nevermind do Nirvana.

O gramado do Qwest Field onde Robinho vai dar suas pedaladas é um pasto.

A torcida, uma incógnita.

O horário pra torcida brasileira, pouco importa.

O jogo tem tanta importancia que Dunga perdeu o vôo.

Mas talvez eu esteja sendo injusto. Numa coisa a seleção brasileira tem tudo a ver com o Nirvana.

Hoje em dia, ela é apenas uma banda numa propaganda de refrigerante!

Geninho no Botafogo

maio 31, 2008

Geninho é o novo treinador do Botafogo.

De carreira inconstante, é realmente uma incógnita.

Não é melhor do que Cuca, e vem com a missão de tentar alterar a postura da equipe em momentos decisivos.

Tomara que consiga.

O genial Carlitos.

maio 31, 2008

Para quem gosta, eu adoro, recomendo um site imperdível.

Nele você poderá assistir a genial obra do eterno Carlitos.

Charles Chaplin Online

http://chaplin-charlie.blogspot.com/

Filmes na íntegra.

Cinema na essência.

Vale a pena conferir.

Desratização

maio 30, 2008

 

Paulinho da Força.

Mais um entre tantos que se utilizam do poder para lesar o povo.

O STF abriu inquérito para apurar suas ações no BNDES.

Duvido que não seja culpado.

E se for, desejo que a punição seja na medida exata dos crimes cometidos.

Temos que limpar o esgoto do Brasil.

E colocar os ratos em suas respectivas ratoeiras.

Propaganda, não !

maio 30, 2008

Por Vitor Birner

http://blogdobirner.net/

Eu não carrego a bandeira.

Mas não faço.

Nada contra.

Tem hora que a publicidade é genial.

Noutras, nem tanto.

Como o jornalismo, a medicina, o direito…

A questão é simples.

Na prática, quando alguém é escolhido para anunciar um produto, aluga a própria imagem.

O artista pode. O empresário também. O mesmo vale para os bancários, garçons, atletas profissionais, etc…

Jornalista não!

Vivemos de falar e escrever informações.

Credibilidade é indispensável e conquistá-la demora anos, as vezes décadas.

Por favor, me responda: como acreditar em quem recebe dinheiro de alguma empresa para falar de produtos dela?

Esse indivíduo prioriza, naquele instante, a informação?  Ele a checa?

Anúncios de pregos, geladeiras e carros estão na pauta jornalística?

Creme de barbear e pasta de dente devem ter utilidade além de cuidar da cara dos garotos-propaganda?

Quem ”leva algum” para citar em meio ao espaço do jornalismo, por exemplo itens negociados por empresas privadas, pode também ganhar “um troco” para ajudar a vender os produtos?

Lembro que o jornalismo mais difícil e nobre de se praticar é o investigativo.

Quem garante que a empresa contratante, a que escolheu esse tipo de merchandising e o jornalista, não tem caixa dois, não passa notas frias, nem tem dono em cana ou acusado de falir de maneira fraudulenta o próprio negócio para ficar rico e deixar os trabalhadores e clientes na mão?

A sorte dos aproveitadores é o azar do Brasil.

A falta de informação básica do povo impede o desenvolvimento do senso crítico.

A sina de Cuca

maio 30, 2008

Cuca é um grande treinador de futebol.

Fez um bom trabalho no Botafogo.

Mas o futebol não é fácil

Formou boas equipes que ficaram marcadas por perderem campeonatos.

O torcedor não perdoa.

E ele não agüentou.

Claro que a culpa pela desclassificação do Botafogo não pode ser imputada apenas para Cuca.

Mas sua saída pode ser benéfica para ambos.

O Botafogo precisa viver em um clima menos derrotista.

Cuca tem que comprovar a sua competência em um local em que não esteja marcado por resultados ruins.

Alguns anos atrás Telê Santana foi tachado de pé frio.

Formava grandes equipes que perdiam campeonatos.

Depois ganhou tudo.

Pode acontecer com Cuca.

Resta ao treinador ter o equilíbrio necessário para canalizar seu talento em uma situação que lhe proporcione lutar por conquistas.

Capacidade não lhe falta.

Que a sorte comece a sorrir para ele.

Cuca merece e precisa.


%d blogueiros gostam disto: