Advertisements

A má fase de Rogério Ceni

Todos sabem que admiro o futebol de Rogério Ceni.

Bom goleiro embaixo das traves, decisivo em partidas importantes e ótimo batedor de faltas.

Rogério não está tendo, até o momento, um bom desempenho em 2008.

Resta saber qual o motivo.

Tem levado gols que normalmente não costuma levar.

Os gols de falta deixaram de acontecer.

Falta de treino ?

Problemas pessoais ?

Seja lá o que for precisa ser solucionado com urgência.

O São Paulo depende muito de seu futebol e principalmente da sua liderança.

Bastou Rogério render menos para que a equipe deixasse de vencer.

Sua figura dentro de campo é emblemática.

E os adversários sentem isso.

Quando está bem, o São Paulo entra mais forte.

Na atual fase do goleiro, acontece o contrário.

Deixa de existir a figura do mito.

E o adversário se aproveita.

Facebook Comments
Advertisements

40 comentários sobre “A má fase de Rogério Ceni

  1. Terencio Trindade

    Cíumes de toda a atenção que está sendo dada a Adriano. Era o Rei e perdeu o trono.

  2. MKH

    Independente do q penso de Rogerio..

    Acho que eh fisica, emocional e humanamente impossivel se manter no topo (nao q ele seja o melhor, mas no sentido de topo de sua forma fisica) sempre…

    Pelo q ouco ateh Pele tinha suas epocas de pouca produtividade.

    O ritmo de qualquer atleta eh feito de altos e baixos.
    QUando bem administrado por preparadores, fisiologistas e pelo proprio atleta, busca-se o ideal de ter os altos nos momentos decisivos e os baixos em intertemporadas om momentos menos complicados.

    E o calendario do Futebol brasileiro nao ajuda muito nesse planejamento.
    O proprio excesso de treino pode causar queda de rendimento, lesoes…
    Ateh abatimento emocional..

    Assim como cobranca e momento vivido influenciam.

    Enfim..
    Nao eh a primeira vez q Rogerio passa por essa fase..

    Acredito que seja normal, como ser humano q existam essas fases.

    A questao agora eh saber admnistrar…

  3. andre

    é pauliho o problema é aquela maldita camisa 01 faz 3 anos que ele usa aquela camisa nos primeiros semestres e é onde justamnete o sao paulo vai mau,espera pra ver se daqui a pouco ele nao abandona ela como fez no segundo semestre de 2006 e 2007,ai sim depois de perder a libertadores pela terceira vez seguida pra time brasileiro ele volta com a classica camisa 1,é esperar pra ver

  4. omar

    Paulinho, ouvi que o RC tem um problema médico crônico. Se não me engano de ligamento. Para amenizar ele estaria fazendo um intenso trabalho muscular (ganho de massa), o que garantiria uma maior longevidade na carreira, mas afetaria a elasticidade e o reflexo. Isto começou no final do ano passado.

  5. Ramón

    Não concordo.. Pra mim ele vem, há anos, sendo decisivo CONTRA o São Paulo. Tem falhado e decidido jogos importantes como contra o Internacional na Libertadores, dessa vez contra o Fluminense, e também em jogos de menor expressão.

    Antes os gols de falta eram destaque, então as pessoas davam menor importância às suas rotineiras falhas embaixo da trave. Como agora os gols de falta não estão saindo, as pessoas estão reparando mais nos erros que ele comete a cada jogo.

    Acho o Rogerio um grande goleiro, mas que não chega a ser metade do que a mídia sempre falou dele.

  6. alessandro

    O Rogério Ceni tem crédito de sobra com a torcida do São Paulo principalmente por causa da partida excelente que ele fez na final do Mundial de Clubes. Mas uma hora os créditos acabam…

  7. Arenari

    Rogério é um bom goleiro, não passa disso. Falha muito, sempre falhou, mas por seus gols e amizades, sempre foi blindado pela MAP (midia arrogante paulista). Assisti o jogo pela Band (acho engraçado a forma como torcem descaradamente), em momento nenhum falaram que Rogério falhara, narrador e comentarista omitiram o óbvio, o que todos viram. A falha de Rogério decidiu o jogo. Rogério pode falhar, sim claro, mas a imprensa não pode nunca omitir isto.

  8. Vinicius Cabral

    Na minha opinião, mesmo com a falha no jogo de quarta, o RC ainda é o melhor goleiro em atividade no Brasil, e um dos 5 melhores do mundo.

    Sou torcedor do Fluminense, mas quando soube que o confronto das qurtas seria contra o SP disse o seguinte:

    “Se a decisão for para os pênaltis, o RC bota o Flu no bolso.”

    Ainda bem que o 1 a 0 para o Flu não vingou na partida.

  9. waldir

    hehehehe, parece que a fase veio pra ficar, melhor seria virar cartola logo e contratar o Aranha…
    abs

  10. Pedro Leibel

    Paulinho, a impressa paulista, e vc e um deles, acha o Ruimgerio bom, ele e apenas regular, mas por bater faltas, e esta num grande clube e q vive a anos com bons times ele se “destaca”, e lider, mas so isso, quem entende mesmo de futebol, vide todos os tecnicos que passaram pela seleçao, sabe que ele esta atras de varios e varios no brasil, ele, e como muito idolos de outros times, sao apenas bons aos olhos dos torcedores….. como o obina do flamengo ou finazi do corinthians… jogadores razoaveis no maximo que virao craques p seus fas….

  11. Reinaldo Machado

    E tem gente que queria ver ele na seleção … Só se for no Showbol…

  12. Leao

    Um dia veio Ricardinho. E foi aquela ciumeira danada. Elenco para um lado e Ricardinho para outro. Na seleção passou desapercebido. Lá, as estrelas são de 5a. grandeza. Lá só se impõem os craques. Agora veio o Adriano e carregou o time até onde pode. Levou goleiro e companhia nas costas. Para piorar as coisas o São Marcos voltou a ser referência. Aí não tem Cristo que suporte a comparação. Com Marcos no Palmeiras, Fábio Costa no Santos e Felipe no Corinthians resta a Rogério Ceni o cargo de presidente do São Paulo. Lá ele poderá ser o primeiro. Toda torcida tem o ídolo que merece. Pelé no Santos, Rivelino no Corinthians, Ademir da Guia no Palmeiras, Zico no Flamengo, Roberto Dinamite no Vasco, Reinaldo no Atlético, Tostão no Cruzeito, Falcão no Inter, Renato Gaúcho no Grêmio, Garricnha no Botafogo, Romário em vários clubes. No São Paulo é Rogério Ceni. Fazer o que. Quem vocês querem compar com quem? Não é má fase. É realidade. O resto é marketing do bom moço. Um bom goleiro. Nada mais que um bom goleiro.

  13. Marcelo Firmiano

    E a fase meu caro,não só dele mas do time inteiro,e até do super-genial-cavalheiro Murici.

  14. Mauricio Kubik

    Já faz tempo que ele vem tomando gols estranhos, mas fica lá escondido atrás de um esquema que põe 3 zagueiros e 2 volantes na frente do gol, aí ele vira o maior do mundo.
    Até agora não ouvi nenhuma palavra dele a respeito do jogo. Quando ganha aparece em tudo quanto é canal, quando perde some….
    Sou Corintiano mas admiro demais o Marcos do Palmeiras. Em qualquer resultado o cara dá a cara a tapa e fala o que está ocorrendo.

  15. Zeca

    Rogerio sempre teve notoriedade acima do normal apenas por fazer gols, e goleiro nao tem esta funcao !! Quando todos tentam se lembrar de uma partida em que ele tenha sido decisivo, citam sempre a mesma, contra o Liverpool (e olha que mesmo assim os caras fizeram 3 gols que foram usurpados).

    Falhou na selecao em Barcelona, contra o Inter na Final, aonteontem….ele nao passa de um pipokero amarelaum…sempre que o jogo e decisivo ele solta a franga !!!

    Alias paulinho achei muito pertinente uma pergunta de outro topico em que o caso do futebol interior e comparado ao de RC. Mesmo ele falhando e comprometendo muuuito o time dele, a Globo e afiliadas e a Band, JAMAIS criticam ele, dizem que nao foi frango, que foi normal pois Dodo errou o chute !! Um protecionismo absurdo com um cara que nao ganhou NADA com a selecao !! Queria reforcar a pergunta, VC ACHA QUE PODE EXISTIR ESQUEMA DE MARKETING DO CENI, ONDE ELE OFERECE ALGUM BENEFICIO AOS CANAIS CITADOS EM TROCA DE JAMAIS O CRITICAREM ??

  16. Cesar Bergamo

    Sabe o quanto defendo o RC também, mas o tempo está passando e creio que ele não consegue mais ser aquele jogador decisivo. Para se manter decisivo sempre, tem que ser um goleiro pentacampeão do mundo como o Marcão. O RC é muito bom, mas não é um Marcos. Um abraço.

  17. olavo

    Vc não tem cacife para falar em Rogério Ceni. Aliás, é parcial e ainda gosta de julgar, atitudes que não deviam constar no papel de jornalista, como gosta de se intitular. Faltou escrever que o teu goleiro é o melhor do Brasil. Corintianos…

  18. Luiz

    Rogério está sofrendo com a sombra do Imperador e outros jogadores de mau comportamento que fazem parte do grupo.
    Evidentemente ninguém assumirá publicamente, mas um atleta como ele (em comportamento e esclarecimento) não aceita um grupo como o que o SPFC montou este ano. Na posição de maior ídolo do cuble, Ceni deveria ter participado ativamente dos episódios de brigas e noitadas dos Bad Boys, fez o contrário, se calou. Com a presença destes atletas, acredito que Rogério não se dedicou tanto quanto tem o hábito, daí o seu não tão bom momento.

  19. sergio murilo

    um atleta que so e importante para o spfc..afinal nao tem nem 10 jogos como titular da selecao de seu pais….muito inteligente e articulado sabe como poucos manipular a midia amiga.enxergou o vazio que tinha e se coloco muito bem…com ele o spfc ficou 12 anos sem titulos importantes..as vzs que chegava a final ele falhava muito…lembra se do gol do andre na final do paulista de 97 e o gol do giovani na final da copa do brasil de 2000…ese frango de quarta e tao somente mais um…mas calma paulinho..a midia amiga sabera trabalhar e ele voltara a atuar bem..

  20. Daniel

    Não perderei tempo sobre o goleiro-nariz… Apenas endosso o que o Leao e o Zeca disseram…

    SAUDAÇÕES PALESTRINAS!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, ACADEMIA, AQUI É PALMEIRAS!

  21. Daniel

    JORGE, GENNARO E O MENINO SEM ALMA

    Desde a várzea paulistana, o berço de tudo, Jorge e Gennaro foram criados no preceito mais puro da desportividade: a disputa em nome do manto.

    Jorge, pouco mais velho, veio de família operária. Mas sua turma contava com profissionais de uma gama variada de setores, de carvoeiros, cocheiros de tílburi, alfaiates e barbeiros a advogados e professores.

    Gennaro descende de imigrantes italianos. Camponeses, artesãos, agricultores, gente de poucas posses, todos impelidos a buscar na ‘Merica uma nova vida.

    Vida que só faz sentido com um ideal à frente.

    Jorge e Gennaro nunca foram amigos. Eram, pelo contrário, rivais. Desde a mais tenra idade, sempre houve disputa entre os dois. Rivalidade sadia, pois respeitosa. E necessária, pois verdadeira e incondicional. Poderia mesmo ser chamada de “a maior do mundo”.

    Jorge foi o primeiro a trazer seus amigos operários para o futebol “grande”, aquele que se supunha de “gentlemen”, diferenciação que existia só pela graça de trazer demérito ao adjetivo “várzea” (cheio de alma, por sinal).

    Jorge pleiteou e conquistou o direito de disputar com os “gentlemen”. O povo entrava em campo.

    A abertura de espaço possibilitou à turma de Gennaro, após anos de amadorismo, ser considerada maioria em Piratininga, cidade que falava, não por acaso, com o típico sotaque de uma vila siciliana ou calabresa.

    Não demorou muito para tomarem o lugar dos que antes eram tidos como senhores do esporte bretão nesta Piratininga. Os “gentlemen” viam Gennaro e Jorge superá-los não só dentro de campo, mas também em estrutura.

    Por trás de ambos estava o povo, a razão maior do esporte bretão.

    Senhores feudais em um século que não o deles, os “gentlemen” gostavam de manter o futebol no amadorismo como maneira de esconder as gratificações que tornavam possível aliciar atletas de agremiações adversárias.

    Isso não afetava os times de Jorge e Gennaro. Desde os campos de várzea a norte e a oeste da Vila de Piratininga, prevalecia o amor ao manto. Muitos eram os admiradores, logo alçados à nobre condição de torcedores.

    Foi assim, com a força de seus povos, que sobreviveram os dois moleques da várzea paulistana. Mais até: cresceram, ganharam títulos e logo deixaram para trás os que pensavam ser nobres.

    Eis que surgiu, anos depois, um menino mimado, de linhagem rica, quatrocentona e tradicional, mas com trajetória marcada por separações, brigas e conflitos. Uma família decadente, que sempre tentou esconder seus problemas por trás de uma fachada prepotente.

    Assim, o rapazote não tinha seguidores, senão os que foram abandonados pelos clubes de chá-das-cinco, os mesmos que tinham em mente a derrocada de Jorge e Gennaro. O menino mimado era a última chance de tentarem ser algo.

    A esta altura, no entanto, ambos já haviam transcendido a armadilha imposta pelos artífices do amadorismo e engatinhavam no profissionalismo vigente.

    O menino mimado das elites veio ao mundo sem berço, sem amor e sem alma. De sua gente que virou casaca, herdou os genes oportunistas e nada mais.

    Ainda pequeno, de tudo fez para se estabelecer. Estratégias as mais sórdidas, politicagens baratas e muita arrogância serviam apenas para angariar rejeição, inclusive entre os seus.

    O moleque tentava se firmar em seu caráter capenga às custas de quem fosse. De nada adiantou; criança ainda, foi à falência.

    Sem família ou amigos, foi salvo exatamente por Jorge e Gennaro, que se uniram para ajudar o pobre coitado.

    Triste episódio.

    Mal sabia Gennaro que aquele fedelho, um dia reabilitado, seria o artífice de uma campanha difamatória contra suas origens.

    O objetivo era um só: tomar a casa construída com o suor de Gennaro e do povo que o fazia grande. É irônico que tal atitude tenha partido de alguém desprovido de berço.

    Ter o sangue do sul da Itália, no entanto, nunca foi coisa pouca. Gennaro resistiu e triunfou diante de um pirralho que, derrotado, abandonou o nobre campo de batalha municipal, à época ainda com o nome purificado.

    Tal fato se deu na mesma época em que os comparsas do menino mimado forçaram Jorge a ter como comandante um burocrata golpista, alguém que nem de suas fileiras era. O filhote dos senhores feudais deixava aflorar o seu caráter oportunista.

    Anos se passaram, e o moleque seguiu seu caminho desprezível.

    Até que, ainda jovem e com padrinhos no poder, ganhou uma enorme casa, custeada com o dinheiro de Jorge, Gennaro e de toda a coletividade.

    Manuel, diga-se de passagem, outro boleiro destas paragens, também entrou na lista dos vitimados por politicagens baratas e maracutaias.

    O rapaz sem alma foi ganhar corpo décadas depois. Em posses, nunca em caráter. Suas conquistas eram vazias, pois sem o doce sabor da superação.

    O menino ganhou o mundo, mero instrumento para a lavagem cerebral que visava ganhar apoio de cidadãos desprovidos de alma e de qualquer senso de julgamento moral.

    Dele se aproximaram as figuras mais desprezíveis.

    Aproximação não por amor, mas por interesse.

    Não aquele financeiro, típico das nossas oligarquias mais putrefatas, mas por status. Pela enganosa possibilidade de desfrutar do que a vida oferece de mais prazeroso. Sem esforço, é óbvio.

    É uma grande moleza, não?

    Os seguidores do menino mimado agem como ele. Pensam que o dinheiro pode comprar tudo e vêem a ética como um atributo pouco relevante, quase indesejável.

    Não é à toa. Ao longo de toda a história, acostumaram-se a ver todo tipo de favorecimento vindo dos canalhas de amarelo, de toga e de ternos bem cortados.

    Tampouco conhecem a própria história. Mais fácil (sempre a mesma lógica!) acreditar nas invencionices tacanhas de quem empunha um microfone ou uma caneta sem dignidade para tanto.

    Afinal, trata-se do filhinho daqueles que tomavam o chá-das-cinco no começo do século, pensando em como afastar o povo do esporte que começava a ganhar força no imaginário popular.

    Os que seguem hoje o garotinho mimado o fazem por esta necessidade de ter status, de esnobar, de mostrar o que têm e o que não têm.

    Como se preza a todo novo rico, é bom cultivar esta imagem.

    “Ter é mais importante que ser”. É como pensam os oportunistas. É como cresceu o menininho mimado, sempre cercado de bajuladores e de pessoas que se adulam nas posses e em nada mais.

    Ao ver que Jorge e Gennaro tinham o que ele não tinha, tratou de correr atrás. E o fez não como os guerreiros da várzea paulistana, mas como se preza a alguém sem história para contar.

    Como é vazio o menino mimado, tudo é adorno. Que atrai nada mais senão a soberba medrosa da necessidade de reafirmação. São badulaques que se penduraram no vazio. Um prato cheio para oportunistas.

    E os oportunistas se enfeitam, mas só enquanto for moda.

    Porque na vida há coisas que superam, e muito, a imagem.

    Os dois pioneiros do esporte bretão já viveram o ocaso, assim como as maiores glórias. Fácil nunca foi. Ficou a lição: as maiores vitórias são aquelas que acontecem após a tempestade.

    Cair, levantar e dar a volta por cima: eis a virtude dos guerreiros.

    Jorge, por exemplo, passou anos e anos sem ganhar nada. Quase na miséria, os amigos só faziam crescer, mais e mais. Tanto cresceram que protagonizaram o momento maior de sua vida. O significado disso que viveu revigorou sua alma.

    Uma nação que cresce na adversidade tem muito a contar, pois viveu intensamente. O povo confortou Jorge ao longo de décadas de sofrimento com o mesmo amor de uma mãe.

    Assim foi também com Gennaro, que, no momento mais complicado de sua caminhada, teve por perto todos os seus. Foi ao fundo do poço para então retornar nos braços de quem, por amor, o amparou.

    Para Jorge e Gennaro, sofrer faz parte das maiores conquistas.

    E o povo estará sempre por perto, seja qual for a situação.

    Ao moleque mimado, sabe-se lá o que aconteceria se chegasse ao fundo do poço.

    Dirão os oportunistas de plantão, com a empáfia que lhes é peculiar:

    “Jamais cairemos do nosso pedestal”.

    Só o tempo pode dizer.

    O que se pode ter desde agora é a certeza de que de nada vale ser sustentado por quem está ao seu lado por interesse.

    Interesse de ostentar o produto que é o mais vendido no momento, aquele que é o mais badalado, a modinha que está pegando.

    Quem vai atrás da turminha só o faz para evitar que o ponto fraco do caráter seja desmascarado por qualquer “tirador de sarro” por aí.

    Fácil é se proclamar vencedor sem enfrentar as dificuldades.

    Fácil é se afastar na hora das batalhas para só aparecer na hora da festa, proclamando algo que nunca foi e nunca será.

    Vencer é para poucos; é para quem luta.

    Especialmente na adversidade.

    Não dá para esperar isso dos acompanhantes do menino mimado, que somem ao primeiro revés.

    Quem se declara vencedor depois de estar longe por toda a batalha é, na verdade, um fraco.

    Bajular na hora da conquista é fácil; e não exige alma. A hipocrisia está em moda, infelizmente.

    Só quem luta e está presente na vitória e na derrota sabe mensurar o que é uma conquista e o que é mera propaganda.

    Só a alma detém a verdade.

    Ser parte de uma geração vitrine, que vive de ostentar aquilo que veio sem suor, é cômodo.

    Tão cômodo quanto vazio.

    E está impregnado à genética oportunista dos que não têm alma.

    Amar é sofrer.

    Amar é se doar.

    Amar é se dedicar, mais ainda nos momentos difíceis.

    Jorge e Gennaro sempre souberam disso.

    Assim foram criados.

    Esta é a lição que passaram para suas torcidas…

    ———

    Co-autoria de Rodrigo Barneschi (palmeirense) e Filipe Gonçalves (corintiano).

    Extraído do site http://forzapalestra.blogspot.com/2007/11/jorge-gennaro-e-o-menino-sem-alma.html

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  22. waldir

    Paulinho

    naum se trata de censura, mas vc deveria ter um plantão de apoio psiquiatrico para chatos obsessivos e fanatismo esportivo, o q vc axa ?
    abs

  23. Carlos Lopes

    Sempre o mesmo timinho de palmeirense invejosos que até outro dia tava
    na segunda divisão,ganha um paulistinha e já se acham.
    Pra eles os outros times são mediocres ,eles são os bons….os jogadores
    dos outros times sempre falham,o deles são exemplos,os outros times sempre roubam,o deles sempre são roubados,são os donos da verdade.
    Visão distorcida da realidade…são sempre os mesmos.Invejosos natos.
    As vezes aparece um novo como esse tal de Leão que não sabe nada do São Paulo e vem falar bobagem,que comparação besta,o santos teve pelé o são paulo teve rogerio ceni….etc etc.É a tal visão distorcida,como se o tricolor nunca tivesse outro idolo.
    Voce sabe quem foi PedroRocha?Gerson?Careca?Leonidas?Canhoteiro?Zizinho?só pra citar alguns.Chega a ser ridiculo os argumentos.
    Rogério Ceni tem moral.ganhou títulos importantes,tem fases com qualquer outro jogador mas tem moral.
    O que o Ademir da Guia,por exemplo, ganhou de titulos importantes?
    Quer coisa mais ridicula que a saida do Marcos na final do Mundial em Tókio?ele não amarelou?Ganhou moral numa copa onde tava tudo arrumado pro Brasil ser campeão.Tomou gols bizonhos na segunda divisão
    inclusive um onde foi chutar a bola e errou chutando o vento e a bola foi mansinha pro fundo da rede,lembram?hahahha
    Mas não,essa turminha de invejosos sempre vê defeito nos outros
    e infestam tópicos do São Paulo pra criticar os outros,pior, com argumentos pífios,com histórias fantasiosas
    E quem insiste em falar que a traffic tá em todos os times,volto a repetir
    pros desinformados.No caso do Palmeiras ela a traffic,financia o time,
    vai fazer estadio,financia a comissão técnica milionária do Madureira.
    E olha heim,se não fosse a traffic o palmeiras tava indo no mesmo caminho que a Lusa.

  24. Weslley

    concordo com o carlos lopes, esses palestrinos com exeção de alguns são ridiculos, eu nunca vi uma pessoa escrever tanta asneira igual (zeca daniel leão e cia.).
    todo ser humano ja viveu uma fase boa e uma ruin isso é normal, todo profissionanl erra, o que o RC está pasando é só uma fase isso passa, o grande marcos que pra mim é um goleiro fora de série tbm viveu momentos ruins na sua carreira.

  25. Carlos Lopes

    Concordo com o Waldir.esses caras tem que ter apoio psiquiátrico,
    principalmente os obsessivos que ficam repetindo posts.
    Coisa de Louco.

  26. Daniel

    carlos “sem argumento” lopes, obsessivos não: lininhos como vc é que não conseguem entender e refutar, o que leva à repetição… Nós palmeirenses gostamos de jogar na cara nossa imensa superioridade histórica sobre o são paulinho, o time de safados…

    O Marcos realmente frangou contra o Manchester, mas o Verdão massacrou; já vcs ganharam na retranca contra o mediano Liverpool… Mas pra vcs vale tudo…

    Leia abaixo:

    JORGE, GENNARO E O MENINO SEM ALMA

    Desde a várzea paulistana, o berço de tudo, Jorge e Gennaro foram criados no preceito mais puro da desportividade: a disputa em nome do manto.

    Jorge, pouco mais velho, veio de família operária. Mas sua turma contava com profissionais de uma gama variada de setores, de carvoeiros, cocheiros de tílburi, alfaiates e barbeiros a advogados e professores.

    Gennaro descende de imigrantes italianos. Camponeses, artesãos, agricultores, gente de poucas posses, todos impelidos a buscar na ‘Merica uma nova vida.

    Vida que só faz sentido com um ideal à frente.

    Jorge e Gennaro nunca foram amigos. Eram, pelo contrário, rivais. Desde a mais tenra idade, sempre houve disputa entre os dois. Rivalidade sadia, pois respeitosa. E necessária, pois verdadeira e incondicional. Poderia mesmo ser chamada de “a maior do mundo”.

    Jorge foi o primeiro a trazer seus amigos operários para o futebol “grande”, aquele que se supunha de “gentlemen”, diferenciação que existia só pela graça de trazer demérito ao adjetivo “várzea” (cheio de alma, por sinal).

    Jorge pleiteou e conquistou o direito de disputar com os “gentlemen”. O povo entrava em campo.

    A abertura de espaço possibilitou à turma de Gennaro, após anos de amadorismo, ser considerada maioria em Piratininga, cidade que falava, não por acaso, com o típico sotaque de uma vila siciliana ou calabresa.

    Não demorou muito para tomarem o lugar dos que antes eram tidos como senhores do esporte bretão nesta Piratininga. Os “gentlemen” viam Gennaro e Jorge superá-los não só dentro de campo, mas também em estrutura.

    Por trás de ambos estava o povo, a razão maior do esporte bretão.

    Senhores feudais em um século que não o deles, os “gentlemen” gostavam de manter o futebol no amadorismo como maneira de esconder as gratificações que tornavam possível aliciar atletas de agremiações adversárias.

    Isso não afetava os times de Jorge e Gennaro. Desde os campos de várzea a norte e a oeste da Vila de Piratininga, prevalecia o amor ao manto. Muitos eram os admiradores, logo alçados à nobre condição de torcedores.

    Foi assim, com a força de seus povos, que sobreviveram os dois moleques da várzea paulistana. Mais até: cresceram, ganharam títulos e logo deixaram para trás os que pensavam ser nobres.

    Eis que surgiu, anos depois, um menino mimado, de linhagem rica, quatrocentona e tradicional, mas com trajetória marcada por separações, brigas e conflitos. Uma família decadente, que sempre tentou esconder seus problemas por trás de uma fachada prepotente.

    Assim, o rapazote não tinha seguidores, senão os que foram abandonados pelos clubes de chá-das-cinco, os mesmos que tinham em mente a derrocada de Jorge e Gennaro. O menino mimado era a última chance de tentarem ser algo.

    A esta altura, no entanto, ambos já haviam transcendido a armadilha imposta pelos artífices do amadorismo e engatinhavam no profissionalismo vigente.

    O menino mimado das elites veio ao mundo sem berço, sem amor e sem alma. De sua gente que virou casaca, herdou os genes oportunistas e nada mais.

    Ainda pequeno, de tudo fez para se estabelecer. Estratégias as mais sórdidas, politicagens baratas e muita arrogância serviam apenas para angariar rejeição, inclusive entre os seus.

    O moleque tentava se firmar em seu caráter capenga às custas de quem fosse. De nada adiantou; criança ainda, foi à falência.

    Sem família ou amigos, foi salvo exatamente por Jorge e Gennaro, que se uniram para ajudar o pobre coitado.

    Triste episódio.

    Mal sabia Gennaro que aquele fedelho, um dia reabilitado, seria o artífice de uma campanha difamatória contra suas origens.

    O objetivo era um só: tomar a casa construída com o suor de Gennaro e do povo que o fazia grande. É irônico que tal atitude tenha partido de alguém desprovido de berço.

    Ter o sangue do sul da Itália, no entanto, nunca foi coisa pouca. Gennaro resistiu e triunfou diante de um pirralho que, derrotado, abandonou o nobre campo de batalha municipal, à época ainda com o nome purificado.

    Tal fato se deu na mesma época em que os comparsas do menino mimado forçaram Jorge a ter como comandante um burocrata golpista, alguém que nem de suas fileiras era. O filhote dos senhores feudais deixava aflorar o seu caráter oportunista.

    Anos se passaram, e o moleque seguiu seu caminho desprezível.

    Até que, ainda jovem e com padrinhos no poder, ganhou uma enorme casa, custeada com o dinheiro de Jorge, Gennaro e de toda a coletividade.

    Manuel, diga-se de passagem, outro boleiro destas paragens, também entrou na lista dos vitimados por politicagens baratas e maracutaias.

    O rapaz sem alma foi ganhar corpo décadas depois. Em posses, nunca em caráter. Suas conquistas eram vazias, pois sem o doce sabor da superação.

    O menino ganhou o mundo, mero instrumento para a lavagem cerebral que visava ganhar apoio de cidadãos desprovidos de alma e de qualquer senso de julgamento moral.

    Dele se aproximaram as figuras mais desprezíveis.

    Aproximação não por amor, mas por interesse.

    Não aquele financeiro, típico das nossas oligarquias mais putrefatas, mas por status. Pela enganosa possibilidade de desfrutar do que a vida oferece de mais prazeroso. Sem esforço, é óbvio.

    É uma grande moleza, não?

    Os seguidores do menino mimado agem como ele. Pensam que o dinheiro pode comprar tudo e vêem a ética como um atributo pouco relevante, quase indesejável.

    Não é à toa. Ao longo de toda a história, acostumaram-se a ver todo tipo de favorecimento vindo dos canalhas de amarelo, de toga e de ternos bem cortados.

    Tampouco conhecem a própria história. Mais fácil (sempre a mesma lógica!) acreditar nas invencionices tacanhas de quem empunha um microfone ou uma caneta sem dignidade para tanto.

    Afinal, trata-se do filhinho daqueles que tomavam o chá-das-cinco no começo do século, pensando em como afastar o povo do esporte que começava a ganhar força no imaginário popular.

    Os que seguem hoje o garotinho mimado o fazem por esta necessidade de ter status, de esnobar, de mostrar o que têm e o que não têm.

    Como se preza a todo novo rico, é bom cultivar esta imagem.

    “Ter é mais importante que ser”. É como pensam os oportunistas. É como cresceu o menininho mimado, sempre cercado de bajuladores e de pessoas que se adulam nas posses e em nada mais.

    Ao ver que Jorge e Gennaro tinham o que ele não tinha, tratou de correr atrás. E o fez não como os guerreiros da várzea paulistana, mas como se preza a alguém sem história para contar.

    Como é vazio o menino mimado, tudo é adorno. Que atrai nada mais senão a soberba medrosa da necessidade de reafirmação. São badulaques que se penduraram no vazio. Um prato cheio para oportunistas.

    E os oportunistas se enfeitam, mas só enquanto for moda.

    Porque na vida há coisas que superam, e muito, a imagem.

    Os dois pioneiros do esporte bretão já viveram o ocaso, assim como as maiores glórias. Fácil nunca foi. Ficou a lição: as maiores vitórias são aquelas que acontecem após a tempestade.

    Cair, levantar e dar a volta por cima: eis a virtude dos guerreiros.

    Jorge, por exemplo, passou anos e anos sem ganhar nada. Quase na miséria, os amigos só faziam crescer, mais e mais. Tanto cresceram que protagonizaram o momento maior de sua vida. O significado disso que viveu revigorou sua alma.

    Uma nação que cresce na adversidade tem muito a contar, pois viveu intensamente. O povo confortou Jorge ao longo de décadas de sofrimento com o mesmo amor de uma mãe.

    Assim foi também com Gennaro, que, no momento mais complicado de sua caminhada, teve por perto todos os seus. Foi ao fundo do poço para então retornar nos braços de quem, por amor, o amparou.

    Para Jorge e Gennaro, sofrer faz parte das maiores conquistas.

    E o povo estará sempre por perto, seja qual for a situação.

    Ao moleque mimado, sabe-se lá o que aconteceria se chegasse ao fundo do poço.

    Dirão os oportunistas de plantão, com a empáfia que lhes é peculiar:

    “Jamais cairemos do nosso pedestal”.

    Só o tempo pode dizer.

    O que se pode ter desde agora é a certeza de que de nada vale ser sustentado por quem está ao seu lado por interesse.

    Interesse de ostentar o produto que é o mais vendido no momento, aquele que é o mais badalado, a modinha que está pegando.

    Quem vai atrás da turminha só o faz para evitar que o ponto fraco do caráter seja desmascarado por qualquer “tirador de sarro” por aí.

    Fácil é se proclamar vencedor sem enfrentar as dificuldades.

    Fácil é se afastar na hora das batalhas para só aparecer na hora da festa, proclamando algo que nunca foi e nunca será.

    Vencer é para poucos; é para quem luta.

    Especialmente na adversidade.

    Não dá para esperar isso dos acompanhantes do menino mimado, que somem ao primeiro revés.

    Quem se declara vencedor depois de estar longe por toda a batalha é, na verdade, um fraco.

    Bajular na hora da conquista é fácil; e não exige alma. A hipocrisia está em moda, infelizmente.

    Só quem luta e está presente na vitória e na derrota sabe mensurar o que é uma conquista e o que é mera propaganda.

    Só a alma detém a verdade.

    Ser parte de uma geração vitrine, que vive de ostentar aquilo que veio sem suor, é cômodo.

    Tão cômodo quanto vazio.

    E está impregnado à genética oportunista dos que não têm alma.

    Amar é sofrer.

    Amar é se doar.

    Amar é se dedicar, mais ainda nos momentos difíceis.

    Jorge e Gennaro sempre souberam disso.

    Assim foram criados.

    Esta é a lição que passaram para suas torcidas…

    ———

    Co-autoria de Rodrigo Barneschi (palmeirense) e Filipe Gonçalves (corintiano).

    Extraído do site http://forzapalestra.blogspot.com/2007/11/jorge-gennaro-e-o-menino-sem-alma.html

  27. carlos lopes

    É como eu disse no post….sempre se achando superior.
    O palmeiras massacrou o Manchester,o mediano Liverpool,
    imensa superioridade,só rindo de um cara desse.
    Esse cara vive num mundo só dele…
    Precisa explicar mais?Acho que não.

  28. Zeca

    Carlos, como se nao bastasse os 7×3 que o Palmeiras aplicou no seu time esse ano, no Showbol hoje o Palmeiras enfiou 18 x 5 e so porque os saopaulinos pediram para os palmeirenses nao fazer 20 que seria vergonhoso. Talvez a diferenca nos placares mostre a diferenca atual dos clubes no momento!!

    Tendo dito isso, eh a minha hora de te golear aqui com contra-argumentos !!

    1- “Pra eles os outros times são mediocres ,eles são os bons….os jogadores
    dos outros times sempre falham,o deles são exemplos,os outros times sempre roubam,o deles sempre são roubados,são os donos da verdade.
    Visão distorcida da realidade…são sempre os mesmos.Invejosos natos.”

    Essa frase eh sua, e antes de escreve-la deveria ter aberto o Aurelinho e pesquisado o que eh hipocrisia, pois essas acoes ha 3 anos sao marca carimbada dos saopaulinos, que em todos os lugares ANDAM dizendo que “Meu time eh o melhor brasileiro”, “Meu time eh referencia nacional”, e eh o SEU treinador, SEUS diretores e SEUS jogadores que a cada derrota culpam, o gas, a torcida, a chuva, a lanterna….ou seja, jamais admitem que alguem pode ter sido melhor e desviam o foco da derrota. Achei que isso tudo que ha 3 anos enche o saco dos outros torcedores, tambem estava claro para vc, meros saopaulinos !!

    2. “PedroRocha?Gerson?Careca?Leonidas?Canhoteiro?Zizinho?” RESP: Sei quem foram, mas algum tem apelido de “Divino” ?? NENHUM JOGADOR DE TODA A HISTORIA DO SPFC foi maior que Ademir da Guia, o “Divino”!!

    3.Campeonato Paulista: 1963, 1966, 1972, 1974 e 1976.
    Torneio Rio-São Paulo: 1965.
    Torneio IV Centenário da Cidade do Rio de Janeiro: 1965.
    Taça Brasil: 1967. (Equivalente Brasileiro)
    Torneio Roberto Gomes Pedrosa: 1967 e 1969.(Equivalente Brasileiro)
    Troféu Ramón de Carranza (Espanha): 1969, 1974 e 1975.
    Torneio Laudo Natel: 1972.
    Torneio Mar del Plata (Argentina): 1972.
    Campeonato Brasileiro: 1972 e 1973.

    Esses sao os titulos importantes de Ademir da Guia pelo Palmeiras, depois vc conta que eu nao tive saco pra contar ta!?

    4. A sua comparacao de Rogerio Ceni com Ademir da Guia eh patetica, digna do perfil que vc citou como sendo de torcedor palmeirense…mais um indicio que nao conhece o significado da palavra hipocrisia. E depois, querer comparar o “ETERNO RESERVA” alias nem reserva, pq reserva era o Dida, com o Marcao apenas fecha com chave de ouro o momento “Zorra Total” que vc proporcionou a todos com suas comparacoes.

    5.A Traffic nao financia todos os time, mas possui jogadores em muitos, como no SEU !! A palavra hipocrisia se escreve com H viu…assim como biSonho se escreve com S !!

    Paulinho desculpe por me alongar muito nas palavras, mas preciso manter o ritmo dos times de futebol e showbol e golear tambem, ok ??

    Carlos, se quiser tentar “inventar” argumentos, acho melhor melhorar…. desculpe pela sinceridade !!

  29. Daniel

    Zeca, leia o que o carlos me escreveu… ele não tem argumentos… Não consegue refutar o que falamos, diz que nos achamos superiores… Mas o Verdão realmente é muito superior…

    carlos, falei de fatos… o liverpool em 2005 era mediano e vcs se retrancaram e tomaram três gols… já o Verdão impôs sua tradição diante do Manchester, dominamos o jogo todo…

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  30. Weslley

    como sempre ridiculos escrevem trocentas asneiras que ninguém perde tempo lendo e acham que tão goleando alguém.
    esse é o retrato dos insanos palestrinos. kkkkkkkkkk

  31. felipe

    idade meu filho……..
    jogando a quantidade de jogos q ele joga….. como O ultimo homem do sp literalmente falando e normal que esteja rendendo menos.

    o sp que precisa fazer algo para perder a dependencia de um goleiro…. ainda c fosse um meia….

  32. Daniel

    Weslley, mais um que não tem argumentos, a não ser “insanos palestrinos”… Não tem como nos refutar…

    Weslley! Isso é nome? Oxente!

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  33. carlos lopes

    Esses caras vivem num mundo só deles
    E daí que o cara tem o apelido de divino?por isso ele é melhor que os outros?É só um apelido
    só na cabeça de vcs turminha de invejosos,que idéia de maluco!
    como se ele tivesse jogado na seleção do brasil.e quando foi pra seleção foi SEMPRE reserva….diferentemente de Leonidas por exemplo que antes da era pelé era o maior jogador de futebol do mundo,só num mundo irreal como o de vcs Ademir da Guia é melhor que TODOS os jogadores do Tricolor.
    Quanto a comparação patética com Rogerio Ceni não fui eu que fiz e sim um tal de leão,que deve ser fã daquele goleiro,ele que disse que o palmeiras tem ademir o santos tem pelé o corinthians rivelino.
    Pedro Rocha foi melhor que ele,Gerson TITULAR da seleção na conquista do tri foi melhor que ele,só pra citar alguns.
    Quanto ao que vc chama de hipocrisia nos ultimos 3 anos.Não é hipocrisia não,são fatos. Nos últimos 3 anos o SÃO PAULO FOI BI CAMPEÃO BRASILEIRO,não tem razão de ser hipócrita,os fatos mostram,fomos melhores que os outros.
    Quanto a traffic,ela que manda la sim,vai fazer um estadio(dizem)pagam
    o luxemburgo ou vc acha que só seu time teria condições de pagar o Sr Madureira?piada né?
    O fato é que vcs estavam quietinhos lá atrás a muito tempo,inclusive
    ate bem pouco tempo eram fregueses nossos,só foi ganhar um campeonato paulista varzeano que já tão se achando.
    Aliás pra quem prefere um campeonato paulista do que uma copa brasil
    é pensar pequeno mesmo.Só falam bobagem e querem ter razão.
    Quem foi que disse que o Chelsea seria o campeão europeu?o Inter
    o campeão da copa do brasil?a final da libertadores seria flamengo e boca?
    foi voce zeca…como Mãe dináh vc é uma lástima assim como sua mania
    de sempre achar que está goleando com suas desculpas esfarrapadas
    seu fanatismo doentio que não consegue enxergar a um palmo do nariz.
    O que condeno aqui é essa mania dessa turminha de invejosos de sempre
    infestar posts que se referem ao São Paulo pra falar mal,se preocupem com seus times,esqueçam o Tricolor,vc só demostram INVEJA vindo aqui
    e falando bobagens como se fosse verdade absoluta.Pior que são sempre os mesmos
    Goleada?piada,cai na real,deixem de viver num mundo particular.
    É lógico que o São Paulo é referencia nacional sim,vide REFFIS onde o jogador eleito o melhor do mundo está se tratando,vide o Centro de Cotia.
    Quem tem estádio maior que o nosso?Somos TRI CAMPEÕES MUNDIAIS.
    É não querer enxergar,quer mais o que?
    Quanto ao daniel,aí é caso de internação mesmo, senão veja:

    “carlos, falei de fatos… o liverpool em 2005 era mediano e vcs se retrancaram e tomaram três gols… já o Verdão impôs sua tradição diante do Manchester, dominamos o jogo todo”…
    fatos?quer os fatos reais ?
    São Paulo 1 x 0 Liverpool – TRICOLOR CAMPEÃO DO MUNDO (TRI)
    Manchester 1x 0 palmeiras -MANCHESTER CAMPEÃO DO MUNDO
    com FRANGO HISTÓRIO DO MARCOS
    Impôs sua tradição…hahaha,que tradição cara pálida?

    Só um cego não quer ver mas tudo bem,vcs(turminha de invejosos)
    vão continuar insistindo que ganham de goleada,que eu não tenho argumentos,é tipico isso,de fanáticos doentes que só enxergam o próprio time.Fiquem ai contestando que pra mim já chega de palhaçada.

  34. carlos lopes

    Só mais uma coisa:

    Peço desculpas a outros palmeirenses,não é nada contra o time.
    Eu gosto de futebol.Respeito muito Ademir da Guia assim como os
    craques do meu time.Eu assisti muito São Paulo e Palmeiras no estádio,
    na época dele e se quiser eu falo os dois times sem procurar no google.
    Acabo pagando na mesma moeda com gente que vem falar do SPFC
    usando termos como sujos,mediocres,timinho sempre prontos pra insultar.
    e são sempre os mesmos.
    Mas é bom pra aprender,com essa gente é besteira perder tempo.
    A idéia é a convivência, não ficar se insultando.Internet não serve pra isso

  35. Daniel

    Que tradição, carlos? Tradição do Primeiro campeão mundial, da Academia de Futebol, do único que representou o Brasil, em 65… Daquele que já na década de 60 tinha estado em DUAS FINAIS DE LIBERTADORES, NÃO TENDO GANHO EM 68 POR ROUBO E QUE JÁ TINHA VÁRIOS NACIONAIS… VC NÃO CONHECE NADA DE FUTEBOL, PALHAÇADA É O QUE VC FAZ… NÃO TEM COMO CONTESTAR NADA DO QUE EU E OUTROS FALARAM…

    FATOS REAIS? SÃO PAULINHO SE RETRANCOU CONTRA O MEDIANO LIVERPOOL E SURRUPIOU TRÊS GOLS PRA GANHAR MUNDIAL, PALMEIRAS MASSACROU O MANCHESTER… EIS OS FATOS.

    PEDRO ROCHA E GERSON MELHOR QUE ADEMIR DA GUIA? E EU É QUE PRECISO SER INTERNADO… RS

    QUANTO AOS ÚLTIMOS BRASILEIROS, O ÚLTIMO FOI CLARAMENTE ROUBADO, COMO JÁ FALEI EM OUTRAS COLUNAS… ROUBOS CONTRA INTER NO BEIRA-RIO (DOIS PÊNALTIS), VERDÃO NO PALESTRA ITALIA (GOL DO MAX), GOIÁS, SANTOS, PARANÁ ETC…

    FALEI DE FATOS, VC NÃO CONTESTOU, APENAS FALA DE INVEJA, FANATISMO ETC… MAIOR ESTÁDIO? CONSTRUÍDO COM O DINHEIRO PÚBLICO, EM UM LOCAL SEM METRÔ, NO JARDIM LEONOR? O ESGOTÃO? O PALESTRA ITALIA É MUITO MAIS BELO ARQUITETONICAMENTE E MELHOR LOCALIZADO… OU VAI FALAR QUE É MELHOR ESTAR NO JARDIM LEONOR?

    QUANTO AO “TRICAMPEÕES MUNDIAIS”, DOIS FORAM GANHOS PERDENDO FORA E GANHANDO AOS TROPEÇÕES EM CASA E EM RETRANCA CONTRA O MILAN; EM 2005, METERAM A MÃO NA ACADEMIA E PEGARAM SÓ GALINHA MORTA DEPOIS… E SE RETRANCARAM CONTRA UM MEDÍOCRE LIVERPOOL NA FINAL DO MUNDIAL… ISSO TUDO JÁ FOI FALADO, MAS VC DIZ QUE É INVEJA, FANATISMO… NÃO REFUTA NADA…

    VÁ PESQUISAR SOBRE O PRIMEIRO MUNDIAL, A COPA RIO, GANHA PELO VERDÃO JOGANDO BOLA, NÃO NA DEFESA OU NO APITO… O BRASILEIRO DE 77 NÃO FOI ROUBADO? E O DE 86, COM O PÊNALTI NO JOÃO PAULO? E A FINAL DE 70 CONTRA A PONTE, COM A ENTRADA DO LAUDO NATEL NO VESTIÁRIO NO INTERVALO E O PÊNALTI INEXISTENTE NO TERTO? É TUDO INVEJA, carlos?

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  36. Zeca

    Carlos a partir do momento que vc contesta fatos com opinioes pessoais, fica facil entender sua revolta…lhe faltam argumentos…tanto que vc diz que o graaande Pedro Rocha foi melhor que o Divino….hahahaha otima essa!!

    Agora vc me disse sobre minhas previsoes, primeiro que dou a cara a bater e as faco, depois….vejamos…Chelsea campeao…e teria sido, mas como vc mesmo diz, nao sou Mae Dinah e nao pude prever que o juiz nao marcaria 2 penaltis, nao expulsaria Evra e Tevez e que na hora do titulo Terry escorregaria…..alias se pudesse prever tudo isso, eu estaria rico essas horas ne?!

    Boca x Flamengo…realmente o Brasil todo se enganou em relacao ao Flamengo, mas disse no mesmo post que o Boca seria campeao….certo?! Copa do Brasil tudo bem…..

    Mas e sobre vc que achava que o seu time iria ser campeao Paulista e Libertadores….o que acha dos seus palpites??!! hahahahaha ate nisso vc levou goleada…..

    Wesley..se vc nao leu, como sabe o que escrevi…hahahaha

    Ahhh e sobre goleiros…. Rogerio c**** , reserva do Marcao !!! hahahahahaha

  37. Daniel

    Publicada em 24/5/2008 às 13:33

    Ex-goleiro da Itália gostaria de dirigir o Palmeiras
    Walter Zenga atualmente comanda o Catana na Série A italiana
    LANCEPRESS!
    Walter Zenga, goleiro da seleção italiana nos anos 90 e hoje técnico da Catania (ITA), fez revelação curiosa e mostrou simpatia pelo Palmeiras.

    Em entrevista à “Gazzeta TV”, do jornal esportivo “Gazzeta Dello Sport”, o mais popular da Itália e um dos maiores do mundo, Zenga disse que gostaria de treinar o Verdão.

    Durante a conversa, de 45 minutos, o entrevistador recebeu uma mensagem de um leitor brasileiro.

    Foi quando Walter Zenga afirmou que, um dia, ficaria feliz se pudesse dirigir um clube do Brasil. O ex-goleiro foi curto e grosso ao dizer qual seria a equipe preferida: Palmeiras!

  38. Daniel

    Eu? Falo de fatos e vcs não conseguem refutar, vc se chama weslley e eu preciso de tratamento? Quem é vc, lininho (são-paulininho)?

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, AQUI É PALMEIRAS!

  39. Daniel

    Enquanto os leonores têm de falar apenas de libertadores ganhas mediocremente ou no apito, além de mundiais retrancados contra um mediano Liverpool (três gols!!!) e Milan, O PALMEIRAS:

    ganhou vários títulos nacionais nos anos 60 (Taça Brasil, Robertão (brasileiro)), esteve em duas finais de Libertadores JÁ NOS ANOS 60 – perdeu em 68 roubado pro Estudiantes;

    é o Campeão do Século XX por todos os rankings;

    É A ACADEMIA;

    o primeiro campeão mundial (GAZETA ESPORTIVA, 23/7/51: “PALMEIRAS, CAMPEÃO DO MUNDO!”);

    O ÚNICO CLUBE QUE VESTIU A CAMISA DA SELEÇÃO BRASILEIRA (A ACADEMIA EM 1965, BRASIL 3 X 0 URUGUAI).

    CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS, COMO BEM DEMONSTRAM o carlos e o “weslley”…

    AVE, PALESTRA!
    AVANTE, ACADEMIA!
    CAMPEÃO DO SÉCULO, ACADEMIA, AQUI É PALMEIRAS!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: