Archive for maio \31\UTC 2009

Peixe vence com tranquilidade

maio 31, 2009

O Santos venceu a equipe reserva do Corinthians sem levar grandes sustos.

No início o Timão ainda levou algum perigo em boas armações de contra-ataque.

Em um deles, aos 13 minutos, Souza lançou Lulinha que bateu de primeira, para boa defesa de Fabio Costa.

Três minutos depois o Santos abriu o marcador com Paulo Henrique, o melhor em campo, que recebeu cruzamento pela direita, bateu de primeira, Julio Cesar defendeu, mas a bola escapou e entrou por um palmo.

Daí por diante o Peixe levou a partida como quis.

Aos 29 minutos tratou de ampliar o marcador após chute de Kleber Pereira, defendido parcialmente por Julio Cesar, com Paulo Henrique completando para o fundo da rede.

O segundo tempo trouxe um Santos mais relaxado.

Por conseqüência o Corinthians passou a acreditar que dava e, aos 4 minutos, Moraes bateu cruzado, Fabio Costa rebateu e Renato completou para o gol.

Estranhamente, os atletas corinthianos se enervaram e passaram a dividir as jogadas com violência.

Aos 10 minutos Jean agrediu Madson e levou apenas amarelo.

Oito minutos depois Moraes sai na cara de Fabio Costa, que defende.

Aos 20 minutos, Léo tropeçou em Lulinha e caiu.

O péssimo árbitro Voaden o expulsou injustamente.

Sem a equipe principal e com um atleta a menos o Corinthians morreu dentro de campo.

O Santos, mesmo sem forçar muito, passou a perder gols.

Julio Cesar salvou a equipe em três oportunidades.

No final, aos 44 minutos, Madson, completando cruzamento da direita, deu números finais à partida.

A vitória foi ótima para o Peixe e coloca o Corinthians em alerta.

Será que vale a pena entrar com uma equipe tão desfalcada em um Campeonato difícil como o Brasileiro ?

Se ganhar a Copa do Brasil, talvez.

Tricolor goleia o Cruzeiro, Palmeiras tropeça

maio 31, 2009

Por JUCA KFOURI

http://blogdojuca.blog.uol.com.br/

No Morumbi, com 51 mil torcedores que trocaram mantimentos por ingressos, o panorama foi bastante parecido no primeiro tempo, embora São Paulo e Cruzeiro tenham jogado com seus titulares.

Mas também numa partida equilibrada e com o São Paulo estreando Marlos, que foi bem, o primeiro tempo terminou com 2 a 0, gols de Washington e Borges, aos 11 e 32, para os paulistas, que até bola na trave levaram dos mineiros.

Que não se conformaram com a derrota parcial e voltaram agressivos no segundo tempo, com Athirson no lugar de Magrão.

O São Paulo tentava apenas controlar a vantagem e caçava Kléber impiedosamente.

Wellington Paulista saiu e entrou Zé Carlos.

Washington saiu para entrar Dagoberto, porque a bola só ficava nos pés do Cruzeiro, que queimou sua última troca ao fazer entrar Eli Carlos no lugar de Athirson, aos 28.

O Cruzeiro esbarrava na muralha tricolor e não levava perigo.

E foi Dagoberto que num contra-ataque, pela direita, chutou cruzado e liquidou o jogo: 3 a 0.

Então, quem diria, Hernanes entrou em campo, no lugar de Marlos, que estreou bem.

O Palmeiras fez um primeiro tempo bisonho em Barueri e não saiu do 0 a 0 com o fraco Grêmio.

Obina começou jogando.

E o Palmeiras ainda deu sorte, porque o árbitro Paulo César de Oliveira deixou de dar pênalti claro de Pierre em Fernandinho, aos 17 minutos.

No segundo tempo, em Barueri, o time da casa resolveu ficar um pouco mais atrevido e, de fora da área, obrigou Marcos a fazer duas defesas.

Aos 11 minutos, no entanto, Diego Souza pegou pela direita e enfiou na medida para…Obina.

Ele recebeu, invadiu a área e soltou o pé para fazer 1 a 0 e marcar seu primeiro gol em 2009.

No banco, Vanderlei Luxemburgo assumiu aquele ar que só os gênios são capazes.

Porta arrombada, quatro minutos depois foi a vez de Keirrison, de primeira, se aproveitar de um cruzamento da direita

Em seguida, no entanto, sentado, Pedrão diminuiu, mandando a bola no ângulo.

Era a noite dos artilheiros…

Marquinhos e Ortigoza entraram aos 24 nos lugares de Mozart e Obina, saudado pela pequena torcida alviverde presente ao estádio.

Luxemburgo poupava seus mais recentes reforços, ambos longe de melhor condicionamento físico.

E não é que, aos 28, Marcos saiu jogando mal com o pés, a bola sobrou para Thiago Humberto que viu Pedrão livre para empatar?

É…

Armero saiu para Jefferson ir ao ataque, só que ele virou uma avenida, sendo driblado com facilidade.

E chovia, chovia canivetes em Barueri.

O Palmeiras completava sua quinta partida seguida sem vencer.

Para piorar, aos 36, Wendel foi expulso.

O jogo era uma correria só, sem técnica, lá e cá, porque tudo era possível.

Divertido de se ver, se você não é palmeirense, principalmente porque os anfitriões, com um a mais, estiveram sempre mais perto do terceiro gol.

O 2 a 2 foi ótimo para o time de Barueri e, novamente, muito ruim para o Palmeiras.

A farra do CT

maio 31, 2009

negãogravahelicopetro

Joaquim Grava e André Negão são os responsáveis pela reforma do CT do Parque Ecológico.

O orçamento inicial é de R$ 18 milhões.

Evidente que custará muito mais.

Grava é médico e Negão é Empresário da SORTE.

Por que motivo foram “escalados” para esta empreitada ?

Simples.

São os homens de Andres Sanches.

Aqueles que fazem e não contam.

Mas de vez em quando deixam rastros.

O blog pegou Grava comprando produtos superfaturados para o departamento de futebol.

Com documento assinado por ele comprovando a compra.

Mesmo assim nada aconteceu.

E o poder deles aumenta a cada dia.

Grava praticamente ocupa o lugar de Antonio Carlos no Departamento de Futebol.

André Negão continua com seus “serviços” lucrativos no futebol amador.

Conselheiros e diretores, felizes com as regalias, fingem não ver nada.

Ingressos grátis e churrasco na piscina são o suficiente para que se calem.

Além de covardes, são baratos.

Uma vergonha.

Clube dos Honestos*

maio 31, 2009

*Clique na foto para ampliar

MNeturma

O Morumbi respira

maio 31, 2009

São Paulo venceu a disputa política para ser a sede da abertura do Mundial 2014.

Mas foi por muito pouco.

O Morumbi, ainda com ressalvas, permanece como o estádio escolhido para representar o Estado.

Mas como foi informado dias atrás, terá que se adequar às normas da FIFA.

O custo das reformas exigidas é altíssimo.

Se não conseguir captar parceiros para a obra, o estádio do Tricolor dará lugar a uma segunda opção.

Muito provavelmente a ser construída na Capital.

As outras sedes já são de conhecimento público.

Todas elas garantidas por seções de “beija-mão” dos políticos locais com Ricardo Teixeira.

É preciso realmente que estreitem estes laços.

A CPI, após o torneio, será inevitável.

O melhor que pode acontecer

maio 31, 2009

Da FOLHA DE SÃO PAULO

Por JUCA KFOURI

——————————————————————————–

Está a cada dia, a cada jogo mais claro que o Palmeiras precisa levar um choque para não nos frustrar

——————————————————————————–

QUE O palmeirense desculpe e não imagine que o que lerá aqui é coisa de quem não gosta do Palmeiras. Que se lembre, ao menos, de toda a confiança e esperança aqui depositadas quando Luiz Gonzaga Belluzzo assumiu o comando do Palestra Itália. Confiança que se mantém, esperança que se reduziu. E por quê? Porque o professor Belluzzo caminha celeremente para ser mais uma vítima da estrutura carcomida do futebol, capaz de triturar até gente da melhor qualidade, em todos os sentidos, como ele.

Daí o vatícinio terrível, que nada tem de quanto pior melhor, teoria que nem mesmo na ditadura brasileira fez a cabeça deste colunista: mas o melhor que pode acontecer ao Palmeiras, agora, é ser eliminado da Libertadores pelo Nacional. Para que Belluzzo se liberte, sem trocadilhos sem graça. Se liberte da gastança desenfreada e nem sempre bem explicada de seu verdadeiro primeiro-ministro, Gilberto Cipullo.

Se liberte de uma comissão técnica que, faz tempo, só tem custo e nenhum benefício, como até as ruas próximas ao Parque Antarctica estão cansadas de saber. Se liberte de um treinador que agora deu para acusar a torcida alviverde de ser pouco participativa, além de alimentar um doentio complexo de perseguição. E de ver são- -paulinos e corintianos em sua sombra quando foi ele quem tirou Keirrison para fazer entrar Jumar e avalizou Obina, para não falar de Capixaba, Mozart e por aí afora. E se liberte de uma parceria que, aos poucos, de adiantamentos em adiantamentos, até para pagar os nababescos salários do treinador, torna-se sócia majoritária de um clube que se perde também nas promessas de uma arena que caminha para virar picadeiro, como já aconteceu em outro Parque. Belluzzo anda envenenado pelo ambiente do futebol, refém das mazelas que envolvem os ditos torcedores organizados, irritado com as críticas que viram manifestações “fascistas”, por mais corretas que sejam, ferido ainda pela tal “mídia alviverde”, aliada nos tempos de oposição a Mustafá Contursi. Contursi que tem velhos correligionários como Antonio Corcione e Mauro Marques entre os que hoje apoiam os situacionistas, no velho estilo das alianças que infelicitam o país há mais de 500 anos.

Belluzzo veio para mudar isso, consciente que sempre foi da necessidade de um choque, de uma ruptura em busca da modernidade, alicerçada por uma sólida erudição que não pode se limitar a apontar a ignorância alheia, mas que deve respaldar a mudança bem fundamentada. Nem que o custo seja o da política realista, pés no chão, que não permita grandes conquistas imediatas, mas a construção de alicerces suficientemente bem estruturados que possibilitem ao Palmeiras ser no século 21 o que foi no 20. Porque só está faltando ouvir Belluzzo juntar sua voz à dos cartolas que atribuem à Lei Pelé o estado falimentar de nosso futebol. Por isso, o melhor é cair fora da Libertadores. Porque, enquanto o sonho persistir, nada mudará. E, se for realizado, apenas sedimentará tudo o que está errado.

Presente do Madureira

maio 31, 2009

obina-na-ultima-vez-palmeiras

Robinho quer voltar para o Peixe

maio 31, 2009

Robinho está jogando sua carreira no lixo.

De tanto desrespeitar as equipes por onde passou já não é mais bem visto pelos clubes europeus.

Jogador habilidoso, mas que some nos momentos decisivos.

Esta é a sua fama no velho continente.

De promessa de jogador genial, tornou-se uma realidade triste, quase uma decepção.

Desnorteado, Robinho implora para voltar ao Santos.

Foi o único lugar em que brilhou realmente.

Marcelo Teixeira abriu as portas, mas só tem interesse se o jogador conseguir convencer sua equipe a emprestá-lo.

Resta saber que Robinho retornaria ao Peixe.

O menino que encantava a todos e vivia sorrindo ?

Ou o homem mal orientado e descumpridor de palavra ?

Palavra do Magrão

maio 31, 2009

Par perfeito

Por SÓCRATES

http://www.cartacapital.com.br/app/coluna.jsp?a=2&a2=5&i=4206

Um excelente exemplo de par perfeito no mundo esportivo é algo difícil de acontecer. Como Zico e o Flamengo, Rogério Ceni e o São Paulo ou Marcos e o Palmeiras. Principalmente nos dias de hoje, quando a fidelidade para com o clube anda tão em baixa que a maioria dos atletas mal tem tempo de conhecer o nome dos companheiros. Sinal dos tempos, meus caros!

Antigamente, encontrávamos muito pouca migração de jogadores de alto nível e em alguns casos só de pensar na possibilidade do ídolo de um grande clube se transferir para o rival já seria motivo para verdadeiras guerras entre torcidas e pensava-se até em excomungar os dirigentes envolvidos – acredito que não poucas vezes dom Paulo Evaristo Arns deve ter tido impulsos nesse sentido refreados por sua formação teológica.

Isso ocorria simplesmente porque os atletas permaneciam muito tempo vestindo uma única camisa. Com isso, não havia a mínima possibilidade de uma passagem fria, distante e pouco afetuosa com seus contratantes. O amor se instalava imediatamente, às vezes, ou, o mais comum, gradativamente.

Por isso se fala tanto no tal de “amor à camisa” nos dias de hoje, quase como um saudosismo. Muita coisa se alterou, porém, de lá para cá, o que na maioria das vezes impede que esta afeição se estabeleça. Temos, no entanto, neste século caracterizado pelo individualismo, alguns exemplos do mais alto teor de fidelidade. Alguns já citados acima e um, em particular, extremamente peculiar, dado o resultado alcançado.

Falo de Juninho e do Lyon, clube que o recebeu em solo francês e onde conquistou um inédito heptacampeonato, invicto até o presente ano. Ano em que se despede, para talvez retornar à sua terra natal. Para um clube de tão poucas tradições, como era o Lyon até a sua chegada, esse feito é extraordinário. Dá para imaginar o apreço que os torcedores e moradores daquela bonita e agradável cidade têm em relação ao Juninho e sua família.

A despedida, neste caso, é muito dolorida e certamente toca profundamente o coração dos envolvidos. Um amor “de fato” nascido no seio de uma relação e de um ambiente profissional. Caso raro e extremamente sugestivo. O acordo para permitir a sua saída precoce, já que ainda tinha um ano de contrato, só se viabilizou por causa dessa afetividade criada e potencializada nos anos de convivência. Algo para refletir e que pode ser estendido a qualquer contexto que se pretenda quando se discutem as relações humanas e suas consequências. Nada equivale a isto.

Novos protagonistas

Os árbitros brasileiros têm sido frequentemente (novos) protagonistas dos domingos de futebol, como foi o caso do juiz que apitou São Paulo e Palmeiras há poucos dias, cuja atuação beirou o colapso. Um pênalti em Diego Souza que ele não deu, mesmo a metros do lance, é um caso a se pensar em profundidade, porque não pode ser cegueira ou incompetência.

O chute no tornozelo do atacante palmeirense que o zagueiro Miranda deu, além de demonstrar falta de fundamentos preciosos do defensor, que a mídia insiste em endeusar, foi capaz de tirar os dois pés de Washington do chão, jogando por terra, além da possibilidade do gol, qualquer alusão, por menor que fosse, a uma cena teatralizada.

Impossível não ver, impossível não interpretar como falta, e inadmissível que o pênalti não tenha sido marcado. Ele, no entanto, mandou o jogo correr como se nada tivesse acontecido, muito menos o gesto faltoso. É por estas e outras que continuamos imaginando o quanto de manipulação poderá existir no resultado de uma partida de futebol, enquanto esta continuar sendo objeto de avaliação por parte de um único indivíduo, como se fosse infalível.

Volto mais uma vez a um tema fundamental: por que não utilizar recursos eletrônicos e/ou mais de um árbitro nas decisões capitais. Só pode ser porque uma única cabeça possui muito mais possibilidade de errar e, o que é pior, esta eventualidade é defendida por um processo ideológico irracional que diz que o futebol só é o que é por causa da ocorrência desses percalços.

Mas, deixando os discutíveis juízes de lado, pudemos ver uma partida em que os goleiros fizeram o show (novos protagonistas, também). Muito por suas qualidades. Mas muito mais por inabilidade dos atacantes do futebol de hoje em dia, que insistem em contrariar a regra de que dentro da área tem que ter jeito e não força, além de deixarem de olhar para os arqueiros antes de concluírem as jogadas — erro crasso de fundamento básico. Culpa, lógico, da falta de capacitação de quem tenta ensinar futebol aos nossos meninos.

Fã do Esporte

maio 30, 2009

Andres Sanches, presidente do Corinthians, não perde o Linha de Passe, da ESPN BRASIL.

Contratou uma empresa para gravar todos os programas da turma formada por Juca Kfouri, José Trajano, PVC, Palomino, Marcio Guedes e Calazans.

Até ai, tudo bem.

O problema é quem está pagando a conta.

Ou, na verdade, não pagando.

A fatura vem em nome do Corinthians.

Fui procurado pela empresa que está, desde o início do ano, tentando receber a quantia de R$ 400,00.

Liga no clube, mas ninguém se presta a atendê-la.

As desculpas são as mais variadas possíveis.

Resolvi ajudá-los.

Passei os telefones do presidente do clube, Andres Sanches, e do diretor financeiro, Raul Corrêa da Silva.

Responsáveis por evitar mais este vexame.

Gostaria muito de saber como este gasto será lançado no balanço do clube.

Outros, diversos ou TV a cabo do presidente ?

Não é a toa que os balancetes mensais nunca são publicados.

Deve dar um trabalho danado esconder este tipo de coisa.

Almoço indigesto

maio 30, 2009

O “Almoço da Paz”, encontro entre os presidentes dos quatro grandes clubes de São Paulo, serviu apenas para guardar fotografias de recordação.

De prático, nada de bom aconteceu.

Ao contrário.

Andres Sanches e Juvenal Juvêncio passaram todo o tempo de alfinetando.

O corinthiano, demonstrando a inteligência habitual, disse que o Corinthians sente falta de jogar no Morumbi, mas que não volta atrás de sua decisão.

Como se o dinheiro que o clube deixa de arrecadar com sua teimosia fosse dele.

Juvenal respondeu dizendo que continuará a não atender os insistentes telefonemas que Andres Sanches faz ao clube.

Disse ainda que Andres não leva o Corinthians ao Morumbi, mas que ele próprio esteve por lá, assistindo ao show da Madonna, usufruindo de ingressos grátis, fornecidos pelo São Paulo.

Belluzzo e Marcelo Teixeira, apenas assistiam.

O almoço ocorreu sem surpresas.

Muita comida, pouca inteligência.

Como de costume entre dirigentes do futebol brasileiro.

Ronaldo e a cerveja

maio 30, 2009

Por BONI

http://bloglog.globo.com/boni/

Antes de mais nada eu sou Corintiano, fui até conselheiro do Corinthians.

Depois conheço o Ronaldo, acompanhei toda sua carreira e sou admirador da tenacidade dele.

Para finalizar sou publicitário com muito orgulho.

Mas essa campanha, na televisão, que utiliza o Ronaldo dizendo que ele deu a “volta por cima “porque bebe cerveja,é de lascar.

O testemunho de cantores, artistas e alguns famosos biriteiros, vá lá.

Desde que em horários em que a concentração de adolescentes não seja maciça.

Mas “péra aí” o testemunho de um atleta, que passa por tratamento médico e intensa fisioterapia para se recuperar, é um abuso.

Se, recomenda cerveja, estamos perdidos.

Bebida alcoolica é droga, droga licita, mas droga.

Eu gosto de cerveja e adoro vinho, mas bebo pouco, somente em algumas refeições e quando bebo jamais dirijo.

Mas será que um garoto de 15 anos de idade tem consciência para lidar com isso?

E é nessa idade ou até antes que se inicia o vicio do alcoolismo.

E dele para outros vicios mais pesados.

Não é só pelo apelo, mas, principalmente, porque no subtexto está sendo dito  que cerveja faz bem para saúde, ajuda a ficar forte e, pasmem, emagrece.

Isso é grave porque oferece aos jovens justificativas para o consumo sem culpa.

E se, no caso, há, pergunta-se: de quem é a culpa?

No caso,os profissionais são  competentes , honestos  e conscientes…

E dai, como acontece?

Não deve, mas pode acontecer.

A autocrítica é a maior inimiga da criação e no calor de criar um erro pode ocorrer.

Voltando ao futebol, é como se um grande artilheiro marcasse um gol contra.

O importante é o saldo  positivo.

O Ministério Publico de São José dos Campos entrou com uma ação contra a AMBEV.

O fato do MP estar atento é auspicioso, mas não se trata de punir.

Não se educa castigando e  há coisas mais importantes  que continuam na impunidade.

Bastaria intimar o CONAR , orgão autorregulador da atividade, para retirar do ar o comercial imediatamente, já que o julgamento do CONAR é a posteriori.

É capaz até que o comercial polêmico já tenha sido retirado do ar.

Falo, inteiramente à vontade, pois  há 30 anos, proibi em novelas e especiais  a glamourisação do alcool ou o uso exagerado de bebidas, para fugas de problemas ou depressão e coisas semelhantes, sendo admitido apenas como o chamado “merchadising social”onde os maleficios do consumo eram mostrados de forma cabal.

Proibi também o uso de cigarro, salvo em circunstâncias em que se demonstrava as consequências negativas do tabagismo.

Nos humoristicos a permissão se restringia a caricatura de bebedores ou fumantes.

Não sou hipócrita.

Sei que drogas ilicitas e licitas estão ai atraindo novos consumidores, nas prateleiras dos bares, em todos os veículos de comunicação, nos becos escuros ou nas iluminadas festas da sociedade.

Mas se acabar com isso tem se demonstrado uma luta sem fim é indispensável, a todo instante, estarmos atentos ao problema.

Principalmente para ajudar as novas gerações a não cairem em armadilhas terríveis e quase sempre sem volta.

Luxação da verdade

maio 30, 2009

V(W)anderlei(y) Luxemburgo disse não gostar da torcida palmeirense.

Mas que é profissional e trabalha pelo clube.

Depois tratou de jogar a responsabilidade de seus fracassos na limitação de seu elenco.

Esqueceu, é claro, de dizer que todos os atletas foram sugeridos por ele.

Luxa faltou com a verdade em diversos pontos da conversa.

Todos sabem que há tempos ele não trabalha por clube algum.

Seu negócio é bem outro.

Menos transparente e mais lucrativo.

Com relação ao torcedor, Madureira inverteu as bolas.

O torcedor palmeirense é que não se deixa mais enganar por seu charlatanismo.

Falta apenas a direção do Palmeiras acordar para a realidade.

Antes que seja tarde demais.

Jogo jogado

maio 30, 2009

Do blog do ACELMO

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/#190958

As cidades da Copa de 2014

Já estão escolhidas as 12 cidades onde serão os jogos da Copa de 2014, que a Fifa anuncia no domingo, em Nassau, nas Bahamas. São elas:

Rio de Janeiro

São Paulo

Belo Horizonte

Porto Alegre

Curitiba

Brasília

Cuiabá

Manaus

Fortaleza

Salvador

Recife

Natal

O Rio, como se sabe, será o endereço da final, chance da definitiva reabilitação do Maracanã, após a derrota de 1950. São Paulo, está quase certo, fica com o jogo de abertura – Belo Horizonte sua a camisa no lobby para tomar o lugar dos paulistas. Cuiabá venceu Campo Grande, pelo prestígio político de Blairo Maggi, o governador do Mato Grosso. Manaus ganhou de Belém e Rio Branco o privilégio de ser a sede amazônica e Natal levou a última vaga, derrubando Florianópolis, por razões políticas e logísticas.

Coluna do Fiori

maio 30, 2009

fiori 

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.br   Email: caminhodasideias@superig.com.br

apito

II PREMIO APITO DE OURO

Evento ocorrido na segunda feira 25/05/09 no salão do estádio Paulo Machado de Carvalho – Pacaembu, principais homenageados:

Arnaldo César Coelho e Romualdo Arppi Filho

Presentes representantes da imprensa, pessoas das diversas camadas sociais, dirigentes das varias entidades esportivas, bem como;

José Maria Marim – Vice Presidente da CBF

Sérgio Correa da Silva – Presidente da CONAF

Jorge Paulo – Presidente da ANAF

Dárcio Pereira – Presidente do SAFESP

Marinho – Presidente da CEAF-SP

Emidio Marques de Mesquita

José Astolfi

Oscar Roberto Godoi

Alguns árbitros e assistentes FIFA, dentre estes;

Sálvio Spinola, Wilson Seneme, Paulo César de Oliveira, Heber Roberto Lopes, Altemir Hautman e outros.

Quando segurou o microfone Sérgio Correa da Silva, afirmou que enquanto presidente da CONAF, tira e coloca no quadro internacional de árbitros quem e quando quiser.

Neste instante olhou fixamente para Seneme. Como sabemos Wilson Seneme estava na FIFA, foi retirado, voltando recentemente.

Tenho convicção absoluta se no lugar de um destes tivéssemos o falecido Dulcidio Wanderley Boschilia ou alguém com minha originalidade, com meu caráter e com minha independência, a festa terminaria ali.

Recebi a informação, formatei minha postagem, chequei com algumas pessoas que estiveram no evento, todas se mostraram pasmas com as colocações do presidente da CONAF.

Sou de opinião que Sérgio Correa da Silva desrespeitou antes de tudo o ser humano, se não ao meu semelhar, um dos FIFA presentes deveria responder-lhe com habilidade, nenhum o fez, calar é abonar, ao meu entender este método se iguala a objeto descartável.

Confesso que tentei entender o porque das palavras de Sérgio Correa da Silva como também o calar dos árbitros e assistentes FIFA, chegando à proximidade do escárnio.

CORINTHIANS X BARUERI

Árbitro: Wilson Luiz Seneme

Aplicou os cartões corretamente, quanto ao pênalti a favor da equipe corintiana marcado aos 17 minutos do primeiro tempo entendo-o correto, Jorge Henrique foi derrubado por Daniel marques do Barueri.

GOIAS X INTERNACIONAL

Árbitro: Cláudio Mercadante Junior (PE)

Atuou dentro do normal, partida transcorrida se violência.

PALMEIRAS x SÃO PAULO

Árbitro: Rodrigo Braghetto

Braghetto cometeu seu maior erro ao deixar de marcar penalidade clara cometida pelo defensor são-paulino Miranda em Diego Sousa ao inicio da segunda etapa, o fato aconteceu a cinco metros de distancia do árbitro, lance totalmente sob sua visão, nenhum obstáculo para desculpas.

Concluo: Braghetto é bom árbitro, deve se afastar dos bastidores, possíveis ligações de amizade podem ou poderão influir indiretamente em suas decisões.

GRATIDÃO

Ao renovar seu contrato com a S.E. Palmeiras, Marcos se expressou como sempre:

Devo tudo que tenho ao Palmeiras.

Espero continuar retribuindo o que ainda fazem por mim.

Por diversas vezes quando entrevistado após derrota ou vitória o arqueiro palmeirense se expressou com sinceridade, assumiu os erros e dividiu os acertos.

O adverso de Emerson Leão, eu acertei, eles erraram.

Não tenho recordação de ter ouvido do ex-arqueiro Emerson Leão assumindo alguma falha. 

Outros diriam:

Graças a mim chegamos ao patamar em que estamos.

Respeito

Por sua sinceridade, Marcos é respeitado por seus colegas de profissão, por torcedores de todas equipes e pela maioria dos comunicadores da área esportiva.

POLITICA

TITULO DE CIDADÃO

Sempre entendi e continuo entendendo que o titulo de cidadão de uma cidade por mais humilde que seja, representa ao todo de sua população, deve ser entregue a expoentes, não como  é atualmente, verdadeiro balcão de interesses.

Como prova temos a concessão do titulo de Cidadão Carioca, para Michel Temer, por propositura da vereadora Clarissa Garotinho, qual moeda de troca por ter-se aliado a se pai no ano de 2.006.

Este noticiar encontra-se no Estadão do dia 27/05/089 na pagina denominada; Direto da Fonte, responsabilidade da jornalista Sonia Racy.

Acorda, Brasil.

SP-30/05/09


%d blogueiros gostam disto: