Anúncios

Archive for dezembro \30\UTC 2014

Feliz 2015 !!!

dezembro 30, 2014

2015

O ano de 2014 consolidou ainda mais o Blog do Paulinho como um dos veículos jornalísticos mais relevantes do Brasil.

Quase 40 mil acessos diários, em média, com o recorde de 197 mil pessoas num único dia.

Nada disso seria possível sem o auxílio dos amigos, colaboradores e do público, cada vez mais fiel, que não apenas frequenta nosso espaço, mas acredita em nossa proposta de trabalho, divulgando-a pelas mais diversas mídias sociais.

A busca incessante da verdade, iniciada no final de 2006, continuará em 2015, contando, cada vez mais, com a audiência e o apoio de todos.

Com sentimento de imensa gratidão, desejamos um Feliz Ano Novo, com muitas realizações, saúde, paz e sucesso.

Anúncios

Com aval de delegado, Edu Gaspar negocia com traficante “Padrinho” e contrata jogador do Sampaio Corrêa para o Corinthians

dezembro 30, 2014

jonas

(PUBLICADO ORIGINALMENTE EM 30 de OUTUBRO)

Em manobra, tudo indica, para preencher os bolsos de seus dirigentes, o Corinthians fez-se valer de “laranjas” para contratar o jogador Jonas, volante do Sampaio Corrêa, do Maranhão.

No último dia 25 de setembro, o presidente do clube maranhense assinou o repasse de 75% dos direitos econômicos do atleta para duas “empresas” (37,5% para cada) criadas com a finalidade de intermediar o negócio, deixando seu clube com apenas 25% (no contrato, apesar do erro de grafia dos números, há a indicação, por extenso, dos valores revelados).

De maneira inusual, porém, não colocou, em contrato, as Razões Sociais completas das beneficiárias, apenas as siglas “GAPA” e PH4″.

Basta rápida pesquisa pela internet para notar a inexpressividade ou inexistência comercial de ambas.

Porém, quem assina pelos tratados “investidores” é um agente FIFA, de nome Marcos Santos, , vulgo Mineiro, “dono” da PLUS SPORTS, que tem em seu contrato social Angelo Marcos Canuto da Silva, o traficante “PADRINHO”, preso, recentemente, pela Polícia Federal, como um dos cabeças do crime no Brasil, tendo enviado, no mínimo, 4 toneladas de cocaína ao Exterior.

plus jucesp 1

plus jucesp 2

A mesma dupla, recentemente, negociou o jogador Luciano ao Corinthians.

As tratativas, pelo Corinthians, foram autorizadas pelo delegado Mario Gobbi, com quem “Padrinho”, ou “Fusca” (apelido utilizado pela PF para identificá-lo na quadrilha), mantém estreita relação desde os tempos de DETRAN, período em que o traficante trabalhava na polícia de São Paulo, mas foram tocadas pelo braço direito Edu Gaspar, envolvido, direta ou indiretamente, em quase todos os negócios nebulosos do Parque São Jorge.

O criminoso, segundo informações, deu as coordenadas da transação de dentro do presídio, tendo, inclusive, falado com o gerente de futebol alvinegro ao telefone.

Após vazamento da informação da transação do atleta, que deve se apresentar ao Corinthians somete em 2015 (procedimento semelhante ao negócio com o irmão do jogador Romero), quase todas as partes negaram,, mas a documentação, com o repasse dos direitos e assinatura de Marcos Mineiro, sócio de “Padrinho”, como procurador dos “investidores”, pode ser conferida logo abaixo:

jonas - padrinho 1

jonas - padrinho 2

TRAFICANTE “PADRINHO” E LUCIANO

canuto 20 - luciano corinthians 13-02-14

Rolos, desvios e automóveis: as falcatruas do candidato a presidente do Corinthians com seu indicado a diretor de futebol

dezembro 28, 2014

edu e roberto

O leitor deste espaço vem sendo apresentado, há algum tempo, ao currículo nada abonador do candidato a presidente do Corinthians, Roberto “da Nova” Andrade, e seu braço direito, Carlos (Nei) Nujud, indicado a assumir o cargo de diretor de futebol, em caso de vitória da chapa ‘Renovação e Transparência”, nas próximas eleições.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/11/25/a-verdade-sobre-o-grande-empresario-que-sera-candidato-a-presidente-do-corinthians/

Se “Da Nova” deixou-se colocar na condição de “laranja” da empresa “Nova Veículos”, da qual, verdadeiramente, ocupa o cargo de gerente de vendas, Nujud tem histórico de vida marcado por diversas ações de “malandragem”, entre as quais a inclusão da FINTA como patrocinadora alvinegra, além do hábito de abrir e fechar empresas, sempre de maneira suspeita, que lhe deixou com os bens bloqueados e impossibilidade de abrir sequer conta poupança em agencia bancária.

É conhecida, e antiga, no Corinthians, a relação umbilical entre Roberto Andrade e Nei Nujud.

Antes mesmo de conseguirem colocações importantes no Parque São Jorge, ambos foram sócios numa agencia de veículos, localizada no bairro de Analia Franco, que tinha como finalidade principal desviar negócios da “Nova Veículos”, onde, Roberto, à época, era simples vendedor.

O rolo era simples: o camarada aparecia na “Nova”, era atendido pelo dirigente alvinegro, que dizia “olha, só podemos pagar “x” valor pelo seu veículo, mas conheço uma empresa, de minha confiança, que paga bem mais…”.

A grande questão, óbvia, por sinal, era: se Roberto “roubava” o local que lhe proporcionava sustento, o que não faria com o Corinthians, ocupando cargo não remunerado, e com dezenas de propostas absolutamente tentadoras de empresários ?

Tempos depois, após assumir, na gestão Mario Gobbi, a diretoria de futebol, o extrato de contratações e renovações efetuadas pelo dirigente, TODAS com pagamentos de comissões elevadas, parece responder bem às dúvidas.

Porém, enquanto “Da Nova” se dava bem no clube, Nujud caiu em desgraça, sem bens, processado e executado por tantas “peraltices”.

Mas, com a indicação do parceiro de falcatruas comerciais “automobilísticas” para concorrer ao pleito alvinegro, tudo mudou.

Roberto indicou Nujud para a comissão eleitoral, e, em caso de vitória, concederá ao ex-dirigente o cargo mais importante do Corinthians depois da presidência, ou seja, a diretoria de futebol.

Alheios a isso, ou com pouca força para reverter, os vices, André Negão, mais uma vez relegado a condição de subalterno, diz que “os pássaros voam felizes”, enquanto “Totó” Kalil, nesta eleição, uma espécie de Muttley do Dick Vigarista, contenta-se em aparecer nas fotografias.

toto e roberto

muttley e dick

EM TEMPO: no mesmo período em que recebeu a condição de conselheiro vitalício do Corinthians, Roberto “da Nova” Andrade presenteou o vice-presidente Nesi Curi, justamente quem lhe indicou ao cargo, com um veículo, destes desviados da “Nova Veículos”.

Paulo Garcia deixa Stabile de fora em mensagem de Natal, enviada a associados do Corinthians, e provoca nova crise na chapa

dezembro 28, 2014

Paulo Garcia concorre ao cargo pela quarta vez

Em mensagem de Natal padrão “Oliverio Junior”, com a simplória frase “Quero levar de volta o nosso Corinthians para o lugar de onde não deveria ter saído” sendo ridicularizada por todos no clube, o grupo de Paulo Garcia “Pró-Corinthians”, sabe-se lá propositalmente, ou não, mais uma vez deixou de fora qualquer menção ao nome do vice, Osmar Stabile e sua “Ação Corinthiana’.

Não esqueceu, porém, de fazer propaganda da Kalunga, localizada ao lado de esquerdo de sua assinatura.

A zoação com a frase referida e constante na mensagem tem como premissa que “o lugar de onde não deveria ter saído” seria esquecer o Fielzão e passar a jogar na Fazendinha, ou talvez, retornar ao período de Garcia como diretor de futebol, em que o campeonato mais relevante conquistado pelo alvinegro foi o Paulista de 1977 (não pelo dono da Kalunga, mas na gestão do saudoso Vicente Matheus).

Tirante o desastre da citação, evidentemente por ideia do “marketeiro” do grupo, o ilibado Olivério Junior, há a indelicadeza política, mais uma, de tratar com absoluto desdem o grupo de OSmar Stabile, que sequer é mencionado no documento.

Quase uma humilhação.

E, a bem da verdade, se há algo próximo de ser tratado como “campanha” política na chapa “Pró-Corinthians”, Paulo Garcia deve aos operários de Stabile, que, mesmo relegados ao segundo plano no movimento, são os únicos que trabalham pela causa.

Do seu próprio grupo, o dono da Kalunga tem, quando não a incapacidade intelectual e moral de Oliverio, a falta de empenho de históricos colaboradores, quase todos descontentes com os rumos da candidatura.

natal garcia

Atrito com Paulo Nobre quase tirou Alexandre Mattos do Palmeiras

dezembro 28, 2014

mattos

O novo diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, correu o risco de ir embora sem nunca ter chegado, oficialmente.

A última semana foi marcada por atritos com o presidente Paulo Nobre.

E ambos tem razão.

Mattos exige a contratação de jogadores que possam fazer o Verdão sair do atual estágio em que se encontra, ou seja, em vias de lutar novamente para não ser rebaixado, enquanto Nobre, com prudente cautela, intercede pelo meio termo, alegando falta de dinheiro nos caixas palestrinos.

Há poucos dias do ano novo, se as parte não chegassem a um denominador comum, o Palmeiras iniciaria 2015 com problemas, sendo obrigado a procurar no mercado outra opção para gerir seu mais importante departamento.

Em tempo: por assessoria, em resposta ao jornalista Alexandre Praetzel, o Palmeiras confirmou a apresentação de Mattos no dia 02 de janeiro. O que não invalida a informação de que os atritos, de fato, aconteceram. Melhor para o clube…

Por consequência, o título da matéria foi corrigido, para evitar interpretações equivocadas.

Fluminense começa a trilhar volta para a Série B

dezembro 28, 2014

flu imbecil

Assim como ocorre em todas as gestões de pouca competência, que se amarram em dinheiro de “parceiros” para disfarçar suas limitações, o Fluminense se viu “nu” com o rompimento da UNIMED, que não mais ajudará o clube.

Sem recursos, nem meios inteligentes para consegui-los, a equipe carioca está se amarrando num conhecido empresário de jogadores, Eduardo Uram.

O clube servirá de vitrine para seus jogadores, quase todos medianos, quando não, ruins.

Com a diferença que agora o Tricolor será o responsável pelas despesas, mas terá, se algum destes vingar, que dividir o lucro com os “espertalhões”.

Da ruindade da dependência da UNIMED para a “parceria” pouco inteligente com a Tombense (equipe laranja de Uram), o Fluminense inicia 2015 como favoritíssimo ao rebaixamento no próximo Campeonato Brasileiro.

E, desta vez, não terá como reverter a “conquista” num restaurante carioca, já que o financiador dos que escalaram irregularmente jogadores no passado não mais faz parte do convívio comercial do clube carioca.

Novo atacante do Corinthians, colombiano Mendoza marcou 20 gols em quatro anos

dezembro 27, 2014

mendoza

Oriundo do Envigado da Colômbia, equipe reconhecidamente a serviço do narcotráfico local, o jogador Stiven Mendoza, por quem o Corinthians gastou R$ 1 milhão, destes, R$ 500 mil de comissão (incríveis 50%), tem desempenho pífio na carreira para quem assinou contrato de quatro anos, recebendo salários de R$ 150 mil mensais.

São 20 gols em quatro anos, média de 5 por temporada.

Disputou doze jogos, em dois mundiais pelas categorias de base colombianas, em ambos, Sub-17 e Sub-20, saiu do torneio sem assinalar um gol sequer.

Problemático fora de campo, sequer esquentou lugar nas cinco equipes que vestiu a camisa nesse curto período de tempo.

Foram nove jogos pelo Envigado, com zero gols anotados, quarenta e um pelo América de Cali, com dez gols, quinze pelo Cúcuta, assinalando quatro gols, dezesseis pelo Deportivo Cali, com dois gols e nove pelo indiano Chennaiyin, marcando apenas quatro vezes.

No total, 102 jogos e 20 gols marcados.

Lembrando que quase todos foram disputados nas fraquíssimas ligas da Colômbia e Índia.

O editor do tal DVD, que teria estimulado a contratação, deve ter sido muito bem recompensado.

Vale lembrar que não é a primeira vez que o clube negocia jogadores com representantes do narcotráfico, sempre tendo Edu Gaspar como intermediário, mas alternando entre Andres Sanches e Mario Gobbi na presidência.

EM TEMPO: Não por acaso, o empresário Regis Marques, o mesmo que tenta emplacar os irmãos paraguaios “Romero” no Timão, participou da transação. Vale lembrar que Andres Sanches mora, sem cobrança de aluguel, num dos apartamentos do empresário quando está no Rio de Janeiro.

“Botei o (Nei) Nujud pra correr do Parque São Jorge”, diz Tuma Jr.

dezembro 27, 2014

correndo da policia

A notícia de que a chapa “Renovação e Transparência” pretende, se eleita, colocar o Departamento de Futebol do Corinthians nas mãos de Carlos (Nei) Nujud, ex-dirigente de triste passagem no clube, deixou até os próprio correligionários de Roberto “da Nova” Andrade boquiabertos.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/12/26/nada-de-andres-sanches-futebol-da-renovacao-e-transparencia-sera-comandado-por-carlos-nei-nujud/

Não apenas pelos intermináveis problemas que afetam sua vida, aliás, bem parecidos com os de Andres Sanches, de quem, aliás, é vizinho de condomínio (o que pode explicar muita coisa), entre os quais abertura e fechamento de empresas em nomes de “laranjas”, sonegação fiscal, falência decretada, bens penhorados, impossibilidade de abrir conta bancária, etc, mas também pela incapacidade demonstrada quando ocupou o cargo de diretor de futebol.

Aliás, remunerado, maneira encontrada para minimizar a perda do patrocínio da FINTA – a quem representava de maneira nem tão oculta assim – com o clube.

Quem tem péssima lembranças da passagem de “Nei” no Parque São Jorge é o Dr. Romeu Tuma Jr., que, quando ocupou a vice presidência de futebol do Corinthians, em apenas duas semanas, tratou de demiti-lo:

“Eu botei o Nujud pra correr do Parque São Jorge… não durou dois meses comigo”.

“Fui informado dos rolos que fazia… era diretor do clube, mas fornecia material para times do interior… depois teve o esquema da FINTA…”

“Quando o Henricão (Henrique Alves) viu o Nujud do meu lado, o chamou de canalha, cara a cara, que, com o rabo no meio das pernas, ficou bem quietinho… “

Anos depois, porém, Dualib deu nova oportunidade ao “espertalhão” no Corinthians.

Os ex-dirigentes históricos do Timão não são os únicos a defenestrar a possibilidade de retorno do braço direito de Roberto “da Nova” Andrade ao comando do futebol no Parque São Jorge.

Nujud angariou antipatia de torcedores e ex-jogadores, entre os quais o capitão Rincon, que, no auge, após a conquista do Mundial de 2000, foi obrigado pelo cartola a trocar o Timão pela Vila Belmiro.

Vasco da Gama começa a sair do buraco

dezembro 27, 2014

charuto

Atolado em dívidas de todas as naturezas, após a desastrosa gestão Dinamite, o Vasco da Gama, começou, esta semana, a ter reais condições de voltar a negociar no mercado com mais desenvoltura.

O clube pagou R$ 12 milhões de entrada, e, com enorme sacrifício, conseguiu a Certidão Positiva com Efeitos de Negativa.

Vinte dias após a saída de seu algoz.

Na prática, a Receita reconhece os débitos fiscais cruzmaltinos, mas regulariza a situação do Vasco, que, se mantiver as parcelas pagas, passa a ser tratado como “em dia” com as obrigações tributárias.

vasco certidão

Lusa tem luz cortada em seu Natal melancólico

dezembro 27, 2014

vela

Ontem, 10h30m, a Portuguesa, que vive um período de trevas políticas, entrou literalmente no limbo.

Cortaram a luz do Canindé.

Um dia após o Natal.

Tomara o clube consiga, ao menos, chegar em 2015…

Petrobras em três tempos

dezembro 27, 2014

luladilma

Da FOLHA

Por DEMÉTRIO MAGNOLI

A Petrobras já não somos nós: é a dívida de nossos filhos e dos nossos netos que ainda não nasceram

Eike Batista profetizou que um dia as ações da OGX valeriam tanto quanto as da Petrobras. Segundo uma amarga e já célebre ironia que circula na internet, a profecia está prestes a se realizar, mas de um modo inesperado. Sob Lula e Dilma, a estatal do petróleo converteu-se na demonstração de um teorema: a identificação da pátria a um partido conduz à destruição em massa de riqueza social.

No princípio, era o tempo do mito. “O petróleo é nosso”, lema da cruzada que se concluiu pela criação da Petrobras, extraía a sua força de uma narrativa clássica pela qual a nação assume a forma de coisas palpáveis: tesouros naturais engastados no subsolo. De acordo com a gramática mítica, a soberania nacional equivale ao monopólio estatal da exploração dessas substâncias cobiçadas por estrangeiros poderosos. A Petrobras somos nós, portanto.

O mito não tem tempo. É um registro eterno, imorredouro. Pereniza-se diante de nós, nas milionárias campanhas de publicidade da estatal –que são, de fato e ilegalmente, propaganda política do governo e do PT. Reacende-se periodicamente, nas campanhas eleitorais, como uma falsa mas repetitiva acusação de lesa-pátria contra oposicionistas que conspirariam para privatizar a Petrobras, desfazendo o tecido da nação.

No tempo das finanças, a Petrobras nunca foi nós. Organizada como Estado-paralelo, imune à fiscalização pública e à concorrência empresarial, a estatal tornou-se um veículo de corrupção endêmica: a lendária, valiosa “caixa-preta”. Nesse registro, desde o princípio, a Petrobras são eles: os donos do Estado e seus sócios no mundo empresarial.

“Sempre foi assim”, escrevem agora os áulicos de sempre e alguns convertidos recentes, não para denunciar os crimes do passado, mas para normalizar os do presente, ocultando sua singularidade. Sob Lula e Dilma, a corrupção endêmica evoluiu até o estágio de corrupção epidêmica e, por meio da distribuição partidária de diretorias, a estatal converteu-se em ferramenta de sustentação de um projeto de poder. A Petrobras são eles: o PT, o PMDB e o PP.

No Evangelho de Tomé, o “tesouro imperecível” encontra-se “onde as traças não se aproximam para comê-lo nem os vermes o destroem”. Se o petróleo é um fetiche, o pré-sal é o fetiche absoluto. No Evangelho de Lula e Dilma, o pré-sal, “dádiva de Deus” ou “bilhete premiado”, abrirá “as portas do futuro” e será “fonte de felicidade material e espiritual”, trazendo “mais casas, mais comida e mais saúde”.

Na foto icônica, um Lula de macacão laranja pousa a mão suja de petróleo nas costas do macacão laranja de Dilma. A inauguração do pré-sal é o dia do encontro dos dois tempos: naquele 21 de abril de 2006, impulsionado pelo motor da arrogância, Lula violou um tabu, profanando o mito. A Petrobras não somos nós nem eles, mas eu, estava dizendo o presidente, no cenário de campanha eleitoral da Plataforma P-50. Então, uma maldição silenciosa, implacável, desceu sobre a estatal.

A maldição engendrou o tempo da falência. Vergada sob o peso dos investimentos compulsórios exigidos pelo regime de partilha, a Petrobras consome o capital espectral aportado por títulos do Tesouro, ou seja, pelo trabalho das gerações futuras. Hoje, na conjuntura da retração dos preços do barril de petróleo e da apreciação do dólar, seu valor de mercado oscila em torno de um terço do valor de uma dívida multibilionária e seu patrimônio líquido é um enigma dentro de um segredo envolto no mistério de um balanço inauditável.

No “bilhete premiado” de Lula está escrito menos casas, menos comida, menos saúde. Depois da louca euforia do pré-sal, a Petrobras já não somos nós, nem eles, nem ele: é a dívida de nossos filhos e dos nossos netos que ainda não nasceram. Lembre-se disso a cada vez que escutar as marchinhas nacionalistas tocadas pelos menestréis da esperteza.

Nada de Andres Sanches! Futebol da “Renovação e Transparência” será comandado por Carlos “Nei” Nujud

dezembro 26, 2014

nujud

Com as últimas pesquisas – realizadas por situação e oposição – indicando empate técnico entre três candidatos a presidência do Corinthians, Roque Citadini, Paulo Garcia e Roberto “da Nova” Andrade, a chapa que se diz apoiada pela atual gestão intensificou o boato de que, em caso de vitória, convidará o ex-mandatário Andres Sanches para assumir a direção de futebol.

Não é verdade.

O nome escolhido, e que já trabalha na escolha de seus subalternos, é Carlos “Nei” Nujud, braço direito de Andrade, de triste passagem pelo Corinthians, ocasião em que desmanchou o time campeão mundial de 2000.

Recentemente, publicamos matéria dando conta da reaproximação do dirigente, empossado como membro da Comissão eleitoral alvinegra, por indicação da chapa “Renovação e Transparência”.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/11/19/comissao-eleitoral-do-corinthians-ressuscita-homem-forte-de-roberto-da-nova-andrade-e-desagrada-opositores/

Nos anos 90, antes de se tornar dirigente de futebol do clube, em “acordo” subterrâneo, “Nei” Nujud recomendou a “FINTA”, então desconhecida fabricante de materiais esportivos, para confeccionar o manto alvinegro.

Descobriu-se, depois, que a empresa tinha como principal fornecedora uma confecção ainda menor, a KYALAMI LTDA, de propriedade de Carlos Nujud Nakhoul, o Nei.

A dependência, ou promiscuidade, entre as partes era tão grande que assim que a Penalty tomou o lugar da FINTA no Corinthians, em 1996, a KYALAMI sumiu do mercado, passou a dar calote em fornecedores e funcionários, até ter sua falência decretada oficialmente, dois anos depois.

Ainda hoje, Nujud enfrenta problemas judiciais pelo episódio, como no caso do processo nº 0833578-87.2006.8.26.0008, que trata da execução e penhora de todos os seus bens, ordenada no final de 2013, após calote no banco BMD.

Voltando aos anos 2000, para compensar os problemas ocasionados pelo rompimento de contrato com a FINTA e consequente falência de Nujud, Dualib, provavelmente por ter se aproveitado dos benefícios da referida ‘parceria”, decidiu ceder-lhe o departamento de futebol, cargo mais importante no Parque São Jorge.

Foi um desastre.

Tão grande que Nujud sumiu do Corinthians, quase apanhou de jogadores e torcedores, sendo “ressuscitado” somente agora, por exigência de Roberto “da Nova” Andrade, que o quer na Diretoria de Futebol, para, juntos, seguirem com a manutenção da atua política, ou seja, “parceria” com empresários, fatiamento de atletas e consequente destruição das categorias de base.

A “renovação”, proposta no nome da chapa, na verdade, trás de volta dois nomes que infelicitaram recentes gestões alvinegras, Nei Nujud e Jorge “totó” Kalil, auto-confesso “laranja” de Carla Dualib, neta do ex-presidente, além de conceder poder a André Negão, preso duas vezes em flagrante pela prática de contravenção penal ligada ao “jogo de bicho”.

finta

nujud 1

nujud 2

nujud 3

Obra de R$ 2 milhões não resiste a chuvas no Parque São Jorge

dezembro 26, 2014

psj

O Corinthians gastou, recentemente, R$ 2 milhões em reformas num dos setores sociais do Parque São Jorge.

Há quem diga que valores pagos são incompatíveis com os materiais utilizados, absolutamente inferiores ao que havia sido proposto, mas, estranhamente, tão caros quanto os top de linha do mercado.

No último final de semana, um dos quiosques cedeu às chuvas de São Paulo, destruindo parte das instalações, além de televisores, que foram infiltrados pelas goteiras, dando razão a quem reclamava do empreendimento.

O prejuízo é evidente, com o clube perdendo o que já foi gasto, tendo ainda que encontrar recursos para refazer, de maneira mais ‘transparente”, o patrimônio danificado.

Dilma avacalhou de vez com o esporte brasileiro

dezembro 26, 2014

O “Diabo” entra em campo: Edir Macedo deu tiro de misericordia na campanha de Russomanno (IURD)

Por ALBERTO MURRAY NETO

Quem me acompanha aqui sabe que eu costumo dizer que político serve para qualquer coisa, entende de tudo. Ora é Deputado, ora está cuidando da educação, pula para o transporte, aterrisa na saúde, vira Senador e assim vai.

Políticos são, em sua grande maioria, aproveitadores que não entendem de coisa alguma com profundidade e estão aí para o que der e vier, em causa própria.

Lamentável a escolha de Dilma para o Ministério do Esporte.

Esse Deputado, cujo nome, juro, lí, mas já esqueci (estou com preguiça de voltar a página para relembrar o nome do sujeito) que Dilma escolheu para a Pasta do Esporte é a avacalhação completa, a esculhambação geral do esporte no Brasil.

Isso mostra claramente que Dilma não está preocupada com a democratização do esporte, em criar uma política de Estado para segmento, de inserir a prática desportiva na grade escolar com a mesma relevância das outras disciplinas, de tratá-lo como uma questão de saúde pública e educação.

Dilma está preocupada em saldar dívidas de campanha com seus apaniguados, com sua suposta base eleitoral. Dilma terceirizou o esporte a um partidinho, cujo nome a sigla também não conheço. Dilma entregou o esporte a uma gente e disse “toma aí, façam o que quiserem. Só não se esqueçam de mim na hora de votar lá no Congresso.”

E para mais uma vez comprovar o que disse, de que político serve para qualquer coisa, o glorioso Aldo Rebelo, que já não entendia patavina de esporte e fez uma gestão elitista e desastrosa, vai agora encarregar-se da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Aldo Rebelo, a história do esportista que virou cientista.

Essa gente toda faz muito mal ao Brasil.

A Seleção do Céu em 2014

dezembro 26, 2014

céu 2014

Por JOSE RENATO SATIRO SANTIAGO

Mais um ano que se passou.

Desta vez o céu convocou uma verdadeira seleção de craques.

Para o gol, chamou o maior de todos da história Palestra Palmeiras, Oberdan Cattani.

Que dividirá a titularidade com a muralha húngara, Grosics, vice campeão mundial em 1954.

Na lateral direita, o voluntarioso Giba, campeão brasileiro em 1990.

Já na esquerda, um dos mais talentosos jogadores de toda a história, Marinho Chagas.

A dupla de zaga formada apenas por campeões mundiais, Joel Camargo e Bellini.

Já terá o grande capitão para levantar a Taça.

O meio campo de pura arte.

A Pantera Negra, Eusébio.

Junto com ele, o para sempre colorado, Fernandão.

Fechando a linha, o grande Assis.

E se tem ele, tem Washington, o Casal 20 está junto.

Ao lado dele, um dos maiores jogadores da história, o argentino Di Stefano.

Que formará dupla avançada com outro internacional, Yeso Amalfi.

O técnico desta seleção o competente Mário Travaglini.

Sob a assessoria de outra grande profissional, Lori Sandri.

O jogo será tão importante, que até mesmo o árbitro foi escalado, Armando Marques.

Um jogaço que será narrado por Luciano do Valle.

Comentado por Osmar de Oliveira e Roberto Porto.

Em um programa que será apresentado por Maurício Torres.

Pois é, o céu levou muitos dos melhores.

Que jogo será esse!!!


%d blogueiros gostam disto: