Anúncios

Archive for novembro \30\UTC 2015

Bola de Ouro: Neymar concorre, é zebra, mas merece ganhar

novembro 30, 2015

neymar ajoelhado

A FIFA definiu os três jogadores que concorrerão ao prêmio de Melhor Jogador do Mundo de 2015.

Dois, óbvios, Messi e Cristiano Ronaldo.

O terceiro, enfim, Neymar.

Dos três, Messi, disparado, ainda é o melhor.

Porém, diferentemente de muitos, este jornalista já considera Neymar (e alguns outros não nomeados) melhor do que Cristiano Ronaldo.

O brasileiro é zebra numa disputa que tem tudo para premiar, mais uma vez, o fenômeno argentino, mas, levando-se em consideração o ano de 2015 (período de avaliação dos candidatos), Neymar superou a ambos os concorrentes.

Ou seja, em sendo vitorioso, apesar de surpreendente, o prêmio estaria justificado.

Anúncios

Conheça detalhes da dívida do Corinthians com o BNDES

novembro 30, 2015

Fielzão: Corinthians terá que tomar R$ 70 milhões emprestados para pagar juros de acordos não honrados

O Corinthians, por intermédio da CAIXA, conseguiu tomar R$ 400 milhões emprestados com o BNDES para finalizar as obras do “Fielzão”.

Além destes, outros R$ 400 milhões foram facilitados (em forma de debentures) pela ODEBRECHT (por intermédio da OPI. uma das empresas do grupo), em condições (taxas) absolutamente desfavoráveis, sem qualquer garantia de recebimento.

O restante dos valores é creditado às isenções de impostos e certificados (CIDs) da Prefeitura.

Tivemos acesso, recentemente, ao contrato de intermediação da CAIXA, com anuência do Corinthians e demais parceiros, utilizado como garantia de pagamento ao empréstimo do BNDES.

Abaixo, as condições e os valores a serem pagos pelo clube:

Os R$ 400 milhões terão que ser quitados em 155 meses.

A correção será efetuada pela TJLP (Taxa de Juros a Longo Prazo) do Banco Central (que, atualmente, corresponde a 7% ao ano ou 0,875% ao mês), acrescidos doutros 3,5% anuais.

Os valores são mais caros do que os inicialmente tratados porque em vez de remunerar apenas o BNDES o clube terá que pagar também à CAIXA, por não possuir garantias bancárias exigidas pelo primeiro, estas, asseguradas, digamos, com mais flexibilidade, pelo segundo.

Então, a parcela, sem juros, que custaria R$ 2,5 milhões mensais, no sistema acordado entre CAIXA, BNDES, Corinthians e FUNDO gestor do estádio, pelos índices atuais, giraria, pela média, em torno de R$ 4,7 milhões.

R$ 732 milhões, aproximadamente, poderá ser o preço final (se não houver atrasos e renegociações) a ser pago pelo Corinthians aos cofres públicos, acrescidos doutras parcelas, de valores acima de R$ 5 milhões, para sanear a dívida com os empréstimos tomados pela ODEBRECHT.

Ou seja, o clube, que desde o balanço de 2007 nunca conseguiu dinheiro suficiente para diminuir suas dívidas habituais, terá que dispor, mensalmente, de montante superior a R$ 10 milhões, sem que, para tal, deixe de montar equipes competitivas nem feche as portas do Parque São Jorge.

bndes 1

EM TEMPO: os efeitos de todas as pendências descritas serão sentidos somente na próxima gestão alvinegra, em 2018, período de término da carência acertada com as instituições. Ou seja, se os atuais dirigentes não agirem com responsabilidade, a bola de neve, que já não é pequena, tomará proporções inimagináveis.

Comentaristas da SPORTV teriam utilizado “laranja” para tentar comprar equipe de São Paulo

novembro 30, 2015

luis ademar e edinho

Os comentaristas da SPORTV, Edinho (ex-jogador da Seleção Brasileira) e Luis Ademar (presidente da ACEESP), teriam tentando, há alguns meses, comprar a equipe paulista do Guaratinguetá, por intermédio de Nenê, ex-jogador da equipe.

Tivemos acesso à troca de mensagens entre o suposto “laranja” e o atual proprietário do clube (que acumula o cargo de treinador), João Telê, que confirmou a operação:

“O Nenê ofertou o dobro do que paguei pela equipe, disse que o dinheiro era de investidores que estariam interessados em negociar jogadores.”.

“No meio da negociação, o Nenê abriu quem eram as pessoas por trás da proposta: o Luis Ademar e o Edinho, os caras da SPORTV, que, você bem sabe, é empresário de atletas.”.

“O Luis Ademar, depois que recusei-me a vender o clube, passou a me atacar, gratuitamente, com raiva do negócio ter furado, e depois, ainda mais, quando você denunciou a extorsão que o site “Futebol Interior” fez comigo. Ele tem raiva porque você não tem medo nem bajula a ACEESP.”

A denúncia é grave (além do testemunho, há a confirmação, em mensagem, de Nenê) e precisa ser verificada, o mais rapidamente possível, tanto pela SPORTV, sob risco da evidente perda de credibilidade do canal, quanto pela ACEESP, que, em tese, deveria defender os preceitos éticos e morais do jornalismo.

O jeito Tite de ser

novembro 30, 2015

tite (1)

Por RODRIGO VIANA

Galvão Bueno entrevistou Tite agora no Esporte Espetacular. Bela entrevista, humana, técnica, completa.

Em 2011, marquei com Tite e seu assessor, meu irmao Luciano Signorini, uma entrevista no prédio dele, perto do Parque São Jorge.

Tite desceu um pouco atrasado. Tinha que ir no Bem Amigos, do Galvão, logo depois. Eu disse a ele: “comandante, vai lá, minha entrevista é gravada, a gente faz outro dia”.

Lembro como se fosse hoje da resposta e tenho o Matheus, filho dele, o assistente e o cinegrafista do SBT na época, de testemunhas:

“Eu atrasei e marquei com você, Rodrigo. Fique o tempo que quiser, o outro programa espera. O atraso foi meu”.

Mancha Verde proíbe torcedores com camisa do Palmeiras em setor da Arena Palestra

novembro 30, 2015

vitor hallack

Ontem, na Arena Palestra, a facção criminosa Mancha Verde, que se diz composta por torcedores do Palmeiras, mais uma vez deu mostras de não respeitar o clube e demais cidadãos.

Em rede social, o torcedor Vitor Hallak, reclamou:

“(…) ontem eu fui assistir Palmeiras 0x2 Coritiba. comprei o meu ingresso em um ótimo lugar, próximo à torcida vibrante e com uma boa visibilidade do campo. procurei o meu lugar (…) no entanto, ao entrar pelo acesso ao setor, integrantes da Mancha Verde não deixaram eu entrar no setor por eu não estar vestindo branco, a cor do uniforme deles”.

“(…) eu estava com uma camiseta prateada, mas, se eu tivesse com uma camisa verde, a cor principal do Palmeiras, também me barrariam e me mandariam p/ um outro setor.”.

“(…) eles não usam o uniforme do Palmeiras! Eu iria cantar, como qualquer um deles, mesmo sem pertencer à organizada.”

“Qual é o direito deles fazerem isso? O estádio é deles? Por que o uniforme deles é que determina e não o do Palmeiras?”

“E depois dizem que não querem privilégios…”

O blog complementaria: a diretoria do Palmeiras, e também da WTorre, gestora da Arena, que, por razões óbvias, conhecem a triste prática dos “organizados”, por que permite, sem punição, esse tipo de barbaridade ?

Muricy Ramalho tenta penhorar premiação do Santos na Copa do Brasil. Justiça nega

novembro 30, 2015

muricyramalho

Na última terça-feira (24), a 8ª Vara Civil de Santos indeferiu pedido de penhora do treinador Muricy Ramalho contra o Santos, que lhe deve, entre salários e outros créditos, mais de R$ 1,5 milhão.

Muricy pretendia bloquear os valores que a CBF pagaria ao clube pela conquista ou vice-campeonato da Copa do Brasil.

O juíz Dario Gayoso Júnior fundamentou a decisão numa liminar, vigente, que impediu o treinador de interceder junto à premiação da FPF ao Peixe pela conquista do Paulistinha.

A ação segue em curso, e Muricy, tudo indica, mesmo com ganho de causa, terá dificuldades para executar o alvinegro praiano.

Metrô terá que indenizar torcedor palmeirense agredido por “organizados” que se dizem corinthianos

novembro 30, 2015

metrô

Recentemente, o torcedor palmeirense Elton de Almeida Carvalho, enquanto sentado no vagão do Metrô, em São Paulo, foi abordado por quatro marginais que se diziam corinthianos e vestiam roupas de torcidas “organizadas”.

Recebeu “ordem” para que retirasse a camisa do Palmeiras, que recusou, prontamente.

Em sequência, passou, covardemente, a ser agredido.

Para resguardar seus direitos, Elton ingressou com Ação reparadora contra o Metrô, que teve sentença registrada na última semana.

O Governo terá que indenizá-lo em R$ 10 mil, por danos morais, acrescidos de R$ 3,50, preço da passagem do transporte coletivo.

Lulinha, o futebol e a wikipedia

novembro 29, 2015

andres e lulinha

O relatório da Polícia Federal sobre a atuação de Luis Claudio da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente Lula, sobre os suspeito acordo de consultoria, pelo qual recebeu R$ 2,5 milhões, é absolutamente esclarecedor.

Indica não apenas que tratava-se de uma “fachada”, espécie de golpe para beneficiar o rebento do líder petista (ou a alguém que o controlasse), como o próprio (Lulinha), na tentativa de ludibriar as investigações, apresentou aos agentes um material (que dizia ser o trabalho contratado) feita às pressas, baseado em “copia e cola” do site Wikipedia.

A grande dúvida é: fosse outro brasileiro qualquer, citado em relatório que indica corrupção e obstrução de justiça, estaria fora da cadeia ?

Mas a PF sabe ainda mais sobre Lulinha.

Não foi a toa que, recém formado em Educação Física, conseguiu, por razões óbvias e nada meritórias, estagiar num dos principais clubes do país, o Corinthians, e receber R$ 400 mil pelo serviço.

Detalhe: Lulinha “trabalhou” por apenas seis meses, período em que foram depositados R$ 120 mil em sua conta (certamente o estagiário mais bem pago do planeta), recebendo o restante, R$ 280 mil, sem pisar no Parque São Jorge.

O responsável por contratação e pagamentos foi o deputado Andres Sanches (PT), que há anos trata o caixa do Corinthians como se fosse a ORION Embalagens, uma de suas empresas comprovadamente, segundo a Receita Federal, de fachada.

A proximidade era tanta que em meio ao período de trabalho o então presidente alvinegro pegava Lulinha pela mão e saia para curtir a balada, conforme publicamos em matéria que pode ser conferida no link abaixo.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2015/07/02/andres-sanches-e-o-filho-de-lula-na-farra-da-administracao-de-futebol-do-corinthians/

Em breve a PF deverá também esmiuçar a empresa Touchdown Promoção de Eventos Esportivos Ltda, que, sigilosamente, tem negociado tornar-se a responsável por gerir o estádio do Pacaembu (que seria transformado numa praça para disputa de futebol americano).

O projeto de reforma, inclusive, já está nas mãos da Prefeitura, que é do PT, e, segundo informações, custaria algo em torno de R$ 400 milhões, sem porém, até o momento, comprovação, nem indicação, de origem dos recursos.

lula e lulinha

Desfaçatez sem limites

novembro 29, 2015

andres-marisa-gavies.jpg

Da FOLHA

Por JUCA KFOURI

“E torcedor algum bate panela para exigir que Cunha e Nero vão embora, que Azeredo seja julgado e, pior, ainda aplaude Sanchez como se fosse ele, e não Tite e seus jogadores, os responsáveis pelo hexacampeonato brasileiro.

Atribuem a Sanchez o estádio erguido pela Odebrechet graças à intermediação de Lula que, nada republicano, foi o melhor presidente corintiano.”

O PAÍS de Eduardo Cunha, de Delcídio do Amaral, de Eduardo Azeredo não cansa de chocar.

O país de Ricardo Teixeira, José Maria Marin, de Andrés Sanchez não dá trégua.

O país, em silêncio, vê Marco Polo Del Nero renunciar a seu cargo na Fifa e indicar Fernando Sarney para seu lugar.

Como Cunha, Nero quer ficar no poder que lhe resta. Não quer renunciar à CBF como Teixeira, nem ser preso como Marin.

Como Sanchez se faz de seu desafeto, embora o tenha estimulado a não renunciar na CBF, indica um Sarney para substituí-lo.

Sarney é vice-presidente da região Norte da CBF, apesar de ser do Maranhão, no Nordeste.

Seu envolvimento em escândalos faz do mensalão tucano de Azeredo coisa menor, que o diga a Operação Faktor, da Polícia Federal, em 2006 —para não falar do bloqueio, pela Suíça, de uma conta dele, não declarada ao fisco brasileiro, de US$ 13 milhões, segundo revelou esta Folha, em 2010.

A contribuição dele ao futebol é tão nenhuma que não será surpresa se a Fifa, no atual surto moralizador, vetar a indicação.

Nero brinca com a cara do Brasil assim como o senador petista Amaral.

Eles insistem, mesmo diante de todas as investigações em curso na PF e no FBI, em continuar a não respeitar um mínimo de decoro.

Quem sai aos seus não degenera, ou segue degenerado. O pai de Fernando, José Sarney, um dia escreveu nesta Folha, a pretexto de saudar a conquista do pentacampeonato mundial pela seleção brasileira, que “Ricardo Teixeira venceu a tempestade”, como se a vitória nos gramados da “família Scolari” apagasse todos os indiciamentos do cartola na CPI do Futebol um ano antes.

O ex-presidente do Brasil, cuja família fez do Maranhão um dos Estados mais miseráveis do país, precipitou-se.

Teixeira não só não venceu a tempestade como afogou-se nela.

Nero aposta na falta de memória nacional, esquecido ele mesmo do que disse, dia 9 de junho último, na Câmara Federal: “Renuncia quem tem alguma coisa errada na vida, não é? Eu não renuncio, não”.

Pois renunciou, ao menos, ao seu posto na Fifa, antes que o pusessem para fora por faltar às reuniões da entidade, já que anda com um medo que se pela de sair do país.

A exemplo do que fizeram João Havelange, na Fifa e no Comitê Olímpico Internacional, e Teixeira, na Fifa e na CBF, Nero caiu fora para se poupar de ser caído.

Se Cunha resiste com desfaçatez desmedida, se Amaral está preso como Marin, se o julgamento de Azeredo demora mais que o tempo em que o Corinthians de Sanchez ficou sem ser campeão paulista nos anos 1950/60 e 70, Nero imita Cunha e abusa da falta de vergonha, nem aí para o prejuízo que causa à imagem do futebol pentacampeão mundial, humilhado pelo 7 a 1 que a gestão Marin e dele proporcionou.

E torcedor algum bate panela para exigir que Cunha e Nero vão embora, que Azeredo seja julgado e, pior, ainda aplaude Sanchez como se fosse ele, e não Tite e seus jogadores, os responsáveis pelo hexacampeonato brasileiro.

Atribuem a Sanchez o estádio erguido pela Odebrechet graças à intermediação de Lula que, nada republicano, foi o melhor presidente corintiano.

Assessor de Kia Joorabchian e Giuliano Bertolucci trabalha para o suspeito E.C. Água Santa (Diadema)

novembro 29, 2015

agua santa

Fundado em 1981, até 2011, o E.C. Água Santa, então sediado numa modesta residência à rua Polux 66 (foto), em Diadema, era uma equipe que disputava campeonatos de várzea em São Paulo.

De repente, em 2013, dois anos após criar categorias de base, jogou seu primeiro campeonato profissional, o Paulistão da Segunda Divisão.

Meteoricamente, em crescimento inédito no futebol mundial, conquistou todos os acessos subsequentes, e disputará, em 2016, a divisão principal do futebol paulista.

Parece um conto de fadas, mas, nos bastidores, existem histórias que deveriam ser melhor investigadas.

A mais recente foi noticiada durante toda a semana: o clube não conseguiu deixar o estádio em que mandará os jogos do torneio pronto a tempo da inscrição (com o agravante de parte da arquibancada ter desmoronado), mas, benevolente, a FPF, mesmo sem checagem adequada, abriu-lhe exceção (inusual para equipes pequenas).

Pior ainda é a fama (que o blog, em seu período no cárcere escutou, digamos, de gente que se dizia ligada à facções) de servir de fachada para lavagem de dinheiro do crime organizado.

Será ?

Certo é que não causa estranheza, por exemplo, diria até ser bem adequado, que a assessoria de imprensa do clube (?) esteja sendo realizada pela TUDDO Comunicações, de propriedade do intransparente Olivério Junior.

O Água Santa junta-se a clientes interessantes da empresa, como: Kia Joorabchian, Giuliano Bertolucci, Paulo Garcia, Fernando Garcia e sua Elenko Sports, Sindicato de Atletas Profissionais, Joaquim Grava e demais personalidades.

oliverio e kia

Contagem regressiva

novembro 29, 2015

lula preso

R$ 9 milhões: gestora do “fielzão” decide dobrar comissão a ser paga (pelo Corinthians) à ODEBRECHT

novembro 28, 2015

andreslula

Em 05 de julho, publicamos detalhes da Ata de reunião da empresa Arena Itaquera S/A, realizada em abril, uma das gestoras do “Fielzão”, comprovando que a Odebrecht, através da OPI (Odebrecht Participação e Investimentos) que havia emitido R$ 400 milhões em debentures (empréstimos), sob responsabilidade do Corinthians, aceitou prorrogar o prazo de início do pagamento para 17 de novembro de 2018.

Ou seja, retirou da atual gestão alvinegra, repassando à posterior.

Sem contar os juros (de uma dívida a ser paga à própria Odebrecht), as parcelas (13 no total) custariam R$ 30 milhões, cada, assim divididas (com as respectivas taxas de correção):

– 0,85% para as parcelas 01,02,03 e 04;

– 1,60% para as parcelas 05,06,07 e 08;

– 2,50% para as parcelas 09, 10, 11 e 12;

– parcela 13 paga pelo valor unitário (restante).

Outro “pulo do gato”, discriminado na ata, diz, textualmente:

“(…) retificar o valor do comissionamento devido à Odebrecht Participações e Investimentos S.A. (“OPI”) pelos trabalhos de estruturação da Emissão e pela prestação de garantia firme de subscrição das Debêntures, nos termos previstos no Segundo Aditamento;

(…) criação de Comissionamento Adicional: será devido pela Emissora à OPI uma remuneração adicional, a ser paga anualmente, em decorrência da manutenção das Debêntures pela OPI, a partir do ano de 2016 (inclusive) e até a Data de Vencimento, nos termos previstos no Segundo Aditamento.”

Além dos juros descritos, portanto, a ODEBRECHT aprovou um comissionamento extra (de valores não revelados, até então) que começa a ser quitado no próximo ano.

Vale lembrar que o clube está sendo representado, no negócio, pelo ex-presidente Andres Sanches, e a Odebrecht pelo executivo Alexandrino Alencar (preso na Operação Lava-Jato), sem oposição da diretoria, que sequer envia representantes, apenas aceita, e paga, o que é acordado entre os cotistas.

A “RETIFICAÇÃO” E O COMISSIONAMENTO ANUAL

duilio sanches gobbi roberto

Tivemos acesso, durante a semana, aos valores, ocultados na primeira reunião, mas explicitados, em detalhes, num documento de aditamento ao que rege a referida emissão dos R$ 400 milhões em debentures realizada pela Odebrecht.

Nele, por exemplo, decidiu-se, sem justificativa plausível (fala-se em equívoco), aumentar a comissão da OPI, responsável pelo empréstimo, de R$ 4,3 milhões para R$ 9 milhões, ou seja, mais do que o dobro do previsto anteriormente.

Confira o que diz a clausula terceira:

CLÁUSULA TERCEIRA – COMISSIONAMENTO, COMISSIONAMENTO ANUAL E ALTERAÇÃO DA ESPÉCIE DAS DEBÊNTURES

Comissionamento.

O Comissionamento devido pelos trabalhos de estruturação da Emissão e pela prestação de garantia firme de subscrição das Debêntures foi equivocadamente estipulado na Cláusula 4.1.5. da Escritura com o valor de R$ 4.333.424,40, sendo que o acordo das Partes era que o valor do Comissionamento fosse de R$ 9.042.066,36.

Em função deste equívoco, o valor adicional de R$ 4.708.641,96 (“Valor Adicional”) será pago em até 5 Dias Úteis contados da data de assinatura do presente Aditamento.

No prazo de até 5 dias úteis da contados do recebimento integral do Valor Adicional pela OPI, a OPI obriga-se a emitir, em favor da Emissora, um recibo de quitação, atestando o integral pagamento pela Emissora do Valor Adicional.

3.2. Comissionamento Anual.

Adicionalmente ao Comissionamento acima descrito, a partir do ano de 2016 (inclusive) e até a Data de Vencimento das Debêntures, será devida pela Emissora à OPI uma remuneração adicional, a ser paga anualmente, em decorrência da manutenção das Debêntures pela OPI (“Comissionamento Anual”).

O Comissionamento Anual corresponderá ao montante de todos os custos e despesas projetados pela OPI para desembolso no ano imediatamente em questão, no âmbito da 1ª (primeira) emissão pública de debêntures simples, não conversíveis em ações, em série única, da espécie quirografária, para distribuição pública com esforços restritos, da Odebrecht Participações e Investimentos S.A., objeto do “Instrumento Particular de Escritura da 1ª (Primeira) Emissão Pública de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, em Série Única, da Espécie Quirografária, para Distribuição Pública com Esforços Restritos, da Odebrecht Participações e Investimentos S.A.” datado de 15/12/2014 (“Escritura de Debêntures da OPI”), incluindo, sem limitação, a taxa de custódia das debêntures pela CETIP, o pagamento da remuneração do agente fiduciário, do banco mandatário, da agência de rating e dos demais prestadores de serviços relacionados à Escritura de Debêntures da OPI, o pagamento e/ou reembolso de despesas pelo agente fiduciário, entre outros.

3.2.2. O pagamento do Comissionamento Anual deverá ser realizado no último Dia Útil do mês de janeiro do respectivo ano, com base nos custos e despesas descritos na cláusula 3.2 acima, estimados para serem incorridos no ano em questão, nos termos de planilha de cálculos e despesas apresentada pela OPI à Emissora. Para tanto, a OPI deverá apresentar à Emissora uma planilha de custos e despesas estimadas para o respectivo ano com, no mínimo, 5 Dias Úteis de antecedência.

3.2.3. Eventuais diferenças, a maior ou a menor, entre os custos e despesas efetivamente incorridos em um determinado ano em relação aos custos estimados para tal ano deverão ser contempladas na planilha de custos e despesas do ano imediatamente subsequente ou, no caso do último ano de vigência das Debêntures, deverão ser pagas ou reembolsadas na Data de Vencimento. 3.2.3.

No prazo de até 5 Dias Úteis contados do recebimento integral de cada parcela do Comissionamento Anual, a OPI obriga-se a emitir, em favor da Emissora, um recibo de quitação, atestando o integral pagamento pela Emissora da respectiva parcela do Comissionamento Anual.

3.3. Alteração da espécie das Debêntures. As Partes resolvem alterar a espécie das Debêntures, de quirografária para da espécie com garantia real, tendo em vista que os Contratos de Garantia (conforme definido acima) garantirão o cumprimento pela Emissora das obrigações assumidas no âmbito da Escritura a diretoria, que sequer envia representantes, apenas aceita, e paga, o que é acordado entre os cotistas.

arena ata 3

TCM encontra “mais de uma centena” de problema em calçadas do entorno da Arena Palestra. Palmeiras será multado

novembro 28, 2015

wtorre.jpg

Memorando nº 357/2015 do Tribunal de Contas do Município, assinado pelo conselheiro Domingos Dissei, endereçado ao Presidente da casa, conselheiro Roberto Braguim, dá conta do péssimo estado de conservação das calçadas no entorno da Arena Palestra.

Pede-se detalhamento sobre aplicações de sanções aos responsáveis (Palmeiras e WTorre), com reclamação, também, à conduta da Sub-Prefeitura da Lapa:

“Considerando que a Subprefeitura da Lapa informou apenas um auto de infração, quando foram elencados mais de uma centena de problemas num raio de 500m da Allianz Parque;”

“Determino: 1 – Sejam reiterados os ofícios à Subprefeitura da Lapa para que: 1.1 – Informe os números dos Autos de Multas emitidos, assim como, a data do seu edital de publicação; 1.2 – Informe a respeito do andamento de possíveis obras que estejam sendo executadas nas áreas indicadas;”.

Andres Sanches tenta manobra jurídica para escapar de julgamento, mas se dá mal

novembro 28, 2015

Andres laranja

Há tempos o Blog do Paulinho vem noticiando detalhes de um processo movido pelas Sras. Eliane Souza Cunha e Nilda Maria da Cunha, que, segundo relatório da Receita Federal, foram utilizadas como “laranjas” pelo agora Deputado Federal Andres Sanches (PT) e alguns de seus familiares, num golpe que teria lesado fornecedores e instituições financeiras.

Uma espécie de “arara” que arrecadou, a princípio, R$ 60 milhões.

O fato veio à tona após as reclamantes, ex-funcionárias do grupo de Sanches (que sugerem coação no ato da cooptação), terem sido abandonadas à deriva em meio às ações movidas pelos prejudicados, perdendo os poucos bens que possuíam (entre os quais uma humilde residência).

Municiadas de farto material comprobatório, entre os quais procuração que dava a Andres Sanches plenos poderes nas movimentações bancárias da ORION EMBALAGENS (objeto da contenda), Eliane e Nilda pedem indenização de R$ 3,4 milhões.

E foi justamente este documento (a procuração) que os advogados do deputado tentaram anular judicialmente, mas fracassaram.

Confira abaixo despacho da juíza Glaucia Lacerda Mansutti, negando o pedido e dando sequencia ao processo:

“Deixo de designar audiência de tentativa de conciliação, eis que, há muito, a audiência prevista no artigo 331, do CPC, deixou de ser obrigatória, transformando-se em faculdade do juiz. E, no caso em tela, a parte ré manifestou desinteresse na conciliação, razão pela qual não vislumbro, de plano, possibilidade de acordo; assim, designação inócua só retardaria a solução do feito. Ademais, nada impede a conciliação a qualquer tempo, extrajudicialmente, ou, até, na audiência de instrução, antes da colheita das provas orais.

Rejeito as preliminares arguidas pelas corrés Isabel Sanchez Oller e Itaiara Pasotti, eis que a relação jurídica entre as partes resta evidenciada dos documentos acostados aos autos, razão pela qual, ao menos em tese, ostentam legitimidade para ocupar o polo passivo da demanda indenizatória por supostos danos materiais e morais decorrentes das respectivas atuações, como procuradora e contadora da empresa constituída pelas autoras. Questão outra, de mérito, é aquela da responsabilidade que está sendo imputada àquelas corrés.

Reconheço, todavia, de ofício, a ilegitimidade ativa para o pedido declaratório de nulidade da procuração outorgada aos corréus Andres Navarro Sanchez, Isabel Sanchez Oller e José Sanchez Oller(fls.465/467), porque o foi pela empresa “Orion Embalagens Ltda” e não pelas autoras que, neste caso, não podem pleitear, em nome próprio, direito alheio(art.6º, CPC), valendo anotar, ainda, que a empresa foi extinta, em 2007, conforme documentos de baixa de fls.18/20.

No mais, as partes são legítimas e o pedido indenizatório é juridicamente possível.

Estão presentes os pressupostos de constituição e desenvolvimento válidos do processo, bem como as condições da ação, razão pela qual dou o feito por saneado.

Defiro, às partes, a produção de prova documental e oral consubstanciada na oitiva de testemunhas tempestivamente arroladas.

Fixo, como pontos controvertidos, o ilícito imputado aos corréus, os danos materiais e morais suportados pelas autoras e o nexo causal entre eles.”

Sobre Pimenta Neves

novembro 28, 2015

pimenta

Por Dr. JOSÉ MINDLIN*

Conheço Antônio Pimenta Neves, e somos amigos há mais de 40 anos, acompanhando desde então sua vida e sua carreira.

Quer como jornalista em São Paulo, quer como correspondente de “O Estado de S. Paulo” em Washington, ou quando lá assumiu funções de grande responsabilidade no Banco Mundial, Pimenta Neves sempre agiu com a maior seriedade e competência. Graças a isso, foi dos poucos jornalistas brasileiros a granjear amizade e respeito nos altos escalões da administração brasileira e americana. Visitei-o várias vezes em sua casa em Washington, ali também constatando um ambiente familiar normal, de bom entendimento e muita simpatia.

Quando voltou a viver em São Paulo, retomou suas atividades jornalísticas, sempre revelando sua grande competência e integridade.

Nossa amizade se manteve sempre cordial, e continua a existir. Todos nós seus amigos lamentamos a tragédia em que se envolveu, assim como lamentamos a perda de uma vida, mas só podemos atribuir seu ato a um grave processo de perturbação mental, pois foi inteiramente contrário ao espírito ponderado e ao seu procedimento correto que sempre o caracterizou.

* JOSÉ MINDLIN é empresário, intelectual, escritor, bibliófilo, membro da Academia Brasileira de Letras, presidente do Conselho Editorial do jornal O Estado de S.Paulo.


%d blogueiros gostam disto: