Archive for abril \30\UTC 2016

Em 2015, Corinthians tomou R$ 84 milhões em empréstimos. Inclusive do arquiteto da Arena

abril 30, 2016

andré negão e andres sanches

Impressionam, mais uma vez, os valores que o Corinthians precisou tomar emprestado para fechar as contas em 2015.

R$ 84.049.000,00

Causam espécie, também, as fontes originárias dos recursos.

O clube pegou R$ 8.528.000,00 do arquiteto Anibal Coutinho (responsável por desenhar a Arena em Itaquera), a juros de 0,8% ao mês+IGPM, que, em tese, deveria receber pelo serviço prestado no estádio, não por agiotagem.

Se em 2014 coube ao empresário Fernando Garcia emprestar dinheiro ao Timão, em 2015 surge novamente a figura de Carlos Leite, ligado a Kia Joorabchian.

Foram R$ 5 milhões tomados do agente, a custo e 1,94% ao mês.

Entre os bancos, novamente o BMG – o banco do Mensalão, fez a alegria dos dirigentes alvinegros (fala-se que há retorno sobre valores emprestados), com dois empréstimos:

R$ 30.151.000,00 e R$ 18.980.000,00, a extorsivos 1,86% ao mês.

Fecham a lista:

Bradesco, com R$ 3.728.000,00 (CDI+0,6%); Itaú, com R$ 11.499.000,00 (CDI+1,06%); CAIXA, com R$ 134 mil (CDI+0,60%); BIC Banco, com R$ 6.029.000,00 (1,45%).

Para se ter idéia do agravamento da situação financeira alvinegra, tirante os novos empréstimos relatados, na casa dos R$ 84 milhões, somente em juros de negociações bancárias (ou com terceiros) anteriores, o Corinthians pagou, em 2015, impressionantes R$ 33.479.000,00.

Sendo que parcelou, também, com TIMEMANIA E PROFUT, outros R$ 184.822.000,00 (a juros menores), em impostos não pagos pela atual administração.

Não por acaso, a nova auditora das contas do Corinthians, a Parker Randall Brasil, diferentemente do Conselho Fiscal, CORI e Conselho, que aprovaram sorrindo as pendências, colocaram algumas anotações importantes:

  • o valor do estádio, antes tratado como R$ 985 milhões, depreciou-se para atuais R$ 857,3 milhões (perda de mais de R$ 100 milhões).
  • ressalvou nas contas da Arena o fato de não ter em mãos relatório da CVM para analisar algumas operações
  • ressalvou, também, a falta de comprovação adequada para operações financeiras do Corinthians com: SOCOPA administração Clube Investimentos, Banco do Brasil, Banco Paulista e o referido empréstimo tomado do arquiteto Anibal Coutinho.

Corinthians recebeu R$ 51,9 milhões em vendas de atletas, mas ficou só com R$ 17,6 milhões

abril 30, 2016

andres-taxinha-2013_03_07-19_30_38-UTC.jpg

Números revelados pelo balanço do Corinthians demonstram, claramente, os equívocos da gestão no departamento de futebol alvinegro.

Em 2015, o Corinthians recebeu R$ 51.932.000,00, provenientes de negociações de atletas.

Destes, ficou com apenas R$ 17.685.000,00.

Escandalosos R$ 34.247.000,00 foram pagos a titulo de comissões ou cessões de direitos a terceiros.

No caso de Alexandre Pato, por exemplo, o balanço já considera dinheiro perdido.

O documento diz que se vendesse o jogador em 2014, o clube teria direito a receber R$ 21.192.000,00, mas, em 2015, o valor considerado é “zero”.

Estratégia de remunerar “organizada” demonstra baixo nível da cartolagem Tricolor

abril 30, 2016

leco e abilio

Recentemente, o presidente do São Paulo, Leco, deixou escapar, em entrevista, que “ajuda” financeiramente as “organizadas” do clube, formadas, quando não por bandidos, por gente que não se constrange em com eles conviver.

O objetivo, evidente, é ter essa gente aliada em momentos de conflitos (políticos).

Do outro lado, descobriu-se, esta semana, que o empresário Abílio Diniz, cada vez mais atuante como oposicionista, também remunerou essa bandidagem.

Com qual objetivo ?

Os mesmos, óbvios, daqueles que vem combatendo em discurso, mas, lamentavelmente, igualando-se em procedimentos equivocados.

Não é a toa que o São Paulo, há tempos, não se acerta na administração, seja com situação ou oposição.

Recorrer a esse tipo de subterfúgio, que amarra o clube aos desejos de gente que importa-se apenas com a própria facção, é recurso de quem parece estar mais em busca do poder (ou de nele se manter) do que no objetivo de trabalhar a favor do Tricolor.

Relembre porque Alan Mineiro foi contratado pelo Corinthians

abril 30, 2016

alan mineiro

Dez entre dez torcedores do Corinthians, em discussões sobre futebol, tem reclamado do baixo nível de algumas contratações do clube.

O nome mais citado, porém, é o do atacante Alan Mineiro.

Jogador de baixíssimo nível técnico.

Mineiro foi contratado por indicação do Ministro Edinho Silva (PT), parceiro de Andres Sanches, ambos investigados na Operação Lava-Jato da Polícia Federal, e também pelo TSE, por desvios de conduta (e dinheiro), nas eleições de 2014.

Relembre lendo matéria que publicamos em dezembro de 2015:

Negócio no Corinthians envolve dois conselheiros, um ex-presidente e um ministro do Governo

nilza, edinho e andres 2

O Corinthians anunciou a contratação do atacante Alan Mineiro (27), do Bragantino, por R$ 1 milhão.

A negociação, porém, é nebulosa.

Em setembro, o acordo já havia sido fechado, por empréstimo, sem custos para o Timão, em reciprocidade sobre a decantada parceria entre o clube de Parque São Jorge e a equipe interiorana de São Paulo.

Porém, nas últimas semanas, tudo mudou.

O ex-presidente do Corinthians, Andres Sanches, ao perceber que Mineiro era oriundo da Ferroviária de Araraquara, clube dominado pelo Ministro Edinho Silva (PT), com quem mantém estreito relacionamento, tratou logo de modificar a negociação.

Em vez de empréstimo, a transação se transformou em aquisição definitiva.

Para viabilizá-lo, sem que suspeitas fossem levantadas, Sanches recorreu ao conselheiro alvinegro, Fernando Garcia (irmão de Paulo Garcia, dono da Kalunga, também conselheiro), que inseriu o atleta na ART SPORTS, empresa preposta da ELENKO, em que inscreveu, recentemente, o atacante Malcon.

A ART é gerenciada por Nilson Moura, outro conselheiro alvinegro do grupo “Renovação e Transparência”.

Ambos, pelo estatuto do clube, impossibilitados de realizar transações no Parque São Jorge.

Foi através deles que Edinho Silva, investigado pelo MPF e também TSE por suspeita, enquanto tesoureiro de campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), de operar o que seria uma espécie de “caixa 2” de diversas campanha do partido, entre as quais a de Andres Sanches (também investigado), recebeu o valor de R$ 1 milhão (pagos pelo Corinthians), cedendo os direitos do jogador aos referidos empresários.

Futebol brasileiro na UTI

abril 30, 2016

botafogo torcedor

Botafogo vs. Coruripe, pela Copa do Brasil, segundo torneio mais importante do país, meio mais fácil de se classificar à Libertadores da América.

Público pagante: 211
Público total: 261
Renda: R$ 4.640,00

Triste, trágico, mas absolutamente esclarecedor.

Coluna do Fiori

abril 30, 2016

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“A vida só pode ser compreendida em retrospecto. No entanto, deve ser vivida olhando para frente”

Soren Kierkegaard – foi um filósofo e teólogo dinamarquês


1

Ao lado do poder

Sim! Este foi e continua sendo o caminhar do atual e nada leal Sergio Correia da Silva, presidente da Comissão Nacional dos Árbitros de Futebol – CONAF, vez que, para atingir seus objetivos e permanecer no patamar por ele considerado superior, costuma acender velas Pra DEUS, Pro Diabo e Pro Talvez, para Sérgio, o importante é ocupar a cadeira

Rememoro

Para sustentar meu ponto, relembro que quando na presidência do SAFESP, Sérgio Correia da Silva teve algumas desavenças com Marco Polo Del Nero, presidente da FPF, como também, com Arthur Alves Junior, então, principal componente da CEA-FPF

Cooperativa

Nem Sérgio, nem Arthur, nem Silas Santana, queriam melhorar as condições financeiras e de trabalho para os árbitros inscritos no quadro da CEA-FPF. Da união Del Nero, Arthur e Silas Santana; surgiu a COAFESP

Descontos

Com o nascimento da COAFESP, explicitamente incentivada por Del Nero, os árbitros foram coagidos a pagar mensalidades para as duas entidades

Farinhas do mesmo saco

Tempos depois, como de habito, o intragável Sérgio Correia da Silva pediu penico para Del Nero, este fato o sustenta no topo da administração da arbitragem do futebol brasileiro

Limpeza

Por estas e varias outras situações, desde os tempos em que arbitrava, trombava com todo tipo de safadeza. No hoje a coisa piorou e muito, para amenizar é Urgente que tenhamos a Operação Lava Jato no futebol brasileiro

—————————————————————————

Semifinal da Série A1 do Paulistão 2016

Sábado 23/04

Corinthians 2 x 2 Audax – No tempo normal

Decisão por pênaltis:

Corinthians 1 x 4 Audax

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto

Assistente 01: Rogério Pablos Zanardo

Daniel Paulo Ziolli

Quarto Árbitro: Vinicius Furlan

Item Técnico

Nos poucos lances em que necessitou demonstrar ter condições de interpretar as leis do jogo, não inventou; agiu com normalidade

Item Disciplinar

Cochilou

A advertência com cartão amarelo para o corintiano Elias, após ter praticado falta, corretamente sinalizada, ficou barato, merecia o vermelho

Válido

O cartão amarelo para o corintiano Bruno Henrique, quanto para seus oponentes Cidão e Yuri, foram corretamente aplicados

Resumo

Salvo o lance da não expulsão do corintiano Elias, acima relatado, como também, o excesso de dialogar com os litigantes; Thiago Duarte Peixoto melhorou e muito no item postura em comparação as vezes que o vi arbitrar, ao menos desta vez, deixou de lado a presumível arrogância, como também, as encenações superteatrais

Movimentação

Foi correta, sem aquela bazófia de dominação

Domingo 25/04

Santos 2 x 2 Palmeiras – No tempo normal

Decisão por pênaltis:

Santos 3 x 2 Palmeiras

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Assistente 01: Anderson José de Moraes Coelho

Assistente 02: Alex Ang Ribeiro

Quarto Árbitro: Adriano de Assis Miranda

Item Técnico

Errou

E feio por deixar de marcar a irrefutável penalidade máxima cometida por Vitor Hugo, defensor palmeirense, no momento que, mesmo sem intenção, levantou uma das pernas e imprudentemente, mesmo levemente, atingiu o rosto do santista Gustavo Henrique

Ressaltando

No lance acima descrito, o árbitro estava próximo, com total visão do ocorrido

Item Disciplinar

Foi conivente com a indisciplina do atacante santista Gabigol, vez que, o jovem atleta, possivelmente, supermimado, fica irritado quando, combatido legalmente, esquecendo que o futebol é esporte de contato; neste evento, este fato, aconteceu por uma ou duas vezes

Cartão amarelo: 03 para santistas, dentre estes Gabigol, ficou barato pelo repetir de ações de rebeldia – 07 para palmeirenses; dentre estes, Alessandro, não mereceu

Observação

O triunfo santista obstou provável e coerente reclamação quando da não marcação da penalidade máxima

—————————————————————————

Escala do árbitro, assistentes e quarto árbitro referente à primeira das duas contendas finais da Série A1 do Paulistão 2016

Domingo 01/05

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza

Assistente 01: Herman Brumel Vani

Quarto Árbitro: Salim Fende Chaves

Nota

Tomando por base as contendas transmitidas pela TV, observei que Flavio Rodrigues de Souza, transmitiu ter bom potencial para o exercício da atividade, no entanto, em nenhuma, ocorreram lances que colocasse em duvida seus conhecimentos teóricos e práticos sobre as leis do jogo

Sendo assim

Até que encare refrega que tenha fortes disputas tanto no item técnico quanto no disciplinar, coloco Flavio Rodrigues de Sousa no nível intermediário da arbitragem paulista

—————————————————————————

Copa Libertadores da América – 2016

Quinta Feira 28/04

São Paulo 4 x 0 TOLUCA (MEX)

Árbitro: Jonhatan Fuentes (URY)

Itens Técnico/Disciplinar

Aceitável

——————————————————————–

Política

CBF - os ratos dividem o mesmo queijo

O carcará e o ratinho

O sobrenome Calheiros tornou-se notório no noticiário policial dos telejornais no começo dos anos 1980, mercê do conflito sanguinário iniciado com a morte de Henrique Omena, cabo violento da truculenta PM alagoana. O prenome Renan, em homenagem ao grande historiador francês das origens do cristianismo, ganhou mais notoriedade ainda depois que os tiroteios cessaram, talvez, que sabe, por escassez de vivos a tocaiar.

Tudo isso se passou à sombra do alagoano nascido no Rio de Janeiro Fernando Affonso Collor de Mello, quando este, dito “Carcará Sanguinolento”, foi eleito presidente da República no fim daquele mesmo decênio. Tendo o já então ex-chefe sido deposto, contudo, o antigo faz-tudo estava fora do bando, servindo a outras bandas da política pelas mãos de Zé de Ribamar, dito Sarney, maestro da velha UDN, da Arena da ditadura e do PMDB da resistência. E lá foi Renan ser ministro da Justiça do tucano Fernando Henrique Cardoso e presidente do Senado pelo PMDB, na base de apoio de Lula e Dilma Rousseff, aos quais serviu com astúcia, eficiência e sucesso. Teve de renunciar à presidência do Senado, ao protagonizar escândalo em que foi acusado de receber propina de empreiteira para sustentar uma filha e a mãe dela numa relação fora do casamento. Mas ele voltou por cima e neste momento preside o julgamento do impeachment da quase ex-presidente Dilma, posando de varão de Plutarco, mesmo assentado em nove processos sob a égide do procurador-geral da República, Rodrigo Janot – cuja recondução ao cargo foi providenciada por ele no Senado – e do Supremo Tribunal Federal (STF). Não é pouco, mas até agora não lhe causou grande mossa. Afinal, Dilma, alvo do rumoroso processo, ainda hoje trata como inimigo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do mesmo partido de Renan e como ele egresso da base governista. Ainda que a Casa tenha decidido por acachapante votação mandar o processo direto para o colo do solícito anjo da guarda das pretensões de permanência da madama chefona.

Faz tempo que o rebento dos Calheiros, acusados de terem mandado matar o advogado e político Tobias Granja, está a merecer o título de Carcará Sanguinolento. Pois viu o ex-patrão reduzir-se a insignificante ratinho domesticado. De posse da paróquia de São Gregório, por ter consagrado no Congresso a prática de perder mais tempo discutindo prazos do que se inteirando de acusações e provas, fazendo-o vassalo do calendário gregoriano, tornou-se o grande Inquisidor. Em suas mãos repousa o poder de acender a fogueira para incinerar o desastrado desgoverno dilmolulopetiista. Foi assim que o pai do atual governador de Alagoas, chamado de Renan Filho como convém numa oligarquia nordestina, e eleito sob a sombra paterna e em pleno gozo da herança de abundância da água fresca até no sertão, tornou-se o negociador-mor da República. “O diálogo”, diz ele, “fortalece a democracia”. Renan não é definitivamente um fofo?

Em vez de se ater a fatos e a autos, Sua Excelência passeia pelo Eixo Monumental de Brasília a se reunir com gregos e baianos para produzir o consenso da paz dos cemitérios, em que se enterram empregos e negócios, também denominador comum do qual ele espera tirar proveito político. Principalmente uma anistia por serviços prestados em todos os delitos dos quais é acusado. Renan não privilegiou lado algum: conversou com a presidente prestes a ser processada, com o vice-presidente pronto para ser empossado e com o colega do clã de São João del Rey, na Minas histórica, que ora preside o tucanato emplumado. E essa empalhada empulhação com cara de conciliação nacional na hora da crise e do pugilato teria de começar por um colega de prontuários. O tribuno que chefia a Mesa do Congresso Nacional trocou afagos públicos com Luiz Inácio Lula da Silva. Este é apontado em nota oficial da força-tarefa da popular e impiedosa Operação Lava Jato como um dos “principais beneficiários” da roubalheira que levou a Petrobrás à lona e o Brasil às cordas. Foi o encontro do profeta da fome com o faquir da vontade de comer. Ambos, não por acaso, desejam o mesmo fim inglório para a república de Curitiba, chefiada pelo juiz que virou herói no império capitalista pelas páginas do semanário cujo nome significa o tempo todo: Time.

Da conversa de investigados pela polícia e pela Justiça escapoliram cochichos inconfidentes, como a de que Lula flertou com o desvio da Constituição representado pela antecipação de eleições. Mas foi lá mesmo para se alistar como voluntário na empreitada pacificadora de nosso moderno Bernardo de Vasconcelos no interregno entre Primeiro e Segundo Impérios, além de herdeiro de Tancredo Neves, fundador da Nova República, no enterro da ditadura militar. Pouco importa, se no dia anterior àquele em que o ex-líder sindical fumou com ele o cachimbo da paz, o ex-presidente tinha chamado os deputados federais de quadrilheiros que formaram um pelotão de fuzilamento para estraçalhar a tiros de fuzil a Constituição da República. Ensurdecido pelas balas cruzadas entre Omenas e Calheiros ou pela guerra sem quartel de coxinhas contra petralhas, o julgador-mor do destino da Nação no crítico momento presente só tem ouvidos para o bem. Só por isso não percebeu que o interlocutor e sua afilhada, objeto principal do julgamento que comanda, há muito abandonaram tolas veleidades da madureza na defesa da velha e boa democracia burguesa, sob cujo governo o Estado Democrático de Direito se mantém hígido, embora enxovalhado em nossa velha Pindorama de guerra.

O xará do grande biógrafo de Saulo de Tarso já garantiu que vai antecipar a presença do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, seu parceiro no sindicato dos solícitos dos poderosos que estão sendo destronados, para garantir segurança jurídica à decisão a ser tomada pelos 81 senadores. O pior de tudo é que não dá sequer para desconfiar se esta é uma boa providência ou apenas um jeito de o filho de Murici, onde aprendeu muito bem a não deixar que os outros saibam de si, entregar o trapézio a um partner que desperta tanta credibilidade quanto ele próprio. E vai em frente o espetáculo mambembe em que a plateia é atraída pelo cuspe do ator global Zé de Abreu e pela abundância muscular dos glúteos e do silicone que segura as glândulas mamárias da Miss Bumbum da Esplanada.  E Rainha da Xepa do desgoverno que desmancha no ar podre sem nunca ter sido sólido antes.

Autor: José Nêumanne Pinto – é um jornalista, poeta, escritor e articulista de O Estado de São Paulo

———————————————————–

Impeachment

Na noite da Quinta Feira 28/04/016, maioria dos senadores petistas se deram muito mal quando da tentativa de desqualificar as firmes e irrefutáveis sustentações da Dra. Janaina Paschoal, um dos exemplos:

Na lata

Após ter ouvido da senadora Gleisi Hoffman do PT- Paraná (indiciada por corrupção na operação lava jato), que o governador Beto Richa, do PSDB, também pedalou; sem vacilar, Dra. Janaina, respondeu:

– Então peça o impeachment dele senadora. Pode usar minha petição como modelo

————————————————————

Finalizando

As verdades que nos salvam sempre foram anunciadas por uma minoria… e rejeitadas pela maioria

Rabindranath Tagore – foi um poeta, musico, romancista e dramaturgo indiano

———————————————————————–

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-30/04/2016

*A coluna é também publicada na pagina Facebook:  “No intervalo do Esporte”

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Blog do Paulinho #49

abril 30, 2016

Jornal Metrô (do grupo BAND) recebeu R$ 58 mil do Corinthians em 2015

abril 29, 2016

metro jornal

O Jornal Metrô, com tiragem diária de 150 mil exemplares, é distribuído gratuitamente na cidade de São Paulo, principalmente às portas de estações metroviárias, o que incide em público alvo de baixa renda.

Na divulgação de balanço da publicação, consta interessante item denominado “contas de permutas”:

Há somente um clube de futebol listado: Sport Club Corinthians Paulista.

O valor pago pelo clube: R$ 58 mil.

Não se tem notícia no Parque São Jorge (nem consta na contabilidade do Timão) qualquer parceria “oficial” com o jornal, que pertence ao grupo BAND, sempre simpático às administrações recentes do Corinthians.

Conselheiro do Corinthians defende empresa que dá golpes em aposentados

abril 29, 2016

carlosrobertoelias

Matéria do Jornal Hoje, da Rede Globo, expôs a face do advogado Carlos Roberto Elias, vulgo Dr. Viola do Meretrício, OAB nº 162138, conselheiro do Corinthians, eleito pela chapa “Renovação e Transparência”, comandada pelo deputado federal Andres Sanches (PT).

Leitores deste espaço já o conheciam doutros carnavais.

Suas peripécias vão desde práticas poquestionáveis no Parque São Jorge, até a condução jurídica de ações protagonizadas pelo ex-bicheiro André Negão, preso três vezes em flagrante por contravenção ligada ao “Jogo de Bicho”, e também pela Polícia Federal, acusado de receber R$ 500 mil em propina da ODEBRECHT.

Voltando à matéria da Globo, o Ministério Público de São Paulo está investigando a “Associação Brasileira de Apoio aos Aposentados, Pensionistas e Servidores Públicos”, por práticas de Má-Fé, tratadas pela promotora entrevistada como “golpes” de que os idosos devem fugir.

Em exemplo, o aposentado Antonio Carvalho Filho, vítima dessa gente, assinou contrato que lhe garantiria revisão no valor de seu benefício, e, para tal, recebeu da “Associação” a cobrança de R$ 1.360,00, que pagou em seis vezes, no cartão.

Tratava-se, porém, de um embuste.

Quando tentou se inteirar do que lhe haviam prometido, o aposentado foi comunicado que o que estava escrito não era objeto do que havia pago, mas sim uma associação à entidade, que lhe proporcionaria descontos em farmácias e outras enganações.

Indignado, o Sr. Antonio (que tem o contrato em mãos garantindo o que não lhe entregaram) rompeu o acordo e pediu o dinheiro de volta.

Em vez disso, além de não reaver o montante, passou a receber novas cobranças, em boleto, algumas com valores superiores a R$ 5 mil.

O que pensar de alguém que, publicamente, se presta a defender, segundo o MP, golpistas que tomam dinheiro de aposentados ?

A “empresa” enviou para responder às acusações, em seu nome. o advogado Carlos Roberto Elias, que, sem constrangimento, tentou convencer a repórter da licitude da operação, apesar de, pego de calças curtas, não conseguir negar que as vantagens descritas pelos golpistas se contrapõem ao documento assinado pelas vítimas.

CONFIRA ABAIXO TRECHO QUE SELECIONAMOS DA MATÉRIA EM QUE O GOLPE É CONTADO E O ADVOGADO, CONSELHEIRO DO CORINTHIANS, ENTREVISTADO:

EM TEMPO: o deputado federal Andres Sanches (PT), mentor do Dr. Viola, votou, na Câmara, contra o reajuste a aposentados e pensionistas:

https://blogdopaulinho.com.br/2015/12/13/deputado-federal-andres-sanches-pt-votou-contra-reajuste-para-aposentados-e-pensionistas/

Blog do Paulinho estará ao vivo no Youtube às 19h30. Participe !

abril 29, 2016

paulinho

Logo mais, às 19h30, o Blog do Paulinho estará, ao vivo, no YouTube.

Participe !

O leitor poderá enviar mensagens (texto e voz) pelo wathsapp (11) 98402-3121 (favor deixar nome ao final da mensagem) ou nos comentários desta postagem, que serão lidas e debatidas no programa.

Entre, também, pelo Skype: blogdopaulinho.

Na sequencia, o vídeo, para quem não puder assistir no horário marcado, ficará disponível no canal de YouTube do blog, no endereço https://www.youtube.com/user/paulinhonet (adicione) e também será postado na barra lateral deste espaço.

Assista, às 19h30, logo abaixo:

PARA AJUDAR O BLOG DO PAULINHO ACESSE:

De R$ 106,6 milhões, São Paulo recebeu apenas R$ 61,4 milhões em negociações de seus jogadores

abril 29, 2016

aidar vaidar

Em 2015, o São Paulo apresentou e seu balanço negociações de seus jogadores que deveriam ter preenchido os caixas do clube com R$ 106.636.000,00.

Porém, destes, apenas R$ 61.484.000,00 foram contabilizados.

R$ 47.352.000,00 foram parar nos bolsos de empresários.

R$ 8.229.000,00 indicados como pagamentos de comissões, R$ 39.123.000,00 disfarçados em cessão de direitos econômicos.

É bem difícil acreditar que dirigentes do clube não tenham sido beneficiados.

Balanço do São Paulo revela práticas financeiras deploráveis da gestão Carlos Miguel Aidar

abril 29, 2016

Dinheiro na privada: Corinthians pagará 1.000% a mais por sanitários do “Fielzão”

O balanço do São Paulo, divulgado publicamente, ontem, trouxe à tona práticas financeiras deploráveis da gestão Carlos Miguel Aidar, executados em 2015.

Entre os quais, tomada de empréstimo com empresários de futebol.

Os números são assustadores e indicam um futuro preocupante para o Tricolor nos próximos anos.

R$ 60.250.000,00 foram tomados emprestados, a juros de mercado, dos bancos: BMG – o banco do Mensalão, Tricury S/A, Múltiplo, BCV e Bradesco.

Aidar tomou, também R$ 9.349.000,00 da Kirin Soccer, que já negociou com (e para) o clube os atletas Cortez, Casemiro, Allan, Hernanes, Ademilson, Ewandro, etc.

O proprietário da empresa é o chinês Lee Yue Hung Joseph, que já foi objeto de CPI e inquéritos policiais, com histórico que pode ser conferido em matéria que publicamos em 2008, no link abaixo:

https://blogdopaulinho.com.br/2008/11/01/empresario-quase-secreto/

Mas as obscuridades não pararam por ai.

O clube tomou mais R$ 15.088.000,00, que tem credores diversos, apresentados no balanço como “pessoas físicas”, sem especificar de quem se tratam.

Para piorar, Aidar transferiu para o Fundo de Investimentos “Polo Clubes”, R$ 50 milhões, que o Tricolor teria direito a receber da Rede Globo sobre os diretos de transmissão do Brasileirão, em operação de empréstimo absolutamente lesiva ao clube, com cinco meses de carência, porém com a obrigatoriedade de quitar a pendência em 40 parcelas, a juros de 1,80% (três vezes os valores pagos aos bancos que emprestaram dinheiro ao clube – citados acima).

Especialistas em mercado garantiram ao blog que esse tipo de transação, por vezes, costuma pagar, em retorno, grande comissionamento a quem intermedeia o negócio.

Por fim, existem ainda R$ 29.026.000,00 em ações trabalhistas movidas contra o clube, um acréscimo, em apenas um ano, de R$ 3 milhões.

Empresários de Dudu cobram calote do Palmeiras na Justiça

abril 29, 2016

Advogados dispensam Romário após calote

Os empresários Marcelo Robalinho, Marcelo Goldfarb e Bruno Paiva ingressaram na Justiça, na última quarta-feira (27), por intermédio da Mamabru Participações Ltda, para cobrar percentual de comissionamento não honrado pelo Palmeiras.

R$ 114.362,67.

O clube ainda não foi citado.

A ação corre na 5ª Vara Cívil de São Paulo.

Bandoleiros primitivos

abril 29, 2016

fora pt

DA FOLHA

Por REINALDO AZEVEDO

O PT merece ser banido da política não só em razão dos seus crimes, mas também de sua determinação de não reconhecer a ordem que o instituiu. Há algum tempo, escrevi nesta coluna que é a democracia que legitima o PT; não é o PT que legitima a democracia, como parecem crer os companheiros. Seus protagonistas são uns farsantes; seus intelectuais, uns trapaceiros da teoria. E é fácil demonstrar.

Observem como os petistas e seus ditos pensadores fazem questão de ignorar os crimes cometidos pelo partido –inclusive o de responsabilidade, que traz as digitais de Dilma Rousseff– para tratar, em vez disso, de uma suposta luta que estaria sendo travada entre “conservadores e progressistas”, “entre direitistas e esquerdistas”; “entre coxinhas e mortadelas”.

De súbito, as forças, então, que perderam quatro eleições seguidas para o PT –fartamente financiado, por dentro e por fora, pela melhor e pela pior elite econômica– teriam adquirido uma inteligência superior, que oscila do maquiavélico ao macabro, e passa todas as horas do dia a conspirar para desfechar o tal “golpe”.

Com que propósito? Bem, segundo, inclusive, alguns colunistas desta Folha, o objetivo seria marginalizar os pobres, os oprimidos, os deserdados. Por alguma razão que ainda não conseguiram explicar –e estou doido para debater com um deles na TV Folha–, os marginalizados seriam representados pelo partido que protagonizou o mensalão, o “aloprados 1 e 2” e o petrolão.

Queria revisitar com eles as correntes do marxismo para saber em que momento o crime comum, a safadeza e a roubalheira são capítulos da luta de classes, a defunta senhora. Stalin era um assassino em massa; ladrão não era. Quem chegou mais perto de teorizar a respeito foi Eric Hobsbawm em “Rebeldes Primitivos” –que, por óbvio, não eram financiados por empreiteiras nem se acoitavam nas dobras do Estado– esses são os bandoleiros primitivos de agora.

Leio o que escrevem um tanto constrangido. Como é que não se envergonham? Faça você mesmo, leitor: digite na área de busca do Google, sem aspas e sem vírgulas, as palavras “artistas, intelectuais, divulgam, manifesto, pró-Dilma”. Os motivos para defender o voto na petista em 2014 são rigorosamente os mesmos esgrimidos agora contra o impeachment. É sempre Chapeuzinho Vermelho contra o Lobo Mau. O PT já havia recorrido a esse expediente em 2010 e 2006.

Tanto nos confrontos eleitorais como na batalha do impeachment, a vitória do adversário significaria não um contratempo, mas um retrocesso, uma derrota das forças do progresso e do desenvolvimento social, uma marcha involutiva da história. Os que hoje deslegitimam a posse constitucional de Michel Temer não hesitaram em deslegitimar as próprias urnas. Não é que tenham aceitado o resultado; eles aceitaram a vitória.

João Pedro Stédile e Guilherme Boulos, só para encerrar o texto com caricaturas emblemáticas, prometiam não deixar Aécio Neves em paz caso o tucano vencesse a eleição de 2014. Agora, prometem infernizar a vida de Temer.

Os petistas não aceitam mesmo é a democracia e o Estado de Direito, que, por sua vez, continuarão a abrigar o PT porque é de sua natureza –até o limite, claro!, em que o partido não busque solapá-los. E se isso acontecer? Ora, recorreremos aos instrumentos que o regime oferece para combater a subversão da ordem democrática.

O PT vai ter de aprender a respeitar a lei, que também tem marra.

Em atuação magnífica, São Paulo praticamente define a vaga no Morumbi

abril 29, 2016

spfc e tol

Num desfile de categoria de Paulo Henrique Ganso, o São Paulo, cada vez mais alinhado com os princípios de seu treinador, goleou, de maneira inquestionável, o Toluca do México por expressivos quatro a zero.

E poderia ter sido muito mais.

A primeira etapa do Tricolor pode ser definida como magnífica, com a equipe jogando muito futebol, com raça, criando sucessivas oportunidades de gols.

Aos 27 minutos, Michel Bastos, aproveitando-se de cruzamento da direita, abriu o marcador.

Daí vieram novos minutos de puro massacre, com bolas na trave e defesas do goleiro, até Centurion, que havia participado pouco do jogo, realizar grande jogada pela esquerda e bater cruzado, no ângulo, marcando um golaço.

Para consolidar a vitória, aos 7 minutos do segundo tempo, Thiago Mendes passou por dois jogadores e concluiu com categoria para fazer o terceiro.

Oito minutos depois, incansável, o Tricolor fez o quarto, com Centurion, dividindo com a defesa dentro da pequena área.

Ganso, aos 36 minutos, quando a vantagem jé era administrada, saiu de campo para ser aplaudido de pé, dando vaga a Lucas Fernandes.

Deu tempo ainda para Vega ser expulso após atingir, deslealmente, por detrás, meio-campista Rodrigo Caio.

Apesar do Toluca ter feito bela campanha na primeira fase e contar com o fator altitude no México, é possível afirmar que o São Paulo não perderá a vaga para as quartas de final da Libertadores.


%d blogueiros gostam disto: