Anúncios

Archive for novembro \30\UTC 2013

Caça e caçador: o Brasil merece…

novembro 30, 2013

Tarde de sábado (30), no Condomínio Acapulco, na paradisíaca cidade do Guarujá (SP)…

luxemburgo e aldo rebelo

V(W)anderlei(y) Luxemburgo ao lado do Ministro Aldo Rebelo (PCdoB), que, na época da CPI do Futebol, ajudou o Brasil a conhecer os “hábitos” do treinador.

O tempo passou…

As rusgas, os fatos e a vergonha foram deixadas de lado.

O povo precisa se lembrar, nas próximas eleições.

Anúncios

Sem partida inaugural da Copa, “Fielzão” perderá R$ 420 milhões da Prefeitura

novembro 30, 2013

Fielzão: Corinthians terá que tomar R$ 70 milhões emprestados para pagar juros de acordos não honrados

A Odebrecht, braço do Governo do PT em construções, comemorou muito a liberação do dinheiro do BNDES, R$ 400 milhões, que servirão para amenizar parte do prejuízo com as obras do “Fielzão”.

Vale lembrar que, em caso único na história da humanidade, um imóvel particular foi levantado, a custo de R$ 1 bilhão, com todas as despesas sendo pagas pela “contratada”, sem um real sequer do “contratante.”

Para o Corinthians, a liberação não mudou muita coisa, já que a dívida permanece, acrescentando-se, apenas, um novo credor.

Porém, a construtora, após o lamentável incidente que vitimou dois trabalhadores durante a semana, tem mais razões para se preocupar do que propriamente comemorar a citada conquista.

A FIFA – segundo matéria do Estadão – avalia a possibilidade de retirar duas partidas, entre as previstas, do “Fielzão”, em caso de atraso demasiado na conclusão dos trabalhos.

Seriam elas a inaugural e uma das semi-finais.

Se isso vier a acontecer, o prejuízo não será apenas moral, como muita gente vem ressaltando, mas, principalmente, financeiro.

O texto da Lei Municipal que concedeu R$ 420 milhões de CIDs para as obras do estádio, além de isenção de R$ 80 milhões em ISS, é bem específico no que diz respeito às condicionais da liberação das referidas facilidades.

Ou seja, se a partida inaugural da Copa do Mundo de 2014 – citada claramente, sem outra alternativa – não for realizada no “Fielzão”, os CIDs automaticamente serão revogados, assim como todos os benefícios anteriormente concedidos.

Entre eles, até a nova cessão de terreno.

Isso acontecendo, além do prejuízo evidente da ODEBRECHT, teremos o Corinthians, que,  segundo reunião realizada esta semana no CORI, fechou sete de seus doze meses no prejuízo (R$ 500 mil somente no último mês), ampliando, de maneira grave e preocupante, seus problemas financeiros.

Documento demonstra que Rogerio Ceni não precisava falsificar assinatura

novembro 30, 2013

ceni rogerio

Durante a semana publicamos trechos de um processo em que o Mito Rogério Ceni teve que fazer acordo com o MP-SP para não ser julgado por falsidade ideológica, após participar de uma ação irregular no intuito de transferir a pontuação de sua carteira de motorista a terceiros.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/11/27/exame-grafotecnico-derrotou-rogerio-ceni-na-justica/

E que foi, desastrosamente, defendido no caso pelo Dr. Sergio Alvarenga, atual assessor do presidente do Corinthians, Mario Gobbi.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/11/29/processo-de-rogerio-ceni-foi-conduzido-por-conselheiros-do-corinthians/

Documento inserido no processo demonstra, ainda mais, a enorme bobagem cometida pelo goleiro do São Paulo.

Embora inaceitável, o fator motivador para a ação de transferência de pontuação do prontuário de motorista infrator para terceiro, em tese, seria a possibilidade de ultrapassar o limite permitido por Lei.

Ou seja, estar próximo dos 20 pontos.

Rogério Ceni receberia, pela infração cometida, quatro pontos.

Porém, na data em que foi autuado, segundo documento obtido pela Delegacia que investigou o caso, não havia sequer um registro de pontuação no prontuário do goleiro.

Para piorar a situação de Ceni, a defesa do Dr. Alvarenga, que deveria “esconder” o documento de seus argumentos, utilizou-o como estratégia de defesa, querendo demonstrar “boa conduta”, agravando ainda mais os problemas de seu cliente.

pontuação Ceni

FOLHA é ameaçada pelo Corinthians e ridiculariza repórter agredido pelo grupo de Andres Sanches

novembro 30, 2013

Censura em rede

Num episódio lamentável de submissão ao poder corrompido, a FOLHA, após receber ameaças do Corinthians – entre elas de processo – em vez de defender o repórter Daniel Vasques, agredido, segundo o próprio, por Andres Sanches, ex-presidente do Corinthians, e seu canil policial, tratou de ridicularizá-lo.

Emitiu uma nota de “errata”, dizendo que Sanches, “apenas” ofendeu o jornalista, e que os agressores eram pessoas próximas a ele.

Desmentiu a versão do próprio profissional, desqualificando-o na profissão, omitindo, ainda, que as tais pessoas próximas ao ex-presidente alvinegro, seus seguranças, são todos oriundos da PM, e jamais agiriam violentamente sem o consentimento daquele que lhes provê o “osso.”

Sem contar a tímida reação ao fato de um PM da ativa, em trabalho no local, ter sido o responsável, certamente com ajuda dos referidos “próximos a Sanches”, pela subtração do material de trabalho do jornalista.

O saldo do episódio é claro.

Se a FOLHA publica uma “errata”, após seu jornalista, textualmente, acusar um dirigente de clube de agredí-lo, não tem outra alternativa senão a de demitir o profissional, que teria, em tese, mentido no exercício da profissão.

Em não fazendo – como não fez – corrobora para o raciocínio de que preferiu jogar o mais fraco aos leões, no intuito de preservar as relações políticas com gente que não tem limites para exercer a pressão contra os que trabalham para demonstrar a verdade.

Aproveitando do momento de exibição pública de “sinceridade”, a FOLHA poderia, até para dissipar novas suspeitas, publicar a relação dos nomes dos sete jornalistas, que o jornal alega terem sido agredidos nas recentes manifestações populares.

Até para que possam ser devidamente homenageados pela bravura, e por formarem uma equipe jornalística, entre feridos e sobreviventes, maior do que as que a CNN costuma enviar para conflitos de porte relativamente maior.

Morosidade no planejamento desgasta gestão Paulo Nobre

novembro 30, 2013

brunoro

Poucas vezes, graças a conquista antecipada da vaga à Série A do Brasileirão, um clube de ponta do futebol teve a oportunidade, que o Palmeiras possui, com relação a tempo, de se estruturar e treinar para os campeonatos seguintes.

Mas, alguns erros vem sendo cometidos, e podem comprometer todo o ano de 2014, justamente o do centenário do clube.

Até aliados de Nobre reclamam da morosidade do atual presidente, que demorou para definir o treinador, manteve Brunoro na gestão do futebol – que desagrada a todos – e não se mexeu adequadamente para definir qual elenco será utilizado, daqui por diante.

“Temos que aproveitar o Paulista para preparar a nova equipe, chegando forte, depois, no Brasileirão. Com essa base, daremos vexame no centenário. É preciso fortalecer o elenco, mas, até agora, não há indício disso, o que começa a preocupar o clube, até com a temeridade de lutar para não cair, novamente, no segundo semestre.”, disse um importante conselheiro palestrino.

Nobre, apesar de, administrativamente, ter se demonstrado acima dos anteriores, pode jogar tudo por terra, e até ressuscitar alguns “mortos-vivos” da política palmeirense, se, no futebol, botar tudo a perder.

Na torcida pelo fracasso, até os ex-diretor jurídico do clube, Piraci Oliveira, ameaça infelicitar ainda mais o Palmeiras, se candidatando à vaga de conselheiro vitalício, certamente com objetivos maiores, entre eles o de se aproveitar do desastre para vender soluções que absolutamente não tem competência de realizar.

Coluna do Fiori

novembro 30, 2013

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

1

Árbitros e o Bom Senso FC

Quase impossível a adesão das diversas entidades dos árbitros e associados a qualquer movimentação que tenha por objetivo modificar a dependência destes aos dirigentes da CBF, federações e clubes

Protótipo

Artur Alves Junior presidente do SAFESP, tesoureiro da COAFESP, um dos diretores da entidade nacional dos árbitros de futebol (FEBAF), ao mesmo tempo, é servidor remunerado da FPF, exercendo funções nos diversos setores da entidade, como principal; homem forte Comissão de Árbitros

Reivindicação

Seguramente, em caso de haver qualquer movimentação objetivando melhores condições de trabalho, dentre estas, o banimento das ingerências de padrinhos (item do qual Artur foi favorecido no inicio e, ao longo de sua caminhada no exercício da função de bandeirinha, vez que, na condição de árbitro central, pouco atuou) Artur Alves Junior, bem como, grande parte dos diretores das entidades dos árbitros, permanecerão, lado a lado, com José Maria Marim, Marcos Pólo Del Nero, Reynaldo Carneiro Bastos e semelhantes

Rematando

Moral e bom senso nunca foram e não são a praia do Artur Alves Junior

Trigésima Sexta Rodada da Série A do Brasileirão – 2013

Domingo 24/11

Flamengo 1 x 0 Corinthians

Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS)

Os representantes das leis do jogo desenvolveram trabalho normal

São Paulo 1 x 1 Botafogo

Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)

Quando exigido se fez presente, no todo; trabalho normal

Bahia 1 x 0 Portuguesa

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG)

Item Técnico

Deixou de sinalizar algumas infrações

Item Disciplinar

Ricardo Marques Ribeiro se fez de migué nas muitas faltas praticadas pelo atleta Feijão da equipe baiana, até, que, na metade da segunda etapa, corretamente, resolveu expulsa-lo

Conclusão

Pouco exigido, mesmo assim; trabalho meia boca

Copa Sul-Americana

Quarta feira 27/11

Ponte Preta 1 x 1 São Paulo

Árbitro: Carlos Vera(ECU)

Os representantes das leis do jogo não foram exigidos, por este motivo, desenvolveram trabalho cabível

Política

Recebi, li, reli e concordei; estou repassando

2

A CARTA DA FILHA DO GENOÍNO NÃO É O MELHOR…. A RESPOSTA É SHOW … VALE LEITURA E REPASSE.

A coragem é o que dá sentido à liberdade

Com essa frase, meu pai, José Genoino Neto, cearense, brasileiro, casado, pai de três filhos, avô de dois netos, explicou-me como estava se sentindo em relação à condenação que hoje, dia 9 de outubro, foi confirmada. Uma frase saída do livro que está lendo atualmente e que me levou por um caminho enorme de recordações e de perguntas que realmente não têm resposta.

Lembro-me que quando comecei a ser consciente daquilo que meus pais tinham feito e especialmente sofrido, ao enfrentar a ditadura militar, vinha-me uma pergunta à minha mente: será que se eu vivesse algo assim teria essa mesma coragem de colocar a luta política acima do conforto e do bem estar individual? Teria coragem de enfrentar dor e injustiça em nome da democracia?

Eu não tenho essa resposta, mas relembrar essas perguntas me fez pensar em muitas outras que talvez, em meio a toda essa balbúrdia, merecem ser consideradas…

Você seria perseverante o suficiente para andar todos os dias 14 km pelo sertão do Ceará para poder freqüentar uma escola? Teria a coragem suficiente de escrever aos seus pais uma carta de despedida e partir para a selva amazônica buscando construir uma forma de resistência a um regime militar? Conseguiria agüentar torturas freqüentes e constantes, como pau de arara, queimaduras, choques e afogamentos sem perder a cabeça e partir para a delação? Encontraria forças para presenciar sua futura companheira de vida e de amor ser torturada na sua frente? E seria perseverante o suficiente ao esperar 5 anos dentro de uma prisão até que o regime político de seu país lhe desse a liberdade?

E sigo…

Você seria corajoso o suficiente para enfrentar eleições nacionais sem nenhuma condição financeira? E não se envergonharia de sacrificar as escassas economias familiares para poder adquirir um terno e assim ser possível exercer seu mandato de deputado federal? E teria coragem de ao longo de 20 anos na câmara dos deputados defender os homossexuais, o aborto e os menos favorecidos? E quando todos estivessem desejando estar ao seu lado, e sua posição fosse de destaque, teria a decência e a honra de nunca aceitar nada que não fosse o respeito e o diálogo aberto?

Meu pai teve coragem de fazer tudo isso e muito mais. São mais de 40 anos dedicados à luta política. Nunca, jamais para benefício pessoal. Hoje e sempre, empenhado em defender aquilo que acredita e que eu ouvi de sua boca pela primeira vez aos 8 anos de idade quando reclamava de sua ausência: a única coisa que quero, Mimi, é melhorar a vida das pessoas…

Este seu desejo, que tanto me fez e me faz sentir um enorme orgulho de ser filha de quem sou, não foi o suficiente para que meu pai pudesse ter sua trajetória defendida. Não foi o suficiente para que ganhasse o respeito dos meios de comunicação de nosso Brasil, meios esses que deveriam ser olhados através de outras tantas perguntas…

Você teria coragem de assumir como profissão a manipulação de informações e a especulação? Se sentiria feliz, praticamente em êxtase, em poder noticiar a tragédia de um político honrado? Acharia uma excelente idéia congregar 200 pessoas na porta de uma casa familiar em nome de causar um pânico na televisão? Teria coragem de mandar um fotógrafo às portas de um hospital no dia de um político realizar um procedimento cardíaco? Dedicaria suas energias a colocar-se em dia de eleição a falar, com a boca colada na orelha de uma pessoa, sobre o medo a uma prisão que essa mesma pessoa já vivenciou nos piores anos do Brasil?

Pois os meios de comunicação desse nosso país sim tiveram coragem de fazer isso tudo e muito mais.

Hoje, nesse dia tão triste, pode parecer que ganharam, que seus objetivos foram alcançados. Mas ao encontrar-me com meu pai e sua disposição para lutar e se defender, vejo que apenas deram forças para que esse genuíno homem possa continuar sua história de garra, HONESTIDADE e defesa daquilo que sempre acreditou.

Nossa família entra agora em um período de incertezas. Não sabemos o que virá e para que seja possível agüentar o que vem pela frente pedimos encarecidamente o seu apoio. Seja divulgando esse e/ou outros textos que existem em apoio ao meu pai, seja ajudando no cuidado a duas crianças de 4 e 5 anos que idolatram o avô e que talvez tenham que ficar sem sua presença, seja simplesmente mandando uma palavra de carinho. Nesse momento qualquer atitude, qualquer pequeno gesto nos ajuda, nos fortalece e nos alimenta para ajudar meu pai.

Ele lutará até o fim pela defesa de sua inocência. Não ficará de braços cruzados aceitando aquilo que a mídia e alguns setores da política brasileira querem que todos acreditem e, marca de sua trajetória, está muito bem e muito firme neste propósito, o de defesa de sua INOCÊNCIA e de sua HONESTIDADE. Vocês que aqui nos lêem sabem de nossa vida, de nossos princípios e de nossos valores. E sabem que, agora, em um dos momentos mais difíceis de nossa vida, reconhecemos aqui humildemente a ajuda que precisamos de todos, para que possamos seguir em frente.

Com toda minha gratidão, amor e carinho,

Miruna Genoino

Resposta por Manoel Santos, em 10 Out 2013 a cartinha aberta da filha do Genoíno

Bom, como a carta aberta da filha de Genoíno é endereçada À TODOS OS BRASILEIROS, e eu, como carioca da gema, filho agradecido de nordestino cabra da pesta e de uma mineirinha de 1.57cm, enfezada feito uma capeta menstrual tenho, por óbvio, o direito de responder.

Querida Miruna, me solidarizo, sinceramente, com sua dor. Um filho ou filha, agradecidos ao pai que lhes trouxe ao mundo, funciona como um advogado, quando da defesa de um réu.

Lamentavelmente o fato de ser avô, ter dois filhos e 3 netos, por si só, não garante que um cidadão que se enquadre nesta condição seja elevado à condição acima de quaisquer suspeitas.

Fernandinho Beira Mar é pai. Tem 4 filhos (reconhecidos) e também é avô de dois netos e isso, convenhamos, não serve de passaporte para a impunidade.

Infelizmente Você teve a CONSCIÊNCIA do que seu pai fez durante o REGIME MILITAR. Eu, ao contrário de você, vivi todos os piores momentos daquela época.

Não estranhe o fato: MAS MUITOS BRASILEIROS COLOCARAM SUAS VIDAS EM RISCO, ACIMA DO CONFORTO E DO BEM ESTAR INDIVIDUAL, para resgatar nossa democracia. Eu estava nesse meio, como outros milhares de brasileiros. E comecei a fazer isso, com apenas 16 anos de idade.

Seu pai, ao contrário do que afirmas, causou mais dor do que tenha sentido. Basta que você leia sobre a guerrilha do Araguaia, motivo de orgulho de seu pai, para saber o que realmente ali se passou. Os justiçamentos, os seqüestros, os assaltos, tudo registrado nos arquivos com ambas as visões: a fantasiosa e a verdadeira. A de bandidos que queriam se transformar em heróis e heróis que foram transformados em bandidos pelos filósofos à soldo do petralhismo, por jornalistas engajados e historiadores que fraudaram a história.

Você, com acerto, diz não ter as respostas para as perguntas que se faz, ao contrário dos que vivenciaram cada frame negro daquele filme. Hoje, quem viveu aquele momento, sabe as respostas de todas as perguntas e sabem que faltam perguntas para tantas respostas.

Por exemplo:

Que “forma de resistência” é essa que falas? Os justiçamentos ocorridos no Araguaia pela SIMPLES DESCONFIANÇA DE QUE UM COMPANHEIRO ESTAVA TRAINDO O GRUPO? O assassinato a marteladas de um jovem tenente que acreditou nas promessas dos guerrilheiros e resolveu se entregar? Uma bomba deixada no aeroporto de Guararapes que deixou 17 vítimas e dois inocentes mortos? Ou a que matou um jovem soldado de apenas 19 anos de idade?

São mais de 40 anos de vida política, diz você. Excetuando-se todas as falsas glorificações dos heróis bandidos, o que sobra de vida de seu pai, se é que ele cometeu algo de louvável, restou findo no dia de hoje e de forma DEMOCRÁTICA, LEGAL, SEGUNDO O ORDENAMENTO JURÍDICO DE NOSSA NAÇÃO e ONDE LHE FOI DADO TODO O DIREITO À AMPLA DEFESA que, diga-se, centrou-se na mais cínica mentira que seu próprio texto, nas entrelinhas, conclui.

E aí, Miruna, chegou a hora de você apresentar respostas para as perguntas sobre as respostas que temos:

1) Sendo seu pai tudo o que você descreve com esse belo amor de filha, como pode ele não saber de nada do que era feito bem debaixo de seu nariz?

2) Sendo esse HOMEM PRESUMIDAMENTE, POR VOCÊ, CORAJOSO COMO SEMPRE FOI, segundo diz você, POR QUE ELLE NÃO DISSE NÃO AO QUE OUTROS FAZIAM E AINDA COLOCANDO SUA ASSINATURA PESSOAL EM EMPRÉSTIMOS FRAUDULENTOS?

3) SENDO ESSE HOMEM TÃO COMBATIVO QUE SEU AMOR FRATERNO DESCREVE, POR QUE ELLE NÃO IMPEDIU QUE SE COMETESSE UM CRIME NOJENTO, BEM DEBAIXO DO SEU NARIZ, QUE PODERIA CHEGAR AO QUE CHEGAMOS HOJE?

4) SE ELLE LHE DISSE, AOS 8 ANOS: “MIMI, QUERO MELHORAR A VIDA DAS PESSOAS”, então por que permitiu que uma quadrilha roubasse a grana de milhões de brasileiros que trabalham diuturnamente para pagar impostos escorchantes que foram roubados em nome de uma causa?

5) Suponhamos, Mimi, que seu pai não soubesse de tudo o que aconteceu nesse episódio tenebroso que atentou contra a nossa democracia, pergunto: Então, por que não saiu do partido quando soube? Por que comemorou várias vezes com muitos integrantes do bando as “vitórias” do governo, compradas com dinheiro sujo?

6) E a pergunta final Mimi: POR QUE, TENDO TODAS AS CHANCES DE SE DEFENDER, NÃO O FEZ DE FORMA CABAL, ONDE NÃO RESTASSEM DÚVIDAS SOBRE SUA ATUAÇÃO? POR QUE MENTIU TANTO? POR QUE, CORAJOSO, NÃO OPTOU PELA VERDADE DESDE O PRIMEIRO DEPOIMENTO?

Ah, Mimi, não recrimine “os meios de comunicação” desta nossa nação. Muitos jornalistas se esmeram em produzir e divulgar as farsas aprontadas por LuLLa e sua quadrilha. Mas ela, Mimi, ainda é livre. Na Argentina, cujo governo da doida seu pai defende, a imprensa está sendo cassada. Em Cuba ela só existe para falar bem do governo assassino que seu pai defende. Na Venezuela, as versões que prevalecem, são as oficiais. As poucas que falam a verdade, ou foram “estatizadas” ou “foram eliminadas”. Todos estes exemplos de democracia, são defendidos pelo seu querido pai.

Seu pai terá, como preza nossa democracia, o pleno direito de espernear o quanto quiser. Faz parte.

Da mesma forma, temos o direito de torcer para que a pena que lhe seja imposta seja suficientemente grande, para que não retorne como falso herói novamente.

Seu pai Miruna, com toda a razão e compreensão que nos cabe ter neste momento difícil que vives, pode ser o HERÓI que sua visão enxerga. É o seu papel de filha e lhe admiro por isso.

Mas para nós brasileiros, que cansamos de impunidade, que cansamos das mentiras contadas por LuLLa e amplamente defendidas por seu pai, que cansamos do cinismo com que fomos tratados, que quase desistimos de lutar por esta nação, ao constatarmos todos os dias que os bandidos de sempre impunham à milhões de brasileiros uma pauta sobre a qual não nos cabia o direito de defesa, seu pai não passa de um bandido covarde que ajudou a roubar o dinheiro que poderia construir escolas, creches, hospitais, comprar medicamentos para quem não tem como pagar, dar casas para quem não tem onde morar e realmente, como eLLe lhe disse aos 8 anos: “que a única coisa que queria, era melhorar a vida das pessoas”.

Sinto muito Miruna pela sua dor e pelo momento difícil que estás passando.

Mas não nos tire o direito de sentir uma alegria esfuziante por ver resgatada a justiça que parecia nos ter abandonado. Não nos tire a alegria de poder constatar que um Brasil mais justo e mais honesto, mais verdadeiro e menos cheio de farsantes e mentirosos esteja, finalmente, renascendo.

Lamento te dizer Miruna, mas a sua dor é do tamanho exato da alegria das pessoas decentes. Do simples carteiro que encontra uma mala de dinheiro e devolve, ao invés de escondê-la nas cuecas, como fez seu tio, das pessoas que trabalham incansavelmente para dar um futuro melhor para seus filhos, sem praticar qualquer tipo de crime. Do policial que prende quem tenta lhe subornar. Do juiz que julga de forma imparcial um réu, seja ele quem for. Do político que honra os votos que recebeu.

A sua tristeza, Miruna, é a compreensível tristeza de filha.

A minha alegria, ao ver seu pai preso, pagando pelos crimes que cometeu, é a de um brasileiro que quer deixar para os netos, um país LIMPO – JUSTO – HONESTO e COM PLENO EXERCÍCIO DA MAIS LIVRE E RESPONSÁVEL DEMOCRACIA.

Por fim Miruna, não “É A CORAGEM QUE DÁ SENTIDO À LIBERDADE”, como você disse nas primeiras linhas de sua cartinha, mas o medo de perdê-la. A CORAGEM, querida e competente filha, só é necessária para se defender a verdade como norte, quando todos defendem a mentira como método

Finalizando

3

Eleições 2014

Por entender que não adianta trocar nomes se não expulsarmos de nossos hábitos a nojenta cultura do Toma Lá Dá Cá; na data das eleições para Presidente da Republica, para Governador do Estado de São Paulo e legislativos

Votarei NULO

Chega de Omissão, de Falsidade, de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

sp-30/11/2013

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Diretor da ESPN Brasil explica, de maneira exemplar, detalhes que levaram emissora a demitir Flavio Gomes

novembro 29, 2013

palomino

No último dia 27, o Dr. Francisco Rocha, ligado à Portuguesa de Desportos, enviou carta ao Diretor de Jornalismo da ESPN Brasil, João Palomino, com diversas colocações – contrárias – à demissão do jornalista Flavio Gomes, consequência do famoso episódio da “twittada” ofensiva à torcida do Grêmio.

Demissão, vale a pena deixar claro, apoiada pelo Blog do Paulinho, que, assim como a ESPN, entende que as mídias sociais devem ser utilizadas com responsabilidade pelos jornalistas.

Espaços que são, por razões óbvias, extensões de seus trabalhos.

Palomino enviou resposta às indagações e colocações do Dr. Francisco, ontem, também por email, esclarecendo, não apenas seu posicionamento, mas também o da emissora, citando ainda, nominalmente, o apoio de seus colegas de trabalho.

Confira abaixo:

De: “Palomino, Joao L.” <Joao.L.Palomino@espn.com>

Data: 28 de novembro de 2013 16:20:52 BRST

Para: Chico Rocha <chicorocha1965@gmail.com>

Assunto: RES: Demissao do Flavio Gomes

Olá Chico

Primeiro, gostaria de agradecer o envio do email. Cordial, com discernimento e objetividade.

Como te falei, não tenho nenhuma preocupação ou restrição em falar sobre o assunto ou sobre o Flávio.

Foi um dos episódios mais tristes da minha curta passagem por esta emissora como diretor ainda, 2 anos, e longuíssima como apresentador e narrador, 18 anos.

Neste período todo, tornei-me admirador, colega, companheiro e parceiro de trabalho do Flávio Gomes.

Torcia por seus projetos e por uma participação mais efetiva no ar.

Aliás, algo que eu incentivei como narrador e apresentador antes, e como diretor depois.

Ocorre que, antes mesmo de assumir a posição, houve um fato marcante, relatado pelo José Trajano, e que envolvia o Flávio. O meio: twitter. A ocorrência: xingamentos, brigas, e muita reclamação dos fãs. Time? São Paulo. Depois, Corinthians, depois, São Paulo de novo. Palmeiras, outros clubes…

Pouco tempo depois, eu ainda não era diretor, houve mais uma série de reclamações vindas de um dos parceiros nossos, sobre o comportamento do Flávio no Twitter. Nosso presidente, German, conversou pessoalmente com ele.

Em seguida, uma série de relatos e reclamações que vinham de várias pessoas, não importando aqui a camisa.

E chego a este tema na sequência: a camisa não tem nenhuma relação com que fato. Nenhuma.

Assumi a direção e tive uma conversa franca com o Flávio. Sugeri que ele adotasse o mesmo procedimento que eu tenho no twitter: “use o twitter como se fosse um microfone. Não publique o que você não falaria num microfone.”

O Flávio mesmo admitiu sair do Twitter se fosse para ter esta ferramenta com restrições.

Disse a ele que não seriam restrições, mas um comportamento que se espera de um jornalista, formador de opinião, pessoa respeitada e que não pode ficar dissociada do nome da empresa, qualquer que seja a empresa, no caso aqui, a ESPN.

Ele nunca concordou.

O Flávio vê o twitter como uma ferramenta particular. Pode ser, desde que você não tenha seu nome atrelado ou relacionado a uma empresa.

É assim que pensamos e defendemos aqui.

Houve uma série de outros fatos, todos envolvendo casos muito parecidos com o que houve após o jogo Grêmio x Portuguesa.

Este foi apenas mais um, e chegou a um momento em que tínhamos de nos posicionar de forma definitiva, porque todas as etapas anteriores tinham sido cumpridas.

Eu tinha de me posicionar. Não poderia nunca me acovardar neste momento.

Lamentando, com dor no coração, mas tinha de ser feito. E concordaram com a decisão José Trajano, Juca Kfouri, João Carlos, Calçade, PVC, Plihal. Não que eu precisava deste aval.

Houve um erro grave cometido por mim neste caso, e é citado algumas vezes no seu email: quando cito um trecho do hino do Grêmio. Desnecessário. Concordo plenamente.

E concordo que isso pode ter passado a sensação de que houve pressão do Koff, ou que a pressão dos torcedores do Grêmio surtiu efeito. Não é verdade. Nós não capitulamos. Nunca. E nunca haverá isso.

Houve sim uma recorrência interminável que nos levou àquela resposta, infelizmente, garanto pra você, infelizmente.

Fui achincalhado, xingado, ridicularizado no twitter.

Me calei por respeito ao Flávio. Poderia elencar todos os motivos que nos levaram àquela decisão, mas entendi que isso poderia prejudicá-lo ainda mais.

Fui acusado de ter ceifado a liberdade de expressão, a  liberdade de imprensa, de ter imposto censura no canal. Balela.

O João Carlos, o Lúcio e o Trajano expuseram no ar o conflito de sentimentos que tivemos naqueles dias. Mas a decisão não foi contestada em nenhum momento porque eles sabiam, do que se tratava.

Críticas à CBF, aos clubes, aos jogadores, aos estádios, à Rede Globo, ao Grêmio, à Portuguesa, fazem parte do nosso dia a dia e me recuso, terminantemente, a dizer, a qualquer um dos nossos comentaristas, o que deve dizer e como deve dizer.

Os casos por você citados no email vem de pessoas que tem ligação clara com uma função e um clube.

O Flávio tem uma ligação clara com um clube e com uma função, mas não podem se confundir.

Ser Grêmio ou Portuguesa ou São Paulo ou Cruzeiro ou Inter ou Bahia, no caso do Flávio, pouco importava. Não foi isso, e nunca seria isso, que o tirou daqui. Mas, infelizmente, a forma como ele vê uma ferramenta poderosa, de transformação, e que tem, de ser cuidada por todos.

Não tem nenhum sentido imaginar, sequer imaginar, que ele foi demitido por conta de ser torcedor da Lusa. Ninguém defende mais as tradições, cultura e arte do futebol de clubes como a Lusa do que a ESPN.

Você deve comprovar isso na nossa programação.

Aprendi a admirar a Portuguesa muito cedo, por intermédio de um goleiro, Lula, grande, gordo, que jogou em Taquaritinga. Eu joguei com ele. Treinava com ele. E cada história ele contava.

Não peço a sua compreensão.

Mas saiba que foi mesmo um dos episódios mais tristes que passei aqui e do qual não me orgulho em nada.

Abraços

João Palomino

Andres Sanches: o bônus e o ônus de ser responsável pelas obras do “Fielzão”

novembro 29, 2013

andreslula

Há de ser ter muita responsabilidade, não apenas na busca pelos culpados no desastre que culminou na morte de dois trabalhadores nas obras do “Fielzão”, mas também em não sucumbir à pressão política pela retomada rápida dos trabalhos, situação que, se mal resolvida, pode ocasionar novos dissabores.

Porém, independentemente da culpa, o grande responsável pelo empreendimento, é o ex-presidente do Corinthians, Andres Sanches.

Seja nos acertos, como também nos deslizes, que, tudo indica, ocorreram no episódio.

É muito fácil capitalizar para si – como vem fazendo o ex-presidente alvinegro – a conquista de um estádio, fruto do trabalho de bastidores do ex-presidente Lula e sua ligação “corleônica” com Emílio Odebrecht, que faz da Empreiteira responsável quase um departamento de obras do Governo.

Até os problemas no contrato – muitos – são deixados de lado, encobertos pela suntuosidade da nova Arena, que faz turvar, pela beleza, o olhar para a verdade de muitos conselheiros alvinegros.

Se tem alguém que lucra – em todos os sentidos da palavra – com a construção do “Fielzão”, sem dúvida, é Andres Sanches.

Razão pela qual, quem assume o bônus, tem a obrigação também de absorver o ônus.

Toda e qualquer intercorrência relacionada às obras do estádio são de responsabilidade de seu gestor, no caso, o ex-presidente alvinegro.

Ele é o homem a ser cobrado.

Não por acaso, o atual gestor alvinegro, Mario Gobbi, que sempre se incomodou com os “holofotes” que Sanches atraiu para si, e não dividiu, com os atuais dirigentes, abandonou-o no momento do infortúnio, devolvendo o troco de uma conta pra lá de cara.

Alexandre Kalil ataca Bom Senso FC e defende presidente da CBF

novembro 29, 2013

a1ca1-alexandrekalil

Em duas declarações recentes à PLACAR,  presidente do Atlético/MG, Alexandre Kalil, deixou bem clara sua posição, contrária aos protestos do Bom Senso FC, e de proteção ao presidente da CBF, José Maria Marin.

Os jogadores do Galo foram praticamente ameaçados pelo atual presidente do clube:

“Seria uma boa [a greve]. Poxa vida, vamos fazer uma economia louca. O país tem lei, meu amigo. Se não trabalhar, não recebe. Que eu saiba, não tem jogador do Atlético metido nisso. Até porque eles estão muito ocupados. Têm campeonato mundial, não estão de férias.”

Não sou contra [o movimento]. E não é por medo, não, porque eu nunca tive medo de boleiro. Estamos [clubes e jogadores] do mesmo lado. Mas não é assim que a banda toca. Todo mundo assinou contrato sabendo do calendário. Podiam ter falado: ‘Não, 300 000 reais pra jogar esse tanto de jogo, eu não quero. Esse calendário brasileiro não me serve. Eu vou jogar lá na Síria, onde o campeonato é menor.”

Em edição anterior da publicação, havia feito comentários elogiosos ao presidente da CBF, entidade em litígio com o Bom Senso FC:

“Ele [Marin] vem pagando porque está processando muita gente. Os generais que fizeram as crueldades estavam todos aí 10 anos atrás. Por que não foram atrás deles? Por que pegaram um pobre governador biônico de São Paulo? Porque a imprensa morre de medo do Exército. Agora, vamos pegar o primo do tio do amigo do sobrinho do governador de São Paulo e culpá-los pela ditadura? Tinha cachorro grande pra pegar, os generais estavam todos vivos, mas todo mundo ficou caladinho. Querer CPI na CBF é uma coisa. Misturar alhos com bugalhos, aí não. É covardia misturar política com futebol.”

http://placar.abril.com.br/materia/bom-senso-presidente-do-atletico-mg-ameaca-nao-pagar-jogadores-em-caso-de-greve

http://placar.abril.com.br/materia/em-lua-de-mel-com-a-cbf-alexandre-kalil-critica-suposta-perseguicao-a-marin-e-covardia

Dois dias depois, a FOLHA deve estar preparando o Editorial para defender jornalista – não anônimo – agredido por Andres Sanches

novembro 29, 2013

torcida policia

No início do ano, a FOLHA disparou para o mundo, com Editorial, capa, e diversos articulistas comentando, a informação de que sete jornalistas, seus funcionários, haviam sido agredidos durante as manifestações populares que pediam redução da tarifa de ônibus, entre outras solicitações.

Nunca se soube, porém, o nome dos profissionais, até hoje não divulgados.

Bem diferente é o caso do repórter Daniel Vasques, agredido, há dois dias, pelo ex-presidente do Corinthians, Andres Sanches, e seus “cachorros” da PM.

Há o nome do profissional,depoimento com acusação e testemunhas do fato.

Por que, então, até o momento, o jornal não se pronunciou sobre o ocorrido ?

Há quem diga não ser interessante, para o departamento de esportes, cutucar o vespeiro, mas, ao menos, já que a publicação finge não ser com ela, ficaremos no aguardo do pronunciamento da Ombudsman do jornal, que, por muito menos, tratou um colunista do espaço como “cachorro.”

É o mínimo de respeito – e solidariedade – que um funcionário da casa pode esperar, após ser covardemente agredido por uma facção criminosa, quando representava a FOLHA, no exercício de suas funções.

Processo de Rogerio Ceni foi conduzido por conselheiros do Corinthians

novembro 29, 2013

ceni

Publicamos, durante a semana, que o Mito tricolor, Rogério Ceni, cometeu deslize, grave, que o obrigou a fazer acordo com o MP-SP para não enfrentar julgamento por crime de falsidade ideológica.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/11/27/exame-grafotecnico-derrotou-rogerio-ceni-na-justica/

Por ironia do destino, seu caso foi conduzido por importantes conselheiros do Corinthians.

Sua defesa, lamentável, foi obra do, à época, diretor jurídico do Corinthians na gestão Andres Sanches, Sergio Alvarenga (foto-esq.), que hoje ocupa o cargo de assessor do presidente, delegado Mario Gobbi.

alvarengaobsessivos2

O outro advogado envolvido na questão, Antonio Claudio Mariz de Oliveira, além de ex-Secretário de Segurança de São Paulo, foi patrão do atual presidente do Corinthians, que, logo após se formar em direito, estagiou em seu escritório.

Foram eles que impetraram o pedido de “habeas-corpus” de Rogério Ceni, negado pelo TJ-SP.

alvarenga

Porém, ao observarmos os despacho que indeferiu a liminar, anteriormente concedida, tivemos nova surpresa.

O desembargador responsável por não aceitar o pedido de Ceni foi o Dr. Guilherme Strenger, de estreita relação com o advogado do goleiro, Sergio Alvarenga.

strenger

Strenger, que faz parte do grupo político da atual gestão, no Corinthians, à época, além de conselheiro vitalício, ocupava o cargo de vice-presidente do CORI..

Hoje, é vice-presidente do Conselho Deliberativo do Timão, participando também do Conselho de Ética e Disciplina do clube.

As grandes dúvidas que ficam no ar são:

– não seria o caso, seja qual fosse a decisão de seu despacho (no referido processo, contrária à do paciente julgado), do desembargador se declarar impedido de julgar o “habeas corpus” tão evidente que é a sua ligação com o advogado do réu ?

– não seria o caso do advogado de Ceni, Dr. Alvarenga, evidentemente conhecedor de seus direitos, pedir, ele próprio, o impedimento do julgador ?

– As rivalidades clubísticas, notórias, que colocam em lugares opostos, advogado, jogador e desembargador, não seriam razões suficientes para comprometer o julgamento ?

RELAÇÃO DE DIRETORES DO CORINTHIANS COM DR. ALVARENGA, ADVOGADO DE ROGÉRIO CENI, LISTADO COMO ASSESSOR DE MARIO GOBBI

alvarenga diretoria

DESEMBARGADOR GUILHERME STRENGER, QUE INDEFERIU “HABEAS CORPUS” DE ROGÉRIO CENI, LISTADO COMO VICE-PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CORINTHIANS

strenger conselho

Reinaldo Carneiro Bastos, provável novo presidente da FPF, é conhecido por intimidar e pedir “resultados” a arbitragem

novembro 29, 2013

reinaldo carneiro

É certa a escolha de Reinaldo Carneiro Bastos para disputar as eleições da Federação Paulista de Futebol, com apoio de Marco Polo Del Nero e José Maria Marin.

Ou seja, vencerá.

Os “esquemas”, portanto, serão mantidos.

Bastos tem atuação conhecidíssima nos bastidores do futebol paulista desde os tempos em que infelicitava o Vale do Paraíba em sua triste gestão, nos anos 80, à frente do Taubaté.

Desde sempre foi acusado de pressionar – no pior sentido da palavra – árbitros e dirigentes, além de ser próximo do que pior existia no Brasil em matéria de dirigentes, como, por exemplo, Nabi Abi Chedid, que lhe deu o primeiro cargo na FPF.

Reinaldo foi acusado, também, durante o escândalo do Brasileirão de 2005, pelo próprio juiz “ladrão”, Edilson Pereira de Carvalho, de ser o dirigente da FPF que lhe pedia para “fabricar” resultados, paralelamente ao que ocorria no famoso esquema da jogatina.

Vale lembrar que ambos são oriundos da mesma região, em São Paulo.

Recentemente, pressionado pelo sócio, o Deputado Vicente Cândido (PT), Del Nero quase mudou de ideia com relação ao apoio concedido, agora, a Bastos, porém o enorme rabo preso, que esconde tantas e tantas ações inconfessáveis de bastidores, fizeram-no manter o que já estava apalavrado.

O futebol de São Paulo, que esteve por anos nas mãos pouco cpnfiáveis de Del Nero, nos próximos anos descerá ainda mais no degrau da moralidade esportiva – ou da falta dela – sob o comando de um dirigente – como diria o ex-árbitro Fiori:  “que, para se dar bem, acende vela para Deus, o Diabo e o “Talvez.””

Paralisação do Brasileirão ? Náutico já tinha problemas, mentia e desmentia, meses atrás

novembro 29, 2013

Maikon leite

A situação financeira caótica a que chegou o Náutico, devendo quatro meses de salários a seus jogadores, podendo ocasionar, agora, em caso de não quitação de seus compromissos, até o próximo final de semana, a paralisação do Brasileirão, vem ocorrendo já há alguns meses.

Em setembro, publicamos o caso do atleta Maikon Leite, que era tratado com “esperteza” pela direção do Timbu, deixando-o sempre às portas do terceiro mês de vencimentos atrasados, mas quitando um deles quase no limite, evitando assim que o atleta pudesse romper o vínculo via Justiça do Trabalho.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/09/23/juridico-do-nautico-distorce-a-verdade-sobre-contrato-de-maikon-leite-em-resposta-a-roberto-vieira/

Assim como ocorre nos dias atuais, os dirigentes da equipe pernambucana utilizaram-se do expediente da mentira para desqualificar as colocações publicadas pela imprensa.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/09/23/juridico-do-nautico-distorce-a-verdade-sobre-contrato-de-maikon-leite-em-resposta-a-roberto-vieira/

Fato é que agora a bomba estourou, desmascarou os que faltavam com a verdade e provocou a solidariedade do Bom Senso FC, que ameaça paralisar o Brasileirão imediatamente se as pendências não forem resolvidas.

Uma bucha para a milionária CBF resolver, ainda mais levando-se em consideração que sua existência, além de cuidar da Seleção Brasileira, tem por objetivo auxiliar os clubes de futebol do Brasil, o que torna um possível empréstimo de emergência ao Timbu – ótima ideia lançada no Blog do Juca – absolutamente necessário para o momento.

Depois, apura-se a responsabilidade dos dirigentes pernambucanos, principalmente as denuncias de “embolsamento” de dinheiro, punindo os que, eventualmente,praticaram irregularidades.

Sem limites: Andres Sanches engana Paulo André ao assumir “ideia” da homenagem a menina Karen

novembro 28, 2013

andres pacaembu

Acaba de ser publicado no site do “Globo Esporte”, e também no “Blog do Juca”, que o jogador Paulo André ligou para a garota Karen Pereira, uma das três filhas do operário Fabio Luiz Pereira, morto no acidente de ontem, nas obras do “Fielzão”.

Juca Kfouri, com correção, além das informações descritas acima, limita-se a dizer que Karen era fã do atleta, que, comovido não apenas com a tragédia, mas também pelo carinho da garota, decidiu prestar-lhe homenagem no próximo jogo do Corinthians.

Já no “Globo Esporte”, as informações vieram distorcidas.

“A iniciativa partiu do ex-presidente Andrés Sanchez, que é um dos responsáveis pela construção do estádio corintiano.”, diz o site, levantando a bola do ex-presidente alvinegro.

Paulo André, certamente enganado por Sanches, também caiu na conversa, e declarou:

“O Andrés me disse que a menina era minha fã, só falava meu nome. Ele me passou o telefone e eu liguei. Disse que vou jogar com o nome do pai dela na camisa e depois vou dar a camisa para ela. Ela começou a chorar ainda mais e não acreditava que eu estava ligando de verdade.”

É sempre muito difícil dimensionar o grau de imoralidade ainda possível nos atos de um ser humano como Andres Sanches, ex-presidente do Corinthians.

Mentiras, golpes, traições são tão corriqueiros em suas condutas, que chega até a ser redundante criticá-lo.

Mas, apesar disso, se aproveitar de um momento de tragédia familiar para levar vantagem política num episódio tão lamentável, apesar de crível, por se tratar de quem é, demonstra absoluta falta de limites.

Vamos aos fatos, e as provas.

BLOG DO PAULINHO RECEBE EMAIL DE YAGO ROCHA, AMIGO DE KAREN, DESMENTINDO QUE A IDEIA DA HOMENAGEM TENHA PARTIDO DE ANDRES SANCHES

On Qui 28/11/13 13:19 , Yago Rocha yagodefreitasrocha@hotmail.com sent:

Boa tarde,

Uma notícia no dia de hoje foi dada pela Globo http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/2013/11/paulo-andre-conversa-com-filha-de-motorista-morto-na-arena-do-timao.html falando sobre o Paulo André, que telefonou para a filha de uma das vitimas de ontem, na Arena do Corinthians.
Até aí tudo bem, o que me intrigou foi na parte “A iniciativa partiu do ex-presidente Andrés Sanchez, que é um dos responsáveis pela construção do estádio corintiano.”
O problema disso é que esse contato do Paulo André não foi iniciativa do ex-presidente, e sim minha  junto com umas pessoas num grupo do facebook em que a Karen participa. Nos juntamos e mandamos email para o Corinthians (que até fomos respondido), página no facebook, twitter, etc.
Nos importamos bastante com a Karen, e não fizemos isso para nos promover, porém alguém assumiu o nosso crédito. Temos como provar, com prints do email e da página no facebook. Gostaríamos que publicasse em seu blog a respeito disso, caso queria fazer isso, me responda para que eu passe os prints para você.
Desde já, agradeço.
Yago

EMAIL ENVIADO PELO GAROTO YAGO AO CORINTHIANS, ONTEM, ÀS 19h28m, PEDINDO A LIGAÇÃO DE PAULO ANDRÉ

Email de Yago para o Corinthians

EMAIL RESPOSTA DO CORINTHIANS, ENVIADO HOJE, ÀS 09h06m, AO GAROTO YAGO DIZENDO QUE PAULO ANDRE JÁ HAVIA ENTRADO EM CONTATO COM KAREN

Email do Corinthians para Yago

LINK COM A REPORTAGEM DO GLOBO ESPORTE, PUBLICADA TRÊS HORAS DEPOIS, ASSINADA PELO REPÓRTER ALEXANDRE LOZETTI, CERTAMENTE AVISADO DO OCORRIDO PELO CORINTHIANS, SERVINDO DE ASSESSORIA INFORMAL PARA PROMOVER A “BONDADE” DE ANDRES SANCHES

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/2013/11/paulo-andre-conversa-com-filha-de-motorista-morto-na-arena-do-timao.html

MENSAGENS TROCADAS PELO GRUPO DA GAROTA KAREN, NAS REDES SOCIAIS, DO QUAL PARTICIPA O GAROTO YAGO, VERDADEIRO AUTOR DA IDEIA DA HOMENAGEM, ANTES E DEPOIS DO EMAIL ENVIADO AO CORINTHIANS E DA LIGAÇÃO DE PAULO ANDRÈ

1

2

3

4

5

6

Abraji lamenta agressão a repórter da Folha por ex-presidente do Corinthians

novembro 28, 2013

torcida policia

NOTA OFICIAL

A Abraji lamenta a agressão contra o repórter da Folha de S.Paulo Daniel Vasques, que fotografava com o celular o acidente nas obras do Itaquerão, em São Paulo, nesta quarta-feira (27.nov.2013).

O ex-presidente do Corinthians Andres Sanchez, um funcionário da Odebrecht e seguranças tentaram obrigar o jornalista a entregar o telefone com as fotos do acidente. Um policial militar que estava no local também pressionou Vasques a abrir mão do telefone. Intimidado, o profissional apagou as imagens e acabou expulso do canteiro de obras.

A Abraji lamenta este novo episódio de violência contra a imprensa. Ao agir dessa maneira, o ex-dirigente do Corinthians e o funcionário da Odebrecht atentam contra a liberdade de expressão e o direito à informação. Ao apoiá-los, o policial militar posiciona o Estado contra um direito fundamental do jornalista e da sociedade. Além de Daniel Vasques, que foi agredido, toda a sociedade sai prejudicada do episódio.

http://abraji.org.br/?id=90&id_noticia=2680

NOTA DO BLOG: a FOLHA, local de trabalho do repórter, que moveu mundos e fundos para criticar as supostas agressões a sete (?) jornalistas (que não tiveram os nomes divulgados) durante as manifestações populares, até o momento não se pronunciou sobre o ocorrido com o jornalista, seu funcionário, Daniel Vasques.


%d blogueiros gostam disto: