Anúncios

Archive for março \26\UTC 2017

Blog do Paulinho #100

março 26, 2017
Anúncios

“Lava-Jato” avança na Base do Corinthians

março 26, 2017

Jaça e Nenê do Posto

Na última semana, no âmbito do acordo firmado para impedir o impeachment do presidente Roberto Andrade, as categorias de base do Corinthians foram entregues ao poder do deputado federal Andres Sanches (PT).

Os nomes indicados para representá-lo foram: Nei Nujud (diretor) e Jaça (diretor adjunto).

Ontem, por ordem de Jaça (que é quem, de fato, dará as ordens – representando o parlamentar – no setor) outro diretor foi anexado ao “sistema”: Carlos Roberto Auricchio, vulgo “Nenê do Posto”.

Levando-se em consideração que o novo dirigente já havia ocupado cargo principal no futebol profissional nas gestões “Vicente Matheus” e “Andres Sanches”, tendo saído da última acusando a todos de corrupção, causa estranheza não apenas aceitar a indicação, mas também tornar-se subalterno (terceiro nome) numa diretoria de base.

O discurso de “Renovação e Transparência”, base da eleição de Roberto Andrade, diante do contexto, parece há muito ter sido deixado de lado.

Outra incongruência é o fato de Nenê do Posto ser atual membro do grupo político alvinegro denominado “Lava-Jato”, que carregou bandeiras e faixas pedindo o impeachment de Roberto Andrade, prega “tolerância zero” contra as imoralidades no Parque São Jorge e detonou, publicamente (pelas mídias sociais) a indicação de Jaça e Nujud para cuidar das revelações alvinegras.

Vale lembrar: Jaça tem o nome ligado à contravenção penal (Jogo de Bicho) enquanto Nujud é “famoso” em diversos ramos nebulosos, entre os quais os de confecção e os que remetem à “boca do lixo” nas negociações de automóveis.

Em mensagem enviada ao blog, quando esperava-se pela expulsão do novo dirigente, o grupo “Lava-Jato”, através de um de seus líderes, Roberto William Miguel, o libanês, capitulou:

“Eu, Roberto (William) como líder da “Lava-Jato”aceitei que o Nenê seja um diretor no Amador, para que ele seja um fiscal nosso, porque ele é uma pessoa que quer ajudar o Corinthians, como todos nós do grupo “Lava-Jato” queremos ajudar o Corinthians”.

“Esperar isso até o ano que vem (por conta das eleições 2018) é muito tempo, é muita sangria que pode prejudicar ainda mais o nosso amado clube Corinthians”

“Ele vai estar lá (na base) como sendo um fiscal nosso… caso ele veja irregularidades, imediatamente passaremos para toda a imprensa, e ele sairá de lá… a função dele é ajudar o Corinthians”

Confira abaixo, áudio (com a devida transcrição) de Nenê do Posto, logo após sua saída da diretoria do Corinthians, na gestão Andres Sanches, revelando os podres do grupo que agora aceitou “ajudar” novamente:

“Eu estava sendo uma pedra no sapato destes dois moços: o Antonio Carlos e o Mario (Gobbi)”

“O Andres (Sanches) dava uma de Lula… que não sabia de nada”

“Estou sabendo que ele (Andres) jantava duas, três vezes por semana com o Antonio Carlos e o Mario, mesmo porque o Antonio Carlos é como se fosse irmão dele”

“Problemas seríssimos lá com o futebol, né… a vaidade pessoal do Dr. Mario Gobbi foi assim uma coisa que cresceu assustadoramente nos últimos três meses”

“Tudo ele fazia por trás dos panos… contratações tudo às escondidas… quando a gente sabia o cara estava se apresentando…”

ABAIXO ÁUDIO DA MENSAGEM ENVIADA PELA “LAVA-JATO” EM DEFESA DE NENÊ DO POSTO

São Paulo tem gestão financeira preocupante

março 26, 2017

Apesar de, em período eleitoral, o presidente Leco, do São Paulo, divulgar (sem comprovar) que a situação financeira do São Paulo melhorou em sua gestão, os números reais do balanço do clube desmentem a afirmação.

A dívida subiu de R$ 238,5 milhões para R$ 275,7 milhões em 2016.

Destes valores, boa parte por conta de empréstimos, bancários e até com pessoas físicas (sempre suspeitos), que em regra passam a impressão, para que desconhece o procedimento, de inexistente saúde financeira.

O São Paulo deve:

  • R$ 88,3 milhões para bancos diversos;
  • R$ 78,2 milhões para clubes;
  • R$ 33 milhões em empréstimos com pessoas físicas (não há, embora deveria haver, a especificação de quais);
  • R$ 83,7 milhões em impostos diversos;
  • R$ 7,6 milhões à repor em seu CAIXA.

Se a oposição do São Paulo é marcada pela associação de gente expulsa do clube por corrupção, a situação não é o grupo dos sonhos, demonstrando que os caminhos tricolores, sejam quais forem os próximos gestores, tendem a continuar tortuosos.

Os cartolas da CBF demonstram falta de pudor

março 26, 2017

(trecho da coluna de JUCA KFOURI na FOLHA)

Pudor zero

É preciso chamar a Polícia Federal, o Ministério Público, o diabo a quatro porque, desgraçadamente, o torcedor ainda não se mobiliza pela causa e os clubes são covardes e desunidos.

Mas se a carne é fraca a CBF é podre e acaba de perpretar mais um crime lesa-futebol brasileiro ao driblar a nova legislação esportiva e dar peso três ao voto das 27 federações estaduais, as capitanias hereditárias que passam a ter 81 votos contra apenas 60 de 40 clubes.

Juntas, as federações do Amapá e do Distrito Federal, sem clube algum nas principais divisões, têm seis votos enquanto, somados, Flamengo e Corinthians, os dois mais populares clubes do país e ambos na Série A, têm quatro.

A federação do Piauí, sozinha, também sem representatividade alguma, tem o mesmo peso de Inter e Santa Cruz, da Série B: dois votos.

Tudo porque a Profut exige a participação dos clubes das duas principais séries nas eleições da Casa Bandida do Futebol.

A pornográfica cláusula de barreira foi mantida, o que inviabiliza a candidatura de alguém fora do bando.

Marco Polo não viaja, mas segue livre para desrespeitar um mínimo de decoro.

Polícia, socorro!

Projeto do estádio de Itaquera, aprovado pelo Conselho do Corinthians, já estava com sobrepreço ?

março 25, 2017

Durante a semana, em delação premiada, Marcelo Odebrecht, presidente da construtora do estádio de Itaquera, disse que o projeto inicial do empreendimento foi orçado em R$ 200 milhões.

Vale lembrar que qualquer mentira neste depoimento eliminará as vantagens propostas ao empresário, que, por consequência, terá ampliado seu prazo de prisão.

Odebrecht será ainda obrigado a comprovar, com documentos, suas afirmações.

Ou seja, é pouco crível que não esteja falando a verdade.

Em 2010, o ex-presidente do Corinthians, deputado federal Andres Sanches (PT), levou ao Conselho Deliberativo do clube o projeto de construção do estádio em Itaquera, que foi aprovado com o custo de R$ 330 milhões, sob a promessa, ainda, que o clube não colocaria um tostão sequer na obra, que seria bancada com incentivos fiscais.

Diferença de R$ 130 milhões para os valores agora delatados por Odebrecht.

O custo final do estádio, após diversas assinaturas de aditivos (a PF acredita, estimulados com “agrados” da construtora a Andres Sanches), ficou em R$ 1,2 bilhão (sem contar juros, empréstimos e correções).

A dúvida é: desde a origem, ou seja, na reunião de aprovação do Conselho, o estádio de Itaquera foi apresentado com sobrepreço ?

Faz-se necessária apuração minuciosa sobre esta questão, e, em comprovado mais este ato de má-fé, a expulsão dos envolvidos do Parque São Jorge.

A 45ª volta em torno do Sol

março 25, 2017

Compartilho com o leitor do Blog do Paulinho, razão de ser desse espaço, minha 45ª volta em torno do Sol.

Dez delas, quase onze, acompanhadas por vocês.

Poucas razões para queixas, e muitos motivos para comemorar.

Boa saúde, esposa parceira, poucos amigos – absolutamente leais e generosos – além de um filho que emociona-me a cada minuto.

E a felicidade de, todos os dias, dividir informações e opiniões com leitores fieis, inteligentes, e que me orgulham pelo fato de não se deixarem levar pelo senso comum, pensando, questionando e contribuindo para que a verdade – objetivo de todos – seja sempre divulgada.

Muito obrigado a todos, por tudo, sempre !

Ronaldo, Marcelo e o Real Madrid

março 25, 2017

Não é mais segredo para ninguém que o Ronaldo, fenômeno dentro de campo, demonstra distorções de comportamento graves fora das quatro linhas.

Sua atuação ao lado de Andres Sanches, no Corinthians, e na blindagem dos presidentes da CBF, desde Ricardo Teixeira até Marco Polo Del Nero, revelaram que não há limites para atingir seus objetivos.

Anteontem, comentando a partida da Seleção Brasileira contra o Uruguai, mais especificamente o lance em que Marcelo errou recuo de bola que resultou em penalidade favorável aos adversários, Ronaldo isentou o lateral, colocando a culpa, na maior cara de pau, no goleiro.

Os bastidores explicam, com facilidade, a estranha “opinião”.

Ronaldo recebe salários do Real Madrid (num desses cargos de “aspones”), clube que é defendido por Marcelo profissionalmente.

Dever de guardar sigilo sobre operações é da polícia

março 25, 2017

Da FOLHA

Por DEMÉTRIO MAGNOLI

O blogueiro Eduardo Guimarães foi alçado das catacumbas da internet ao palco iluminado da política nacional pela Polícia Federal. Dias atrás, submetido a condução coercitiva, prestou depoimento sobre sua participação no vazamento da Operação Lava Jato que teve Lula como alvo, no início de 2016.

Segundo a PF, o blogueiro teria se engajado em obstrução da Justiça ao repassar ao Instituto Lula informações sobre a iminência da condução coercitiva e da quebra do sigilo fiscal do ex-presidente. As alegações policiais não passam de pretextos para justificar um ato de arbítrio.

Guimarães é uma das tantas vozes que, organizadas em matilha e muitas vezes financiadas pelo dinheiro fácil das estatais, consagraram-se à difamação sistemática dos críticos do lulopetismo. Na era da pós-verdade, ele utiliza os mesmos métodos das fábricas de rancor do kirchnerismo, na Argentina, ou da alt-right americana, a direita nacionalista que corteja Trump.

Sob a capa de seus textos primitivos, pontuados pelos previsíveis chavões, os “comentaristas” (isto é, militantes da rede partidária) fazem a parte mais suja do serviço, difundindo calúnias preservadas de ações judiciais pelo recurso ao anonimato. Depois, robôs replicam suas sentenças nas redes sociais, produzindo “correntes de opinião”.

Nada disso, porém, autoriza uma perseguição policial amparada em pretextos, mesmo se engenhosos.

Do teclado odiento de Guimarães, já emanaram ameaças (pouco) veladas. “Os delírios de um psicopata investido de poder discricionário como Sérgio Moro vão custar seu emprego, sua vida”, escreveu em junho passado, ultrapassando a fronteira entre opinião e incitamento. Isso daria um merecido processo criminal, mas não tem relação com sua condução coercitiva. Os supostos crimes pelos quais tornou-se investigado simplesmente inexistem. A PF age movida pela vingança – ou para ocultar suas próprias falhas.

O dever de guardar sigilo sobre operações policiais em curso não é de Guimarães, mas da polícia. Nenhuma lei proíbe um cidadão comum de retransmitir informações ou rumores que ouviu. Se a PF foi incapaz de proteger seus segredos, por que um militante partidário seria obrigado a ajudá-la? A ideia subjacente à ação da PF, de que o conjunto dos cidadãos deve lealdade aos aparelhos judiciais e policiais, é típica de sociedades totalitárias.

Há, de fato, algo a fazer quanto aos recorrentes vazamentos de operações da Lava Jato, mas os alvos certos encontram-se mais perto dos agentes policiais: nos quadros da própria PF, da Receita Federal e do Ministério Público.

A PF argumenta que Guimarães não tem a prerrogativa do sigilo da fonte, pois seu blog não é veículo de imprensa, mas ferramenta de propaganda política, e ele mesmo não se qualifica como jornalista, mas como comerciante. Ocorre, em primeiro lugar, que a fonte do blogueiro carece de relevância, pois já era do conhecimento da polícia.

Em segundo lugar, e mais importante, a separação entre jornalismo e militância política pertence ao universo do debate público, não ao dos códigos legais. Nas democracias, a identificação do jornalismo marrom depende do esclarecimento da opinião pública, não de um edito policial ou judicial. O princípio, que vale para todas as épocas, aplica-se ainda mais à nossa era da pós-verdade.

As sociedades abertas distinguem-se das tiranias por protegerem, no limite da lei, a liberdade dos que as detestam. O blog de Guimarães evidencia, cotidianamente, sua aversão à pluralidade política. Se, nos tempo de glória lulista, a PF inventasse acusações destinadas a perseguir críticos do governo, ele aplaudiria o arbítrio, tocando seu bumbo entediante. Os Guimarães celebram, quando Putin, Maduro ou Castro manipulam juízes amestrados para encarcerar “inimigos do povo”. É porque somos diferentes deles que não os imitamos.

Coluna do Fiori

março 25, 2017

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Mentira é coisa de gente covarde. Quem tem coragem fala a verdade doa a quem doer”

Origem desconhecida

————————————————————- 

Cínicos

Na camufla, Marco Polo Del Nero presidente da CBF e fugitivo do FBI, em conluio com os presidentes das federações deram um chega pra lá na Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte (LRFE) acidentando o estatuto da entidade sem a participação dos clubes das Séries A e B do campeonato brasileiro

Cônscios

Nada estranho o calar dos presidentes dos clubes. Tanto quanto Del Nero, são defensores dos próprios interesses; o clube que se dane

————————————————————–

9ª Rodada da Série A1 do Paulistão 2017

Sábado 18/03

São Paulo 1 x 1 Ituano

Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Item Técnico

– foi correto por ter marcado infração e levantado o braço indicando tiro livre indireto cometido por Cueva, atleta são-paulino no momento que tocou na redonda após o goleiro do Ituano tê-la soltado para o chão com proposito de reiniciar a refrega

Pactuou

– outro acerto do árbitro ocorreu no momento que concordou com a sinalização de impedimento do assistente 02: Mauro André de Freitas, no instante que Simão atacante do Ituano, tirou proveito da posição de impedimento para tocar a bola profundo da rede adversaria após cobrança de falta

Item Disciplinar

Foi bem por ter advertido com o amarelo: 04 são-paulinos, igualmente, 01 dos oponentes

Balançou

A despeito do acerto na falta cometida por Cueva, pressionado por são-paulinos, Rodrigo Guarizo deixou de tê-lo advertido com cartão amarelo, se o fizesse, somaria 02, resultando no vermelho

Domingo 19/03

Ferroviária x Corinthians 

Árbitro: Raphael Claus

Item Técnico

Bem marcada a penalidade máxima a favor da Ferroviária; o erro ocorreu depois:

Posicionamento

Antes de autorizar a cobrança da penalidade Rafael Claus se posicionou em local apropriado, o assistente 01: Bruno Salgado Rizo, na linha de fundo, pouco antes do poste esquerdo do goleiro;

Liberou

Alan Mineiro atacante da equipe mandante, cobrou, bola bateu no poste esquerdo, na volta tocou na mão do goleiro, em seguida, sobrou para Alan Mineiro, que, ajeitou com o braço direito (neste ato ocorreu ilegalidade), sequenciando com o chute profundo da rede corintiana

Falha

Principal pode ser debitada ao assistente 01 Bruno Salgado Filho, vez que, por estar de frente para Alan Mineiro, tinha como dever levantar e acionar a bandeirinha indicando ao árbitro a irregularidade

Afoiteza

Quero crer que depois da batida da bola no poste, ocorreu à precipitação do assistente para voltar a lateral do campo, este movimentar, certamente, impediu que visse Alan Mineiro dominar a redonda com o braço

Nota

Mesmo bem colocado Rafael Claus deve ter tido sua visão obstada pelo corpo do atacante, como também; quero acreditar que não tenha tido o intuito da irregularidade

10ª Rodada – Quarta Feira 22/03

Palmeiras 2 x 0 Mirassol

Árbitro: Rafael Gomes Felix da Silva

Item Técnico/Disciplinar

Nada de anormal no trabalho dos representantes das leis do jogo

Quinta Feira 23/03

Corinthians 1 x 1 Red Bull Brasil

Árbitro: Salim Fende Chavez

Assistente 01: Risser Jarussi Corrêa

Assistente 02: Vitor Carmona Metestaine

Item Técnico

Não ocorreram lances que pudessem colocar em cheque a parte técnica do principal representante das leis do jogo

– Foi bem auxiliado e acatou a sinalização dos assistentes quando da marcação dos impedimentos

Item Disciplinar

Aceitável

Observação

Comparando seu comportar nesta contenda, com a explicita prepotência demonstrada nas anteriores, Salim Fende Chaves, salvo uma ocasião, apresentou melhoria

Eliminatória para Copa do Mundo 2018

Uruguai 1 x 4 Brasil

Árbitro: Patrício Losteau (ARG)

Itens Técnico/Disciplinar

Trabalho normal dos representantes das leis do jogo

————————————————————-

Politica

Sempre foi assim mesmo. E daí?

Acusar polícia de idiotice não trará de volta compradores de nossa carne no exterior

Na sexta-feira, o Brasil recebeu a chocante notícia de que muitos frigoríficos nacionais – entre os quais, os maiores – protagonizavam um escândalo que atingia ao mesmo tempo o bolso e o estômago dos brasileiros: a maquiagem de carne podre com ácido ascórbico e a mistura de papelão e outros ingredientes indesejados nos embutidos nossos de cada dia. O País é o maior exportador mundial de carne. Et pour cause, a venda de alimentos contaminados com o beneplácito da fiscalização federal, além de nociva à saúde do consumidor interno, prejudica as receitas de exportação num momento de penúria causada pela maior crise econômica da História.

Numa reação inédita, o presidente Michel Temer, que até hoje não se dignou a visitar os presídios conflagrados no início do ano em Manaus, Boa Vista e Nísia Floresta, na Grande Natal, chefiou uma série de reuniões para anunciar medidas como compor uma força-tarefa para reforçar a fiscalização da pecuária. Além disso, o episódio provocou uma reação indignada do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que, em defesa de seus parceiros da agroindústria, condenou a investigação policial. Numa entrevista em que esquartejou a pobre língua portuguesa com uma sequência atroz de barbarismos inaceitáveis num aluno de grupo escolar, reclamou da ausência dos investigados na avaliação técnica da investigação. E classificou de “idiotice” insana a interpretação do uso de papelão na carne, atribuindo-o à embalagem e esquecendo-se de informar desde quando frigoríficos exportadores embalam carne com o dito material.

O presidente Michel Temer defendeu a Polícia Federal (PF), que, num desvario dos desesperados ante os efeitos maléficos da divulgação da investigação, foi comparada aos responsáveis por um dos maiores erros policiais, com cumplicidade dos meios de comunicação, da História: o caso da Escola Base, em São Paulo. Nenhum dos acusadores, contudo, se lembrou de apontar uma causa lógica para tamanha irresponsabilidade da PF.

Nervoso e confuso, Temer adotou a desculpa usada pelos pecuaristas, que também participaram da reunião dele com a imprensa e 40 diplomatas das embaixadas de 27 países compradores: das 4.837 unidades sujeitas à inspeção federal, apenas 21 foram acusadas de irregularidades. “E dessas 21, seis exportaram nos últimos 60 dias.” Para provar sua convicção, o presidente convidou os presentes no encontro para comer carne de boi, postando em seu Twitter: “Todas as carnes servidas ao presidente Temer e embaixadores na churrascaria Steak Bull eram de origem brasileira”. Mas a Coluna do Estadão foi informada pelo gerente, Rodrigo Carvalho, que tinham corte europeu, uruguaio e australiano. Um papelão!

Vexames do tipo poderiam ser evitados se o governo tratasse o escândalo com a transparência sugerida pelo ministro Maggi, “rei da soja”, citado nas delações premiadas da Odebrecht e tido como responsável por metade da devastação ambiental brasileira entre 2003 e 2004, segundo o Greenpeace. Não será com truques de malandro campainha (que se anuncia antes de assaltar) que os governantes e pecuaristas brasileiros manterão seus mercados, invejados por outros grandes e poderosos produtores de carne. De Genebra, Jamil Chade relatou que, se o Brasil não retirar essas companhias da lista de exportação, a União Europeia vai bloquear a entrada dos produtos. E China, Hong Kong e Chile informaram oficialmente ao Ministério da Agricultura a suspensão de importação de nossa carne.

Não é desprezível a afirmação do delegado Maurício Moscardi Filho de que a propina que a PF diz ter sido paga a fiscais irrigava contas do PMDB e do PP. Esses partidos – antes aliados de Dilma e agora, de Temer – ocupam a pasta há 18 anos. Maggi trocou o PR pelo PP para assumi-la na atual gestão. E esse não é o primeiro dano provocado pelo loteamento do governo federal.

Não faltará quem lembre que se compram fiscais nestes trágicos trópicos desde o desembarque de Cabral em Porto Seguro. Já há também quem lembre que corrupção na política não é uma exclusividade brasileira, uma jabuticaba, como se usa correntemente. Pois sim! E não disse Otto Eduard Leopold von Bismarck-Schönhausen, duque de Lauenburg, unificador da Alemanha sob o punho da Prússia, morto antes da chegada do século 20, que “os cidadãos não dormiriam tranquilos se soubessem como são feitas as salsichas e as leis”? Pois então…

A sábia sentença vale como nunca no Brasil destes nossos idos de março, nos quais não faltam também trágicos avisos, como o que o general romano Júlio César ouviu, nas ruas de sua Roma, de um vidente anônimo sobre os punhais que o esperavam na escadaria do Senado. A não ser que a PF tenha cometido barbaridade similar à da Escola Base, em que um casal de educadores perdeu tudo pela acusação cruel de uma criança que viralizou na imprensa, a onda de lodo que se abateu sobre toda a República não terá poupado a galinha de ovos de ouro da economia nacional: nossa produtiva, próspera e moderna agroindústria. Se a polícia exagerou, o caso merece punição pesada.

Mas se a polícia contou, como parece lógico, a verdade, não dá para cair na lorota do empreiteiro Emílio Odebrecht, que desonrou a memória do pai, Norberto, que construiu e deu nome à maior empreiteira do Brasil, pretendendo conquistar o perdão para o filho, Marcelo, e seus comparsas. E, para tanto, adotou o mantra sórdido de Tavares, o canalha cínico encarnado por Chico Anysio: “Eu sou, mas quem não é?”. Ou seja, “não foi?”.

A Operação Carne Fraca, que deveria chamar-se Carne Podre ou Carniça, precisa abrir a caixa-preta onde se guardam mistérios como o milagre da multiplicação das picanhas, em que uma família de pequenos açougueiros de Anápolis hoje controla a empresa campeã na produção de proteína animal neste mundão todo.

Autor: Jose Nêumanne – Jornalista, poeta e escritor. Publicado no Estadão do dia 22/03/2017

—————————————————————

Ignóbil

Vicente Cândido, deputado federal, relator da reforma politica, um dos centenas de investigados envolvidos nas diversas safadezas que prejudicaram e prejudicam o nosso dia, dia, saiu na defesa dos seus interesses, sequencialmente, das centenas de semelhantes acobertados pelo nojento foro privilegiado, e, no maior descaramento, defende que o Congresso discuta a anistia para todos os envolvidos na Operação Lava Jato

—————————————————————-

Finalizando

“A mentira anda tão maquiada, tão aparentemente verdadeira, tão defendida que se bobear a verdade vai presa por falsidade ideológica”

Raquel Piffer – pensadora

——————————————————————

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-25/03/2017

Ouça abaixo os programas “COLUNA DO FIORI”, desta semana, que foram ao ar pela rádio Rock n’ Gol (http://rockngol.com.br)

*A coluna é também publicada na pagina Facebook:  “No intervalo do Esporte”

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Os clubes aceitarão a afronta da CBF ?

março 24, 2017

Ontem, como de costume, em Assembléia Geral, a CBF alterou seu estatuto de maneira a prejudicar os clubes, em favorecimento a seus desejos, de sua gente e das Federações, que tem entre seus presidentes mensaleiros da entidade.

O argumento de dar voz às equipes de Série B (que agora terão direito a voto nas eleições) tratou-se de ardilosa manobra, que, em verdade, deu “presente” com uma mão, mas chutou o traseiro dos “presentados” com uma bota absolutamente enlameada.

Elevou-se, ao mesmo tempo, o peso dos votos das Federações (inúteis e caríssimos cartórios à serviço dos interesses da CBF) para “três”, enquanto as agremiações, que achavam, seriam agraciadas, decaíram para ‘dois”.

Em resumo, numa eleição futura, as Federações contam com 81 votos (já computadas as multiplicações) contra apenas 60 dos clubes (somados séries A e B).

Ainda assim, apesar da imensa vantagem em ter na maioria dos votantes gente que consegue comprar com dinheiro investigado, a CBF manteve a indecente clausula que obsta qualquer possibilidade de renovar a entidade sem que os candidatos beijem as mãos dessa escumalha: é impossível disputar a presidência da Casa Bandida sem possuir a indicação, formal, de oito Federações.

Se da CBF não se esperava mais do que o que foi apresentado, é dos clubes, mais uma vez afrontados, que, talvez, possa surgir a esperança: será que não há um dirigente sequer capaz de peitar essa gente, criando Ligas que retirem os campeonatos das mãos destes assalariados de um presidente procurado pelo FBI, resguardando os direitos das próprias agremiações, que de protagonistas que deveriam ser são tratadas como se fossem meros peões em tabuleiros de xadrez ?

Com Nei Nujud na base do Corinthians só falta tocar a moda de “quadrilha”

março 24, 2017

O presidente do Corinthians, Roberto “da Nova” Andrade, seguiu a cartilha da “Crônica da Morte Anunciada”, que já era de conhecimento do leitor deste blog, empossando para o cargo de diretor das categorias de base o mal-afamado Carlos “Nei” Nujud, de passado deplorável no Parque São Jorge.

Sua função será a de beijar as mãos do novo homem forte do setor, o conselheiro Jacinto Antonio Ribeiro, o Jaça, que reza a missa de Andres Sanches.

Todos, evidentemente, lucrarão com a lealdade.

O Corinthians, muito provavelmente, não.

Se estivéssemos no meio de ano, diante de tantos semelhantes no mesmo departamento, só faltaria tocar a moda de “quadrilha”, para que todos pudessem se divertir ainda mais.

Levando-se em consideração que a chapa eleita nas últimas eleições do Corinthians tinha por lema “renovação e transparência”, os últimos acontecimentos destoam um pouco do que fora prometido.

Roberto tem como vice-presidente André Negão, ex-diretor da base nos anos 2000, preso diversas vezes por contravenção penal ligada ao Jogo de Bicho, porte de armas, agressões (uma delas contra mulher), ameaça, entre outros crimes, além de ter sido levado, coercitivamente, para depor na Operação Lava-Jato, acusado de receber dinheiro da Odebrecht.

Na diretoria de futebol está Flavio Adauto, diretor de comunicação da era Dualib, acusado de receber vantagens em negociações da “Coca-Cola” com o Corinthians, na gestão Andres Sanches.

Emerson Piovesan, outro diretor de Dualib ocupa setor estratégico, o de finanças, que até o momento (quase em abril) sequer conseguiu aprovar Previsão Orçamentária para 2017.

Na Secretaria Geral, Antonio Rachid, braço direito de Dualib, antes acusado pelos atuais dirigentes de diversas irregularidades, mas agora aplaudido por todos, após manobra que ajudou a impedir impeachment do atual presidente.

Por fim, na base, por imposição de Andres Sanches, a “renovação” se dá com os nomes de Nei Nujud, Jaça (ambos dirigentes da gestão Dualib, ligados a Nesi Curi) e do ex-lateral Coelho, que enquanto atleta era agenciado por Andres Sanches.

PARA SABER MAIS SOBRE CARLOS “NEI” NUJUD CLIQUE NOS LINKS ABAIXO:

Rolos, desvios e automóveis: as falcatruas do candidato a presidente do Corinthians com seu indicado a diretor de futebol

Em 2000, Carlos “Nei” Nujud, braço direito de Roberto “da Nova” Andrade, foi desmascarado pela revista Placar

“Botei o (Nei) Nujud pra correr do Parque São Jorge”, diz Tuma Jr.

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

março 24, 2017

Blog do Paulinho

Coluna do Fiori

A Seleção de Tite e o Paulinho de Felipão

março 24, 2017

Está se tornando hábito (ainda bem !) elogiar a Seleção Brasileira depois que Tite a assumiu, diante da excelência do futebol apresentado, mesmo que ainda com jogadores (apesar de alguns acima da média) aquém do nível doutrora.

Ontem, contra o Uruguai, no Centenário, o massacre por quatro a um tem alguns pontos a serem destacados.

Neymar, que marcou um golaço, continua doutro planeta: habilidoso, eficiente e corajoso.

Coeso, o time de Tite (ou seriam “os times”) joga por música, como se os jogadores entrassem em campo vendados e ainda assim soubessem para onde correr, marcar e fazer gols.

Mas é Paulinho que, mesmo jogando na China, sob a desconfiança, compreensível, de torcedores e jornalistas, que precisa ser explicado.

O ex-volante do Corinthians, apesar da facilidade em dizer: “com o Tite ele joga”, em verdade, deve muito de sua nova maneira de atuar ao treinador Felipão.

Quem acompanha o campeonato chinês (em verdade assisto, pela manhã, via internet, apenas os jogos do Guangzhou Evergrande – o melhor do país) não se surpreendeu com o comportamento quase de atacante do jogador.

Os três gols de Paulinho, históricos, são fruto deste desenvolvimento, inciado, claro, nos tempos de Corinthians, mas amadurecido sob a batuta de Luis Felipe Scolari, talvez até pela necessidade da equipe que dirige, que carece de bons jogadores de frente.

O Brasil disputará o Mundial de 2018 como favorito ao título, jogando um futebol absolutamente agradável, que poderá, ganhando como em 58/62/70/94 ou 02, ou perdendo, como em 82, por conta do contexto exposto acima (principalmente se Neymar estiver inspirado), ser tratada como inesquecível.

Ação criminal no STF contra Andres Sanches (PT) é redistribuída para Alexandre de Moraes

março 24, 2017

Recém empossado no cargo de Ministro do STF, Alexandre de Moraes herdou o Inquérito nº 4276, que investiga crimes de fiscais e a prática do golpe de “arara”, que tem como réus o deputado federal Andres Sanches (PT) e a empresa, supostamente de “fachada”, Quiron Distribuidora de Embalagens Ltda.

O processo, anteriormente, estava no gabinete de Teori Zavascki, morto, meses atrás, em acidente de avião.

Não é o primeiro problema de Sanches com o mesmo tema criminal no STF.

Há ainda o Inquérito nº 4357, sob julgo do Ministro Celso de Mello, em que os investigados são Andres Sanches, seus parentes, sua contadora e duas funcionárias que serviram de “laranja”.

Presidente do Auto Esporte levanta nova suspeita contra o Botafogo/PB

março 24, 2017

Watteau Rodrigues

Revelamos, dias atrás, áudio do jogador Walter, ex-Botafogo/PB, contando que quando atuava no clube seus dirigentes tinham por hábito comprar jogos, corrompendo a arbitragem.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/03/22/zagueiro-entrega-compra-de-resultados-favoraveis-ao-botafogopb-os-caras-sao-safados-demais/

O caso, por razões óbvias, teve grande repercussão na Paraíba.

Walter veio a publico, em impressionante “cara de pau”, desmentir a autoria do áudio, e, até o momento, os representantes da arbitragem, sejam os da FPF ou o sindicato, estão calados.

Prejudicado no que parece ter sido uma armação em 2015, o presidente do Auto Esporte,  Watteau Rodrigues, em entrevista, disse ter levado o caso à Polícia, relembrando que no referido jogo (que Walter diz ter sido comprado), vencido pelo Botafogo/PB por três a um, duas penalidades deixaram de ser assinaladas a seu favor,

Foi, porém, em grupo de wathsapp que Watteau contou um episódio, envolvendo esta partida, mais impressionante (que deverá fazer parte do inquérito).

O dirigente disse que à época o principal atleta do Auto Esporte, Jô Boy, às vésperas da decisão contra o rival, abandonou a concentração numa sexta-feira, apresentando-se como jogador do Botafogo/PB, dois dias depois, na segunda:

“Chegou um carro lá sábado de manhã, e Jô Boy abandonou a concentração e o jogo”

“Jó Boy, que era a revelação do campeonato daquele e o mais perigoso atacante do Auto, abandonou a concentração no sábado antes do jogo com o Botafogo, este que Walter fala. Depois apareceu como contratado do Botafogo ! Dois dias depois….”


%d blogueiros gostam disto: