Advertisements

Archive for Maio, 2017

Nunca mais as negociações para transmissão de eventos esportivos serão as mesmas

Maio 31, 2017

A revolução nas transmissões de futebol no Brasil, iniciada pelo histórico Atletiba, procedimento agora copiado pela CBF, não tem volta: nunca mais as negociações sobre direitos televisivos de eventos esportivos serão as mesmas.

Com a evolução tecnológica do streaming, que fez o Netflix, em exemplo, dilacerar com as locadoras de vídeo e ultrapassar, em assinantes, as tvs a cabo americanas, e das “Smarts Tvs”(que possuem amplo leque de opções), o aficionado por esportes consegue assistir, por diversas mídias, com enorme qualidade (até em 4k) o evento que julgar mais satisfatório para sua audiência.

Ninguém mais está preso ao sistema que, durante décadas, formatou a engessada grade das emissoras tradicionais.

Por conta disso, Atlético/PR e Coritiba, a princípio mais por necessidade, depois, com o resultado positivo, por questões comerciais, mostraram aos cartolas, aos profissionais de marketing e anunciantes que existe vida fora da tvs abertas e fechadas do Brasil.

É evidente ser muito mais lucrativo os donos dos jogos (clubes, federações e confederações) produzirem, por si (cada vez a menor custo com o avanço da tecnologia), os conteúdos que antes somente poderiam existir se transacionados a terceiros (caso da Rede Globo), vendendo, dentro deste contexto, os próprios anúncios comerciais, recebendo bem mais dinheiro, a longo prazo, do que o investimento anterior das emissoras tradicionais.

Em exemplo: a Globo, anteriormente, pagava um valor “x” para transmitir os jogos do Corinthians, que, antes sem a tecnologia de agora, se via obrigado a vender a transmissão (por não dar conta de realizá-la), aceitando pelo negócio valores ínfimos diante do que a emissora arrecadaria, com anunciantes, em cada exibição.

Hoje, produzindo seus próprios conteúdos, os clubes e federações podem vendê-lo para o mercado, sem intermediários, por valores relevantes, exibindo-os, se quiser, pelas mídias sociais (sem custo) ou pelo modelo adotado pela CBF, de locar espaço em emissoras mais baratas.

Além disso, haverá ainda o aumento de postos de trabalhos para profissionais de televisão, rádio e imprensa (sim, porque os jogos podem ser repassados, também, à webradios), apesar de que, nesse contexto, esperar-se-a muito mais transmissões marcadas pela promoção do jogo do que propriamente pela isenção jornalística.

Convenhamos, o mesmo efeito colateral que ocorria, até então, nas transmissões da Rede Globo, enquanto a emissora era sócia da CBF nos eventos envolvendo a Seleção Brasileira.

O mundo da comunicação mudou e os dirigentes de clubes, se souberem entender a nova realidade, poderão, talvez, encontrar meios interessante de gerar receitas às suas agremiações bem maiores e mais consistentes (ligadas à fidelidade do torcedor) do que as anteriores, das quais não passavam de meros comissionados de veículos de comunicação, que serviam-se de quase a totalidade das fatias do bolo.

Advertisements

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

Maio 31, 2017

Blog do Paulinho

André Negão insinua que diretoria do Corinthians tem “ladrões” e “incompetentes”

Maio 31, 2017

“Você tem que ser malandro e falar: “olha, essa diretoria (do Corinthians) pode estar cheia de ladrões, incompetentes, mas fizeram uma coisa decente, só isso… você vai ser mais malandro que que você imagina”

(áudio de conversa por wathsapp mantida pelo vice-presidente do Corinthians, André Negão, com ex-jogador alvinegro que trabalha na mídia, e criticava a diretoria, que o blog não identificará por somente possuir meios de autenticar um dos interlocutores)


Efeito borboleta: Andreas, o irmão de Suzane von Richthofen

Maio 31, 2017

“Hoje fomos chamado pra atender uma ocorrência de invasão a quintal, ao chegarmos lá deparamos com este indivíduo da foto que se assustou e tentou correr.”

“O acalmamos e verificamos que se tratava de um usuário de drogas, e que o intuito não foi de furtar a residência.”

“Ao verificar os documentos pessoais, constatamos se tratar de Andreas, irmão de Suzane Richthofen, assassina dos pais.”

(Relato dos policiais que realizaram a ocorrência que culminou na transferência de Andreas von Richthofen ao Hospital Psiquiátrico do Campo Limpo, após encontrá-lo em deplorável estado físico e mental, numa das diversas cracolândias de São Paulo (na região de Santo Amaro))

CBF e curso de treinadores: conspiração contra o público

Maio 31, 2017

Da FOLHA

Por HÉLIO SCHWARTSMAN

“Pessoas do mesmo ofício raramente se encontram, mesmo que em alegria ou diversão, mas, se tiver lugar, a conversa acaba na conspiração contra o público, ou em qualquer artifício para fazer subir os preços.” A frase, de Adam Smith, captura algo essencial sobre a natureza humana: tendemos ao corporativismo.

E os traços dessa contínua conspiração contra o público aparecem onde menos se espera. Foi com surpresa que li na Folha de terça-feira que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) criou uma norma, a vigorar a partir de 2019, que obrigará todos os técnicos de futebol a passarem por um curso oferecido pela… CBF.

Tal regra, que não tem força de lei, mas tende a ser seguida pelos clubes, é mais bem descrita como uma mistura de advocacia em causa própria com venda casada. O curso nível C, que autoriza o egresso a atuar como técnico em escolinhas de futebol, sai por R$ 5.267,00; o A, que licencia para trabalhar em clubes profissionais, fica em mais salgados R$ 9.926,00.

O problema com essa norma é que ela contraria o princípio da liberdade profissional, consagrado no inciso XIII do art. 5º da Constituição: “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”. Nesse caso específico, parecem sábias as palavras da Carta. A liberdade como regra geral tende a dar mais opções de vida aos cidadãos e produzir melhores soluções econômicas. É só em algumas poucas situações, normalmente de atividades que requeiram um saber técnico muito preciso cujo desconhecimento coloque a população em perigo físico, que se justifica a regulamentação. Mas estamos aqui falando de casos bem específicos, como medicina, engenharia e talvez direito.

O futebol não reúne nenhuma dessas características. Ele é só um jogo, o que o torna terreno propício para todo tipo de experimentação, desregulamentação e iconoclastia.

Empresa de assessoria cobra R$ 1,1 milhão do Santos na Justiça

Maio 31, 2017

Desde 2015, a S2 Publicom Comunicação Integrada Ltda, empresa de assessoria que tem entre suas especialidades o gerenciamento de crises, tenta receber, sem sucesso, calote de honorários oriundos do Santos Futebol Clube.

Os valores, sem correção, atingem R$ 1,1 milhão.

O Peixe alega que o serviço não foi prestado, enquanto a empresa apresentou Notas Fiscais e Termo assinado de “confissão de dívida”.

A Justiça, diante do impasse, decidiu ouvir as testemunhas (em audiência posterior) para então dar o veredito final sobre o caso.

Tostão: “Vinicius Júnior já é, antes de ser… tomara que seja”

Maio 31, 2017

(Trecho da Coluna de TOSTÃO, na FOLHA)

Estou curioso para ver o jovem Vinícius Júnior jogar durante toda uma partida. Quando talentosos jovens tornam-se fenômenos mundiais, as TVs mostram reportagens sobre a infância, o primeiro técnico (são muitos), o primeiro gol, o lugar em que viviam.

Tudo isso já fizeram com Vinícius Júnior, antes de ele ser titular do Flamengo.

São os novos tempos, espetaculosos, em que as histórias são contadas antes de terem acontecido.

Vinícius Júnior já é, antes de ser. Tomara que seja.

Fernando Garcia estaria utilizando-se de preposto com três identidades para fraudar transferência de jogador da Paraíba

Maio 31, 2017

O empresário Fernando Garcia, irmão do dono da Kalunga, Paulo Garcia, denunciado, recentemente, por diversos crimes, entre os quais associação criminosa por conta de fraudes ligadas à transferência do jogador Wanderson, utilizando-se de duas de suas “barrigas de aluguel”, Ponte Preta e Penapolense, parece não ter medo de consequências, e, com o mesmo jogador, está sendo acusado de, novamente, delinquir.

Wanderson sumiu do Botafogo/PB, às vésperas da partida contra o CSA, alegando ter proposta do Gwangju F.C., da Coréia do Sul.

O agente que estaria cuidando da transação, como preposto da Elenko Sports, de Fernando Garcia, é conhecido do leitor do Blog do Paulinho, por conta de utilizar-se de três identidades para barbarizar nos bastidores de transferências de atletas.

Não se sabe se o nome do sujeito é Genival, Genivaldo ou Denival.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/07/empresario-de-jogadores-com-tres-nomes-tem-aliciado-jogadores-no-nordeste/

A proposta coreana seria em torno de US$ 500 mil, mais o empréstimo do jogador Vesta (também agenciado por Fernando Garcia) até o final do ano.

Destes, o Botafogo/PB, por clausula contratual, teria direito a receber 20%, ou seja, US$ 100 mil.

Garcia estaria se utilizando do preposto para desvincular sua Elenko de Wanderson, por conta de argumento de defesa utilizado na ação criminal, que tramita na 1ª Vara de Criciúma, em que alega não ser agente do atleta.

A intenção, no negócio (fazer o jogador sumir), tudo indica, é negociar a rescisão de maneira gratuita, do Botafogo/PB para a Penapolense, para então o clube paulista enviá-lo à Coréia.

Nessa hipótese, o Botafogo nada receberia.

Não se sabe se (ou por quais motivações) os dirigentes paraibanos embarcariam nessa, apenas que, pelo art. 34 das Normas e Regulamentos da CBF, não é permitida a transferência “ponte”, o que implicaria, em concretizado, em nova investigação criminal contra a turma de “Garcia”.

Ao final da transação, toda ela realizada “por fora”, os US$ 500 mil entrariam diretamente na conta da Penapolense (Elenko) e o Botafogo/PB, sem receber um centavo, correria ainda o risco de ser penalizado pela FIFA (o TMS comprovaria as triangulações), junto com os demais intermediários.

ABAIXO BID DA CBF COMPROVANDO QUE O JOGADOR WANDERSON PERTENCE À PENAPOLENSE E ESTÁ EMPRESTADO AO BOTAFOGO/PB ATÉ 30/10/2017

 

Grampo da PF: “só trafico drogas”, diz Perrela a Aécio Neves

Maio 30, 2017

A Think Ball dentro das categorias de base do Corinthians

Maio 30, 2017

Recentemente, o Corinthians, por intermédio de seus novos dirigentes das categorias de base, o notório contraventor Jaça e o complicado comerciante Nei Nujud, contrataram para gerenciar o departamento o agente de jogadores Yamada, que teve sua ligação estreita com a empresa Think Ball explicitada, em detalhes, pelo Blog do Paulinho.

Clique no link abaixo para conferir:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/03/31/empresario-de-jogadores-sera-novo-gerente-da-base-do-corinthians/

Antes, porém, o nome ventilado havia sido o de Marcelinho Paulista, que na gestão Andres Sanches, com anuência do desfrutável Fernando Alba (à época diretor da base, que depois acabou entrando, também, para o ramo de agenciamento) pintou, bordou e foi demitido porque, sem limites, exagerou.

Com a repercussão negativa da escolha, crentes de ser mais espertos do que a própria esperteza, Jaça e Nujud realizaram o seguinte procedimento:

“Traz o Yamada para cá, e manda o Marcelinho para lá (Think Ball)”.

E foi o que aconteceu.

Marcelinho Paulista é o novo Diretor Executivo da Think Ball, empresa especializada em intermediação de jogadores, com livre acesso na base alvinegra, que conta ainda com o “ex” diretor da empresa, Yamada, no cargo gerencial.

Ambos com ligação umbilical, desde o tempos em que eram atletas alvinegros, com o “dono” dos negócios do Corinthians, o deputado federal Andres Sanches.

A Think Ball, de propriedade do agente de jogadores Marcelo Robalinho, tem, oficialmente, no Corinthians (existem outros, não listados, em nome de terceiros), os seguintes jogadores:

  • Léo Príncipe;
  • Renan Guedes;
  • Renan Areias;
  • Jadson;
  • Guilherme;
  • Rogério Guaxupé;
  • Kayque

Daqui por diante, com o quadro descrito acima, a tendência será dividir mais jogadores com conhecidos empresários, também agraciados pela gestão “Renovação e Transparência”, entre os quais Fernando Garcia, irmão do dono da Kalunga, Paulo Garcia, que há uma década iniciou o procedimento de fatiamento de direitos de jovens promessas, que hoje impede o Corinthians de exercer poder e preferência sobre seus próprios contratados.

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

Maio 30, 2017

Blog do Paulinho

Andres Sanches presta esclarecimentos no STF. Processo criminal já está nas mãos do relator

Maio 30, 2017

Acusado de cometer crime de “arara”, quando alguém, deliberadamente, utiliza-se de “laranja” para criar empresa fajuta com objetivo de dar golpes no mercado financeiro e também em fornecedores, o deputado federal Andres Sanches (PT), ex-presidente do Corinthians, protocolou, ontem, sua defesa no Inquérito nº 4357, que tramita no STF.

Alguns meses antes, já haviam sido anexados à ação depoimentos de duas “prepostas”, ex-funcionárias do parlamentar, de seus parentes (acusados de co-autoria dos crimes) e um relatório da Receita Federal, que trata-o como criminoso, documento este que já foi chancelado pelo Supremo, servindo de base para cobrança, milionária, de impostos (mais de 18 milhões) noutra procedimento, em São Paulo.

Por conta da movimentação de Sanches, o Ministro Celso de Mello deu por encerrada a fase de averiguações e partiu, segundo movimentação do STF, para a relatoria do caso, que deverá, tudo indica, nos próximos meses, levar o Plenário da casa a decidir se condena ou não o petista pelos diversos crimes elencados.

Em tendo decisão desfavorável neste caso (existem outros, de crimes semelhantes, sendo averiguados no Supremo com participação do ex-dirigente alvinegro), Andres Sanches perderá o foro privilegiado, o cargo de deputado e terá outro inquérito do qual é investigado, o da Operação Lava-Jato (por receber suposta propina da Odebrecht), remetido ao juíz Sergio Moro, que não tem histórico de facilitar a vida de marginais.

Clínica de Reabilitação Sport Recife

Maio 30, 2017

Tempos atrás, quando ainda comportava-se como clube de futebol, o Sport Recife venceu diversos títulos regionais e até reivindicou a conquista de um Campeonato Brasileiro, em verdade, apesar do STF, vencido pelo Flamengo.

Uma história, sem dúvidas, importante.

Há quem diga, porém, que seu atual comportamento, que remete ao de Clínica de Reabilitação, se não é tão glorioso ao menos levará seus dirigentes à canonização.

Ontem, foi admitido um interno, aparentemente para exercer função que não realiza, a contento, desde que os primeiros traços de seus diversos vícios dominaram suas atitudes, fazendo-no perder o respeito de boa parte da sociedade.

O sujeito, nos últimos anos, cobrou comissão para contratar profissionais e destes, ainda, teria exigido percentual de salários.

Antes disso, em investigação parlamentar, soube-se que sequer assinava o nome verdadeiro, além de ter errado as contas do imposto de renda.

Recentemente, até os documentos utilizados para comprovar moradia não eram verdadeiros, situação constrangedora que levou-o a uma condenação criminal e impossibilidade, à época, de ingressar na política.

Diante de tantos problemas, os jogos de poker acentuaram-se, espécie de fuga que acabou se problematizando com a compulsão pela vitória – que raramente acontecia – remetendo o paciente a mais situações desconfortáveis, como a de ser cobrado, na Justiça do Brasil, por uma dívida milionária em Las Vegas.

E isso se deu meses atrás, não há anos, como muitos podem vir a acreditar.

Informações dão conta de que, mesmo diante deste quadro absolutamente preocupante, a Clínica Sport cedeu não apenas as dependências para uma reabilitação bem remunerada, daquele que antes era tratado pelos amigos como “Madureira”, mas também os tão sonhados percentuais de lucros sobre contratações de funcionários.

Ou seja, quase o mesmo que tratar, em exemplo, Fernandinho Beira-Mar abrindo-lhe uma “boca de fumo” para ver se o sujeito enjoa de traficar.

Se V(W)anderlei(y) Luxemburgo, que não trafica drogas, mas sempre negociou jogadores, se reabilitará diante de tratamento tão peculiar, somente o tempo dirá, mas o Sport, com dirigentes alheios à realidade ou cúmplices de espertezas, correrá riscos enormes de ter que alterar seu endereço, em fracassando no tratamento (como ocorreu com outras “clínicas”), do catálogo “A” de excelência médica para a indesejável “B”, que lista clínicas menos importantes do cenário nacional.

Federação de Atletas quer tomar mais dinheiro do São Paulo

Maio 30, 2017

A FAAP, que não se trata da prestigiosa Faculdade, mas de uma obscura Federação de Atletas, ingressou na última sexta-feira (26) com mais uma ação de cobrança contra o São Paulo Futebol Clube.

O processo tramita na 12ª Vara Cívil.

Lavando-se em consideração que o clube tem histórico de perdas judiciais recentes para a referida Federação, por conta de cobrança de diferenças de impostos pagos pelo Tricolor, a chance do resultado habitual se repetir é muito grande.

Desta vez, a FAAP quer tomar R$ 1 milhão do São Paulo.

Noutras, recebeu: R$ 45 mil pela transação de Oswaldo, R$ 2 milhões por transações diversas, R$ 866,4 mil pelo negócio com Lucas, e por ai vai.

Com a nova reforma trabalhista, que entre diversos defeitos tem uma qualidade inquestionável, a desobrigação de sustentar, compulsoriamente, os Sindicatos, quase todos liderados por criminosos, talvez o São Paulo deixe de remunerar essa gente, que nunca aparece para ajudar seus sindicalizados, mas está sempre nos holofotes da esperteza jurídica.

“Chapeuzinho Vermelho” contada pelas diversas mídias brasileiras

Maio 30, 2017

%d blogueiros gostam disto: