Archive for fevereiro \28\UTC 2010

E 2 a 1 foi pouco na Vila

fevereiro 28, 2010

Por JUCA KFOURI

http://blogdojuca.uol.com.br/

Quando o clássico chegou ao setimo minuto na Vila Belmiro com menos torcedores do que merecia (só 9 mil), já estava claro quem eram os candidatos a heróis e a vilões.

Paulo Henrique Ganso botou duas vezes seus companheiros na cara.

Na primeira, Neymar se assustou com a segura saída de Felipe.

Na segundo, afobado, Roberto Carlos fez pênalti em Marquinhos, Neymar titubeou na cobrança e Felipe defendeu.

Como tirou, 10 minutos depois, o pão da boca de Arouca.

O Santos dava um baile no Corinthians e Mano Menezes se limitava a reclamar da arbitragem.

Até que, aos 25, quase que Dentinho fez um golaço de bicicleta, coisa que o outro goleiro Felipe evitou.

Seria um lindo gol, mas não seria justo.

Justiça se fez, aos 36, quando Neymar virou em cima de Alessandro, da marca do pênalti, para fazer 1 a 0.

O menino limpava sua barra com louvor.

E o baile continuava, porque Pará perdeu chance clara logo depois.

Para o segundo tempo o time da capital voltou com Jucilei e Moacir nos lugares de Ralf e Alessandro.

O da praia ficou como estava.

Moacir, logo em sua segunda falta em Neymar, levou seu primeiro cartão amarelo.

Impotentes e dominados, os corintianos só reclamavam, porque também Roberto Carlos, William e Tcheco tinham levado cartões, todos corretamente, diga-se de passagem.

Enquanto os alvinegros de São Paulo reclamavam, os de Santos, jogavam.

E jogavam fácil.

Marquinhos, que já tinha dado o passe do primeiro gol, enfiou de trivela na medida, no peito de Neymar, que achou André no meio da área, para sair o 2 a 0 que a superioridade dos anfitriões justificava.

Pará se machucou e saiu para Germano entrar.

Daí, aos 23, Ronaldo fez sua primeira e única jogada e, pela esquerda, deu para Dentinho chutar na trave, pegar o rebote, e diminuir: 2 a 1.

Em seguida, irresponsavelmente, Moarcir deu um carrinho criminoso em Marquinhos, levou seu segundo cartão amarelo e foi expulso.

Como foi expulso, por simulação de pênalti, Roberto Carlos, a segunda expulsão em clássico, ele que deveria ter levado cartão vermelho também na estreia da Libertadores.

Dorival Júnior queria mais gols e tirou Roberto Brum para botar Mádson.

Nove contra 11, 1 a 2, os corintianos que se dêem por felizes.

Ficou barato.

Embora, aos 40, debaixo do gol, Tcheco tenha cabeceado por cima, uma bola cruzada por Dentinho e que Felipe falhou ao tentar segurar.

Seria o empate e um castigo que os meninos da Vila não mereciam.

Iarley ainda entrou no lugar de Dentinho e Breitner no de Marquinhos.

O blog não viu mas ainda verá, pelo menos o segundo tempo, de São Paulo 5, Monte Azul 1.

Porque o estreante Fernandinho, que entrou no intervalo, fez simplesmente o segundo, terceiro, quarto e quinto gols tricolores.

Fernandinho foi uma das revelações (ao lado de Giuliano, do Inter) do Brasileirão passado, jogando pelo Grêmio Barueri.

Roubolation – o hit das eleições 2010

fevereiro 28, 2010

Enquanto o Carnaval de 2010 foi marcado pelo hit “Rebolation”, eis que surge o hino das eleições deste ano.

“Roubolation”

Você não pode ficar fora dessa.

*Indicação do leitor Fred Salles

Corinthians tem contas penhoradas novamente

fevereiro 28, 2010

O Corinthians, na última semana, esbanjou dinheiro que deveria estar sendo utilizado para quitar as diversas dívidas existentes.

Bancou dirigentes e jornalistas no Navio da Cortesia e gastou R$ 30 mil nos fogos lançados na estréia da equipe na Libertadores.

Enquanto isso, no mundo real, continua perdendo dinheiro na justiça

Na última semana o clube passou, novamente, pela humilhação de ter suas contas penhoradas..

Desta vez por uma “estranha” dívida de R$ 500 mil com a Faculdade UNISANTANA.

Confira abaixo o despacho publicado no Diário Oficial de São Paulo.

583.00.2008.158439-8/000000-000 – nº ordem 1109/2008 – Procedimento Ordinário (em geral) – INSTITUTO SANTANENSE DE ENSINO SUPERIOR X SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

Tendo em vista o tempo transcorrido até a presente data, sem que tenham sido pagos os débitos, e considerando-se a ordem do art. 655, I, do Código de Processo Civil, determino a penhora on line e o bloqueio de contas do executado, consoante cópia anexa, junto ao Banco Central do Brasil, bem como de eventuais valores existentes nestas contas.

Aguarde-se por 15 (quinze) dias, vindo conclusos para apuração sobre o bloqueio.

Int. – ADV FABIO LUIZ CARDOSO LINO OAB/SP 227633 – ADV DIOGENES MELLO PIMENTEL NETO OAB/SP 151640 – ADV DENIS ESPAÑA OAB/SP 216349

Máfias unidas

fevereiro 28, 2010

A informação de que José Dirceu, líder da corrupção no PT e o mafioso Boris Berezovsky, o “Chefão” da organização que tenta dominar o futebol brasileiro,  possuem estreita ligação, publicada esta semana pela revista VEJA, não causou espanto para o leitor deste blog.

Dirceu foi contratado pelo criminoso russo para lhe prestar “consultoria”, demonstrando ainda mais o grau de criminalidade do petista.

Sempre dissemos que as duas “máfias”, a do Governo Brasileiro e a do oligarca russo, possuem um acordo velado de colaboração.

Foi através desta ligação que Berezovsky conseguiu sair do País, após passar algumas horas preso na PF, e Andres Sanches, presidente do Corinthians, recebeu o benefício da delação premiada, evitando seu indiciamento no caso da MSI.

Note, nos links que disponibilizo abaixo, que o dirigente corinthiano Mario Gobbi reuniu-se com um intermediário entre o PT e a Máfia Russa, Renato Duprat, no mesmo flat em que o atleta Oscar foi escondido pelo o jornalista (?) Oliverio Junior, o “bolso” de Andres Sanches, na Rua Amauri.

Cada vez mais as conexões estão sendo dissipadas pelo duro trabalho dos poucos jornalistas que buscam a verdade.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/03/24/andres-dirceu-e-duprat/

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/08/19/o-esquema-sujo-entre-corinthians-pt-e-a-mafia-russa/

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2009/08/20/corinthians-pt-e-a-mafia-russa-eles-querem-voltar/

São Januário, terra sem lei

fevereiro 28, 2010

Jornalistas do Rio de Janeiro estão sendo freqüentemente assaltados no estádio de São Januário.

Objetos são furtados dentro da sala de imprensa, sem que a segurança do Vasco da Gama esboce, sequer, uma reação.

Todos sabem quem são os autores dos roubos, mas ninguém tem coragem de impedi-los.

Roberto Dinamite foi notificado diversas vezes, mas sempre tomará atitude na semana que vem.

Semana que nunca chega.

Palavra do Magrão

fevereiro 28, 2010

Tecnicamente viável

Por SÓCRATES

http://www.cartacapital.com.br/app/coluna.jsp?a=2&a2=5&i=6132

O meio do futebol é extremamente complexo e interessante.

Agrega indivíduos de diferentes formações e origens, pessoas com sonhos e realidades distintos sempre em busca de suas realizações pessoais.

Contrapõe-se a esses sentimentos individuais intensos um compromisso coletivo de concretização dos objetivos.

Essa dicotomia é o agente gerador, catalisador e muitas vezes destruidor de todo o processo.

Ter em mente a importância de respeitar os diversos fatores que interferem na boa convivência entre os vizinhos é questão primordial para alcançar o sucesso.

Na estrutura que rege o ambiente futebolístico, um posto em particular merece toda a atenção: o técnico.

Em razão de sua posição e do poder de escolher esse ou aquele jogador para vestir a camisa titular da equipe, ele é o responsável por propiciar ou restringir a possibilidade de ascensão de cada integrante do elenco e por isso mesmo é visto sob a ótica da desconfiança, do medo ou da admiração, dependendo de como trata cada um dos seus atletas.

Saber lidar com as diferentes reações não é algo simples e geralmente produz sequelas nem sempre sanáveis.

Há técnicos boicotados pelos jogadores principalmente quando querem se impor pela opressão, resultado de uma postura no mínimo contestável.

O treinador deveria atuar em linhas de comportamento mais maleáveis, mais democráticas.

Quando ele se coloca como deus, dono do conceito absoluto da verdade, o técnico entra em absurda contradição.

Nessas ocasiões ele assume um poder muito maior do que tem, o que cria conflitos.

Acaba tentando determinar um tipo de conduta exigindo que todos acompanhem seu pensamento.

Na verdade, o técnico deveria servir como catalisador de expectativas, emoções e sentimentos para que possa gerar um objetivo comum.

O futebol, apesar de ser um esporte coletivo, apresenta uma concorrência intrínseca, e a presença de alguns dos nossos piores sentimentos, como a inveja e o ciúme.

Por isso a necessidade de estarmos atentos a todas as variáveis.

Se você entra em contato com um grupo disforme, marcado por conflitos anteriores ou que se desequilibra com a chegada de um novo integrante, há de se criar linhas opcionais para agregar os componentes.

De nada adianta administrar o passado.

Ao criar fatos novos, novas condutas, há maior possibilidade de aproximação.

Quando, devido à premência de tempo, há a necessidade de, às pressas, formar um novo grupo, este se fará bastante heterogêneo.

Assim como experiências e expectativas distintas e com inúmeros vícios de conduta.

Iniciar um processo em que regularmente se promovam discussões sobre assuntos diversos e de interesse da maioria cria uma proximidade interessante.

A partir daí, surgirá uma relação diferente entre as pessoas do grupo, com maior intercâmbio de informações e mais interesse para com os companheiros.

Um resultado excepcional, nascedouro de um vínculo muito grande entre todos os que estão integrados ao processo.

Dentro de campo tudo ocorre de forma semelhante.

Quando um treinador tenta de todas as maneiras impor uma forma de jogar, fatalmente estará confrontando características de vários de seus jogadores e, consequentemente, limitando seus desempenhos.

Esse é o primeiro passo para a derrota coletiva, não só por culpa da parca utilização do potencial do time como também pelo sentimento nascente envolvendo o descrédito em sua capacidade de comando e entendimento sobre o jogo em si.

Nada pior para quem se mete a técnico de futebol do que ter em mãos um time que não acredita nele.

Questões como essas são, talvez, mais relevantes do que a peregrinação de um profissional por inúmeras equipes, como se cigano fosse, algo tão presente aqui debaixo do Equador.

Por outro lado, ainda que de forma empírica, quando um novo treinador chega a uma equipe, parece que uma transformação se instala e geralmente os resultados imediatos começam a acontecer.

Logicamente, não por causa da capacitação do recém-chegado, e sim pelo fato de que a mudança de comando gera ansiedade, mas também uma injeção de ânimo novo no coração daquela sociedade.

Uns lutam para preservar os postos conquistados anteriormente e todos os demais por acreditarem em uma nova oportunidade para desbancar os titulares.

Como podemos ver, nada nesse meio é simples nem coerente.

Trata-se, isto sim, de uma gigantesca guerra psicológica entre muros de qualquer instituição onde qualquer detalhe pode provocar o sucesso ou a derrocada.

Justiça proibe crianças e adolescentes de frequentarem o Corinthians

fevereiro 27, 2010

Enquanto a turma de Andres Sanches continua se divertindo no “navio da cortesia”, o clube segue sofrendo com sua má administração.

A justiça decretou que crianças e adolescentes não podem freqüentar o Parque São Jorge, nem fazer parte de qualquer evento organizado pelo clube.

O motivo são irregularidades diagnosticadas pelo CONTRU em conjunto com o Corpo de Bombeiros, que colocam em risco a integridade física de todos.

Um vexame.

Confira abaixo a decisão, publicada no Diário Oficial de São Paulo.

Processo 008.00.901265-3 – Autorização judicial – Entrada e Permanência de Menores – S. C. C. P. – VISTOS

Ante a inexistência de efetiva regularização do clube requerente perante os órgãos competentes, mantenho a decisão de fl. 1402

(…Diante da necessidade de resguardar, da melhor forma possível, a integridade de crianças e adolescentes, as condições de segurança do estabelecimento devem atender, pelo menos, aos critérios mínimos exigidos pelo Corpo de Bombeiro e pelo CONTRU.

Dessa forma, fica proibida a entrada e participação de crianças e adolescentes, em qualquer evento, no SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA, até a regularização de suas instalações, conforme exigido pelo Corpo de Bombeiros, sobretudo diante das conclusões do relatório (fl. 1.400).

Da mesma forma, qualquer pretensão no sentido de obtenção de alvará deste Juízo, para futuros eventos, deverá ser precedida de comprovação de regularidade dos órgãos competentes (Corpo de Bombeiro e CONTRU).

Observo, por oportuno, que decisões semelhantes já foram tomadas por este Juízo, sem que as irregularidades fossem sanadas (fls. 1.323vº, 1.336/1.337 e 1.385)….), por seus próprios e jurídicos fundamentos.

Int. e ciência ao M.P. – ADV: DIOGENES MELLO PIMENTEL NETO (OAB 151640/SP), LUIZ FELIPE GUIMARÃES SANTORO (OAB 154308/SP), FERNANDO PIRES ABRÃO (OAB 162163/SP), FABIO SADER (OAB 244473/SP)

Em Tempo: Neste instante o Corinthians descumpre a decisão judicial com a presença de centenas de crianças e adolescentes em suas dependências.

Desmascarando a WTorre

fevereiro 27, 2010

A WTorre publicou seu balanço anual na edição de ontem do “Estadão”.

O documento comprovou todas as afirmações realizadas por este blog, principalmente no que diz respeito à péssima saúde financeira da empresa.

Desmente tudo o que o “playboy” Walter Torre Junior disse na reunião de apresentação da Arena Palestra Itália.

Note que na sessão em que é demonstrada a previsão sobre empreendimentos em construção e desenvolvimento, somente a ARENA Palestra Itália aparece sem estimativa alguma.

 

Evidencia clara que tudo o que foi falado até agora sequer está planejado para acontecer em 2010.

Ao observar o gráfico abaixo você nota que o estado financeiro da WTorre é absolutamente caótico.

Os empréstimos bancários aumentaram em 36,7%, atingindo a exorbitante marca de R$ R$ 1,54 bilhão (maior do que a atual dívida) enquanto o caixa caiu 58,8%, demonstrando, no mínimo, que tiveram um ano difícil.

Enquanto isso a dívida da empresa passou para R$ 1,39 Bilhão, um acréscimo de alarmantes 87,7%.

Para evitar a falência, notamos que o patrimônio líquido da empresa está se desfazendo.

Apenas em 2009, a WTorre perdeu 24%.

 

Entre seus maiores credores estão os bancos Votorantim e Santander.

Com dificuldades em arcar com as despesas, o “empresário” foi obrigado a ceder 14,55 % do controle acionários para estas instituições financeiras.

E o numero tende a crescer após a loucura realizada com aquisições de imóveis (entre eles o da Eletropaulo, próximo da Marginal) para pagamento parcelado, sem que o faturamento da empresa fosse condizente com a operação.

Segundo o acordo costurado com o Banco Votorantim, se a empresa não honrar com seus compromissos seu “dono” corre o risco de ser afastado da direção. 

Com os próprios documentos da empresa comprovamos que a WTorre não tem condições de cumprir o compromisso com o Palmeiras.

Ainda há tempo de evitar que o vexame se prolongue, basta os dirigentes palmeirenses terem coragem de admitir seus erros e buscarem novas alternativas no mercado.

Confira abaixo o dono da WTorre faltando com a verdade após ser questionado por este espaço.

Pobre jornalista (?) oficialista

fevereiro 27, 2010

Jornalistas “oficialistas” costumam passar por situações constrangedoras durante o exercício de seu ofício.

Não deve ser  fácil defender àqueles que estão no poder, em detrimento da verdade, função principal do jornalismo.

Muitas vezes tenta-se encontrar soluções nas “notícias” que beiram os contos do Barão de Munchausen.

É o caso do jornalista da Jovem Pan, Marcello Lima.

Não sabe mais onde encontrar desculpas.

Durante a última semana, entrevistou Juvenal Juvêncio e Julio Cesar Casares, como se os dirigentes do Tricolor fossem dizer algo que dificultasse ainda mais as coisas para o clube.

O pobre jornalista (?) é desmentido diariamente pela FIFA.

Desesperado e visivelmente constrangido, chegou a dizer que as obras do Morumbi, visando o Mundial de 2014, começariam em março de 2009.

Já está ficando feio.

Coluna do Fiori

fevereiro 27, 2010

fiori4 

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.br   Email: caminhodasideias@superig.com.br

CADÊ A CONFIABILIDADE DO “SORTEIO” ?                        

A muito me posicionei contra os legisladores que impuseram o famigerado sorteio por entender que é obrigação acutilar aquele que tenha melhor condição física e técnica desde que seja realmente independente das pressões ou outras situações do sórdido bastidor futebolístico.

Sou convicto que por esperteza o legislador deixou para CONAF e CEAF de cada estado usar o critério que melhor lhes convir.

A CEAF-SP chefiada pelo homem das mil e uma utilidades divide a rodada de dez jogos em cinco “sorteios” de duas partidas, seleciona dois árbitros, ao final, se apita uma ou outra.

Ao nomearem antecipadamente aqueles que participarão do sorteamento detonam o pouco do credito que tentávamos lhes dar.

TESTES E “SORTEIO”

O árbitro José Henrique de Carvalho que não atua há algum tempo, recentemente executou e passou nos testes promovidos pela diplomática comissão da CEAF-SP.

José Henrique de Carvalho foi “sorteado” para trabalhar na Série A3 do Campeonato Paulista 4ª feira p.p., repentinamente, uma luz iluminou as cabeças intelectualizadas dos componentes da CEAF-SP dizendo:

José Henrique esta escalado para atuar na terça feira pela Copa do Brasil, retire-no da Série A3 do paulista.

Não deu outra, seguiram a voz do além, em seu lugar foi Marcelo Alfieri. 

Coincidência ou não José Henrique foi selecionado e participou do “sorteio” para a partida entre Santos x Corinthians que ocorrera no domingo 28/02/10, surpresa o nome de José Henrique brotou do globo da sorte, será o arbitro do clássico.

CONAF – IDADE LIMITE

Lamentável a decisão de não aceitar árbitros acima de 30 anos, creio ser a idade em que se instala a maturidade vez que se formando entre 21 e 22 anos tendo em média cinco para atuar nas diversas divisões terá o árbitro 27 anos, sou convicto que exatamente aos 30 anos o mesmo se encontra na transição para amarração de seu caminhar, entendo como abuso de poder a decisão do presidente da CONAF.

FALTA DE CRITÉRIO

Citarei dois nomes:

Eduardo Coronado – idade 41 anos – cortado

Elcio Borborema – idade 44 anos – continua.

SOLENIDADE DA AAGSP

Atendendo ao convite da diretoria da AAGSP, sábado 20/02/10 estive na Universidade São Judas, no bairro da Mooca, participando da festividade de congraçamento entre árbitros.

Externo minha alegria pelo gentil mimo, notei a presença de árbitros da antiga, mesmo divergindo fiquei emocionado em revê-los, somos seres humanos movidos por paixão e ideologias cada um escolheu seu caminho, em meu caso continuo na mesma trilha, respeito para ser respeitado, encontrei com Artur Alves Junior que ao usar da palavra louvou a credibilidade do “sorteio”.

Dei tempo ao tempo, na primeira oportunidade cheguei perto dizendo: Artur em minha opinião o “sorteio” é dirigido vez selecionam previamente, aquém deste, coloquei para o Artur que o melhor árbitro deveria ser escalado, nada de sorteio, participei ao Artur que a credibilidade poderia existir se todos os árbitros da mesma divisão participassem, afiancei que meu divergir era com o dirigente não com a pessoa.

RECADO

Ao jornalista e agora dirigente de entidade de classe.

AJUIZAMENTO

Nunca julgue pessoas pensado-as serem espelho da sua baixeza moral, subjetivamente você insinuou que eu possa ser segurança do Paulinho, erraste e feio, seu erro foi premeditado e covarde.

Quando quiserdes saber algo sobre meu comportamento faça-o diretamente, jamais fugi ou fugirei de algo, sou ciente que na ficha que tiveste acesso se encontram os números dos fones que me localizam.

INDICAÇÃO

Penso que devas ter conhecimento da existência de Carlos Alberto Di Franco, doutor em Comunicação pela Universidade de Navarra e professor de Ética em jornalismo.

Acorda Brasil

SP-27/02/10

Evento do MEMOFUT – COPAS DO PRÉ-GUERRA (1930/1934/1938)

fevereiro 27, 2010

Caro Paulinho,

Bom Dia, Tudo bem?

Estaremos durante este ano organizando o evento: O Brasil nas Copas, que consistirá em 8 palestras sobre as participações brasileiras nas Copas do Mundo.

A intenção é não se limitar as questões estatísticas e números da Seleção Brasileira, mas apresentar também as curiosidades futebolísticas e sociais que envolveram o Brasil e as Copas…

Entre alguns palestrantes já confirmados, estão Max Gehringer, Geneton Moraes Neto, Roberto Muylaert.

Gostaria de pedir a sua ajuda na divulgação do evento, e, principalmente, com a sua presença.

Abaixo seguem mais informações sobre a primeira palestra “Copas do Pré-Guerra (1930/1934/1938)”, com Max Gehringer, que acontecerá sábado, dia 27 de fevereiro, às 10:00.

Um grande abraço e obrigado pela atenção

José Renato*

O BRASIL NAS COPAS

Palestra com o jornalista e escritor MAX GEHRINGER inicia uma série de palestras sobre O BRASIL NAS COPAS DO MUNDO DE FUTEBOL

A partir de 27 de fevereiro, o Museu do Futebol em parceria com o Grupo Literatura e Memória do Futebol – MEMOFUT, promoverá uma série de reuniões, aos sábados pela manha, apresentando a participação do Brasil em Copas do Mundo de Futebol

Programação:

27 de fevereiro – sábado

Palestra: ”COPAS DO PRÉ-GUERRA (1930/1934/1938)”, com MAX GEHRINGER – Comentarista da Rádio CBN, consultor do Fantástico da TV Globo, articulista da revista Época e do jornal Diário de São Paulo, e pesquisador de futebol.

Horário: 10h às 12h

Local: Auditório Armando Nogueira -Museu do Futebol – Praça Charles Miller – Estádio do Pacaembu

Entrada gratuita.

Para mais informações sobre eventos do Museu do Futebol, acesse:

Museu do Futebol – www.museudofutebol.org.br

 Telefone: (11) 3663-3848

* José Renato Sátiro Santiago Jr. é escritor, são-paulino e um dos titulares do Blog do Birner

A FIFA não quer o Morumbi na Copa

fevereiro 26, 2010

Por LUIS CARLOS QUARTAROLLO

http://blogs.jovempan.uol.com.br/quartarollo/

No fim de semana, o companheiro Fábio Sormani entrevistou no seu programa sobre Copa do Mundo, 0 presidente da São Paulo Turismo, Caio Luiz Carvalho.

Foi um momento esclarecedor sobre a Copa de 2014 na capital paulista.

Principalmente a respeito do Morumbi e as reiteradas posições da Fifa com referência as condições do estádio, Caio deu uma explicação preocupante.

“O São Paulo está fazendo de tudo para se adequar as normas do Caderno de Encargos, mas pelo que a gente sente a Fifa gostaria mesmo é de ter um estádio zero quilômetro para abrir a Copa, assim como foi na Alemanha, em Munique e agora na África do Sul, em Johanesburgo”, disse Caio.

Eu acho que é isso que Fifa tem que dizer e parar com essa frescura de achar problemas todos os dias no Morumbi.

Que o estádio do São Paulo tem problemas que precisam ser resolvidos, todo mundo sabe, mas ocorre que quando mostra disposição para arrumar, a Fifa já bate forte de novo.

A Fifa não trata nenhum outro estádio com a mesma veemência com que trata o estádio sãopaulino.

Os dois de Porto Alegre, a Arena, de Curitiba, o de Brasília, que ainda está na maquete, o de Salvador, que nem do chão saiu e o superado e tombado Maracanã, não são lembrados.

É lembrado aquele que existe, está em pé e que realmente precisa de adequações para receber a abertura da Copa.

Do jeito que está, o Morumbi só receberia alguns jogos das fases iniciais da Copa do Mundo.

É a posição da Fifa e está cada vez mais difícil mudar esse pensamento.

São Paulo corre o risco de ficar sem Copa, coisa que a Fifa ainda não teve coragem de dizer.

Se São Paulo se dispuser a construir um novo estádio, aí sim a Fifa deverá abraçar rapidamente a idéia.

Aqueles que querem ganhar um dinheiro na construção de um futuro elefante branco, na capital paulista, esfregam as mãos.

Caio Luiz de Carvalho garante,  no entanto, que o Estado de São Paulo não colocará dinheiro público em nenhum novo estádio. A Prefeitura idem.

Segundo ele, o custo seria de no mínimo um bilhão de dólares, investimento alto demais para depois ficar abandonado, já que a Cidade de São Paulo tem estádios suficientes para o futebol daqui.

Se for para fazer um novo estádio só para a Copa, só para ter a Abertura e alguns jogos do Torneio e depois ser usado de vez em quando, eu também sou contra.

É melhor São Paulo assistir a Copa de longe e boa sorte para quem quiser assumir essa loucura.

Encontramos Oscar, mal acompanhado…

fevereiro 26, 2010

*Republicamos a nota abaixo, com a devida correção no nome da empresa de Olivério Junior

O “seqüestro” futebolístico do jogador tricolor Oscar terá agora mais um capítulo revelado por este blog

Todos sabem que seu empresário, Giuliano Bertolucci, é ligado à “organização” que tenta dominar o futebol brasileiro.

Foi citado em relatório da PF e do MPSP como um dos homens de Kia Joorabchian no Brasil.

O que ninguém sabia é que um jornalista (?), daqueles que envergonha a classe, participa ativamente de toda a operação.

Oliverio Junior, assessor do presidente do Corinthians, Andres Sanches, negocia o atleta, sem alarde, em encontros com empresários, quase sempre realizados no Shopping Iguatemi.

Ontem testemunhei – sem ser notado – uma dessas reuniões, ocorrida próxima das 16h, em uma lanchonete próxima da entrada principal.

Descobri também onde Oliverio Junior escondeu o atleta tricolor.

Quase ao lado do Shopping Iguatemi, Oscar mora atualmente no flat ADDRESS Cidade Jardim, localizado à Rua Amauri, 513.

Local luxuoso e que, por ironia do destino, foi projetado pelo são-paulino Ruy Ohtake.

O atleta está praticamente confinado.

Recebe apenas visitas “autorizadas” por seus empresários, entre elas, as do jornalista ( ?), que diariamente está pelo local.

A empresa utilizada por Oliverio para realizar transações de jogadores é a LUPPI PARTICIPAÇÕES, que mantém em parceria com um conhecido criminoso.*

Soube de histórias do arco da velha, ligando estreitamente as ações do jornalista (?) com o presidente do Corinthians e seus amigos da “organização”.

Em breve, muitas delas serão contadas por aqui.

ADDRESS – local onde está morando o jogador Oscar

 *Corrigido

Aprovar sem ver

fevereiro 26, 2010

Os dirigentes corinthianos estão costurando um acordo imoral dentro do Conselho Deliberativo do clube.

Sabedores de que as contas apresentadas não correspondem à verdade e que se forem realmente investigadas causarão problemas para a atual gestão utilizam a Copa Libertadores como desculpa para a aprovação.

Dizem que se os balanços não forem aprovados rapidamente o sonho de vencer o torneio poderá ser atingido, mesmo que indiretamente.

Um verdadeiro absurdo.

Poucos são os contrários a estas propostas, grande parte, da oposição.

Tenta-se tapar evidencias de má gestão – para ser econômico no comentário – utilizando-se de um argumento pífio, sem o menor cabimento.

Mas o pior é que os incapazes conselheiros alvinegros estão caindo no conto do vigário.

Esta semana foi aprovado, no CORI, o último balancete apresentado, sem que quase nada fosse questionado.

Somente duas pessoas não votaram a favor: Rubens Gomes (único voto contra) e Roque Citadini (como presidente só vota em caso de empate).

Ambiente familiar

fevereiro 26, 2010

Em Tempo: Os donos da faixa foram agraciados com os pacotes “cortesia”


%d blogueiros gostam disto: