Anúncios

Archive for setembro \30\UTC 2014

Documento comprova que Dilma Rousseff (PT) mentiu em debate da Record

setembro 30, 2014

luladilma

No último domingo (28) a presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou, durante debate na Rede Record, que demitiu o ex-dirigente da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, um dos acusados nos recentes escândalos denunciados na empresa.

Mentiu.

Confira abaixo, Ata da reunião do Conselho Administrativo da Petrobrás, realizada em 02 de maio de 2012, comprovando que o então Diretor de Abastecimento pediu demissão, desmascarando mais uma lorota petista.

No mesmo documento, os conselheiros da Petrobrás, entre eles Guido Mantega, deixaram registradas palavras de agradecimento aos serviços prestados por Paulo Roberto da Costa:

“Outrossim, determinou o registro dos agradecimentos do Colegiado ao Diretor que deixa o cargo, pelos relevantes serviços prestados a Companhia no desempenho de suas funções.”

Resta saber, a quem a “relevância”, que agradou ao PT, de fato serviu, porque, certamente, o povo brasileiro não gostou do resultado final dos enaltecidos trabalhos.

ata petrobrás

Anúncios

CORI acolhe reivindicações de Tuma Jr. e cria comissão para investigar crimes da diretoria do Corinthians

setembro 30, 2014

tuma

Em reunião marcada por tensão, gritos e discussões, o CORI – Conselho de Orientação do Corinthians, decidiu criar uma Comissão com a finalidade de investigar os crimes fiscais pelos quais quatro dirigentes do clube foram indiciados na Justiça Federal.

São eles, Andres Sanches, Roberto “da Nova” Andrade, Raul Corrêa da Silva e André Negão.

A ação foi motivada por representação do conselheiro vitalício, Dr. Romeu Tuma Junior, enviada, concomitantemente, aos presidentes do CORI, Alexandre Husni, e também ao do Conselho Deliberativo, Dr. Ademir Benedito.

O documento fala sobre o parcelamento que o clube teve que fazer com a Receita Federal, com pagamento de R$ 188,1 milhões ao longo de 15 anos.

Tuma lembra que do débito confessado pelo clube, R$ 94 milhões correspondem a pagamento de juros, configurando ato lesivo aos caixas alvinegros, oriundos de gestão temerária e provavelmente fraudulenta, iniciada na presidência de Andres Sanches.

Dos pedidos ao CORI, acatou-se a criação de comissão para investigar os crimes, que segundo a Receita Federal, foram cometidos pelas última gestões do Corinthians, enquanto a necessidade do Departamento Jurídico do Corinthians ajuizar ação de ressarcimento de danos ao clube, que seriam cobrados dos dirigentes infratores, dependerá do resultado final da apuração.

Ficou pendente apenas o afastamento, imediato, do Diretor Financeiro Raul Corrêa da Silva do cargo, levando-se em consideração sua posição de indiciado, que poderia, de alguma maneira, contaminar os trabalhos investigatórios.

Não é impossível que ocorra nos próximos dias.

Raul compareceu a reunião, mas novamente desagradou a todos, tentando explicar o inexplicável, com a inseparável “Bíblia da Lorota” ou Relatório de Sustentabilidade embaixo do braço, em atuação que sambava entre o inverossímil e o patético.

Sem a habitual proteção do CORI, após divergência entre o presidente do órgão e o da diretoria, os desafetos, Gobbi e Andres, saíram do Parque São Jorge cuspindo fogo, unindo-se, mesmo que por instantes, nas ofensas a Tuma e no temor de que coisas ainda mais graves possam sair debaixo do tapete nos meses que estão por vir.

*ATUALIZAÇÃO: os membros da Comissão são: Alexandre Husni, Waldemar Pires, Antônio Carlos Cedenho e Felipe Ezabella

andres e bandidagem

CBF gasta com relógios, mas “economiza” com tecnologia no Brasileirão

setembro 30, 2014

charge marin del nero

Recentemente, o Comitê de Ética da FIFA determinou que seus integrantes devolvessem relógios de luxo, presenteados pela CBF, em ação absolutamente suspeita, durante a realização da Copa do Mundo no Brasil.

Para dar luz ao “mimo”, os cofres da Casa Bandida, que, teoricamente, trabalha com dinheiro dos clubes, gastou R$ 1,3 milhão.

Mas, se há dinheiro para futilidades, turbinado pela alta lucratividade da entidade, recheada de patrocínios, enquanto as agremiações que a sustentam encontram dificuldades de sobrevivência, falta recursos – ou não há interesse em utilizá-los – para melhorar as condições, principalmente de credibilidade, dos torneios que organiza.

A FIFA doou à CBF doze equipamentos, avaliados em R$ 650 mil, cada, utilizados durante o Mundial para verificar se a bola entrou ou não, no evento mais importante de uma partida, ou seja, a marcação de um gol.

O custo para utilização do equipamento, ínfimo para o que se arrecada, é de R$ 10 mil por partida.

A CBF se nega a utilizá-los, alegando que teria que colocar novos equipamentos noutros estádios, e pagar os tais R$ 10 mil para operar nos que já possuem a instalação.

Mais uma vez mente, para não perder a tradição.

Primeiro porque a FIFA se comprometeu, durante um ano, a bancar as diárias necessárias para operar a tecnologia, ou seja, o custo de R$ 10 mil está coberto, pelo menos nesse período, depois, qualquer menos dotado intelectualmente não teria dificuldades em entender que dentre os patrocinadores da entidade, muitos se estapeariam para colocar o nome, uma espécie de “naming-rights”, nas peças tecnológicas, eliminando qualquer gasto que a CBF pudesse vir a ter com a instalação.

O que falta, certamente, é vontade política para tal, o que nos remete a pensar no que poderia haver, se é que não há, por detrás da insistência em manter em operação situações que provocam decisões nebulosas da arbitragem.

Goulart (PSD) trai Andres Sanches (PT) e fica com os votos das “organizadas” do Corinthians

setembro 30, 2014

goulart-andres-lula_thumb.jpg

O ex-presidente do Corinthians, Andres Sanches, em plena semana de eleições, recebeu duas notícias absolutamente desagradáveis, uma delas para sua campanha.

Em reunião do CORI, realizada ontem, passou da condição de “celebridade” do clube para investigado por gestão temerária, além doutras irregularidades, tratadas como criminosas pela Receita Federal.

Antes, porém, soube que as torcidas “organizadas” votarão no vereador Goulart (PSD), que, sorrateiramente, traiu o então aliado, e costurou o acordo no final de semana.

Pavilhão Nove – que, por ironia, teve Sanches como um dos fundadores – e Camisa 12, descartaram votar no ex-mandatário alvinegro.

Todos votos que eram contabilizados como certos pelo grupo de Sanches.

O trabalho de Goulart continua, e o objetivo maior, dentre o perfil do eleitorado de ambos, que seria obter o apoio oficial dos Gaviões da Fiel, “organizada” com mais integrantes, e que, historicamente, costuma votar no vereador, foi conseguido no mês passado, em meio aos festejos da bandidagem.

https://m.yahoo.com/w/legobpengine/sports/noticias/festa-tradicional-presen%C3%A7a-andr%C3%A9s-gavi%C3%B5es-125831618–sow.html?orig_host_hdr=br.esporteinterativo.yahoo.com&.intl=BR&.lang=pt-BR

Ministério do Esporte dissimula em lobby para manter “esquema” de empresários, proibido pela FIFA, atuante no Brasil

setembro 30, 2014

Bicheiros, negociatas, documentos falsos: saiba como V(W)anderlei(y) Luxemburgo está pegando dinheiro do Flamengo

Com a proibição da participação de empresários e seus “parceiros” nos direitos de jogadores de futebol, muita gente, que sobrevive do “esquema”, entrou em polvorosa.

Principalmente os dirigentes de clubes, que depende dos “terceiros” para saquearem os caixas de suas agremiações, embolsando, no retorno, o dinheiro supostamente pago pelos comissionamentos.

Os empresários mais famosos, entre eles Wagner Ribeiro, mentem ao dizer que estão “felizes” em ter que comprar clubes pequenos para seguir tocando o negócio.

Preferem, por razões, obvias, a informalidade.

E já começaram, junto ao Ministério do Esporte, comunista somente na divisão de escândalos, um lobby para dissimular o esquema, no intuito de dobrar a FIFA e enganar a opinião pública.

A tese, que foi, equivocadamente, defendida por jornalistas de jornais importantes, cria um teto de 49% dos direitos de cada atleta para os empresários, enquanto os clubes, com 51%, em tese, teriam autonomia para comandar os negócios.

Pura bobagem, dissimulação no grau supremo da cara de pau.

Esse sistema já vigora no país, há tempos, e os dirigentes, que, repetimos, precisam dos empresários para embolsar o dinheiro de seus clubes, mesmo podendo, jamais exerceram o comando das ações, deixando a cargo dos intermediários toda e qualquer iniciativa de negociação.

A imprensa, em vez de dar aval para a manobra, tem por obrigação combate-la, mostrando a verdade ao público, cobrando que a decisão da FIFA, correta, não demore a ser aplicada no Brasil.

Raul Corrêa da Silva insinua que recebeu ordens de presidentes para cometer crimes no Corinthians

setembro 29, 2014

raul correa

No último final de semana, o Diretor Financeiro do Corinthians, Raul Corrêa da Silva, foi duramente questionado, não apenas por opositores, mas também por seus pares, sobre as práticas que levaram quatro dirigentes do clube, ele, inclusive, a serem indiciados por crimes diversos, entre eles apropriação indébita e sonegação fiscal.

“Quem deu a ordem para você sonegar os pagamentos de impostos ?”, questionou Osmar Stabile, conselheiro do clube.

“O regime é presidencialista”, respondeu Raul, sob o atônito olhar de diversas testemunhas.

Os defensores dos dois presidentes, para quem o Diretor Financeiro trabalhou no clube, Andres Sanches e Mario Gobbi, enfurecidos, diziam que Corrêa, na verdade, teria seguido orientações jurídicas de Sergio Alvarenga, então diretor jurídico, e que ambos seriam os verdadeiros responsáveis pelo delito:

“Onde já se viu, o Andres e o Gobbi são muito burros, não tem capacidade para tomar esse tipo de iniciativa sozinhos. Lógico que foram aconselhados. Os outros dois, o Roberto e o André Negão, então, não sabem nem escrever o nome.”.

“O Raul quer jogar nas costas deles uma ação que ele mesmo orientou-os a fazer.”.

Hoje estarão todos reunidos no CORI, ocasião mais do que própria para que o assunto seja melhor aprofundado.

A FIFA marca um golaço !

setembro 29, 2014

Eleições corinthianas: dinheiro do clube na campanha de Mario Gobbi

Por ROQUE CITADINI

http://blogdocitadini.com.br/

Há três dias, a FIFA anunciou grandes mudanças para o futebol, especialmente nas contratações e vendas de atletas. Decidiu a entidade maior do futebol que de qualquer jogador ou contrato os direitos econômicos são exclusivamente dos clubes aos quais estão vinculados estes atletas. Desta forma, está encerrada a fase das parceiras com os investidores que estavam por toda parte e tanto prejudicavam os clubes brasileiros.

Anunciou também a FIFA, nesta reunião, que por interesse da América do sul essas medidas seriam implementadas obedecendo um prazo de transição que será agora fixado.

O Corinthians, várias vezes citado por dirigentes europeus, é um exemplo clássico de quanto prejudicou o futebol e o próprio clube esse esquema pelo qual o jogador atuava no Timão e quando era vendido, os valores do negócio iam parar nas mãos de fundos e empresários.

Essa política de “parceria” adotada nos últimos anos pelo Timão é um dos grandes responsáveis pela difícil situação financeira em que se encontra o clube.

Para os dirigentes europeus, que tanto se esforçaram por garantir somente aos clubes os direitos econômicos, o sistema de parceria com os fundos e empresários estava gerando um estado de completa promiscuidade entre os diretores dos clubes (que formalmente deveriam defender os interesses da agremiação) e dos parceiros que, de fato, comandavam os negócios. Em todos os clubes, em menor ou maior grau, há “investidores” que estão bem relacionados com a diretoria e conseguem sempre grandes e bons negócios. No Corinthians, a situação chegou ao ponto de os jogadores das categorias de base serem quase todos parcelados com investidores, que hoje festejam quando um jovem começa a brilhar na equipe.

Há muito, tem sido identificado neste quadro uma das maiores dificuldades do Corinthians. Nos últimos anos, os diretores de futebol sempre afirmaram que sem essas nocivas parcerias não seria possível montar um time. Agora, com a decisão da FIFA, este dilema acabou. O Corinthians, que deveria ser o bom exemplo no futebol, vem sendo citado pela FIFA como um dos clubes “problemáticos” nesta questão.

Em verdade, esses negócios só funcionavam porque os dirigentes tinham uma frágil posição de defesa do clube frente aos interesses dos empresários.

Hoje, o que vemos em todo futebol são casos de dirigentes que, subitamente, tornam-se empresários ou agentes associados a fundos e investidores, num conflito de interesses inadmissível.

Foi muito interessante de ver que os que mais resistiram ao fim desta farra de empresários foram os dirigentes brasileiros, incluindo os da CBF. Não é à toa que este problema é mais agudo por aqui.

Mudar este quadro é essencial para os clubes, especialmente para o Corinthians. Agora, com o aval da FIFA, torna-se prioritário que o clube recupere os seus direitos e passe a ser o único detentor dos interesses de seus atletas.

Com esta decisão, serão os melhores nos próximos anos aqueles times que valorizarem e cuidarem melhor da sua base. A FIFA fez a parte dela, esperemos que o futebol faça a sua.

Valdivia e Palmeiras, por Antero Greco

setembro 29, 2014

PAL SÃO PAULO 22/04/2011 - ESPORTES - PALMEIRAS - Treino do Palmeiras na Academia de Futebol preparativo para jogo contra o Mirassol.FOTO SERGIO

“Valdivia parece não se dar conta da gravidade da situação e age com a ligeireza dos insensatos.

Como tem talento e vive rodeado de companheiros medianos e sem brilho, deve achar-se no direito de fazer o que bem entender.ç

De quebra, recebe afagos do presidente do clube, que o considera craque incomparável.

Um e outro, pelo visto, desconhecem a história palestrina.

E assim, de inconsciência de uma lado, de complacência de outro, e com desespero da torcida, avizinha-se o terceiro rebaixamento.

Pois é, Valdívia como ídolo dá bem a dimensão daquilo em que transformaram o Palmeiras.”

(Trecho da Coluna de ANTERO GRECO, no ESTADÃO)

Gestão de Mario Gobbi perde escudo após atrito com presidente do CORI

setembro 29, 2014

gobbihusni

No Corinthians, o CORI, Conselho de Orientação, formado por membros natos, entre eles, ex-presidentes, outros eleitos, para um exercício trienal, tem por função examinar assuntos de relevância do clube, dar o parecer, para depois enviar à apreciação do Conselho Deliberativo.

Faz-se necessário, portanto, isenção e absoluto distanciamento da Diretoria.

Não é o que ocorreu nessa gestão.

Tanto o presidente, Alexandre Husni, quanto o vice, Jorge “Totó” Kalil, antes desafetos dos atuais dirigentes alvinegros, em troca do cargo, passaram a beijar diversas mãos – entra elas a do presidente do clube, delegado Mario Gobbi, e de seus antes apoiador, Andres Sanches.

Em troca, facilidades foram aceitas, sem o menor constrangimento, no Brasil e no Japão.

O CORI, vítima da promiscuidade, passou de órgão fiscalizador para “escudo” das mais diversas barbaridades, financeiras, fiscais e administrativas da atual gestão.

Poucos, entre os membros natos, conseguiam impor suas contrariedades, e sucumbiam perante a ação da mesa diretora e dos “eleitos” – a maioria – que defendiam, a qualquer custo – por vezes, pouco custo – qualquer barbaridade cometida pelos dirigentes.

Nada era barrado, ou questionado, nem mesmo as fictícias contas expostas na “Bíblia da Lorota”, o tal “Relatório de Sustentabilidade”, as contratações sem pé nem cabeça, como a de Alexandre Pato, e os contratos de absoluto risco, como os assinados com a ODEBRECHT.

Pior, além dos flagrantes atos lesivos ao clube serem “defendidos” pelo CORI, em claro desvio de finalidade, eram remetidos ao Conselho com parecer de aprovação que mais parecia um prospecto de venda das ideias, as vezes as mais estapafúrdias, dos atuais dirigentes alvinegros.

Deu no que deu.

Quatro diretores do clube estão indiciados por crimes fiscais, Andres Sanches, Raul Corrêa da Silva, Roberto “da Nova” Andrade e André Negão, a dívida, antes escondida pelas mentiras contadas em papel de luxo, foi escancarada, o mal negócio financeiro do estádio, em que a renda total do “Fielzão” fica retida com a BRL TRUST, admitido, e os recebíveis futuros comprometidos.

Como resultado, se antes, na aparente época de “vacas gordas”, ou de ilusão de tal, todos andavam abraçados, entre elogios e afagos no Parque São Jorge, agora, em meio ao tsunami ocasionado pela verdade, as relações entre os próprios dirigentes da gestão, os com cargo de diretores, e aqueles que tinham por função fiscaliza-los, degringolou.

O presidente do Corinthians, Mario Gobbi, e o presidente do CORI, Alexandre Husni, já não falam mais a mesma língua, e, segundo informações, o atrito foi ruidoso, devendo gerar consequências importantes para a continuidade de seus exercício no cargo.

Há quem diga que sem o escudo do CORI, Gobbi, dependendo do resultado do futebol, sequer viraria o ano na presidência.

Fato é que hoje teremos a reunião do órgão, em que assuntos de extrema gravidade serão levantados, sem que a diretoria – em caso de nenhum acerto ocorrer nas próximas horas – esteja “defendida” como no passado, tornando o resultado final das decisões um rumo absolutamente imprevisível.

CONFIRA ABAIXO A COMPOSIÇÃO DO CORI DO CORINTHIANS

Presidente
Alexandre Husni

Vice–Presidente
Jorge Agle Kalil

Membros Natos
Andrés Navarro Sanchez
Carlos João Eduardo Senger
Clodomil Antonio Orsi
Marlene Matheus
Mauro de Mello Oliveira Gasparian
Waldemar Pires

Membros Trienais – 2012/2014
Antonio Carlos Cedenho
Felipe Legrazie Ezabella
Luiz Cezar Leão Granieri
Jorge Alberto Aun
Ronaldo Perrella Rocha
Sulivan João Correia
Waldir Rozante
Wilson Bento

Descontente com Aidar, Kaka deve retornar aos USA no final do ano

setembro 29, 2014

kaká

Negociado por empréstimo junto ao Orlando City, dos USA, até o final da temporada, eram grandes as chances de Kaká permanecer mais um pouco no Tricolor, principalmente pelo sonho de conquistar a Libertadores da América, em caso de classificação, pelo clube.

Porém, o atrito entre Carlos Miguel Aidar, que finalizou a negociação, e o grupo de Juvenal Juvêncio, que iniciou o namoro, o desmotivou.

E não só a ele, mas a outros caciques da equipe, entre os quais o Mito Rogério Ceni.

Independentemente de juízo de quem pode, foi ou será melhor para o São Paulo, poucos toleram a traição, ainda mais quando a razão alegada para tal é absolutamente desprovida de verdade, espécie de obra de ficção para que outros interesses sejam colocados em prática no Tricolor.

Palmeiras: matemática de mais uma desgraça

setembro 29, 2014

VALDÍVIA

valdivia silencioValdivia não merece colocar mais a camisa do Palmeiras

+

DIRETORIA DO PALMEIRAS

Mello Palmeiras 1

+

EMPRESÁRIOS

regis-marques.jpgbrunoro

+

OPOSIÇÃO DO PALMEIRAS

pescarmona rebelopatetas palmeiras

=

palmeiras segunda

Empresário cobra calote de R$ 900 mil em comissões do jogador Hugo

setembro 29, 2014

hugo

Recentemente, o empresário de jogadores Flávio Guilherme Paraense de Almeida, ingressou com Ação na Justiça Federal do Trabalho reclamando calote em comissionamento do jogador Hugo, que ultimamente vem sendo tratado como ‘persona non grata” no Vitória/BA, clube em que já treina em separado.

300 mil Euros, que, convertidos, perfazem pouco mais de R$ 901 mil.

Os valores são consequência da intermediação da transação de Hugo, quando ainda atuava no Grêmio, para o Al-Wahda Sports Cultural Club, dos Emirados Árabes, em que o atleta recebeu 3 milhões de Euros, com o compromisso de repassar 10% do montante ao empresário.

Findou em 12 de agosto o prazo limite do pagamento, e, após espera de dois anos, com a consequente constatação do calote, Flavio decidiu reclamar sua parte na Justiça.

A inicial da Ação, além do montante descrito, acrescido de juros e correções, pede ainda que a Receita Federal seja notificada, dando a entender, pelo texto, que o jogador teria recebido bem mais dinheiro do que declarou, ou poderia comprovar.

Fato é que, mesmo no Vitória, clube em que afirmou a interlocutores “estar de férias até o final do ano”, do salário de Hugo, oficialmente R$ 90 mil (registrado na CBF), na verdade, R$ 150 mil entram em seu bolso, pagos por fora, sem declaração, em claro indício de sonegação.

Para agravar ainda mais a situação, os advogados do empresário devem solicitar, também, nos próximos dias, analise da Receita Federal da empresa Ferreira Participações, do procurador atual de Hugo, Evandro Ferreira, e também do advogado Diego Sousa – que representa, entre outros, o jogador Vagner Love – sob suspeitas de ambos servirem como “laranjas” para investimentos e recebimentos “ocultos” do atleta.

O processo nº 0000805-66.2014.5.05.0011 tem audiência designada para o próximo dia 03 de outubro, e deve esquentar o ambiente do Fórum Federal Trabalhista de Salvador.

Principalmente após o advogado de Hugo, o citado Diego Sousa, ter telefonado a uma testemunha do empresário Flávio, na última semana, na tentativa de coagi-la a não participar do processo, que deve contar o ocorrido ao judiciário, aparentemente municiada de gravações.

ABAIXO DOCUMENTO DA CBF COMPROVANDO RECEBIMENTO “OFICIAL” DE R$ 90 mil DE HUGO NO VITÓRIA (SALÁRIO REAL É R$ 150 mil), E AUSÊNCIA DE INFORMAÇÃO SOBRE SALÁRIO RECEBIDO NOS EMIRADOS ÁRABES

dut e hugo

CLIQUE NO LINK A SEGUIR PARA TER ACESSO A TODA INICIAL DO PROCESSO

Petição+Inicial+Trabalhista+(Flávio+x+Hugo)

CERTIDÕES INDICAM QUE HUGO ESTARIA FUGINDO DE CITAÇÃO NO PROCESSO

Certidão_do_Oficial_de_Justiça Despacho

Despacho

Grupos da própria gestão discutem no “Senadinho” do Corinthians

setembro 28, 2014

gaguinho raul

Ontem, em meio as tradicionais conversas realizadas no “Senadinho” do Corinthians, chamou a atenção forte cobrança sofrida pelo Diretor Financeiro das últimas três gestões, duas de Andres Sanches e a última, de Mario Gobbi, o indiciado por crime fiscal, Raul Corrêa da Silva, efetuada por seus, antes, apoiadores.

Entre os mais exaltados estava Ernesto Teixeira, puxador de samba dos “Gaviões”, ligado ao grupo de Sanches.

“Muitos dos FORA DUALIB estão todos com “carteirinha” na mão e se calam diante de tudo que assistem”, criticou.

Outro que se exaltou foi o atual Diretor Social do Corinthians, Ilmar Schiavenato, parceiro de Corrêa na gestão, mas, pelo visto, inconformado com as atrocidades financeiras que levaram o clube a estágio pré-falimentar.

Em meio aos questionamentos, Raul, desastradamente, ao tentar defender sua atuação na Diretoria, lançou mão de um exemplar do “Relatório de Sustentabilidade”, fazendo corar até quem tentava defendê-lo.

Justamente o livro mais desmoralizado da história do clube, tratado no Parque São Jorge como a “Bíblia da Lorota”.

Enquanto a situação de constrangimento imperava no seio do clube, fora, torcedores protestavam com faixas, pedindo a cabeça do presidente, e de todo seu grupo, inclusive do atual desafeto, o ex-mandatário, candidato a Deputado Federal pelo PT, Andres Sanches.

Evento da Arena Palestra é marcado por inexpressividade de presidente do Palmeiras

setembro 28, 2014

6d627-paulonobre

O evento que reuniu três mil convidados numa espécie de “ponta-pé” inicial de uma Arena Palestra, ressalte-se, ainda inacabada, foi marcado pela absoluta inexpressividade do presidente do Palmeiras, Paulo Nobre.

A WTORRE aparecia mais no telão do que o próprio símbolo palestrino, seus dirigentes discursavam, e a impressão que se tinha é de que um novo prédio da empresa havia sido lançado, não um estádio de futebol que, em tese, pertence ao clube.

Inadmissível, num momento histórico para o Palmeiras, que seu dirigente máximo seja tratado como um qualquer, sem direito a discurso, quando, na verdade, deveria estar chefiando a cerimônia.

Brigas a parte, até porque, convenhamos, se perto doutras construtoras o tamanho da WTORRE, mesmo bancada com recursos trazidos pelo PT, é ínfimo, perante o Palmeiras, de história magnífica e uma legião de torcedores apaixonados, chega a ser covardia.

A inexpressividade do atual mandatário palestrino, que, apesar de, corajosamente, ter banido as “organizadas” do clube, pecou demais na diretoria de futebol, em que banca administrativamente, até hoje, bandidos do esporte, e financeiramente, com a inadequada ação – apesar da boa vontade – em emprestar dinheiro ao Verdão, ficou ainda mais evidente ao não controlar a lista de convidados, marcada, em 80%, quando não por inimigos da gestão, pelos vagabundos “organizados” que havia expulsado do Parque Antártica, fator que, por razões óbvias, junto com a má-fase da equipe, estimularam ainda mais as vaias recebidas pelo dirigente.

Empresários temem ser donos de clubes de futebol

setembro 28, 2014

WAGNER-RIBEIRO-ALDO-CLAUDIO-MARCELO_thumb.jpg

Em meio ao temor dos efeitos, que ainda não foram mensurados, da decisão da FIFA de impedir empresários e Fundos por eles representados de obter propriedade sobre os direitos de jogadores de futebol, surgem especulações de que os intermediários, como meio de sobrevivência, passariam a adquirir clubes nacionais.

Pode até ser, mas é certo que estão absolutamente contrariados, e temerosos com a alternativa.

Diferentemente da ‘terra de ninguém”, com negócios sendo realizados em papel de pão, sem nenhuma fiscalização, que enriqueceu a quase todos, inclusive dirigentes dos clubes “parceiros”, daqui por diante o lucro deve cair, e, se não tomarem cuidado, podem por a perder muito do que amealharam nos últimos anos.

Pelo menos, haverá como fiscalizá-los, daqui por diante, mesmo que, eventualmente, até por hábito, efetuem seus mais obscuros acordos, nem sempre providos de honestidade.

Um clube de futebol necessita, para sobreviver, de administração minimamente razoável, torcedores para bancá-lo e equipes competitivas que atraiam patrocinadores.

A despesa é bem alta, e, tirante as agremiações mais conhecidas, poucos conseguem bancá-la sem prejuízo.

É ai que tanto o Governo, quanto os órgãos fiscalizadores e confederações precisam ficar atentos: afinal, é de prejuízo que se alimentam os ‘Lavadores de Dinheiro”.

Hoje a “FOLHA” noticia que Wagner Ribeiro, Neymar Pai e o cantos Alexandre Pires utilizarão o Uberlândia EC para realizar seus negócios, ou seja, terão que manter a equipe atuando, com jogadores médios, negociando os mais conhecidos, por empréstimo, aos clientes habituais.

Cabe aos dirigentes de clubes saber lidar com essa gente, evitando a conivência com o ilícito, e, principalmente, realizando negócios que favoreçam as agremiações.

Ou alguém acredita que um Uberlândia FC, ou outro menor qualquer pode ter poder de fogo perante Corinthians, Flamengo, São Paulo, Vasco, Palmeiras, etc., sem que dirigentes destes próprios clubes permitam a operação ?

Evidentemente que não.

Razão pela qual, reiteramos o que já foi comentado em postagem anterior, ou seja, conselheiros e torcedores destes clubes, Governo, e também a imprensa, precisam ficar atentos às movimentações, denunciando as irregularidades e as movimentações que impliquem em deslealdade comercial ou favorecimento a pontos de vendas de empresários, cobrando, inclusive, prestação de contas condizente com a arrecadação destas equipes.


%d blogueiros gostam disto: