Advertisements

Archive for agosto, 2017

FBI entrega provas da corrupção de cartolas brasileiros para a Polícia Federal

agosto 31, 2017

Novamente de maneira exclusiva, o jornalista Wanderley Nogueira, da rádio Jovem Pan, revelou que o FBI compartilhou com a Polícia Federal documentos e transcrições de depoimentos suficientes para que seja deflagrada operação de prisão de cartolas nacionais.

MPF e PF disseram ainda ter encontrado provas robustas de transferências irregulares de valores oriundas do Brasil.

As investigações desnudaram, também, códigos, senhas e apelidos utilizados com objetivo de enganar as autoridades.

Confirmação de propina na conta era tratada como “já está em Lua de Mel”; “gato preto” indicava recebimento de quantia inferior a US$ 1 milhão; “gato branco”, superior, “lagoa azul” indicava aceitação de todos os envolvidos aos trâmites acordados, e por ai vai.

Os apelidos dos propineiros, que ainda não tiveram os nomes verdadeiros relevados, variavam:

  • “Galo de Ouro”, “Napoleão”, “Estrela Azul”, Anjo das Asas Douradas”, Berlim” e diversos outros.

Em breve, se os órgãos de investigação brasileiros derem ao esporte o mesmo tratamento da “Lava-Jato”, e tiverem coragem, principalmente, de enfrentar a oposição da Rede Globo, principal suspeita de ter pagado propina a muitos dos prováveis indiciados, principalmente em assuntos ligados às compras de direitos televisivos, poderemos ter o tão sonhado, e batalhado por poucos jornalistas, início da higienização da Casa Bandida do Futebol e demais subservientes.

Advertisements

Corinthians: BRL Trust revela prejuízo de R$ 268,9 mil na operação do Arena Fundo, nos últimos três meses

agosto 31, 2017

Na última semana, a BRL TRUST, braço da Odebrecht, protocolou na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), informe trimestral das operações financeiras do Arena Fundo, gestor do estádio de Itaquera, utilizado pelo Corinthians.

O resultado é preocupante.

Nos últimos três meses, segundo a BRL, o Fundo fechou com prejuízo de R$ 268,9 mil.

Existem, porém, alguns dados que, se não obscuros, carecem de explicações mais detalhadas.

No último Informe Mensal, do mês de julho, o Arena Fundo indicou que a dívida do Corinthians com a ODEBRECHT seria de exatos R$ 351,8 milhões, porém, neste “trimestral” é especificado que os gestores possuem em carteira R$ 305,8 milhões, correspondentes aos CIDs da Prefeitura.

Ou seja, a pendência, repassados os Certificados à construtora (conforme prevê contrato entre as partes), cairia para valores próximos a R$ 46 milhões.

A dúvida: por que o repasse não é efetuado e os CIDs seguem nas mãos do Fundo ?

Outro ponto: apesar de indicar prejuízo de R$ 268,9 mil, o Fundo diz ter em caixa, para “necessidades de liquidez”, a quantia de R$ 63.115,60, e, aplicados em Renda Fixa, R$ 9,9 milhões, que teriam rendido, no trimestre, R$ 123,1 mil em juros.

A referida obscuridade se dá, novamente, nos itens ligados às “despesas”.

Vamos aos mais relevantes:

  • R$ 301,9 mil em taxa de administração (somados três meses);
  • R$ 224,3 mil em “consultoria especializada”;
  • R$ 40,2 mil em “custódia de títulos e valores”;
  • R$ 39,5 mil em “honorários advocatícios”;
  • R$ 1.921.560,39 discriminados, novamente, como “outras despesas”.

Total de gastos (somados, também, itens que não elencamos): R$ 2.566.355,31, quase 80% destes sem especificação detalhada de sua utilização.

Clique no link a seguir para ter acesso à íntegra da prestação de contas do Arena Fundo, gestor do estádio de Itaquera, enviados pela BRL Trust (Odebrecht) à CVM:

Informe Arena Fundo – Trimestral – agosto 2017

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

agosto 31, 2017

http://rockngol.com.br

Blog do Paulinho

Deputado Andres Sanches (PT) trabalhando em Brasília

agosto 31, 2017

Andres Sanches (PT) trabalhando, intensivamente, durante votação de Medida Provisória, ontem (30), em Brasília

Palmeiras terá que pagar R$ 813 mil a empresário por contratação obscura de 2006

agosto 31, 2017

José Cyrillo Junior

Em 2006, durante a gestão Affonso Della Mônica, o Palmeiras contratou, de maneira obscura, o jogador Thiago Treichel, junto à equipe búlgara do Litex Lovech.

O negócio foi tocado pelo então diretor de futebol José Cyrillo Junior.

Porém, tratava-se, ao que parece, de um golpe.

Cyrillo disse que Thiago chegaria por empréstimo, mas, em verdade, havia uma clausula embutida no contrato obrigando o clube a pagar US$ 20 milhões em caso de devolução à Bulgária.

Razão pela qual, mesmo após o então treinador Tite dispensar o atleta por deficiência técnica, o Palmeiras se viu obrigado a contratá-lo, por US$ 300 mil, e, em sequência, emprestá-lo para diversas equipes menores do Brasil, arcando, porém, com os vencimentos, que eram de R$ 20 mil mensais.

Mas o prejuízo não parou por ai.

A empresa Rosa & Garbim Comercial e Distribuidora, do agente Marino da Rosa, tempos depois, ingressou com ação de cobrança contra o clube, apresentando-se como detentora de 1/4 dos direitos de Thiago.

O Palmeiras, que desconhecia este vínculo, tentou se defender, mas perdeu a causa em todas as instâncias, vendido que foi pelo ex-dirigente, que, segundo os agentes, utilizou-se deles para fechar o negócio, mas, sabe-se lá por quais motivações, não contou todos os detalhes ao clube.

Desde a última sexta-feira (25), em decisão final da Justiça, o Palmeiras foi condenado a depositar, em 15 dias, R$ 677.543,94 aos agentes, acrescidos de R$ 135.508,79 de custas, que, somados, perfazem R$ 813.052,73.

Portuguesa descumpre trato e Justiça cancela acordo que poderia salvar o Canindé

agosto 30, 2017

Em 13 de julho, o Blog do Paulinho revelou detalhes do compromisso trabalhista assinado pela Portuguesa com seus principais credores, afastando, naquele momento, a possibilidade de ter o Canindé leiloado.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/07/13/portuguesa-oficializa-acordos-trabalhistas-e-afasta-leilao-do-caninde/

Tratava-se, tudo indica, de um embuste.

Em despacho datado de ontem (29), a Justiça do Trabalho cancelou todas as clausulas do acordo.

A Portuguesa não pagou sequer a primeira parcela, prevista para o último dia 25.

O clube tentou ainda, em gesto de deslealdade, levantar os valores pagos, em aluguel, pela Churrascaria Canindé Grill e pela Igreja Renascer, penhorados para amortizar parte das pendências.

A Lusa, desde julho, não consegue juntar documentos que confirmem a representação do clube nos autos, fator que também ajudou a anular o acordo.

Procurada pelo blog, a Dra. Gislaine Nunes, advogada dos processantes, visivelmente irritada, limitou-se a dizer:

“Nunca mais vou negociar com a Portuguesa!”

Três meses antes do acordo, revelamos áudio do presidente da Portuguesa, Alexandre Barros, indicando objetivo de enganar os credores para atrasar o leilão:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/04/26/presidente-da-portuguesa-explica-plano-para-enganar-parceiros-e-a-advogada-gislaine-nunes/

O cartola parece ter cumprido, ao menos, esta promessa.

Alexandre Barros chegou até a explicitar suposto desejo de “dar porrada” na advogada, que, apesar disso, sentou-se com o presidente da Portuguesa e, em gesto de boa vontade, aceitou negociar:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/04/29/presidente-da-portuguesa-explica-manobra-do-leilao-e-detona-advogada-gislaine-nunes/

O resultado de mais este atentado à Portuguesa, cometido por seus próprios dirigentes, será o retorno à situação de desespero, em que os valores, antes facilitados em parcelas, terão agora que ser pagos, com incidência de juros, à vista, com grande possibilidade de perda de patrimônio, já que o Canindé terá o leilão remarcado.

Diretoria do Corinthians quer jogar problema do estádio para próximos presidentes

agosto 30, 2017

Emerson Piovesan e Raul Corrêa da Silva

“Queríamos alongar no começo da negociação, mas isso mudou para outra característica de negociação. Fazer qualquer tipo de alongamento vai custar mais caro, então estamos discutindo o financiamento dentro do mesmo prazo. Vou ter de pagar mais por isso? Não, estamos negociando. Eu posso começar a pagar um valor aqui e ir aumentando gradativamente”

(EMERSON PIOVESAN, diretor financeiro do CORINTHIANS)


Em entrevista ao Globo Esporte, logo após a recusa do CORI, por onze a zero, em aprovar solicitação para que os recebíveis do plano “Fiel Torcedor” fossem utilizados para amortizar pendência das obras do estádio de Itaquera, Emerson Piovesan, responsável pelas finanças do Corinthians, deixou bem claro o objetivo da diretoria:

“(…) estamos negociando. Eu posso começar a pagar um valor aqui e ir aumentando gradativamente”

Ou seja, em resumo: a atual gestão, que autorizou a assinatura do desastroso contrato da Odebrecht e seus aditivos posteriores, com alguns deles suspeito de tê-lo feito à custa de recebimentos de propinas, quer se livrar de pagar a fatura (que, aliás, não quita a mais de um ano), deixando o problema para os futuros presidentes alvinegros.

Não bastou, dentro do negócio, inviabilizar a gestão do futebol (que vem sendo salvo pelo trabalho do treinador, sabe-se lá até quando) ao reverter a totalidade das arrecadações das partidas ao pagamento da construtora, cedido o terreno de Itaquera, o Parque São Jorge, a exploração de símbolo, nome e marca, além de ter adiantado, sem anuência do Conselho, os recebíveis em direito de televisão, uma fortuna disfarçada de “luvas” para burlar a lei do PROFUT.

Indecente, a proposta da diretoria alvinegra, mesmo após a recusa em ligar o “Fiel Torcedor” ao contrato, trataria de tornar impraticável investimentos, condenando o clube à prática doutros calotes que poderiam resultar em insolvência.

O desespero em encontrar soluções rápidas para quitar um estádio que, sabe-se, sequer foi concluído, sem antes sentar para discutir as revelações da auditoria, que além de indicar R$ 250 milhões em diferença do que foi prometido e o efetivamente entregue, poderá esclarecer, também, possíveis desvios de condutas ou conivência de dirigentes com superfaturamento da obra, coloca os atuais gestores no mesmo balaio dos anteriores, aqueles que são acusados pela “Operação Lava-Jato” de crimes diversos em torno do empreendimento citado.

CBF faz propaganda do livro de Romário

agosto 30, 2017

“Mesmo sendo a autora uma entidade privada, é inequívoco que ela cuida da administração do futebol, o qual, pela sua importância histórica e interesse que desperta em toda a população – até mesmo como símbolo nacional e da identidade do Brasil no exterior – deve merecer o tratamento de bem público cultural da população brasileira, razão pela qual a administração dos seus negócios extrapola o âmbito do seu interesse interno, com a necessidade de ser transparente perante a população”

(trecho da exemplar sentença do juíz Fábio de Souza Pimenta, da 32ª Vara Cível de São Paulo, negando pedido da CBF para proibir a circulação do livro do senador Romário Faria, “Um olho na bola, outro no cartola – o crime organizado no futebol brasileiro”)


No próximo sábado (02), às 11h, o Pavilhão 3 da Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, será palco de lançamento do livro ““Um olho na bola, outro no cartola – o crime organizado no futebol brasileiro”, assinado pelo Senador Romário.

A obra revelará bastidores da polêmica CPI do Futebol, em que parlamentares da “bancada da bola”, provavelmente bancados por bola, tentaram aliviar a vida de bandidos do esporte, mas encontraram resistência num grupo corajoso de políticos que ousaram, em relatório paralelo, retratar a realidade.

O referido documento (no qual matérias do Blog do Paulinho são citadas), também assinado por Romário, que sobrepôs-se ao indecente parecer final, serve de base, hoje, não apenas para investigações no Brasil, mas vem sendo utilizado, também, pelo FBI.

Com medo da Justiça, e, nota-se, também da opinião pública, a CBF, que tem um presidente que não pode viajar com medo de ser preso pela justiça norte-americana, amparada na limitada inteligência de seus assessores, acabou por fazer, gratuitamente, a mais relevante divulgação da obra que a desnuda ao tentar impedi-la de chegar às prateleiras das livrarias.

Agora o livro será lido pelos que se importam com o que ocorre nos bastidores da política esportiva e também por curiosos, certamente interessados em saber o que a Casa Bandida tem a esconder.

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

agosto 30, 2017

http://rockngol.com.br

Blog do Paulinho

Por Fora do Campo

Água que Camelo não bebe

agosto 30, 2017

A tradicional pizzaria Camelo foi palco, dias atrás, de vexame protagonizado por conselheiros e dirigentes do Corinthians que reuniram-se a pretexto de arrecadar fundos à caridade no jantar mensal da “Confraria dos Churumelas”.

Aproximava-se das 02h da madrugada quando garçons e a direção da casa tiveram que se desdobrar para frear o ímpeto de endinheirados sem postura, alguns absolutamente alcoolizados.

Não é o primeiro desconforto ocasionado por gente do Corinthians em restaurante de São Paulo: três anos atrás, a “Cantina dos Marinheiros” recebeu calote após uma desta reuniões.

Já teve confusão, também, na cantina do Gigio.

Não fosse a educação dos funcionários do restaurante, que, mesmo destratados, souberam lidar com os que ultrapassaram limites, teríamos um incidente complicado num ambiente que deveria ser absolutamente familiar.

Neto perde novamente para o Blog do Paulinho na Justiça

agosto 30, 2017

Em fevereiro, o comentarista Neto foi goleado pelo Blog do Paulinho, na Justiça, quando a 2ª Instância do TJ-SP entendeu, por três votos a zero, que não existiu crime nas postagens em que revelamos diversas verdades sobre o ex-jogador.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/23/confira-trechos-do-acordao-da-goleada-do-blog-do-paulinho-contra-o-comentarista-neto-na-justica/

Nem calúnia, muito menos injúria ou difamação.

Inconformado, por intermédio do advogado Herói Vicente, que concorre ao Conselho Deliberativo do Corinthians, Neto recorreu, utilizando-se de Embargos de Declaração.

Nova derrota, decretada na última quarta-feira (23), em sentença didática do desembargador Vico Mañas, espécie de aula de direito criminal que deveria ser apreciada por processadores contumazes.

Vale lembrar que o Blog do Paulinho tem como defensora a competente Dra. Danúbia Azevedo, que sabe bem, diferentemente doutros, alguns com sobrenome conhecido, a necessidade de pagar uma guia de recolhimento antes de impetrar recurso de segunda instância.

Para que o leitor relembre as motivações de Neto para a ação criminal, republicaremos, abaixo, os trechos mais relevantes da absolvição, em que parte do que dissemos sobre o comentarista poderá ser consultado:

Apelação nº 0015562-16.2011.8.26.0050, da Comarca de São Paulo, em que é apelante/querelado PAULO CEZAR DE ANDRADE PRADO, é apelado/querelante JOSÉ FERREIRA NETO.

ACORDAM, em 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: “rejeitadas as preliminares arguidas, deram provimento ao recurso para absolver o réu da calúnia e da injúria com fulcro no art. 386,III, do Código de Processo Penal e, da difamação, com fundamento no inciso VII, do mesmo dispositivo legal. V.U.”, de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores PAULO ROSSI (Presidente sem voto), JOÃO MORENGHI E ANGÉLICA DE ALMEIDA.

São Paulo, 15 de fevereiro de 2017.

Vico Mañas – RELATOR


Descreve a queixa-crime que o réu, responsável por“blog” sobre assuntos esportivos, valeu-se do “site” para caluniar, difamar e injuriar o comentarista e ex-jogador de futebol José Ferreira Neto.

Assim, nos meses de novembro e dezembro de 2010, em diversas publicações, atribuiu à vítima condutas que configurariam estelionato, associação criminosa e estupro de vulnerável, incidindo em calúnias.

Segundo o acusado, o ofendido empregaria sua influência junto à administração do“Sport Club Corinthians Paulista” para obter vantagens financeiras em detrimento do time, além de abusar de menores após sessões de autógrafos.

Também imputou a Neto o oferecimento de incentivos financeiros a jogadores para que vencessem partidas, com verbas provenientes de jogos de azar por ele explorados.

Ademais, sugeriu que a vítima seria amiga de criminosos, que impediria a veiculação de matérias jornalísticas desfavoráveis em programas da emissora em que trabalha e que, quando do começo de sua carreira como jogador, não conseguia se manter na forma física ideal.

Tudo, pois, com o intuito de difamá-lo.

Por fim, ao mencionar que o ofendido “não conseguia andar em campo e sua gordura se acentuava”, que “se achava mais esperto que a esperteza” e insinuar que seria “sonegador fiscal e pedófilo”, o recorrente teria incorrido em injúrias.

Em juízo, Renato Zabeu Nalesso relatou que acompanhava o blog do apelante e, ao se deparar com as publicações ofensivas, comunicou a vítima (fl. 201).

De rigor a absolvição de todos os delitos.

Para a adequada tipificação da calúnia, exige-se imputação de fato certo, determinado e específico, com todos os seus requisitos objetivos, não se contentando a lei com atribuição vaga e imprecisa de comportamentos, como os referidos na inicial.

Com efeito, menciona-se que o comentarista teria imposto ao clube de futebol interesses particulares que o favoreceriam, eventualmente em conluio com terceiros.

Fala-se que integraria “esquema” para que atletas amadores que apadrinhava em times de pequena expressão tivessem transferência facilitada para o Corinthians, com o apoio de treinadores e dirigentes amigos, anteriormente seus subordinados no “Guarani Futebol Clube” e que teriam conquistado cargos no time da capital por imposição da vítima.

No que tange à difamação, a Magistrada admitiu como tal a alusão a oferta de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) a atletas do Guarani a serem distribuídos em caso de vitória em partida contra o “Fluminense Football Club”.

A transação seria intermediada por Neto e o dinheiro proviria da exploração de jogos de azar pela vítima (fls. 08/09 e 240).

Quanto à injúria, as frases salientadas pela Juíza à fl. 240 não revelam o dolo de ofender a honra subjetiva do ofendido, mas somente de narrar eventos de interesse jornalístico no contexto esportivo, ligados à condição física do querelante no início de sua carreira, ao ser transferido para o “Bangu Atlético Clube”, do Rio de Janeiro.

Trata-se de situações ocorridas há décadas e, na ocasião, em meados da década de 80, notório que o jogador,pessoa pública, tinha problemas para controlar seu peso.

Nesse quadro, ainda que presente crítica velada, não se vislumbra intenção de denegrir os atributos morais ou físicos da vítima. Os chamados “animus narrandi” e “criticandi”excluem o dolo de injuriar.

Essa a compreensão do Superior Tribunal de Justiça: “os crimes contra a honra reclamam, para a sua configuração, além do dolo, um fim específico, que é a intenção de macular a honra alheia.

Inexistente o dolo específico – a intenção de ofender e injuriar – elementos subjetivos dos respectivos tipos, vale dizer, o agente praticou o fato ora com animus narrandi,ora com animus criticandi, não há falar em crime de injúria ou difamação” (HC43.955/PA, Rel. Ministro Paulo Medina, Sexta Turma, julgado em 03/08/2006,DJ 23/10/2006, p. 357)

E ainda: “o acórdão prolatado pelo Tribunal de origem, ao considerar inexistente o crime de injúria ou difamação, quando a notícia jornalística produzida pelo Querelado não tinha a intenção de caluniar ou difamar o Querelante ou imputar-lhe qualquer fato criminoso ou ofensivo à sua honra, mas apenas informar os fatos (animus narrandi), alinhou-se com a orientação jurisprudencial desta Corte Superior de Justiça” (Ag Rg no AREsp144.279/DF, Rel. Ministra Laurita Vaz, Quinta Turma, julgado em 19/08/2014, DJe 28/08/2014).

Em suma, absolve-se o acusado dos delitos de calúnia e injúria por atipicidade das condutas e, da difamação, por carência probatória.

Frente ao exposto, rejeitadas as preliminares arguidas,dá-se provimento ao recurso para absolver o réu da calúnia e da injúria com fulcro no art. 386, III, do Código de Processo Penal e, da difamação, com fundamento no inciso VII, do mesmo dispositivo legal.

Estadão, Lance e Blog do Paulinho

agosto 30, 2017

Ontem, às 04h25, o Blog do Paulinho publicou matéria dando conta de que a equipe sub-17 do Corinthians estava sendo utilizada, em campo de varzea, para fins políticos, em favorecimento à campanha de Luiz Moura, expulso, recentemente, do PT:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/08/29/base-do-corinthians-e-exposta-na-varzea-em-campanha-de-deputado-ligado-ao-crime-organizado/

Sem constrangimento, às 18h45m, quase 14 horas depois, o pré-falimentar site do Lance! repetiu a informação, assinada por Gabriel Carneiro, dizendo que soube do assunto “pelas mídias sociais” de André Negão, vice do clube.

Às 20h57 foi a vez do repórter Daniel Batista, do Estadão, publicar o mesmo conteúdo, citando o Lance!, não o Blog do Paulinho.

Muito provavelmente, espera-se, os jovens jornalistas tenham sido obrigados a esconder a verdade por ordem de suas editorias, cansadas de, diante de investimento muito maior, seguirem na rabeira de um blog independente, mas, ainda assim, apesar da vergonha, não é desrespeitando parte de seu público, que também divide espaço com nosso trabalho, que as coisas irão se ajustar.

O Blog do Paulinho faz questão, sempre, quando não se trata de notícia exclusiva, de apresentar ao público a origem da informação.

Procon indefere recurso e São Paulo terá que pagar multa

agosto 30, 2017

Por conta de processo nº 3115/14, o São Paulo foi condenado, pelo Procon, a pagar multa por má-prestação de serviços no estádio do Morumbi.

R$ 65,4 mil.

O clube recorreu e perdeu.

Despacho publicado hoje concede 15 dias para o Tricolor regularizar a situação.

Lula, o dilema do PT

agosto 30, 2017

Da FOLHA

Por HÉLIO SCHWARTSMAN

É difícil a situação de Luiz Inácio Lula da Silva. A menos que ele decida fazer um improvável “mea culpa” público, admitindo, no mínimo, que se meteu em relacionamentos inadequados com empresários que já confessaram estar envolvidos até a medula em corrupção, só lhe resta mesmo esbravejar contra a Lava Jato e os jovens promotores. Ele precisa tentar pintar os processos a que responde como uma perseguição política.

O primeiro problema é que esse discurso só soa verossímil para os eleitores que já simpatizam mais fortemente com o PT, uma parcela da população que não excede os 30%. As taxas de rejeição ao ex-presidente são superiores a isso, ficando em torno dos 50%. Não é uma coincidência que ele tenha de limitar suas caravanas às áreas do Nordeste onde ainda goza de forte popularidade.

É um cenário que o transforma num excelente candidato para chegar ao segundo turno e nele ser derrotado por um oponente que desperte menos animosidade na maioria da população. Sua melhor chance, senão a única, seria disputar o segundo escrutínio contra alguém ainda mais polêmico, isto é, contra Jair Bolsonaro. Eu não me surpreenderia se alguns petistas mais dados ao pensamento estratégico, levando a dissonância cognitiva a extremos, descarregassem seus votos de primeiro turno no ex-militar.

O segundo problema de Lula é que são grandes as chances de a Justiça bloquear sua candidatura. Nesse caso, o PT precisará lançar um outro candidato —que, ao que tudo indica, seria Fernando Haddad e aí o discurso anti-Lava Jato do partido tende a tornar-se contraproducente. A melhor chance de a legenda voltar a ser viável em eleições majoritárias é admitir honestamente seus erros e tentar mostrar que aprendeu algo com eles. A presença de Lula como líder máximo e inconteste do partido praticamente inviabiliza esse caminho.

11 a 0: CORI enterra gestão “Renovação e Transparência” no Corinthians

agosto 29, 2017

Marcio Seboso, André Negão e Andres Sanches

Em votação que tinha por objetivo inserir no contrato de financiamento do estádio de Itaquera, por exigência da Diretoria, a pedido da CAIXA (intermediadora do empréstimo de R$ 400 milhões junto ao BNDES), todos os recebíveis do clube do plano “Fiel Torcedor”, administrado pela obscura OMNI (até agosto, algo em torno de R$ 9 milhões), o CORI (Comitê de Orientação do Corinthians), diferentemente do que vinha ocorrendo anteriormente, salvaguardou os interesses do clube.

Por onze votos a zero, o pleito foi negado.

Prevendo o massacre, como adiantado pelo Blog do Paulinho, o presidente Roberto Andrade sequer compareceu à reunião, obrigando o vice, André Negão, a expor-se em defesa dos interesses que se contrapunham aos da agremiação.

Nem mesmo, diante de proposta tão escabrosa, que levaria o Corinthians, que já perdeu todos os outros recebíveis imagináveis, seja pelo acordo do estádio ou por adiantamento de receitas, à bancarrota, alguns membros do CORI, históricos beijadores de mãos do grupo de Andres Sanches, ousaram repetir a subserviência nesta reunião.

A gestão “Renovação e Transparência”, que por uma década, aprovou tudo o que desejou, seja no CORI ou no Conselho Deliberativo, sofreu dura derrota, recentemente, na votação que eliminou o sistema de votação por “chapão”, instituindo as “chapinhas”, mas nada se compara ao resultado de ontem, verdadeiro sepultamento de quem comportava-se como “imortal” no Parque São Jorge.


%d blogueiros gostam disto: