Blogando na Copa, ao vivo, às 20h !

Com Paulinho, José Renato e Roberto Vieira

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Kroos salva a Alemanha em momento histórico da Copa do Mundo

Com um gol magnífico de Kroos, aos 50 minutos do segundo tempo, a Alemanha virou uma partida dificílima contra a Suécia e, de quase fora, volta a ser favorita à conquista da Copa do Mundo 2018.

Um momento histórico.

Os alemães iniciaram a partida em ritmo alucinante, perdendo gols, jogando no campo de ataque, sem que os suecos sequer conseguissem tocar na bola.

Tudo indicava um massacre, mas, aos poucos, o panorama foi se transformando.

A eficiência foi se perdendo em meio ao desespero e a Suécia, absolutamente equilibrada, foi entrando no jogo.

Aos 12 minutos, Berg foi tocado por Boateng, dentro da área, no instante que marcaria o gol, mas a arbitragem e o VAR, estranhamente, omitiram-se.

Rudy, aos 24 minutos, foi atingido no nariz e deixou a Alemanha alguns minutos com dez jogadores, suficientes para o ímpeto da equipe esfriar.

Aproveitando-se disso, a Suécia cresceu e, aos 31 minutos abriu o marcador, com Toivonen recebendo a bola na área, dominando no peito e encobrindo Neuer, com enorme categoria.

Um golaço !

Os alemães descontrolaram-se ainda mais e facilitavam o contragolpe adversário.

No lance final antes da virada de jogo, aos 47 minutos, Neuer fez grande defesa em cabeçada de Borg.

As coisas mudaram na segunda etapa, porque a Alemanha manteve-se no ataque, mas demonstrava mais equilíbrio e menos afobação.

Logo aos 2 minutos, na pressão, Reus empatou a partida.

A Suécia marcava muito e dificultava a vida alemã, que precisava vencer de qualquer jeito para se manter com chances no torneio.

Após uma sucessão de gol perdidos, Boateng, aos 36 minutos, pegou um adversário por trás e foi expulso.

Ainda assim corajosa, a Alemanha se manteve toda no ataque, num sofrimento que parecia interminável, as vezes sendo freada por defesas espetaculares de Olsen, noutra pela trave, como em batida de Brant, aos 46 minutos.

Com absoluta justiça, aos 50 minutos, no último lance do jogo, Kroos bateu falta pela direita no ângulo cruzado oposto de Olsen, num gol monumental.

A Alemanha volta à Copa e precisa apenas vencer a fraca Coreia para seguir em frente no mundial, enquanto a Suécia, que respirava a próxima fase, somente se classificará se vencer ao surpreendente México, na partida final.

Facebook Comments

México vence Coréia do Sul em ritmo de treino

Sem precisar se esforçar, o México jogou o suficiente para vencer a fraquíssima Coréia do Sul, por dois a um, garantindo a classificação ás oitavas de final da Copa do Mundo.

Desde o início os mexicanos ditaram o ritmo da partida, com os coreanos, mais limitados, tentando o contragolpe.

Aos 23 minutos, Guardado cruzou pela esquerda e Jang, inocente, cau de carrinho com os braços abertos, cometendo penalidade clara.

Dois minutos depois Vela, na cobrança, abriu o marcador.

Daí por diante o México controlou o adversário, quase inofensivo, até o intervalo.

Na etapa final, os coreanos tentaram atacar e acabaram por facilitar ainda mais a vida dos mexicanos, deixando buracos na defesa para serem aproveitados.

Aos 12 minutos, o goleiro da Coréia fez grande intervenção em batida de Guardado.

Lozano, aos 20 minutos, puxou contragolpe e serviu com açúcar para Chicharito Hernandez, com categoria, livrar-se do zagueiro e bater na saída do goleiro, ampliando o marcador.

Somente no final, em batida aos 47 minutos de Son – o único coreano razoável, a Coréia fez seu gol de honra, dando números finais ao placar.

O México, tudo indica, deverá ser o primeiro colocado do grupo, jogando Suécia ou Alemanha para enfrentar o Brasil, provável melhor classificado de sua chave.

Facebook Comments

Bélgica da show em goleada contra a Tunísia

A Bélgica deu espetáculo na vitória sobre a Tunísia, por cinco a dois, classificando-se para a próxima fase da Copa do Mundo, ratificando o favoritismo de um time que tem boas possibilidades de fazer história no torneio.

Os belgas engoliram o adversário nos primeiros quinze minutos, em que, além de jogarem com absoluta qualidade, transformaram a superioridade em gols.

Logo aos 4 minutos, Hazard foi derrubado na área, a arbitragem marcou e o VAR confirmou, penalidade esta convertida pelo próprio, dois minutos depois.

Aos 15, foi a vez de Lukaku, em contragolpe, ampliar.

Porém, bobeada da defesa, aos 17 minutos, permitiu a diminuição do placar pela Tunísia, em boa cabeçada de Bronn.

Empolgados, os africanos equilibraram as ações.

Mas aos 48 minutos, os tunisianos bateram cabeça na zaga e deixaram Lukaku livre para, com direito a cavadinha, fazer três a um.

Na etapa final, quando a Tunísia iniciou o jogo no ataque, Hazard, em contragolpe, driblou o goleiro e assinalou  quarto gol da Bélgica.

Daí por diante, apesar de descansar a equipe, os belgas deram show, e, se forçassem um pouco mais teriam conseguido uma goleada historica.

Ainda assim, marcaram mais um, o quinto, com Batshuayi – que já havia perdido outros quatro, aos 44 minutos, e sofreram o segundo, mais por desatenção, marcado por Khazri, aos 48 minutos.

De todas as equipes que jogaram nesta Copa do Mundo, sem dúvida, o melhor futebol apresentado foi o da Bélgica.

 

Facebook Comments

Ex-bicheiro vira padre na quadrilha da diretoria do Corinthians

Facebook Comments