Anúncios

Promotor de justiça e político condenado disputam presidência do Conselho no Corinthians

fevereiro 24, 2018

Thales de Oliveira e Antonio Goulart

Duas chapas protocolaram inscrição no dia de ontem e concorrerão aos cargos principais do Conselho Deliberativo do Corinthians, em eleições marcadas para a próxima terça-feira (27).

Pelo grupo de situação, o deputado federal Antonio Goulart, condenado por improbidade ao viabilizar esquema com gráfica, em nome de sua esposa, na Câmara Municipal, e pelo TCE-SP por não comprovar a aplicação de recursos públicos em ONG da qual era mandatário, pleiteia a Presidência do órgão.

Seu vice é o desconstrangido desembargador Ademir Benedito, que tem dois filhos empregados do Corinthians e foi derrotado nas eleições do TJ-SP, após os eleitores receberem matérias e fotos que o colocavam ao lado de gente indigna de circular com magistrados.

Os dois são apoiados pelo presidente alvinegro, Andres Sanches, e pelo empresário Paulo Garcia, dono da Kalunga.

Do lado oposicionista, nomes ligados a grupos distintos uniram-se para tentar reverter o favoritismo adversário.

Para a presidência, a escolha foi o promotor Thales Cezar de Oliveira, considerado “linha dura” na profissão, tendo como bandeira principal de sua atuação a luta pela redução da maioridade penal.

O nome foi escolha do grupo de Roque Citadini, mas recebeu apoio de Felipe Ezabella.

Surpreendente foi a escolha do vice, o desembargador Miguel Marques e Silva, ex-presidente da Comissão Eleitoral, levando-se em consideração que, segundo entendimento do próprio magistrado, as duas chapas (situação e oposição), deveriam ser impugnadas, pelo fato da impossibilidade de juízes e desembargadores assumirem tanto a presidência do clube quanto a do Conselho.

Tanto Miguel, vice de Thales, quanto Ademir Benedito, de Goulart, estão nesta condição, na linha direta de sucessão para ambos os cargos.

Mesmo seguindo a decisão do TJ-SP, que contrariou a da Comissão Eleitoral, ambos poderiam concorrer, mas seriam obrigados, no momento da posse, a se afastarem da magistratura.

Por fim, a grande ausência foi o nome de Romeu Tuma Junior, que, durante a semana, alardeou candidatura à presidência do Conselho, contentou-se com o cargo de vice, mas, dois dias antes da definição dos grupos, ficou de fora em todas as composições.

Anúncios

A final única da Libertadores

fevereiro 24, 2018

Ideologicamente, trata-se de grande acerto a decisão da Conmebol de realizar a final da Copa Libertadores da América em partida única, à partir de 2019.

Em campo neutro, sem as pressões de torcidas mandantes, a probabilidade da melhor equipe vencer acentua-se.

A entidade deveria, aproveitando-se do raro momento de lucidez, dentro do contexto lamentável das praças esportivas nos quais os demais jogos do torneio são disputados – verdadeiros pastos, estabelecer novo mandamento:

  • partidas da Libertadores disputadas somente nos melhores estádios do país do clube mandante;

De cara, a medida elevaria o nível do futebol praticado no torneio.

Clube que não tiver estádio decente, dentro dum padrão pré-estabelecido, ficaria de fora da disputa ou teria que jogar noutro lugar.

O procedimento obrigaria os que sentirem-se prejudicados a procurar soluções para melhorar suas acomodações.

Copa América no Brasil terá filho de Sarney como gestor

fevereiro 24, 2018

Ricardo Teixeira e Fernando Sarney

A escolha dos nomes que integrarão o Comitê Organizador Local da Copa América 2019, a ser realizada no Brasil, é tão deplorável quanto os dos representantes do COL, na Copa do Mundo 2014.

O presidente, só para começar, será Fernando Sarney, filho de José Sarney, frequente nas mais diversas listagens em que estão inseridos os políticos mais corruptos da história do Brasil.

Seus subalternos não ficam atrás e vão desde bajuladores notórios até gente com fama bem complicada.

Entre os puxa-sacos estão dois dos maiores laterais da Seleção Brasileira: Cafú e Branco.

Os mal-afamados são: Rogério Caboclo e o Coronel Nunes.

Diante deste quadro, surpreendente seria uma Copa sem desvios de conduta, muito mais torcida de cidadão do que expectativa real de jornalista.

Respostas rápidas são ideais para combater machismo no futebol

fevereiro 24, 2018

Torcedora ao lado de bandeira com o símbolo do Goiás no estádio Serra Dourada

Da FOLHA

Por MARILIZ PEREIRA JORGE

Posturas de Goiás e Vila Nova e da Band foram exemplares diante de constrangimento de ‘musas’

Em um clássico contra o Vila, se o juiz põe para fora, você mete a boca? Se o seu nutricionista mandar você chupar uma laranja, porque faz bem à saúde, você chuparia um saco? Se quem não tem perna é perneta, quem não tem punho é o quê?

Essas perguntas não foram feitas num programa humorístico do século 20, mas no “Os Donos da Bola”, da afiliada da Band em Goiás, no quadro “Desafio das Musas”. Assistir à gravação é ainda mais constrangedor do que ler a notícia.

O apresentador se achando super engraçado ao questionar as representantes do Goiás e do Vila Nova, em duas ocasiões diferentes, com questões de cunho sexual, comportamento digno de adolescentes dos anos 1990, em ebulição hormonal.

Musas do futebol, piadas com duplo sentido, tudo isso é muito século passado, mas a reação ao ocorrido foi digna dos dias atuais. Quarta (21), o Goiás Esporte Clube emitiu um comunicado repudiando o tratamento dado a Karol Barbosa e disse que “medidas serão tomadas”.

Horas depois, no mesmo dia, num efeito cascata, mas um tanto atrasado, o Vila Nova também se manifestou em apoio a Karolina Rodrigues, que tinha sido “entrevistada” no mesmo quadro, no dia 9 de fevereiro.

Quinta (22), foi a vez da direção da Band, em São Paulo, determinar o cancelamento do programa em Goiás, substituído pelo “Jogo Aberto”, apresentado por Renata Fan.

Exemplares as posturas dos times e da Band. Com respostas rápidas é que se combate machismo, assédio, homofobia, racismo, tão impregnados em nosso futebol, que nada mais é do que reflexo da nossa sociedade.

Foi de dar pena o despreparo das “musas” ao se verem em situações tão constrangedoras como aquelas. Uma mulher mais bem preparada e consciente do absurdo da situação teria levantado e deixado o programa. Infelizmente não foi o que aconteceu, mas ao menos não ficou por isso mesmo.

Como se não bastasse toda lambança, a justificativa do programa nas redes sociais foi de que tudo era apenas um teste. “As perguntas de duplo sentindo foram feitas para que todos parassem um momento e pensassem a respeito do que várias mulheres sofrem todos os dias”, dizia uma parte do comunicado.

Inventar uma desculpa mirabolante dessa é ainda pior do que não assumir o erro. É acreditar que o público é idiota. Não é. Acompanhei a repercussão nas redes sociais e, com alívio, percebi que homens e mulheres repudiaram o ocorrido.

Sempre digo que o feminismo precisa dos homens para que, juntos, possamos combater o machismo.

Ver dois clubes de futebol se levantarem em defesa das mulheres que, de alguma forma, os representavam, nos enche de esperança de que o mundo está, ainda que aos poucos, evoluindo.

Damos um passo à frente e dois atrás. Enquanto escrevo esta coluna, recebo um vídeo em que a campeã olímpica de judô Rafaela Silva conta que o táxi em que fazia o trajeto do aeroporto do Galeão para sua casa foi parado pela Polícia Militar.

A PM nega que tenha havido constrangimento e diz que intensificou o policiamento e que adota critérios técnicos e legais para cumprir sua missão, mas Rafaela afirma ter ouvido um dos policiais dizer ao taxista que achava que ele a tinha pegado na favela.

Parar negros dentro de táxis é critério?

Coluna do Fiori

fevereiro 24, 2018

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Há sempre coragem em dizer o que todo o mundo pensa”

Georges Duhamel – foi um escritor francês

—————————————————————

Doido

Em um dia da semana que se finda, atendi ligação do ex-árbitro Arnold Melvin Blankenstein, contando que respondendo feita na pagina face book do José Roberto Wright, afiançou que eu era louco. Fato inserido nos programas anexados bem abaixo

Honrado

Sem pestanejar respondi que me sentia honrado, vez que:

Minha loucura era e continua sendo minha luta para que os árbitros tenham dignidade, deixando de serem subservientes, fofoqueiros e dependentes das escalas; uns dos principais fatores da desmoralização da categoria. Imediatamente, sem me despedir, depositei o fone no gancho

—————————————————————-

Perguntas

1ª – Ao presidente da CA-Catarinense de futebol Marco Antônio Martins, concomitantemente, presidente da ANAF

– Por onde anda o árbitro Sandro Meira Ricci? Vez que: desde o inicio do campeonato, não arbitrou nenhuma refrega

2ª – Ao presidente da CA-FPF José Henrique de Carvalho, principalmente, ao seu diretor e todo poderoso Dionizio Roberto Domingues

– Onde estão os demais árbitros, do mesmo modo as tão propagadas revelações? Vez que:

– Rafael Claus arbitrou as principais contendas; dando continuação, vocês o puseram  para atuar neste sábado 24/02/2018 na contenda Corinthians x Palmeiras

8ª Rodada da Serie A1 do Paulistão – 2018

Domingo 18/08

São Paulo 0 x 1 Santos

Árbitro: Raphael Claus

Assistente 01: Emerson Augusto de Carvalho

Assistente 02: Alex Ang Ribeiro

Quarto Árbitro: Lucas Canetto Bellote

Item Técnico

Nas vezes que foi exigido Rafael Claus deu conta do fato

Item Disciplinar

Foi correto quando da advertência com cartão amarelo para 03 são-paulinos e 03 santistas

Ponte Preta 0 x 0 Palmeiras

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo

Assistente 01: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa

Assistente 02: Vitor Carmona Metestaine

Quarto Árbitro: Alessandro Darcie

Item Técnico

Algumas falhas, duas destas, referente à lei da vantagem; não influiu no resultado

Item Disciplinar

Advertiu com cartão amarelo 03 defensores da Ponte Preta e 02 do Palmeiras

2ª Feira 19/02

Red Bull Brasil 1 x 1 Corinthians

Árbitro: Vinicius Furlan

Assistente 01: Marcelo Carvalho Van Gasse

Assistente 02: Herman Brumel Vani

Quarto Árbitro: Daniel Bernardes Serrano

Item Técnico

Erro aqui, outro acola, sem influir no resultado

No todo

Aceitável

Item Disciplinar

Correto quando da advertência com cartão amarelo para 04 defensores do Corinthians e 03 do Red Bull

Quarta Feira 21/ 02 – Partida adiada que completou a 7ª Rodada         

Ituano 2 x 1 São Paulo

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho

Assistente 01: Anderson Jose de Moraes Coelho

Assistente 02: Alberto Poletto Masseira

Quarto Árbitro: Ricardo Bittencourt da Silva

Item Técnico

Não fez mais que seu dever e obrigação por ter marcado a clara e infantil penalidade máxima cometida por Igor Vinicius defensor do Ituano no oponente Trellez, ocorrida nos minutos da prorrogação na segunda etapa.

-Infração, cobrada por Cueva, findada no fundo da rede da equipe infratora

Item Disciplinar

Acertou quando da advertência com cartão amarelo para 02 defensores do Ituano e 01 do São Paulo

————————————————————-

Política        

Impunidade no forno

Fim do foro e da prisão em segunda instância beneficiará centenas de réus da Lava Jato

Como o Congresso fracassou e teve de recuar em suas tentativas de “estancar a sangria” da Lava Jato, esse papel pode ser exercido, nada mais, nada menos, pelo Supremo Tribunal Federal. Basta o plenário tomar duas decisões: restringir o foro privilegiado dos políticos com mandato e acabar com a prisão após condenação em segunda instância

Essas duas decisões, somadas, significam que muitos criminosos de colarinho branco já presos serão soltos e muitos dos que estão na bica para ser presos já não serão mais. Uma equação perfeita cujo resultado tem nome: impunidade

Como funciona? Assim: 1) o Supremo formaliza o fim do foro privilegiado e empurra os políticos para a primeira instância, em seus redutos eleitorais; 2) o processo praticamente recomeça do zero e pode demorar anos até o acusado ser julgado e condenado pelo juiz e depois pelo TRF; 3) e, com a revisão simultânea da prisão em segunda instância, pelo próprio Supremo, não acontece nada com o réu. Ele vai continuar entrando com recurso atrás de recurso, livre, leve e solto

Isso tudo com um efeito colateral bastante forte na Lava Jato ou em qualquer investigação, em qualquer tempo, sobre corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Sabem qual? O fim, objetivamente, das delações premiadas que foram fundamentais para desvendar esquemas complexos como o do saque na nossa Petrobrás. Qual envolvido vai fazer delação, sabendo que não corre o risco iminente de prisão?

O fim da prisão após a segunda instância beneficia diretamente o ex-presidente Lula. O fim (ou revisão) do foro privilegiado interessa a todos os políticos com mandato e investigados pelo Supremo. As duas coisas, somadas, dizem respeito a todos eles. Logo, já há especialistas fazendo a seguinte conexão: os antipetistas salvam a cabeça de Lula para salvar todos os aliados; os petistas salvam todos os adversários para salvar a cabeça de Lula. Um “acordão” ou, numa linguagem mais polida, uma “convergência” das forças políticas e dos grandes partidos

Pode até ser, mas não parece pura coincidência o movimento dos ministros Edson Fachin e Dias Toffoli. Fachin, relator da Lava Jato, delegou ao plenário o pedido de Habeas Corpus preventivo para Lula não ser preso, criando condições para a previsão de prisão após segunda instância. Ato contínuo, Toffoli anunciou que está pronto para julgar a revisão do foro privilegiado, já virtualmente definida, por 7 dos 11 ministros, mas nunca proclamada porque Toffoli pediu vista mesmo após formada a maioria do plenário

Uma peça-chave é o ministro Gilmar Mendes, que reúne duas condições curiosas: a de principal anti-Lula do Supremo, mas pronto a mudar seu voto e salvar o petista da prisão. Gilmar não tem proximidade com Fachin, mas Toffoli foi advogado do PT, indicado por Lula para o STF e tem bom diálogo com Gilmar e com Fachin

Especialistas estranharam detalhes fora da praxe quando Fachin despachou o HC de Lula para o plenário: a rapidez (recebeu, despachou); não esperou a análise do Superior Tribunal de Justiça (STJ); não pediu informações para os juízes do caso; não solicitou parecer da Procuradoria-Geral da República (que se manifestou apesar disso)

No mesmo embalo, Fachin liberou para o plenário também dois outros pedidos de HC para os quais tinha pedido vista no ano passado na segunda turma. Soou assim: não estou privilegiando o HC de Lula…

Diferentemente da revisão da prisão em segunda instância, o fim do foro privilegiado é bem popular. Mas aos dois, juntos, significam que os processos dos poderosos vão rolar, rolar e rolar, de recurso em recurso, e acabar justamente no Supremo. Só que 20 anos depois…

Publicado no Estadão do dia 23/02/2018 – Autoria da Jornalista: Eliane Cantanhêde

—————————————————————-

Finalizando

“Toda vez que um justo grita, um carrasco vem calar. Quem não presta fica vivo, quem é bom, mandam matar”

Cecília Meireles – foi uma jornalista, pintora, poetisa e professora brasileira

—————————————————————–

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-24/02/2018

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana, que foi ao ar pela rádio Rock n’ Gol e pelo YouTube:

*A coluna é também publicada na pagina Facebook:  “No intervalo do Esporte”

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Assine o canal do Blog do Paulinho no YouTube ! Vídeos inéditos diariamente !

fevereiro 24, 2018

Pra ter acesso a conteúdos exclusivos do Blog do Paulinho assine nosso canal do YouTube:

https://www.youtube.com/paulinhonet

Outras mídias sociais do blog:

Twitter: @blogdopaulinho

Facebook: http://www.facebook.com/blogdopaulinho.com.br/

Instagram: http://www.instagram.com/blogdopaulinhooficial

WhatsApp: (11) 98402-3121

Utilize seus BITCOINS para ajudar o BLOG DO PAULINHO:

1GZ1fwDRk651dYKo316yoQAf63vthDZ5Ph

Andres Sanches e o hábito de mentir: “não sou obrigado a me licenciar (do cargo de deputado)

fevereiro 23, 2018

O deputado federal Andres Sanches não vai se licenciar do parlamento, conforme prometeu a seus eleitores do Corinthians, pouco mais de 20 dias atrás, em carta enviada a associados do clube, e também em diversos programas de rádio e televisão.

A informação é da coluna Radar, da revista VEJA.

Dizia trecho da referida carta:

“Sei que é difícil conciliar as funções de presidente do Corinthians com as de representante do povo paulista na Câmara Federal. No dia em que assumir a presidência, me licenciarei temporariamente do cargo de deputado federal para dedicar-me ao clube”

No dia, por se tratar dum sábado, não o fez.

Na semana seguinte, alegou que faria após o carnaval.

Depois, que aguardava a definição de quem seria o suplente de sua vaga.

Na Folha de hoje, praticamente confirmando a notícia da VEJA, afirmou:

“eu não sou obrigado a pedir (licença)”

O eleitor de Andres Sanches, em regra, adepto de suas práticas, boa parte delas objetos de inquéritos que tramitam, criminalmente, no STF, na Polícia Federal e no FBI, merece o tratamento dispensado.

Amplamente conhecido, o hábito de mentir do parlamentar foi um dos responsáveis por quase 70% dos associados no Corinthians terem optado em votar noutros candidatos nas eleições alvinegras.

Andres Sanches precisa ser deputado federal para manter o foro privilegiado e escapar das decisões do juiz Sergio Moro, em regra, desfavoráveis a malfeitores.

Rafaela Silva: “agora preto não pode andar de táxi”

fevereiro 23, 2018

Possível delação de Paulo Preto assusta tucanos, mas também dirigentes do Corinthians

fevereiro 23, 2018

Resultado de imagem para paulo preto corinthians

Com grande auxílio das autoridades suíças, a justiça brasileira sabe agora que o ex-diretor da DERSA, Paulo Vieira de Souza, vulgo “Paulo Preto”, principal operador de obras e negociatas do governo tucano em São Paulo, possuía, no mínimo, R$ 113 milhões no exterior.

Diante de declarações passadas do acusado, demonstrando clara insatisfação com o “abandono” dos antigos parceiros, aliado ao novo contexto de provas e evidencias revelados durante esta semana, muita gente está sem dormir, temerosa do que poderia ocorrer por conta de possível delação premiada.

Mas não são apenas os tucanos que perderam o sono, mas também os dirigentes do Corinthians.

Nas últimas eleições alvinegras, Paulo Preto tentou eleger-se conselheiro do clube, mas seu grupo, denominado “Chapa Quente” (gíria comum no meio da bandidagem), que tinha, entre outros membros, Dr. Viola do Meretrício e Marcio Seboso (notórios adeptos de Andres Sanches), apesar do apoio explícito do vice-presidente André Negão, quase ficou na lanterna.

Durante as obras do CT da Ayrton Senna, grande parte do material de construção utilizado foi fruto de desvio de obras do Estado, especificamente da DERSA.

A operação, realizada entre os anos de 2009 e 2010, teve como co-autor o então diretor administrativo José Max Reis Alves, vulgo “Max da Dersa”.

Em rodas do Parque São Jorge, há quem defenda os procedimentos como atos de “corrupção do bem”.

Resta saber, se de fato Paulo Preto optar pela “delação premiada”, quantos e quem serão os apoiadores, ligados ao Corinthians, que negarão seu nome, bem mais de três vezes, antes do galo cantar.

O que está acontecendo com o Sport ?

fevereiro 23, 2018

Arnaldo de Barros, presidente do Sport

Eliminado, recentemente, pelo modesto Ferroviário, o Sport/PE que já havia quase sido rebaixado à Série B do Brasileirão em 2017, ficou de fora, também, da lucrativa Copa do Nordeste.

Muito desses desastres podem ser explicados por conta da desastrosa administração.

O presidente, Arnaldo de Barros, tem jogado para a torcida ao demitir o contestado Alexandre Faria e, em sequencia, contratado Klauss Câmara, sem, porém, atacar as principais razões que geram insatisfação nos jogadores, entre as quais os frequentes atrasos de salários.

Se antes o Sport ironizava seus principais adversários, Santa Cruz e Náutico, pelos meses durarem mais do que 30 dias, alguns deste períodos no Leão, por conta da gestão atual, tem ultrapassado os 90.

Não à toa problemas jurídicos do clube começam a pipocar na mídia.

Para defender-se do episódio Diego Souza, os advogados do Leão acreditam, em clara demonstração de incompetência, que um email tem valor maior do que o contrato firmado entre as partes.

Não à toa o Fluminense já conseguiu bloquear parte da venda ao São Paulo: R$ 5 milhões de um total de R$ 10 milhões, quando o presidente afirmava, em aparente mentira, não ultrapassaria R$ 1 milhão.

O clube teve também que passar pelo constrangimento de admitir, publicamente, calote na aquisição do jogador André “Cachaça”, que será cobrado com juros e correções devidas pelo Atlético/MG.

Mais grave ainda é o caso da ação promovida pelos agentes do jogador Rithely, que não receberam as comissões acordadas.

Em entrevistas, o vice-presidente jurídico do clube, Dr. Leucio Lemos, admitiu a dívida, mas que o Sport tem outras prioridades de pagamento.

Ocorre que, segundo a Câmara Nacional de Resolução de Disputas, criada pela CBF em 2016 para resolver litígios entre clubes, atletas, intermediários e treinadores, que foi acionada pelos agentes do então ídolo da agremiação, a equipe pernambucana sofrerá graves sanções se não quitar as pendências.

Entre as quais:

  • bloqueio do repasse de Receita ou Premiação à receber da CBF ou de sua Federação;
  • devolução de premiação ou título conquistado em competição da CBF;
  • proibição de registrar novos atletas pelo período de dois anos;
  • suspensão ou cancelamento do Certificado de Clube Formador.

O departamento jurídico do Sport, em defesa, ao que parece, novamente atabalhoada, alegou: “estamos entregando a defesa do Clube na CNRD e manifestando a questão da competência. Na nossa tese, a CNRD não tem atribuição para decidir sobre isso”.

Ao pagar para ver o Sport arriscará, ainda mais, sua já sofrível condição administrativa, esportiva e financeira.

Este caso, especificamente, serve de exemplo aos dirigentes que prometem, como políticos, o que não possuem interesse em cumprir, sabedores de que o ônus para a falta de palavra recairá sobre os clubes, não em seus bolsos.

O sorriso de Robinho

fevereiro 23, 2018

Condenado a mais de nove anos de prisão na Itália pelo hediondo crime de estupro, o sempre sorridente jogador Robinho, somente após ter diversas portas do mercado do futebol fechadas em sua cara, abandonou o “bom humor” e passou, por intermédio de seus procuradores, a defender-se.

No imenso planeta bola, encontrou abrigo apenas na Turquia, país conhecido pelo desapreço aos direitos das mulheres.

Antes desta condenação, Robinho já havia sido denunciado noutro caso, também de estupro, em condições semelhantes às relatadas no processo mais famoso.

Em meio a esses problemas, o ex-jogador da Seleção Brasileira nunca tirou o sorriso do rosto.

Sua vítima (segundo a justiça italiana), em contrapartida, não tinha motivo para alegrias.

Segundo relatos revelados ontem pelo Tribunal de Milão, a jovem, embriagada e atacada por Robinho e seus parceiros, foi  “exposta a humilhações repetidas, bem como a atos de violência sexual pesados”.

O Tribunal de Milão diz ainda que Robinho demonstrou “desprezo absoluto” pela jovem.

“Termos chulos e desdenhosos, sinais inequívocos de falta de escrúpulos e quase consciência de uma futura impunidade”  e “isso levou o acusado até mesmo a rir várias vezes do incidente, destacando assim um absoluto desrespeito pela condição da vítima”, estão entre os trechos da sentença.

Robinho está recorrendo da decisão.

Se as juízas juíza Mariolina Panasiti, Piera Gasparini e Simone Luerti estiverem com a razão ao condenar o atleta brasileiro, e é pouco provável que não estejam, diante dos fatos apresentados e doutra acusação precedente, que, apesar de não levada à cabo, é realmente bem coincidente, espera-se, por absoluta justiça, a prisão de todos os estupradores envolvidos no deplorável episódio, para que não continuem sorrindo em meio à desgraça dos outros.

Fernando Garcia e o empresário de três nomes articulam para enganar TMS da CBF e a Receita Federal

fevereiro 23, 2018

Genivaldo, Genival ou Denival e Fernando Garcia

Investigado pelo MPF por diversos crimes, entres os quais “associação criminosa”, o agente de jogadores Fernando Garcia, irmão de Paulo Garcia, dono da Kalunga, parece não se importar com a possibilidade de punição.

Recentemente, o jogador Wanderson (justamente o negócio que originou à denúncia à promotoria) retornou de empréstimo realizado entre a Penapolense (um dos quintais do agente) e a equipe coreana do Gwanju, equipe pela qual atuou em 16 oportunidades, assinalando 8 gols.

O acerto do empréstimo consistia, segundo TMS da CBF, no Gwanzu pagar ao clube de Penápolis a quantia de 448 mil Euros.

Em manobra, tudo indica, para enganar a Receita Federal, após receber proposta de compra da equipe coreana (o jogador se destacou no campeonato local) no valor de 2,5 milhões de Euros, a Penapolense rescindiu o contrato com Wanderson.

Em tese, abriu mão de receber o dinheiro, deixando o atleta livre no mercado.

O acordo com o jogador, que era válido até 2019, foi desfeito no último dia 05 de fevereiro.

A intenção, ao que parece, era outra: receber o dinheiro “por fora”.

Para viabilizar o que seria um golpe no Fisco, Fernando Garcia utilizou-se do famoso “empresário de três nomes” (apresenta-se com identidades diferentes), denunciado pelo Blog do Paulinho, que, não se sabe, chama-se Genivaldo, Genival ou Denival, que tem dado as cartas no Criciúma.

Por conta deste acerto, a procuração do jogador foi repassada ao novo “sócio” de Garcia, que ficou responsável por receber a quantia, à margem do conhecimento das autoridades, ocultando o agente original do negócio.

Fernando, em tese, tentava evitar não apenas o pagamento correto ao Fisco, mas também associar-se ao negócio oficialmente, evitando problemas por conta de sua defesa, no inquérito do MPF, dizer que o agente não possuía negócios com Wanderson.

Indicação de contrato de Wanderson com a Penapolense valido até 2019 e vínculo com a Elenko, de Fernando Garcia:

Rescisão com a Penapolense, em 05/02/2018

Retorno do empréstimo de Wandreson na Coréia em 31/12/2017

Valor do empréstimo: 448 mil Euros

Wanderson anunciado no site da Elenko, de Fernando Garcia

Wanderson anunciado no site da “Gênio Sports”, do empresário de três nomes:

Como morrem as democracias

fevereiro 23, 2018
O ditador Benito Mussolini (à esquerda) ao lado do líder nazista Adolf Hitler, em Munique, na Alemanha, em foto de 1938

O ditador Benito Mussolini (à esquerda) ao lado do líder nazista Adolf Hitler, em Munique, na Alemanha, em foto de 1938 – AP

Da FOLHA

Por CLAUDIA COSTIN

Sistema é imperfeito, mas todas as alternativas são piores

Em seu livro recente, “Como morrem as democracias”, dois pesquisadores de Harvard, Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, procuram entender o que leva regimes democráticos a serem abandonados em prol de opções autocráticas. Eles analisam o que ajuda a evitar semelhantes situações, de forma a poupar a humanidade dos nocivos efeitos de ditaduras.

Sim, as democracias são imperfeitas, alguns grupos de interesse dispõem de mais recursos para nelas atuar e o processo de construção de consensos é lento e acaba não satisfazendo completamente nenhum grupo. Mas todas as alternativas são piores.

Os autores relatam alguns casos históricos de destruição de democracias, seja por golpes, em que a força das armas substitui o complicado mecanismo de representação e construção de políticas, seja pela via eleitoral, quando líderes populistas assumem cargos, prometendo mudar uma ordem de coisas percebida como injusta e substitui-la por um braço firme a destroçar tudo o que se opõe à construção da nova ordem —o que acabam fazendo, destruindo o próprio processo que os trouxe ao poder.

Esses líderes surgem em circunstâncias específicas, como excessiva polarização da sociedade (situação que vivemos hoje), e apresentam características que são como alarmes para que sistemas políticos saudáveis possam isolá-los antes que causem maiores males.

Uma delas é que eles tendem a se apresentar como externos ao sistema político. Outra é que, ao postularem ser alternativas a um sistema corrupto (o que geralmente não são), expressam uma virulência que acaba se traduzindo em violência de seus seguidores ou ativistas.

Os exemplos citados vão de Hitler, Mussolini e ditadores latino-americanos a Trump e alguns tristes nomes europeus na atualidade. Em todos os casos, a fragilidade das instituições ou crises econômicas e políticas explicam a emergência de demagogos autoritários, mas não necessariamente o seu acesso ao poder.

É justamente a fragilidade dos partidos e a falta de valores claros e compromisso com a preservação da democracia que explicam por que eles conseguem aceder a postos de comando. A Bélgica e a Finlândia, nos anos 1930, são casos interessantes de países em que partidos políticos se alinharam para impedir que fascistas obtivessem mais vitórias eleitorais em uma Europa marcada pela polarização e apoio a opções autoritárias.

No Brasil, fica a difícil tarefa de reconstruir e fortalecer os partidos, há muito sem identidade clara. Essa condição é necessária para a defesa de uma sociedade plural, em que distintas visões de mundo podem se organizar, sem pôr em risco a coesão social e a realização de um projeto integrado de país.

Assine o canal do Blog do Paulinho no YouTube ! Vídeos inéditos diariamente !

fevereiro 23, 2018

Pra ter acesso a conteúdos exclusivos do Blog do Paulinho assine nosso canal do YouTube:

https://www.youtube.com/paulinhonet

Outras mídias sociais do blog:

Twitter: @blogdopaulinho

Facebook: http://www.facebook.com/blogdopaulinho.com.br/

Instagram: http://www.instagram.com/blogdopaulinhooficial

WhatsApp: (11) 98402-3121

Utilize seus BITCOINS para ajudar o BLOG DO PAULINHO:

1GZ1fwDRk651dYKo316yoQAf63vthDZ5Ph

Antonio Goulart, que quer presidir o Conselho do Corinthians, foi condenado pelo TCE-SP por ilegalidade em ONG

fevereiro 22, 2018

Antonio Goulart e Andres Sanches

O Blog do Paulinho revelou, dias atrás, que o candidato a presidência do Conselho Deliberativo do Corinthians (com apoio de Andres Sanches e Paulo Garcia), o deputado federal Antonio Goulart, foi condenado por improbidade administrativa, flagrado em esquema para beneficiar gráfica em nome de sua esposa:

https://blogdopaulinho.com.br/2018/02/20/candidato-a-presidente-do-conselho-do-corinthians-goulart-foi-condenado-por-improbidade-em-esquema-de-grafica/

Falamos, também, de seu candidato a vice, o desconstrangido desembargador Ademir Benedito:

https://blogdopaulinho.com.br/2018/02/21/a-verdade-arrebentou-eleicao-a-presidencia-do-tj-sp-de-desembargador-candidato-a-vice-de-goulart-no-corinthians/

Porém, os problemas de Goulart não limitaram-se, apenas, ao julgo do TJ.

Antes disso, em 1996, Goulart foi condenado pelo TCE-SP por não conseguir justificar a utilização do repasse de dinheiro público, oriundo da Secretária de Esporte e Turismo, ao CEAC – Centro de Estudos de Atuação Comunitária, ONG da qual era presidente.

Diz trecho do acordão, assinado pelo conselheiro Renato Martins Costa:

“(O TCE) decidiu julgar ILEGAL a aplicação do auxílio recebido, por não haverem sido apresentados comprovantes necessários, condenando a entidade (ONG) a pena de devolução do numerário recebido, com os devidos acréscimos legais e suspendendo-a para novos recebimentos da espécie”

“(decidiu) aplicar ao responsável, Antônio Goulart dos Reis, presidente da entidade ao tempo da celebração do compromisso, multa no valor equivalente a dez vezes a UFESP” (…) em razão ao descumprimento às determinações desta Corte”

Além dos problemas comprovados pelas matérias do Blog do Paulinho, pesam também contra o nome de Goulart no Corinthians, a promiscuidade notória e confessada com os Gaviões da Fiel e a baixa frequência à reuniões do Conselho Deliberativo – beirando 80% de não comparecimento, justamente o órgão que pleiteia presidir.


%d blogueiros gostam disto: