“Renovação e Transparência” recebeu R$ 1 bilhão em transações de jogadores do Corinthians. Cadê o dinheiro ?

O Blog do Paulinho pesquisou todos os negócios realizados no departamento de futebol do Corinthians pela gestão “Renovação e Transparência”, chefiada pelo deputado federal Andres Sanches (PT), desde 2007, ano em que assumiram o poder.

Somente em compra e venda de atletas, foram 113 transações.

Se contados os empréstimos, permutas e comodatos (com nomes absolutamente irreconhecíveis pela torcida do Timão), a conta aproxima-se dos 400.

O Corinthians arrecadou R$ 1,03 bilhão em todos estes anos de vendas de jogadores, suficientes para pagar, à vista, dois estádios de Itaquera sem sobrepreço.

Precisamente, R$ 1.030.893.820,00 (dólares, libras e euros já convertidos para a cotação atual).

O clube gastou bem menos para repor jogadores: R$ 476.753.930,00, sendo que, somente na temporada 2012/2013, quase metade disso saiu dos caixas alvinegros (R$ 175,8 milhões), R$ 67,9 milhões apenas por Alexandre Pato.

Levando-se em consideração que o Corinthians, até há pouco, possuía as maiores arrecadações em vendas de ingressos, patrocínio master, direitos de tv, etc, suficientes para bancar toda a operação do futebol (salários, deslocamentos, premiações), e que a sobra entre o que entrou nas vendas (R$ 1,03 bilhão) e o que foi gasto na reposição de atletas (R$ 476,7 milhões), é de R$ 554,1 milhões (um estádio), fica a dúvida: cadê o dinheiro ?

Não há o que se falar na utilização dos recursos na Arena de Itaquera, porque o Corinthians não vem arcando com suas responsabilidades, razão pela qual o Fundo gestor do estádio lançou em seu balanço, protocolado na CVM, débitos sequências do Timão.

Muito menos nas obras do CT da Ayrton Senna (desculpa habitual).

Segundo balanço do Corinthians de 2011, o valor da obra não ultrapassou R$ 55 milhões, sendo que, no Parque São Jorge, todos sabem que o material de construção foi fruto de desvio irregular de negócios da DERSA, admitidos, internamente, por dirigentes, que tratavam a imoralidade como “corrupção do bem”.

Raul Corrêa da Silva, então diretor financeiro alvinegro, confirmou a conta em entrevista ao Estadão:

https://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,ct-faz-divida-do-corinthians-dobrar,812377

Confira, na sequência, todos os negócios realizados pelo Corinthians desde 2007 (a contratação do jogador Willian, na transição da gestão Dualib – já com os vices no comando, com o dinheiro entrando na administração Andres Sanches, é computada).

Vale a pena, em exercício de imaginação, lembrar que o clube sempre foi muito generoso nos comissionamentos a agentes de atletas, pagando, por vezes, entre 20 e 30% pela intermediação, sendo que destes, segundo informações de mercado, o atual presidente, Andres Sanches, não se contentaria com menos de 10%.

Um dos intermediários, Dimitris Tzalas – o grego, revelou ao Blog do Paulinho que, por conta destes hábitos, o parlamentar é tratado no meio pela alcunha “Taxinha”.

Em comprovados os repasses, numa conta rápida, Sanches pode ter abocanhado: R$ 100 milhões (das vendas) e R$ 47,6 milhões (nas compras).

Em tempo: os valores correspondem à transação bruta, registrada, oficialmente, nas Confederações, que podem divergir, eventualmente, dos apresentados, extra-oficialmente, pela mídia, não incluindo, também os “fatiamentos” de direitos, responsabilidade dos clubes após receberem a quantia integral em seus cofres.


JOGADORES VENDIDOS

2007/2008

Willian para o Shakhtar Donetsk: (R$ 63,46 milhões)

Everton Santos para o PSG: (R$ 9 milhões)

Zelão para o Saturn: (R$ 8,15 milhões)

Eduardo Ratinho para o Toulouse (empréstimo): (R$ 452,9 mil)

Heverton para o Vitória/BA (empréstimo): (R$ 45,2 mil)

Wilson para o Gênoa: (R$ 22 milhões)

Total: R$ 103.108.100,00

2008/2009

Marcelo Mattos para o Panathinaikos: (R$ 17,21 milhões)

Carlão para o Sochaux: (R$ 3,62 milhões)

Coelho para o Bologna (empréstimo): (R$ 905 mil)

Everton Ribeiro para o São Caetano (empréstimo): (R$ 90,59 mil)

Heverton para a Portuguesa (empréstimo): (R$ 20,13 mil)

Total: R$ 21.845.720,00

2009/2010

Cristian para o Fenerbahce: (R$ 31,71 milhões)

André Santos para o Fenerbahce: (R$ 22,65 milhões)

Douglas para o Al-Wasl: (R$ 18,57 milhões)

Total: R$ 72.930.000,00

2010/2011

Jucilei para o Anzhi: (R$ 45,29 milhões)

Elias para o Atlético de Madrid: (R$ 31,71 milhões)

Everton Ribeiro para o Coritiba: (R$ 3 milhões)

Total: R$ 80 milhões

2011/2012

Dentinho para o Shakhtar Donetsk: (R$ 33,97 milhões)

Bruno Cesar para o Benfica: (R$ 24,91 milhões)

Edno para o Tigres: (R$ 9 milhões)

Total: R$ 67.880.000,00

2012/2013

Alex para o Al Gharafa: (R$ 27,18 milhões)

Marquinhos para a Roma: (25,82 milhões)

Leandro Castan para a Roma: (R$ 22,65 milhões)

Martinez para o Boca Juniors: (R$ 11,12 milhões)

Jorge Henrique para o Internacional: (R$ 1,63 milhão)

Total: R$ 88,4 milhões

2013/2014

Paulinho para o Tottenham: (R$ 89,33 milhões)

Total: R$ 89.330.000,00

2014/2015

Romarinho para o El-Jaish: (R$ 33,97 milhões)

Lodeiro para o Boca Juniors: (R$ 22,29 milhões)

Guilherme para a Udinese: (R$ 20,38 milhões)

Edenilson para a Udinese: (R$ 15,85 milhões)

Cleber para o Hamburger: (R$ 13,59 milhões)

Ramon para o Besiktas: (R$ 4,98 milhões)

Total: R$ 111.060.000,00

2015/2016

Gil pra o Luneng: (R$ 38,5 milhões)

Renato Augusto para o Guoan: (R$ 36,23 milhões)

Malcom para o Bordeaux: (R$ 22,65 milhões)

Jadson para o Quanjian: (R$ 22,65 milhões)

Ralf para o Guoan: (R$ 9 milhões)

Petros para o Betis: (R$ 7,7 milhões)

Vagner Love para o Monaco: (R$ 6,79 milhões)

Matheus Cassini para o Palermo: (R$ 5,44 milhões)

Total: R$ 148.960.000,00

2016/2017

Felipe para o Porto: (R$ 28,08 milhões)

Bruno Henrique para o Palermo: (R$ 14,95 milhões)

Alexandre Pato para o Villarreal: (R$ 13,59 milhões)

Elias para o Sporting: (R$ 11,32 milhões)

Matheus Pereira para o Empoli: (R$ 9 milhões)

Uendel para o Internacional: (R$ 4,75 milhões)

André “Cachaça” para o Sporting: (R$ 4,52 milhões)

Total: R$ 86.210.000,00

2017/2018

Guilherme Arana para o Sevilla: (R$ 49,82 milhões)

Jô para o Nagoya Grampus: (R$ 49,82 milhões)

Léo Jabá para o Akhmat Grozny: (R$ 9 milhões)

Mendoza para o Amiens: (R$ 4,52 milhões)

Total: R$ 113.160.000,00

2018/2019 (ainda em aberto)

Maycon para o Shahktar Donetsk: (R$ 29,89 milhões)

Balbuena para o West Ham: (18,12 milhões)

Total (até 18/07/2018): R$ 48.010.000,00


Alexandre Pato, Andres Sanches e Kia Joorabchian em jantar de negócios, em São Paulo

JOGADORES COMPRADOS

2007/2008

Acosta, empréstimo do Cerrito: (R$ 4,52 milhões)

Elias, da Ponte Preta: (R$ 2,15 milhões)

André Santos, do Figueirense: (R$ 1,81 milhão)

Heverton, da Ponte Preta: (R$ 452,9 mil)

Total: R$ 8.932.900,00

2008/2009

Douglas, do São Caetano: (R$ 11,32 milhões)

Souza, do Panathinaikos: (R$ 9,96 milhões)

Escudero, do Argentinos Juniors: (R$ 4,39 milhões)

Jucillei, do J. Malucelli: (R$ 3,73 milhões)

Jean, do Saturn: (R$ 951,16 mil)

Total: R$ 30.351.160,00

2009/2010

Defederico, do Huracan: (R$ 14,49 milhões)

Morais, do Vasco da Gama: (R$ 7,7 milhões)

Edno, da Portuguesa: (R$ 6,14 milhões)

Bruno Cesar, do Santo André: (R$ 4,52 milhões)

Bill, do Bragantino: (R$ 1,35 milhão)

Marcelo Mattos, empréstimo do Panathinaikos: (R$ 1,35 milhão)

Mariano Torres, do Boca Juniors (time B): (R$ 905,8 mil)

Total: R$ 36.455.800,00

2010/2011

Alex, do Spartak Moscow: (R$ 27,18 milhões)

Renan, do Avaí: (R$ 10,87 milhões)

Liedson, do Sporting: (R$ 8,15 milhões)

Wallace, do Vitória: (R$ 7,7 milhões)

Ramirez, do Universitário: (R$ 3 milhões)

Weldinho, do Paulista: (R$ 1,8 milhão)

Bobadilla, do Independiente de Medellin: (R$ 1,06 milhão)

Edenilson, do Caxias: (996 mil)

Total: R$ 60.756.000,00

2011/2012

Douglas, do Grêmio: (R$ 6 milhões)

Romarinho, do Bragantino: (R$ 2,74 milhões)

Total: R$ 8.740.000,00

2012/2013

Alexandre Pato, do Milan: (R$ 67,94 milhões)

Renato Augusto, do Bayern Leverkusen: (R$ 30,35 milhões)

Paulinho, do Coimbra (BMG): (R$ 20,38 milhões)

Guerrero, do Hamburger: (R$ 15,85 milhões)

Gil, do Valenciennes: (R$ 15,85 milhões)

Guilherme, da Portuguesa: (R$ 12,93 milhões)

Martinez, do Velez Sarsfield: (R$ 10,87 milhões)

Guilherme Andrade, da Ponte Preta: (R$ 1,7 milhão)

Total: R$ 175.870.000,00

2013/2014

Romero, do Cerro Porteño: (R$ 9,96 milhões)

Rodriguinho, do Coimbra (BMG): (R$ 6 milhões)

Lodeiro, do Botafogo: (R$ 5,23 milhões)

Petros, da Penapolense: (R$ 4,47 milhões)

Cleber, da Ponte Preta: (R$ 2,49 milhões)

Bruno Henrique, do Londrina: (R$ 2,08 milhões)

Total: R$ 30.230.000,00

2014/2015

Elias, do Sporting: (R$ 18,120 milhões)

Marciel, sem clube: (R$ 1,54 milhão)

Total: R$ 19.660.000,00

2015/2016

Giovanni Augusto, do Atlético/MG: (R$ 15,6 milhões)

Felipe, do Coimbra/MG (BMG): (R$ 14,75 milhões)

Marquinhos Gabriel, do Al Nasr: (R$ 11,98 milhões)

Balbuena, do Libertad: (R$ 6,44 milhões)

Guilherme, do Antalyaspor: (R$ 5,89 milhões)

Lucca, do Criciúma: (R$ 5,03 milhões)

Marlone, da Penapolense: (R$ 4,14 milhões)

Alan Mineiro, da Ferroviária: (R$ 1,071 milhão)

Total: r$ 64.901.000,00

2016/2017

Gabriel, do Monte Azul: (R$ 9 milhões)

Clayson, da Ponte Preta: (R$ 4,3 milhões)

Gustagol, do Criciúma: (R$ 3,75 milhões)

Luidy, do CRB: (R$ 1,49 milhão)

Kazim, do Coritiba: (1,33 milhão)

Jean, do Paraná: (R$ 1,13 milhão)

Vilson, do SEV/Hortolândia: (R$ 634 mil)

Total: R$ 21.634.000,00

2017/2018

Mateus Vital, do Vasco da Gama: (R$ 9,31 milhões)

Juninho Capixaba, do Bahia: (R$ 6,79 milhões)

Marllon, do Cianorte: (R$ 1,132 milhão)

Paulo Roberto, do Audax: (R$ 588,8 mil)

Warian Ameixa, do Coimbra (BMG): (R$ 498,2 mil)

Total: R$ 18.319.000,00

2018/2019 (ainda em aberto)

Jonathas, do Hanoover: (R$ 905 mil)

Total Parcial (até 18/07/2018): R$ 905 mil

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Falta de acessibilidade: São Paulo terá que realizar reforma milionária para evitar interdição do Morumbi

Reunião da CPA (Comissão Permanente de Acessibilidade) da Prefeitura de São Paulo listou diversas obras a serem executadas pelo São Paulo no estádio do Morumbi, se quiser manter o “certificado de acessibilidade”.

Pelo clube, falou o engenheiro Eduardo Rebouças Monteiro, diretor executivo tricolor.

Técnicos da Prefeitura, em relatório, detonaram o estádio.

Foi pedida, inclusive, a interdição do local – até que as adequações estejam disponíveis, mas a decisão da CPA foi a de liberar, provisoriamente, o certificado, condicionando a perda do documento, e consequentes sanções, se as obrigações não forem cumpridas.

O custo para o clube será milionário.

Confira abaixo a íntegra do parecer:


PA 2012-0.141.334-2 – ESTÁDIO CÍCERO POMPEU DE TOLEDO – Morumbi – Certificado  de Acessibilidade

Em atenção ao expediente encaminhado por SMUL/SEGUR com solicitação de análise e  manifestação, tendo em vista a documentação apresentada, o Colegiado manifestou-se acerca das colocações feitas pelo interessado na “CARTA EXPLICATIVA” em fls. 415 a 422 do p.a.:

EM REFERÊNCIA À FOLHA 01/19 – IMPLANTAÇÃO GERAL E NOTAS

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: “Implantação – não há detalhamento  acessibilidade”.

MANIFESTAÇÃO CPA – referente às tabelas constantes nessa folha 01/19:

TABELA DE LOTAÇÃO:

– Numero de espaços e lugares reservados não atende legislação (COE e Decreto Federal 9.404 de 11/06/2018);
– Espaços e lugares reservados não estão distribuídos nos diferentes setores e com as mesmas condições de serviço, conforto, segurança, boa visibilidade e acústica (item 10.3.1 b da NBR 9050);
TABELA DE QUANTIDADE DE VAGAS:

– Não foi possível concluir se estão garantidas vagas acessíveis em outros acessos/setores/bolsões, assim tornando incompleta a análise do número/proporção;

TABELA DE QUANTIDADE DE SANITÁRIOS

– Foi possível concluir que os sanitários acessíveis não estão atendidos em número, localização e distribuição conforme norma técnica (item 7 da NBR 9050);

EM REFERÊNCIA À FOLHA 02/19 – IMPLANTAÇÃO ESTÁDIO – RAMPAS / BILHETERIAS

É colocado em plantas “vide carta explicativa” a cada conjunto de BILHETERIAS rampas:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: alega prever a manutenção das rampas com as inclinações existentes por tratar-se de um projeto único, com rampas que
fazem acesso a ele, em processo de tombamento.

MANIFESTAÇÃO CPA – Não ficou demonstrada a garantia de rota acessível (com escadas, rampas e/ou equipamentos eletromecânicos seguindo norma técnica) em distância não
superior a 50m de cada acesso não acessível (itens 6.2.2 e 6.3 da NBR 9050).

BILHETERIAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: informa que foi projetada bilheteria adaptada no 1° pavimento junto às vagas “PNE”, onde entende “… para facilitar o
acesso a compra dos ingressos …”.

MANIFESTAÇÃO CPA – Não foram identificadas bilheterias acessíveis próximas às entradas (item 9.2.3.1 da NBR 9050);

– Não foram demonstradas bilheterias acessíveis ao atendente. (item 9.2.1.6 da NBR 9050).

EM REFERÊNCIA À FOLHA 03/19 – TÉRREO VESTIÁRIOS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: alega que não adaptará o vestiário por não possuir equipe profissional de pessoas com deficiência.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos não há em norma e/ou legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade.

BILHETERIAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Dá a mesma observação colocada em “BILHETERIAS” anterior, FOLHA 02/19.

MANIFESTAÇÃO CPA – Não foram identificadas bilheterias acessíveis próximas às entradas (item 9.2.3.1 da NBR 9050); – Não foram demonstradas bilheterias acessíveis ao atendente. (item 9.2.1.6 da NBR 9050).

SANITÁRIOS ADAPTADOS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Informa que existem sanitários adaptados no 1° pavimento.

MANIFESTAÇÃO CPA – Temos que não foram observados sanitários acessíveis junto a conjuntos de sanitários ou, na impossibilidade, distantes no máximo 50m de sanitários não acessíveis. (itens 7.3 e 7.4 da NBR 9050)

ÁREAS TÉCNICAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Informa ter “uso restrito” assim entendendo não ser necessária adaptação.

MANIFESTAÇÃO CPA – Da breve análise das plantas temos que foram identificados locais de “USO COMUM” equivocadamente entendidos como sendo de “USO RESTRITO”, assim, necessitando ser acessíveis (item 3.1.36 da NBR 9050).

SALA DE ENTREVISTA:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Informa ter acesso e espaço para circulação, porém não prevê assentos para pessoa com mobilidade reduzida e pessoa
obesa assim como não prevê espaços para pessoa em cadeira de rodas.

MANIFESTAÇÃO CPA – Prever lugares e espaços para pessoa obesa, pessoa com mobilidade reduzida e espaços para pessoa em cadeira de rodas (item 10.3 da NBR 9050).
EM REFERÊNCIA À FOLHA 05/19, 06/19, 07/19 E 08/19– 1º PAVIMENTO

BILHETERIAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Dá a mesma observação colocada em “BILHETERIAS” anterior, FOLHA 02/19.

MANIFESTAÇÃO CPA – Na breve análise das folhas, identificou-se graficamente uma “bilheteria acessível” ao usuário sem apresentar vistas, cortes, leiaute interno e notas, prejudicando a análise.
– Do apresentado foi possível concluir que essa bilheteria não é acessível ao atendente (item 9.2.1.6 da NBR 9050).

ASSENTOS VENDÁVEIS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Informa estar sendo mantida a área PNE setorizada existente no Setor Sul.

MANIFESTAÇÃO CPA – Sanitários acessíveis em plantas não conferem com os detalhes constantes em FOLHAS 05/19,08/19 e 13/19.

ASSENTOS VENDÁVEIS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Propõe nos setores LESTE e OESTE assentos reservados a pessoa com mobilidade reduzida e pessoa obesa na primeira fila das seções (fileira com maior afastamento/largura livre) e assentos a pessoa com deficiência visual na segunda fileira.

MANIFESTAÇÃO CPA – Não foi identificado espaço para o cão guia (item 10.3.5 da NBR 9050). – Garantir corrimãos e sinalização nas escadas/degraus isolados (itens 5.4.4, e 6.9 da NBR 9050).

TABELA DE LUGARES RESERVADOS – 1º PAVIMENTO:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Apresenta TABELA
MANIFESTAÇÃO CPA – Temos que a TABELA não traz proporção de espaços e lugares reservados ao total de lugares no estádio. Assim, que seja atendida em número, posicionamento e demais considerações previstas em norma técnica e legislação.

TABELA DE LUGARES RESERVADOS – QUANTIDADE MÍN X QUANTIDADE PROPOSTA

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Apresenta TABELA MANIFESTAÇÃO CPA – Temos que a TABELA não contempla o total de assentos para servir de parâmetro e assim concluir o atendimento do numero mínimo de espaços e lugares reservados previstos em legislação pertinente.

CAMAROTES:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Diz que os camarotes possuem assentos internos e externos. Que existem desníveis que dificultam acesso da pessoa em
cadeira de rodas na área externa dos camarotes.

MANIFESTAÇÃO CPA – Desníveis devem ser tratados de forma a garantir rota acessível. (item 6.1 da NBR 9050). – Desníveis devem ser sinalizados conforme norma técnica
(itens 5.4.4 da NBR 9050).

CAMAROTES COM LOTAÇÃO ATÉ 50 PESSOAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Argumenta que a quantidade de assentos reservados reduz a lotação do ambiente. Que por conta disso propõe adaptação
dos camarotes com lotação superior a 50 lugares.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma/legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade por conta do colocado.

CAMAROTES COM LOTAÇÃO ACIMA DE 50 LUGARES:

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Propõe adaptar balcões existentes e garantir, no nível do acesso, espaço e lugares reservados.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do colocado entendemos que a proposta prevê acesso e permanência – somente – no nível do acesso. Que existem camarotes com espaços amplos (salões) em outros níveis sem garantir rota acessível por meio de rampa ou equipamento eletromecânico.

Assim:
– Desníveis devem ser tratados de forma a garantir rota acessível. (item 6.1 da 9050).
– Desníveis devem ser sinalizados conforme norma técnica (itens 5.4.4 da 9050).
– Na análise das plantas em alguns camarotes acessíveis foram encontrados sanitários internos sem garantir correspondente sanitário acessível. Adequar. (item 7 da NBR 9050).
– Na análise das plantas foram encontrados camarotes acessíveis sem sanitários acessíveis próximos (a 50m). Adequar. (item 7 da NBR 9050)

EM REFERÊNCIA ÀS FOLHAS 09/19, 10/19 E 11/19 – 2º PAVIMENTO ÁREA DE INFRAESTRUTURA (ADMINISTRATIVA) – LAVANDERIA, XEROX, MARKETING, ENGENHARIA, ÁREAS ADMINISTRATIVAS PELO CLUBE (ACADEMIA E SALAS DE DANÇA), DENTRE OUTROS DORMITÓRIOS:

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Não propõe adaptação na alegação que tais dormitórios são para acomodar os jogadores profissionais.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma a possibilidade de dispensa da acessibilidade.

SAUNAS:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Não propõe adaptação na alegação de que a reformulação ocasionará mudança em toda a sauna.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma e legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade.

SALAS DE DANÇA/FITNESS/ACADEMIA: Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Não está propondo adaptação. Informa que existem programas e espaços reservados para atividades “para PNE” dentro do clube (ginásio 01, ginásio 02 e ginásio 03);

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma e legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade

EM REFERÊNCIA ÀS FOLHAS 12/19, 13/19 E 14/19 – 3º PAVIMENTO
SETOR CADEIRAS CATIVAS (DE PROPRIETÁRIOS ESPECÍFICOS):

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Não propõe adaptação. Informa que as cadeiras cativas são de propriedade particular. Que por Contrato não é possível alterar a área.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma e legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade.

SETOR ASSENTOS FIXOS (INGRESSOS VENDÁVEIS):
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Propõe espaços reservados à pessoa em cadeira de rodas e acompanhante atrás da área das cativas, com novo acesso por rampas nos setores LESTE e OESTE.

MANIFESTAÇÃO CPA – Sem observações.

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Propõe a adaptação com assentos para pessoa com mobilidade reduzida e pessoa obesa de forma similar ao informado
anteriormente

MANIFESTAÇÃO CPA – Sem observações

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA:

Apresenta TABELAS.

MANIFESTAÇÃO CPA – Seguem mesmas orientações em tabelas já expostas neste.
– Numero de espaços e lugares reservados não atende legislação (COE e Decreto Federal 9.404 de 11/06/2018); Temos que a TABELA não contempla o total de assentos para servir de parâmetro e assim concluir o atendimento do numero mínimo de espaços e lugares reservados previstos em legislação pertinente.

CAMAROTES:
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA:
Informa que os camarotes possuem assentos internos e externos. Que existem desníveis que dificultam acesso da pessoa em cadeira de rodas na área externa dos camarotes.

MANIFESTAÇÃO CPA – Desníveis devem ser tratados de forma a garantir rota acessível. (item 6.1 da NBR 9050).
– Desníveis devem ser sinalizados conforme norma técnica (itens 5.4.4 da NBR 9050).

TRIBUNAS
Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA:
Não propõe adaptação por conta da dificuldade de adaptação na infraestrutura existente.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que deve ser apresentado LAUDO por profissional legalmente habilitado.
Que as escadas existentes, um dos elementos de rota acessível, devem ser adaptadas com corrimãos, faixas contrastantes, pisos de alerta, sinalização de pavimento.

EM REFERÊNCIA ÀS FOLHAS 15/19, 16/19 E 17/19 – 4º PAVIMENTO ANEL DE CIRCULAÇÃO PARA ACESSO AO 5° PAVIMENTO – SANITÁRIOS, QUIOSQUES, LANCHONETES, DENTRE OUTROS.

anel de circulação – sanitários, quiosques, lanchonetes

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA:
Não prevê o acesso de pessoas com deficiência por só ter acesso a este pavimento quem compra os ingressos para o 5° pavimento.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado, temos que não há em norma e legislação a possibilidade de dispensa da acessibilidade.

EM REFERÊNCIA ÀS FOLHAS 18/19 E 19/19 – 5 º PAVIMENTO ARQUIBANCADA (INGRESSOS VENDÁVEIS).
ARQUIBANCADA

Observação do constante em CARTA EXPLICATIVA: Não prevê o acesso a pessoas com deficiência por motivo de segurança.

MANIFESTAÇÃO CPA – Do alegado em Carta Explicativa, temos que deve ser apresentado LAUDO por profissional legalmente habilitado.
Do Parecer Técnico sobre integração de cadeirantes na arquibancada superior do estádio “Cícero Pompeu de Toledo” emitido pela policia Militar do Estado de São Paulo, temos que
o mesmo diz (parte):

“…conclui-se não ser viável a integração de cadeirantes nas dependências da arquibancada superior, considerando a estrutura atual…” e “…A integração poderia ser considerada caso fosse apresentado projeto estrutural…”, assim, CPA concluiu, que seja apresentado projeto estrutural de forma a permitir a integração.

CONCLUSÃO
Considerando itens elencados na CARTA EXPLICATIVA, o Colegiado assinala que, em sua maioria, não foram apresentados elementos caracterizando impraticabilidade técnica para
atendimento ou indicação legal para dispensa de adequação.

O Colegiado observou que demais itens constantes nas peças gráficas, não considerados na presente avaliação, devem ser analisados por SMUL/SEGUR pela competência.

Situações pontuais, instruídas por laudo técnico devidamente fundamentado e avalizado por profissional habilitado, podem ser objeto de nova avaliação por parte do Colegiado, o
mesmo se aplicando para soluções não normatizadas eventualmente propostas para adaptação da acessibilidade no imóvel.

Facebook Comments

Esqueceram de 50

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas praticando esportes e atividades ao ar livre

Por ROBERTO VIERA

Ufa, Barbosa!

O 7×1 serviu pra alguma coisa.

A final da Copa também.

Ninguém.

Ninguém desencavou matéria sobre o 16 de julho.

Juvenal e Bigode dormem em paz.

Zizinho também.

Augusto, idem.

Flávio Costa coitado.

Voltou a ser um técnico simplesmente.

Um técnico que foi mais longe que muita gente.

O assunto hoje é VAR.

O assunto hoje é imigração.

A pauta hoje é Turim, Zagreb e Paris.

Alcides já esqueceram.

E Obdulio não esbofeteou ninguém.

Num país sem memória.

Acaba de morrer a única memória que sobrevivia na memória.

Ainda bem.

Facebook Comments

Canal do Blog do Paulinho no YouTube está com endereço novo. Assine Já !

O endereço do Blog do Paulinho no YouTube mudou porque alguns incomodados com o trabalho reclamaram ao site, simultaneamente, sobre nossas postagens.

Tática de guerrilha.

Punidos, perdemos, até então, mais de onze mil seguidores, que precisarão assinar novamente nosso canal para ter acesso aos milhares de vídeos, que estamos repostando, um a um (trabalho de uma semana).

Tenho certeza que os. em média, mais de quarenta mil acessos diários do Blog do Paulinho darão resposta à intimidação.

Conto com seu apoio, divulgação e adesão !

Para ter acesso a conteúdos exclusivos do Blog do Paulinho assine o novo canal do YouTube (clique no botão “Inscreva-se” e, se quiser, no “sino” ao lado, para ser avisado sempre que houver novas postagens)

https://www.youtube.com/c/BlogdoPaulinhooficial


Ajude o Blog do Paulinho doando BITCOIN para a carteira:

171yZG4ZxoYnLNPT2WqLMhcExbcQcGWjZK


Outras mídias sociais do blog:

Twitter: @blogdopaulinho

Facebook: http://www.facebook.com/blogdopaulinho.com.br/

Instagram: http://www.instagram.com/blogdopaulinhooficial

WhatsApp: (11) 98402-3121

Facebook Comments

Justiça bloqueia recebíveis do Corinthians por cartão de crédito para quitar dívida de R$ 3,5 milhões com a Unisantana

Resultado de imagem para cartão credito bloqueado

Em 2008, em aparente manobra de favorecimento à Faculdade Drummond , que tem como proprietário o ex-conselheiro alvinegro Osmar Basílio, o presidente Andres Sanches, com anuência do então vice de esportes terrestres, Felipe Ezabella e do vice jurídico, Sérgio Alvarenga, expulsaram a Unisantana do Parque São Jorge, que mantinha, há algum tempo, parceria com o Corinthians.

A quebra de acordo foi unilateral.

Na sequência, o clube fechou acordo com a Drummond, concorrente do ex-parceiro.

O caso foi parar na Justiça e entre idas e vindas o Corinthians foi condenado a pagar R$ 3,5 milhões em indenização:

“Trata-se de cumprimento da sentença. Intime(m)-se o(a)(s) devedor(a)(s), por meio de seu advogado constituído, para pagar a dívida (R$ 3.542.810,32), no prazo de 15 dias, sob as penas da lei”

Para garantir o pagamento, as contas alvinegras foram bloqueadas, porém, inexplicavelmente, somadas todas as aplicações bancárias, restou insuficiente saldo de R$ 269.907,52.

O valor foi integralmente repassado à Unisantana.

Desde então, o Corinthians passou a operar, financeiramente, de maneira suspeita, com o dinheiro à margem da fiscalização bancária.

Segundo informações, o clube tem utilizado-se de “bitcoins” para alguns pagamentos – moeda virtual de cotação flutuante que pode gerar lucro a intermediários, imperceptíveis à fiscalização do Conselho – que deveria ter sido avisado das operações, e recebido dinheiro através de venda em cartões de crédito – com dinheiro repassado pelas operadoras não às contas alvinegras, mas a cartões pré-pagos, utilizados depois para o câmbio de cripto-moedas.

Todos os procedimentos, facilitadores de fraudes.

Recentemente, o Corinthians fechou contrato de parceria com empresa de moedas virtuais (INOOVI) – o único não divulgado, oficialmente, pelo clube, que, em seu site oficial declarou que o alvinegro realizou operação neste mercado, reservando quantia ENORME de “IVIS” (moeda virtual):

Rosenberg coloca Corinthians em apuros ao fechar contrato com empresa suspeita, sediada em paraíso fiscal

Atenta à esta movimentação,  3ª Vara Cível do Tatuapé, em nova determinação, datada de ontem (16), bloqueou todos os recebíveis de operadoras de cartões de crédito do Corinthians, na fonte, que serão destinados, integralmente, para satisfazer a pendência com a Unisantana:

“(…) oficie-se às empresas Redecard e Cielo, a fim de que bloqueiem os recebíveis provenientes de pagamento, providenciando a exequente o encaminhamento”

Ou seja, em exemplo, todo o dinheiro arrecadado pelo Corinthians no recente “Arraiá do Timão”, com entradas vendidas no cartão, está comprometido, além, é claro, doutras diversas operações realizadas pelo clube de Parque São Jorge.

Em meio a um caos financeiro com pouca margem à manobras, o Corinthians sente o laço envolto no pescoço um pouco mais apertado, esperando que dentre as promessas de campanha recentes (naming-rights do estádio, renegociação de dívidas com Odebrecht e Caixa, formalização de patrocínio master, etc), ao menos uma delas torne-se realidade.

Facebook Comments