Anúncios

Arquivo do Autor

Bicheiros, futebol e apostas

agosto 18, 2017

Recibo de jogo de bicho em nome de A. da Sorte, atribuído a André Negão, apelidado na contravenção como “André da Sorte”

Não é de hoje, bicheiros encontraram no submundo dos bastidores do futebol ambiente confortável para a prática de lavagem de dinheiro, amparados pelo silêncio, omissão e, por vezes, medo de conselheiros de clubes que fingem nada saber.

A FOLHA, em reportagem de Sérgio Rangel, revela que os contraventores cariocas ingressaram, também, no mercado de apostas esportivas, situação que se já não ocorre, deverá, em breve, se espalhar por todo o país.

É aí que o perigo ao esporte se agrava.

Inúmeros são os relatos, mundo afora, inclusive no Brasil, de acerto de jogos para beneficiar determinado grupo de apostadores ou, em sentido contrário, favorecer quem banca a ilegalidade.

Principal clube do país em repercussão midiática, líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians é exemplo claro de que a atuação dessa gente, há muito, deixou de ser folclórica ou limitada apenas às equipes de divisões intermediárias.

O vice-presidente alvinegro, André Negão, se declara “ex-bicheiro”, embora existam diversos relatos que suas atividades não só continuam como foram ampliadas, incluindo agora administração de máquinas de vídeo bingo.

Sua prisão mais recente, por contravenção, se deu em 2011, quando já ocupava cargo na gestão Andres Sanches.

A categoria de base do clube, que também é objeto de aposta esportiva, ao menos nos sites internacionais, tem outro notório dirigente ligado ao Jogo de Bicho, Jacinto Antonio Ribeiro, o Jaça, que, sem constrangimento, recentemente ingressou na Justiça para cobrar, do Corinthians, comissão sobre a venda de Rosinei.

No Rio de Janeiro, o bicheiro Castor de Andrade, o mais famosos deles, chegou a levar o Bangu para a final do Brasileirão, mas depois, dependente do dinheiro da contravenção, o clube entrou em desgraça e nunca mais se recuperou.

Se já era inadmissível, por razões óbvias, clube de futebol ser tocado por bicheiros, agora, com a confirmação da participação destes em esquema de venda ilegal de apostas esportivas, torna-se primordial o afastamento dos contraventores de qualquer atividade ligada ao futebol, sob enorme risco de a agremiação se ver envolvida em escândalos dos quais será difícil, depois, se desvincular.

Anúncios

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

agosto 18, 2017

http://rockngol.com.br

Blog do Paulinho

Coluna do Fiori

“Supositório”: Rosenberg diz que Corinthians deve renegociar estádio para preço inicial

agosto 18, 2017

Em evento no Insper, em São Paulo, o ex-vice-presidente do Corinthians, Luis Paulo Rosenberg, braço direito da gestão Andres Sanches, ao ser questionado sobre a dívida do estádio de Itaquera, que atinge R$ 2 bilhões (entre valor principal e financiamentos diversos), respondeu:

“Acho que a próxima gestão do time vai ter uma oportunidade excepcional de renegociar essa dívida. Esse passivo está completamente longe da formação inicial. A gente sempre disse que o Corinthians vai pagar os R$ 400 milhões que era o que custaria o estádio que queríamos.”

“Se tem um custo adicional e São Paulo, cidade e estado, consideram que esse mérito adicional e que vale a pena bancar, o Corinthians faz esse sacrifício, mas eu não pagaria. Esse era o pacto. A prefeitura honrou, emitiu o certificado e agora, de repente, querem enfiar um supositório de dois bilhões. Isso não dá.”

“Então, a gente tem que renegociar isso e voltar às bases iniciais”

O referido “supositório”, colocado no Corinthians com anuência de seus próprio dirigentes, inclui detalhes que Rosenberg esqueceu de elencar, talvez pelo fato de, partícipe ativo das negociações, ao fazê-lo, poder complicar a si próprio e ao dirigente que, por rabo preso, insiste em defender.

Alguns deles:

  • Os aditivos que autorizaram os progressivos aumentos de preços da obra do estádio de Itaquera foram assinados concomitantemente às datas especificadas pela planilha de pagamentos de propinas da Odebrecht ao ex-presidente Andres Sanches, ao vice, André Negão e ao conselheiro alvinegro Vicente Cândido (PT);
  • Rosenberg foi copiado, em email, não apenas com o teor dos aditivos, mas também com os relatórios de avanço da obra, que, sabe-se hoje, foram fraudados, dando quitação ao estádio não concluído (relatório de auditoria dá conta de R$ 250 milhões não entregues) para viabilizar recebimento criminoso de CIDs da Prefeitura;
  • Rosenberg esteve em reunião com Andres Sanches pelo menos numa ocasião em que tentou-se intermediar a liberação pelo BNDES dos R$ 400 milhões, evento este realizado com diretor do Banco do Brasil, recentemente preso pela Lava-Jato.

Se é fato que o estádio de Itaquera foi aprovado em reunião do Conselho Deliberativo do Corinthians, sob promessa de custar R$ 330 milhões, é verdade, também, que no mesmo encontro Rosenberg prometeu que o clube nada bancaria sobre a obra, nem mesmo os tais R$ 400 milhões agora sugeridos para pagamento.

Por fim, ao dizer que: “Acho que a próxima gestão do time vai ter uma oportunidade excepcional de renegociar essa dívida”, Rosenberg exclui da disputa o próprio protegido, o deputado federal Andres Sanches, gestor do estádio desde a terraplenagem (também investigada pela PF), que, em momento algum no período citado, por razões óbvias, sugeriu qualquer tipo de renegociação com a Odebrecht.

Santos deverá ficar com apenas R$ 16,4 milhões dos R$ 51 milhões pagos pelos franceses por Thiago Maia

agosto 18, 2017

A DLX Sports, representada pela advogada Gislaine Nunes, cobra R$ 14,2 milhões do Santos na Justiça, 28% dos direitos, da venda realizada ao Lille da França, por R$ 51 milhões.

Porém, o prejuízo pode ser ainda maior.

Do valor cheio, além dos citados R$ 14,2 milhões, o Peixe comprometeu-se a pagar R$ 15,3 milhões ao próprio atleta, além de R$ 5,1 milhões de comissão.

Ou seja, dos R$ 51 milhões, o clube, tudo indica, ficará com apenas R$ 16,4 milhões.

É notório, no mundo do futebol, que muitos destes pagamentos de comissões são divididos com dirigentes de clubes de futebol, que ocultam-se à sombra de empresários para obter lucro indevido.

Com relação ao processo promovido pela DLX, a ação tramita na 6ª Vara Civil de Santos e o clube, em recente despacho, recebeu intimação para dizer se já está com dinheiro da comercialização de Thiago Maia, indicando, após apresentação de provas robustas pelos empresários, que o pagamento realmente deverá ser executado.

CO-RIO 2016 recebe multa milionária do Procon por não vender ingressos mais baratos a deficientes físicos

agosto 18, 2017

Após infrutíferas tentativas de citações pessoais, o Procon de São Paulo notificou, por Edital, o CO-RIO 2016 (Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016) por diversas infrações cometidas durante as Olimpíadas.

A principal: deixar de vender ingressos a deficientes físicos e seus acompanhantes, pela metade do preço, conforme previsão de Lei.

O valor da multa, que abrange também outras irregularidades, como falta de sinalização adequada no estádio de Itaquera e de informações nas entradas comercializadas, ultrapassa, segundo fonte, R$ 3 milhões.

Contado a partir de cinco dias da publicação, o CO-RIO, presidido por Carlos Roberto Osório, sob a batuta de Carlos Nuzman, terá quinze dias para, voluntariamente, quitar a pendência, recebendo 30% de desconto de o fizer à vista, ou 20% no caso de parcelamento.

Abaixo a íntegra do Edital:

A Diretoria Executiva da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor, por meio da Assessoria de Controle e Processos, faz saber, nos termos do art. 34, parágrafo único da Lei Estadual 10.177, de 30-12-98 (D.O, Seção I, de 31-12-98), que, aos 02 dias do mês de maio do ano de 2017, foi lavrado o Auto de Infração 26939 D8 e instaurado procedimento sancionatório 3257/2017 em face de Comitê Organizador dos Jogos Olimpicos Rio 2016, inscrito(a) no CNPJ/CPF sob o 11.866.015/0001-53, tendo em vista que a empresa cometeu as seguintes irregularidades:

Conforme Autos de Constatação sob números 33104, 32334, 31717, 32395, 31723, 32307, e 32380, todos da Série D7 e lavrados, respectivamente, nos dias 03, 06, 10, 12, 13, 17 e 19-08-2016, a empresa acima qualificada, atuando no segmento de produção e promoção de eventos esportivos, na qualidade de responsável pelo evento “Jogos Olímpicos Rio 2016”, realizado no Estádio
Arena Corinthians”, durante o período compreendido entre os dias 03 e 19-08-2016, no momento dos atos fiscalizatórios acima mencionados, cometeu as seguintes irregularidades:

  • 1) Não mantinha afixado cartaz ou placa equivalente na entrada do estabelecimento, com informações sobre a existência de alvará de funcionamento, de alvará de prevenção e proteção contra incêndios do estabelecimento ou autorização equivalente, bem como suas respectivas datas de validade, descumprindo o artigo 4º, da Portaria 3.083, de 25-09-2013 do Ministério da Justiça, infringindo, assim, o disposto no artigo 31, “caput”, da Lei Federal 8.078/90 – Código de Proteção e Defesa do Consumidor, em razão da ausência destas informações, essenciais acerca do serviço prestado;
  • 2) Não mantinha, nos bilhetes vendidos aos consumidores, informações sobre a existência de alvará de funcionamento e de alvará de prevenção e proteção contra incêndios do estabelecimento, bem como suas respectivas datas de validade, descumprindo o artigo 3º, da Portaria 3.083, de 25-09-2013 do Ministério da Justiça, infringindo, assim, o disposto no artigo 31, “caput”, da Lei Federal 8.078/90 – Código de Proteção e Defesa do Consumidor, em razão da ausência destas informações, essenciais acerca do serviço prestado;
  • E, ainda, conforme 08 páginas de impressão de telas extraídas do sítio eletrônico “https:// ingressos.rio2016.com”, no dia 30-06-2016, a empresa acima qualificada não disponibilizava a aquisição de ingressos para deficientes físicos e respectivos acompanhantes com 50% de desconto.

A empresa, devidamente notificada por meio do Auto de Notificação 03656-D8, de 30-06-2016, para “1. Justificar a ausência da opção de aquisição de ingressos para deficientes e respectivos acompanhantes com 50% de desconto, nos termos do artigo 24, §5º da Lei 13.284/2016” respondeu tão somente que “os ingressos para deficientes e seus acompanhantes, com o devido desconto, estão disponíveis para aquisição por parte dos consumidores nos meios oficias de compra, não havendo, até o momento, quaisquer notícias de problemas com a comercialização deste tipo de ingresso”, sem apresentar qualquer comprovação.

Deste modo, como não houve comprovação, descumpriu o artigo 24, §5º, da Lei 13.284/2016, infringindo, dessa forma, o artigo 39, inciso V, da Lei 8078/90 – Código de Proteção e Defesa do Consumidor, por exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva, ao obrigar os deficientes físicos e acompanhantes a pagarem quantia inteira, quando possuem, na realidade, desconto previsto em Lei.

Por tais condutas, fica o autuado sujeito a sanção prevista nos art. 56, I e 57 da Lei 8.078/90, sem prejuízo das demais sanções previstas no art. 56 da referida Lei.

A pena poderá ser atenuada ou agravada, conforme o previsto no artigo 34 da Portaria Normativa Procon 45, de 12-05-2015.

O Autuado poderá, no prazo de 15 dias contados a partir do quinto dia útil subsequente à publicação deste edital, oferecer defesa e/ou impugnação ao valor da receita estimada dirigidas à Diretoria de Programas Especiais da Fundação Procon – SP, situada à rua Barra Funda, 930, 4º andar, sala 406, Barra Funda, São Paulo/SP, CEP 01152-000, conforme art. 63, III, da Lei Estadual 10.177, de 30-12-98, e Portaria Normativa Procon 45/15.

Para impugnar a receita bruta estimada, o Autuado deverá apresentar documento que comprove sua receita mensal bruta nos termos do art. 32, § 1º, da Portaria Normativa Procon 45/15. efetuando o pagamento da multa no prazo de 15 dias contados a partir do quinto dia subsequente à publicação deste edital (conforme art. 35, “a” e “b, respectivamente, da Portaria Normativa Procon 45/15), haverá redução de 30% do valor, caso ocorra o pagamento à vista ou 20%, caso ocorra o pagamento parcelado, no prazo de vencimento do primeiro boleto bancário, obedecidos os limites e condições estabelecidos pelo art. 39, § 1º e 2º da referida Portaria. As intimações de despachos e decisões, durante e ao final do processo, serão feitas por meio de publicação no Diário Oficial do Estado de São Paulo, Poder Executivo, seção I.

Advogado ligado a Felipe Melo fez chegar à imprensa números de seu contrato, não conselheiro do Palmeiras

agosto 18, 2017

Gilto Avallone

Nos últimos dias, o advogado, conselheiro e membro do COF do Palmeiras, Gilto Avallone, foi acusado pelo advogado de Felipe Melo, de revelar, em seu blog, números do contrato do atleta que estariam protegidos por clausula de sigilo.

Trata-se de uma covardia.

Avallone, que está sendo ameaçado, por conta da política palestrina, de enfrentar sindicância sobre o suposto vazamento, limitou-se a reproduzir publicação originaria do Blog do Paulinho, questionando, não afirmando, se estes seriam, de fato, verdadeiros:

“R$ 8.4 milhões de luvas, em 12 parcelas de R$ 700 mil, salários de R$ 350 mil, mais R$ 20 mil por jogo disputado.”

“Pelos últimos acontecimentos muitas coisas começam a ser clareadas após essa postagem, pois caso fosse inverídico a mesma a diretoria teria emitida uma nota.”

“Só desmentir não tem valor de informação infundada precisa apresentar documentação para refutar a postagem.”

Ou seja, à sua maneira, prestou serviços ao clube, que preferiu se omitir.

Por não compactuar com covardia e injustiça, muito menos sacanagem, faz-se necessário revelar que a informação chegou ao blog por intermédio de advogado que se apresentou como “do escritório que defende Felipe Melo”.

Dificilmente, convenhamos, sem conhecimento ou anuência do atleta, que agora utiliza-se da repercussão dentro do Palmeiras e da coragem do conselheiro para tentar prejudicar o clube, judicialmente.

Clique no link a seguir para relembrar números do contrato de Felipe Melo:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/07/29/cuca-e-felipe-melo/

Grêmio e Botafogo: pesos e medidas diferentes em acusações de racismo

agosto 18, 2017

De maneira deplorável, o torcedor do Botafogo, André Luis Moreira dos Santos, atacou o jogador Vinicius Junior, do Flamengo, com inqualificáveis injúrias raciais, no estádio Nilton Santos, sob mando de campo do Glorioso.

O STJD diz que não haverá punição à equipe carioca.

Em 2014, o Grêmio foi expulso da Copa do Brasil, mesmo campeonato em que se deu o recente episódio, por conta de ação semelhante de um grupo de torcedores.

A Justiça Desportiva diz que o Botafogo não será punido por ter identificado o torcedor, porém, no episódio envolvendo os gaúchos, os agressores também foram reconhecidos, sem que estes, o que é mais grave, fossem sócios torcedores gremistas, situação em que se encaixa o marginal carioca, ampliando o vínculo com os cariocas.

É até aceitável que o STJD venha a público fazer “mea culpa” por, talvez, ter se excedido na punição ao Grêmio em 2014, mas é inadmissível que, em não fazendo, não trate um caso semelhante ao de três anos atrás com a isonomia necessária à credibilidade dos julgadores.

Neto, o que está caindo é o jornalismo

agosto 18, 2017

Do BLOG DO MENON

O caso Neto/São Paulo é um exemplo do fundo do poço em que se está transformando o jornalismo esportivo em sua vertente entretenimento televisivo.

Um show de horrores com ex-jogadores destilando pseudo conhecimento (eu sei tudo e você, chupou laranja com quem) e fazendo gracinhas. E agora, ameaças.

Neto está revoltado porque a diretoria do São Paulo vetou a cessão de um camarote no Morumbi para a realização do programa Baita Amigos, como tem sido há um tempo.

A diretoria está sendo pressionada por conselheiros e por torcedores organizados.

A justificativa é risível: Neto faria muitas críticas ao São Paulo. Mas, se o time está péssimo, ele iria elogiar?

As críticas seriam muito jocosas. Mas, se fosse contra outros times, poderia?

Bem, o fato é que Neto vai sair do Morumbi. E qual é sua atitude? Amalucada e desprezível.

Ele ameaça o clube. Como? Com sua opinião. E desnuda a falta de seriedade desse tipo de jornalismo. Se estou fora, vou torcer para o time cair. Que coisa ridícula! Uma ofensa à profissão de jornalista.

O que diz Neto? ”Agora, assessor que vier me procurar para pedir ajuda, eu piso igual barata”

Que assessor? Assessor de quem? Da diretoria? Que tipo de ajuda?

”Agora, vai ser na goela. Assessor que não ligue para mim, se passar perto, muda de lado porque eu atropelo”

Novamente, que assessor? E, evidentemente ”eu atropelo” é uma expressão, não é literal.

”Eu sei coisas do São Paulo do arco da velha e vou vomitar tudo”. Se sabe, se tem comprovação, já devia ter falado há tempos. Ou fico quieto porque fazia o programa lá?

”Agora, estou livre para dizer, vai cair, vai cair, vai cair”. Antes, não estava livre? Era proibido de dizer alguma coisa? Quem proibia? A Band? O São Paulo. Ele não expressava sua opinião correta por conta da cessão de um camarote?

”Lá no camarote, não podia falar, mas agora eu falo: Vai cair”

Novamente ele diz que antes não podia falar e agora fala. Quem proibia? O São Paulo? A Band? O camarote?

Esse tipo de comportamento, jogando insinuações no ar, falando que estava proibido de externar sua opinião e que agora vai torcer para cair é um comportamento antijornalístico. Não causa espanto, mas causa revolta.

Somos, os jornalistas, cobrados diariamente por esse tipo de comportamento rasteiro e irresponsável.

Por fim, Marcelo Neves, que é o dono do camarote, precisa ir a fundo e denunciar as ameaças ameaças que teria sofrido. É muito perigoso deixar essas coisas sem apuração.

Ex-Diretor de Marketing do São Paulo, demitido por corrupção, deu calote em casino de Las Vegas

agosto 17, 2017

Demitido por justa causa do São Paulo, acusado de corrupção após supostamente desviar quantia próxima a R$ 8 milhões em vendas de camarotes do Morumbi, o ex-diretor de marketing Alan Cimerman não deu calote apenas nos fornecedores da Copa do Mundo 2014, conforme revelou o Blog do Paulinho, mas também num casino de Las Vegas.

https://blogdopaulinho.com.br/2017/08/17/sao-paulo-a-demissao-de-alan-cimerman/

Desde julho de 2016, o Wynn Las Vegas Llc tenta receber do dirigente a quantia de US$ 125 mil, em ação nº  1071773-26.2016.8.26.0100 que tramita na 16ª Vara Civil, no Foro João Mandes.

Cimerman assinou, inclusive, em 30 de janeiro de 2015, Nota Promissória para conseguir sair dos EUA e retornar ao Brasil, mas depois não honrou a obrigação.

O ex-dirigente Tricolor era parceiro de jogatina de V(W)anderlei(y) Luxemburgo no mesmo casino, outro que só pagou sua dívida após ser interpelado na justiça brasileira, conforme revelado, também, por nosso espaço:

https://blogdopaulinho.com.br/2016/04/11/vwanderleiy-luxemburgo-emite-seis-cheques-para-pagar-divida-de-r-4286-mil-com-cassino-wynn-de-las-vegas/

https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/15/vwanderleiy-luxemburgo-quita-divida-com-cassino-de-las-vegas/

Não é por acaso, entre presidentes e diretores, recentemente, expulsos do clube por corrupção, que o São Paulo está, há quase uma década, em situação desportiva e administrativa tão deplorável.

Confira abaixo a inicial da ação promovida pelo Wynn Las Vegas Llc contra Alan Cimerman, que é defendido, no caso da demissão do Tricolor, por membro da Comissão de Ética do Corinthians, Daniel Bialski, que, apesar disso, advoga para Andres Sanches e sua curriola:

Wynn Las Vegas Llc vs. Alan Cimerman

Nos links a seguir, casos em que Bialski defendeu dirigentes do Corinthians:

https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/23/habeas-corpus-que-beneficiou-roberto-de-andrade-foi-impetrado-por-membro-da-comissao-de-etica-do-corinthians/

https://blogdopaulinho.com.br/2016/05/05/escandalo-da-base-mane-da-carne-sera-julgado-por-seu-proprio-advogado-no-corinthians/

https://blogdopaulinho.com.br/2015/07/01/dirigentes-do-corinthians-respondem-a-tres-novos-inqueritos-sobre-crimes-fiscais-no-stf/

Assine o canal do Blog do Paulinho no YouTube

agosto 17, 2017

Pra ter acesso a conteúdos exclusivos do Blog do Paulinho assine nosso canal do YouTube:

https://www.youtube.com/user/paulinhonet

Outras mídias sociais do blog:

Twitter: @blogdopaulinho

Facebook: http://www.facebook.com/blogdopaulinho.com.br/

Instagram: http://www.instagram.com/blogdopaulinhooficial

WhatsApp: (11) 98402-3121

Ex-funcionário revela corrupção e desvio de dinheiro público no gabinete de Andres Sanches (PT)

agosto 17, 2017

João Luiz de Moraes, o Joãozinho do grupo “Samba 6”

O gabinete do deputado federal Andres Sanches (PT), em São Paulo, funciona, em verdade, como fachada, bancada com dinheiro público (estrutura, funcionários e demais gastos) para financiar, ilegalmente, campanha de políticos ligados ao parlamentar.

Entre os beneficiados estão: André Negão (chefe de gabinete que concorreu a vereador), vice presidente do Corinthians, e Luiz Moura (em plena campanha a deputado), ambos filiados ao PDT.

A informação, que já era conhecida do leitor do Blog do Paulinho, foi confirmada, ontem, pelo cantor João Luiz de Moraes, o Joãozinho do grupo “Samba 6”, que trabalhou no gabinete de Andres Sanches, mas, assim como outros, foi exonerado para dar espaço aos funcionários de Luiz Moura.

Disse o ex-funcionário:

“(…) o Andres não liga para o escritório político dele… ele não liga, deixa na mão tudo do André (Negão)…”

“O Andres (Sanches) falou comigo assim: “eu não vou no escritório (gabinete), eu não quero nem saber desse escritório”… ele deixou o escritório na mão do Dr. João e do André (Negão)… ele nem tomava conhecimento de nada que estava acontecendo… o Andres não queria saber de nada… então, os caras fizeram a “farra do boi”, né velho ?”

“Eu sei que ele (André Negão) mandou o Nilo embora, o Ezequiel embora, Eu, a Marli, o Marcondes… pra por o pessoal do Luiz Moura”

“É… eles faziam a farra lá… mandaram até a Vanessa embora…. tudo gente que trabalhou pro Andres… tiraram tudo e colocaram as pessoas do Luiz Moura… que é um puta dum mau caráter também, entendeu ? Você sabe a reputação do Luiz Moura, né ?”

“(…) nós eramos nomeados pelo Andres, no gabinete do Andres, nós não eramos nomeados no gabinete do André (Negão)… eu fui nomeado assessor do deputado federal…”

Joãozinho revela, também, que André Negão pediu-lhe o cargo pelo qual havia sido empossado, sob promessa de pagamento de salários “por fora”, para dar vaga a funcionário de Luiz Moura, ações que sugerem, no mínimo, dois crimes: o desvio de finalidade para utilização de dinheiro público (corrupção) e a utilização de verba sem origem para bancar funcionário, em tese, sem função estabelecida:

“E ai (o Luiz Moura) começou a infiltrar… infiltrar.. começou a tirar (exonerar) um, tirar outro… começou a tirar as pessoas que trabalhavam pro Andres… e o Andres não falava nada, porque ele não quer nem saber…”

“Ai ele (André Negão) virou pra mim e falou: “Joãozinho… eu preciso do seu cargo pra nomear uma pessoa e depois eu te devolvo… eu falei: “Não André… se é para te ajudar, tudo bem…pode levar o cargo… eu assino ai a exoneração e tudo bem… não tem problema nenhum…”

“Só que ai ele falou: “vou te pagar por fora…”, eu falei: “tudo bem… você sabe quanto eu ganho, né ? Quanto ao cargo, tudo bem… não estou preocupado com o cargo…”

“Só que na primeira semana… no primeiro mês, quando fechou o mês… que eu fui cobrar o meu salário dele… ele me deu R$ 800… pô ! Meu salário era R$ 3 mil, velho…”

Por conta da popularidade de Joãozinho no mundo do Samba, sem autorização, André Negão, após a exoneração, mandou fazer “santinhos” políticos com montagem de fotografia em que ambos apareciam abraçados, dando a entender apoio à campanha.

O caso foi parar na Justiça, no Juizado de Pequenas Causas do Foro do Tatuapé, processo nº 1001804-69.2017.8.26.0008, em que o sambista pede R$ 15 mil em indenização, com próxima e derradeira audiência marcada para o dia 24, às 14h, depois de frustada tentativa de conciliação:

“(…)eu já estava exonerado e ele pegou a minha foto… que aí falou: “todo mundo tem que tirar umas fotos aqui”… todo mundo foi e tirou foto… mas ninguém sabia para o que era….”

“Ele (André Negão) pegou as fotos, fez quatro mil santinhos, meu, com a minha foto…”

“Dia 24 agora tem a audiência… a audiência final.. ou ele vai entrar com recurso, ou vai chamar para fazer um acordo… das duas, uma”

Conhecedor profundo das movimentações ocorridas no gabinete de Andres Sanches (PT), Joãozinho alerta para problemas que estão por vir para o Corinthians, no âmbito da “Operação Lava-Jato”, que investiga pagamento de propina na construção do estádio em Itaquera, em que o deputado e seu chefe de gabinete, André Negão, são apontados como recebedores dos recursos indevidos, em troca de beneficiar a Odebrecht:

“E outra coisa que eu vou te falar… ainda vai sujar a “Lava-Jato” pro lado do Corinthians… escuta o que eu estou te falando… eu sei que tem… você acha que não te propina ali ? A hora que começar a puxar, ai vai sujar”

Andres Sanches, André Negão e Luiz Moura

Ouça abaixo (com a devida transcrição), pouco mais de sete minutos, de um total de vinte e cinco, de uma reveladora conversa do Blog do Paulinho com João Luiz de Moraes, o Joãozinho, ex-funcionário de gabinete do deputado federal Andres Sanches (PT):

Joãozinho

“Eu trabalhei pro Andres (Sanches) entendeu ? Então.. fiz toda a campanha e tal.”

“Eu fui lá (no comitê), ganhou a eleição, o Andres pagou tudo, direitinho… eu fui lá só para despedir, falar “tchau”, felicidades e tal… não fui pedir porra nenhuma.. entendeu ? Até porque eu sou do “Samba 6″, eu tenho um trabalho artístico, entendeu ?”

“O André (Negão) disse: “Não, Joãozinho… não vai sair não… eu sou candidato a vereador, e você vai ficar… me traz seus documentos… você pode ?”… eu falei: “posso”… ele falou: “me traz seus documentos para você tomar posse”… eu falei: “Legal”…tomei posse, tudo direitinho…”

“Até então estava indo tudo bem… aí quando entrou o Luiz Moura na ‘fita”, a coisa começou a ficar meio… tem que respeitar as pessoas…”

“Porque nós eramos nomeados pelo Andres, no gabinete do Andres, nós não eramos nomeados no gabinete do André (Negão)… eu fui nomeado assessor do deputado federal…”

“Até porque eu fiquei oito anos com o Agnaldo Timóteo na Câmara Municipal de São Paulo como assessor, trabalhando, atendendo o povo, fazendo um monte de coisa dentro do gabinete dele, entendeu ? Então só fui para lá (no gabinete de Andres Sanches) porque eu tinha bagagem… porque se eu fosse um “Zé Mané” qualquer eu não ia trabalhar com o Andres”.

Blog do Paulinho

“Quer dizer, no fim você estava lá para trabalhar com o Andres, mas na verdade trabalhava na campanha do André Negão…”

Joãozinho

“É… e ai, o que acontece… o Andres não liga para o escritório político dele… ele não liga, deixa na mão tudo do André (Negão)…”

“O André levou o Luiz Moura pra lá… o Luiz Moura falou: “Eu apoio o André pra vereador e depois ele me apoia pra deputado, entendeu ?”

“E ai começou a infiltrar… infiltrar.. começou a tirar (exonerar) um, tirar outro… começou a tirar as pessoas que trabalhavam pro Andres… e o Andres não falava nada, porque ele não quer nem saber…”

“Ai ele (André Negão) virou pra mim e falou: “Joãozinho… eu preciso do seu cargo pra nomear uma pessoa e depois eu te devolvo… eu falei: “Não André… se é para te ajudar, tudo bem…pode levar o cargo… eu assino ai a exoneração e tudo bem… não tem problema nenhum…”

“Só que ai ele falou: “vou te pagar por fora…”, eu falei: “tudo bem… você sabe quanto eu ganho, né ? Quanto ao cargo, tudo bem… não estou preocupado com o cargo…”

“Só que na primeira semana… no primeiro mês, quando fechou o mês… que eu fui cobrar o meu salário dele… ele me deu R$ 800… pô ! Meu salário era R$ 3 mil, velho…”

“Então eu falei: “o André”… Ele disse: “Não… não tenho mais… estamos e época de campanha…”, eu falei “Tudo bem…”

“Só que eu já estava exonerado e ele pegou a minha foto… que aí falou: “todo mundo tem que tirar umas fotos aqui”… todo mundo foi e tirou foto… mas ninguém sabia para o que era….”

“Ele (André Negão) pegou as fotos, fez quatro mil santinhos, meu, com a minha foto…”

“Já tinha me exonerado… ainda me usou para o santinho dele… eu falei: “pô! Ta errado, né ? Nessa altura do campeonato a Marta (Suplicy) já estava me chamando para trabalhar… então eu falei: “Bom, a Marta é senadora… eu vou continuar trabalhando a Marta… tenho alguns compromissos com o André (Negão), que era lá na Igreja da Candelária (Vila Maria), lá na quermesse… então terminei o meu compromisso… e, de repente, quatro mil santinhos com a minha cara e a cara dele no lado… montaram, né…”

“E ai eu falei: “Bom… não vou brigar. não vou fazer nada… então não vai me devolver o cargo, nem nada… peguei meu advogado da gravadora, a Warner, peguei meu advogado, conversei com ele, que falou assim: “você assinou alguma autorização ?”, eu falei: “não”, ele então falou: “vamos entrar com uma ação”.

“Então, já teve a primeira audiência no “Pequenas Causas”… e ele compareceu com o Dr. João (advogado de Andres Sanches) e falou: “eu vou arrumar testemunhas, porque não é nada disso”… então não tem conciliação ? Não, não tem”

“Meu advogado falou: “João… se ele fizer um acordo… pega logo, só pra dar um susto nele e pronto… daí nós vamos embora… nós não precisamos disso…”

“Daí ele (André Negão) botou a maior banca: “não… eu vou arrumar testemunha”… meu advogado virou pro advogado dele e falou: “Eu nem vou procurar testemunha do meu cliente, sabe por que ? A testemunha do meu cliente é esse santinho aqui… eu quero ver a autorização dele para publicar a fotografia do meu cliente”

“Dia 24 agora tem a audiência… a audiência final.. ou ele vai entrar com recurso, ou vai chamar para fazer um acordo… das duas, uma”

“Eu sei que ele (André Negão) mandou o Nilo embora, o Ezequiel embora, Eu, a Marli, o Marcondes… pra por o pessoal do Luiz Moura”

“Então, não é justo… eu sou um assessor teu… eu tenho que terminar o mandato que eu elegi você… porra, entendeu ? Não virar a mesa… então esse pessoal todo passou necessidade”

“O Andres (Sanches) falou comigo assim: “eu não vou no escritório (gabinete), eu não quero nem saber desse escritório”… ele deixou o escritório na mão do Dr. João e do André (Negão)… ele nem tomava conhecimento de nada que estava acontecendo… o Andres não queria saber de nada… então, os caras fizeram a “farra do boi”, né velho ?”

Blog do Paulinho

“Claro… com dinheiro do Governo…”

Joãozinho

“É… eles faziam a farra lá… mandaram até a Vanessa embora…. tudo gente que trabalhou pro Andres… tiraram tudo e colocaram as pessoas do Luiz Moura… que é um puta dum mau caráter também, entendeu ? Você sabe a reputação do Luiz Moura, né ?”

“Para as pessoas que eu conheço eu falava bem do André (Negão), entendeu? Embora tinha nego que falava: “É… porque ele é bicheiro, porque não sei o que…” eu dizia: “bicho, estou trabalhando na campanha do cara”

“Agora, o certo mesmo, ele (André Negão) como um cara, se ele tivesse caráter, ele tinha que fazer o seguinte: “olha… vamos terminar o mandato do Andres… quem está no mandato do Andres, vamos terminar…” Ele foi até bem votado… vinte mil e poucos votos… então ele tinha que terminar o mandato, aí chegar para o Luiz Moura e falar: “A partir do ano que vem, que é 2018, eu vou tirar todos vocês… quando terminar o Natal, Ano Novo, Carnaval… eu vou tirar todos vocês pra colocar o pessoal do Luiz Moura”.. Não ! Ele perdeu a eleição e foi exonerando o pessoal”

“E outra coisa que eu vou te falar… ainda vai sujar a “Lava-Jato” pro lado do Corinthians… escuta o que eu estou te falando… eu sei que tem… você acha que não te propina ali ? A hora que começar a puxar, ai vai sujar”

Ouça a rádio Rock n’ Gol ao vivo !

agosto 17, 2017

http://rockngol.com.br

Blog do Paulinho

Por Fora do Campo

(19h)

São Paulo: a demissão de Alan Cimerman

agosto 17, 2017

Alan Cimerman

Em junho de 2016, o Blog do Paulinho revelou que o Gerente de Marketing do São Paulo, Alan Cimerman, estava sendo acionado pela justiça, por calotes diversos em prestadores de serviços da Copa do Mundo de 2014.

O valor total, até então, era de R$ 4,2 milhões.

https://blogdopaulinho.com.br/2016/05/27/sao-paulo-precisa-avaliar-e-explicar-permanencia-de-gerente-que-deu-calote-de-r-42-milhoes-em-fornecedores-da-copa-do-mundo/

Em estranha postura, o São Paulo deu de ombros para a informação, mantendo no cargo funcionário claramente complicado.

Não deu outra: Cimerman acaba de ser demitido do clube, suspeito de desviar, em análise inicial, R$ 8 milhões em vendas de camarotes, fato que somente veio à tona por conta da não liberação de entradas gratuítas do show do U2, no Morumbi, para conselheiros tricolores.

Estes, irritados, decidiram apurar os desvios de conduta que, em verdade, já eram conhecidos e conversados nos bastidores do Tricolor, haja vista a quantidade de eventos no estádio promovidos pelos mesmos nomes que, agora, cairam em desgraça.

A diferença: nos outros shows, conselheiros tiveram farta distribuição de ingressos.

Ou seja, lesar o clube, em tese, seria permitido, desde que os interesses da “nobreza” continuassem resguardados.

“Compramos os direitos (da Copa do Mundo) para o Brasil diretamente da Globo”, diz diretor da ESPN Internacional

agosto 17, 2017

“Cobrimos muito bem essa história, sob a perspectiva jornalística. Não negociamos com as agências envolvidas. Compramos os direitos para o Brasil diretamente da Globo e para os EUA compramos diretamente da Fifa.”

(Russell Wolff, executivo da ESPN Internacional, em entrevista à FOLHA)


Em entrevista à FOLHA, Russell Wolff, executivo da ESPN Internacional, em meio às justificativas para o canal der ficado de fora das transmissões das partidas da próxima Copa do Mundo, na Rússia, deixou claro ter negociado diretamente com a Rede Globo o evento anterior, disputado em 2014, no Brasil:

“Cobrimos muito bem essa história, sob a perspectiva jornalística. Não negociamos com as agências envolvidas. Compramos os direitos para o Brasil diretamente da Globo e para os EUA compramos diretamente da Fifa.”

As comercialização dos direitos do Mundial, que a Globo adquiriu das referidas “agencias envolvidas”, para depois repassá-los a terceiros, estão sob investigação, com acusações graves de pagamentos de propinas a dirigentes (da FIFA e da CBF).

Wolff deixu claro, ainda:

“Não houve irregularidade nos negócios em que estivemos envolvidos.”

O leitor, inteligente, há de entender a sutileza da frase, implicitamente reveladora.

Estrondosa vitória

agosto 17, 2017

Por GILTO AVALLONE

Depois de vencer todo o poderio econômico do futebol chinês após uma árdua batalha Alexandre Matos conseguiu vencer a todos e contratar Borja.

Agora depois de ultrapassar todas as barreiras possíveis e imagináveis depois de outra árdua batalha imaginem divulgam ter ”passado a perna” no time de Itaquera contratando mais um zagueiro, reserva do time do Botofafo/RJ, Emerson Santos.

Vamos formar um time de zagueiros.

Passamos a perna em todos os nossos adversários e não temos pernas para ganhar nossos jogos.

Agora contratamos não mais de acordo com o mercado em termos de prazo contratuais, é por cinco anos o prazo do novo contratado.

Depois dessas duas estrondosas vitórias superando barreira incríveis, com discussões infindáveis a ONU está tentando contata-lo para mediar o conflito entre Donald Trump e Kim Jong Um.

Chamará Eduardo Uran e em duas reuniões no máximo será selada a paz mundial, “passará a perna” em todas as outras nações.

*GILTO AVALLONE é advogado, conselheiro e membro do COF do Palmeiras


%d blogueiros gostam disto: