Anúncios

Arquivo do Autor

O problema de Sheik é ser sócio de Andres Sanches

janeiro 16, 2018

O Corinthians firmou contrato de seis meses com Emerson Sheik, de 39 anos, sob alegação de querer homenageá-lo durante o Campeonato Paulista.

Poderia tê-lo feito, sem onerar os caixas alvinegros, numa partida única de despedida.

Porém, o que realmente pega mal nesse assunto é o fato, público e notório, de que Sheik e Andres Sanches, conselheiro e candidato a presidente do Timão, possuem negócios em conjunto, entre os quais a badalada casa “Paris 6”.

Fica a impressão de que trata-se mais de algum ajuste de contas entre os dois, bancado e disfarçado pelo clube, do que propriamente o alardeado em versão oficial.

Anúncios

Deputados aprovam 1,5% em direitos de Arena para treinadores de futebol

janeiro 16, 2018

Resultado de imagem para treinadores

Por conta da Lei Pelé, 5% das arrecadações de clubes com acordos de transmissão de seus jogos são repassadas como “Direito de Arena” aos jogadores de futebol.

O desconto, tudo indica, será ampliado.

Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados aprovou pagamento de mais 1,5%, desta vez aos treinadores de futebol.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

“Vices” estão deixando candidatos loucos no Corinthians

janeiro 16, 2018

Dois candidatos, justamente os mais complicados judicialmente, entre os que concorrem à presidência do Corinthians, estão absolutamente arrependidos da escolha de seus “segundos” vice-presidentes.

Andres Sanches e Romeu Tuma Junior.

Alexandre Husni, segundo vice na chapa do deputado, sequer frequenta o clube (é sócio do elitizado Paulistano, sua óbvia preferência), não trabalha por votos e está sendo absolutamente criticado por todos os membros da “Renovação e Transparência”.

Lulinha, vice de Tuma Junior, tem feito o ex-delegado esbravejar publicamente, dizendo-se iludido por promessas (de controle nos votos de determinadas chapas, além de ajuda no financiamento de campanha) que agora, sabe-se, não passavam de bravatas.

Difícil é saber, nestes casos, quem enganou mais do que o outro.

Evidentemente, tanto Sanches quanto Tuma são suficientemente capazes de, para manter as aparências, permanecerem, sorridentes, ao lado dos desafetos, sem assinar o recibo da insatisfação.

Arena Pernambuco 2018

janeiro 16, 2018

(Fotos: Roberto Vieira)

Tuma Junior confunde Canindé com CIFAC no Corinthians

janeiro 16, 2018

Frequentador, quando muito, das reuniões do Conselho Deliberativo do Corinthians, o candidato a presidente, Romeu Tuma Junior, passou a frequentar o Parque São Jorge, mais assiduamente, por conta das eleições 2018.

Tem, por razões compreensíveis, encontrado dificuldades para localizar alguns departamentos do clube.

Anteontem, o ex-delegado passou vergonha ao confundir o CIFAC com o Canindé, setores distintos no Timão, num dia que tratou como “especialícimos” (sic).

Associados alvinegros não perdoaram e viralizaram o vídeo abaixo:

Coisas que só o esporte é capaz

janeiro 16, 2018

Resultado de imagem para coreia norte e sul hockey

Por ALBERTO MURRAY NETO

Olimpismo é uma filosofia de vida, que preceitua uma série de valores, que culminam com a união dos povos por meio da prática esportiva. Temos tido, ao longo da história, inúmeros exemplos de que, pelo esporte, nações pararam guerras, atletas de países sem relações diplomáticas abraçaram-se nos campos de competição sob os olhos do mundo.

Lí na Folha de São Paulo de sábado passado que as duas Coréias, a do Sul e do Norte, entabulam um acordo para competirem nos Jogos Olímpicos de Inverno, no próximo mês, com uma equipe unificada de hockey feminino. As Coréias já desfilaram juntas em duas ocasiões em aberturas de Jogos Olímpicos. Mas nunca competiram sob a mesma bandeira.

Essa é mais uma demonstração fortíssima do que o Movimento Olímpico é capaz, não obstante o excessivo caráter comercial que tomou nas últimas décadas e que, como consequência negativa, entre outras, incrementou o uso do doping. Talvez a disputa diplomática e bélica mais acirrada nos dias de hoje seja entre as duas Coréias.

Em qualquer outro segmento que não o esporte, inclino-me a crer que seria impossível esses dois países caminharem unidos. Pois no esporte é possível que isso venha ocorrer.

Pode parecer pouca coisa, mas não o é. Serão duas nações que se digladiam caminhando juntas pelo mesmo objetivo, que é a medalha olímpica, acontecimento de grande repercussão mundial. A equipe feminina de hockey no gelo das Coréias unificadas não é tecnicamente forte e estaria longe de lutar por uma medalha. Mas isso não importa. O que realmente tem absoluta relevância e poderá ser um e exemplo positivo para a humanidade, é transformação que só o esporte pode proporcionar.

O drama de Simone Bales

janeiro 16, 2018

Por SIMONE BALES

Muitos de vocês me conhecem como uma garota feliz e enérgica. Mas ultimamente… eu tenho me sentido quebrada e quanto mais eu tento fazer a voz na minha cabeça se calar, mais alto ela grita. Eu não tenho mais medo de contar a minha história.

Eu também sou uma das muitas sobreviventes que foi abusada sexualmente por Larry Nassar.

Por favor acreditem quando eu digo que foi muito mais difícil falar estas palavras em voz alta do que está sendo agora colocar no papel.

Há muitas razões pela qual eu fui relutante em dividir a minha história, mas eu sei que não foi minha culpa.

Não é normal receber qualquer tipo de tratamento de um médico e se referir a ele horrivelmente como tratamento ‘especial’. Este comportamento é totalmente inaceitável, abominável e abusivo, especialmente vindo de alguém em quem diziam que você devia confiar.

Por muitas vezes me questionei. Eu estava sendo muito ingênua? Foi minha culpa? Agora eu sei responder a estas perguntas. Nã. Não foi minha culpa. No e eu não devo carregar uma culpa que pertence a Larray Nassar, USAG e outros.

É muito difícil reviver estas experiências e parte meu coração ainda mais saber que no meu trabalho no sonho de competir em Tóquio-2020, eu terei de retornar continuamente ao mesmo local de treino onde eu fui abusada.

Após ouvir histórias corajosas das minhas amigas e de outras sobreviventes, eu sei que esta experiência horrorizante não me define. Eu sou muito mais do que isso. Eu sou única, inteligente, talentosa, motivada e apaixonada. Eu prometi a mim mesma que minha história será muito maior do que isso e prometo que nunca irei desistir.

Competirei com todo meu coração e alma cada vez que eu pisar em um ginásio. Eu amo muito este esporte e eu nunca fui uma desistente. Eu não vou deixar que um homem e outros que o deram liberdade roubem o meu sonho e alegria.

Nós precisamos saber porque isso pôde acontecer por tanto tempo e com tantas de nós. Temos de fazer todos terem a certeza de que isso não vai acontecer de novo.

Como sigo meu trabalho para me recuperar da dor, eu gentilmente peço a todos que respeitem a minha privacidade. Este é um processo, no qual eu preciso muito tempo para superar

Beijos, Simone Biles

Candidatura de Citadini é impugnada no Corinthians

janeiro 15, 2018

A Comissão Eleitoral do Corinthians acaba de impugnar a candidatura de Roque Citadini à presidência do Corinthians.

O parecer, de impedimento por conta do candidato ser conselheiro do TCE-SP, imediatamente, foi acatado pelo presidente do Conselho, Guilherme Strenger.

Os membros da Comissão ignoraram o fato do Estatuto alvinegro não conter impedimento para a candidatura, acatando jurisprudência que retirou da disputa, no Santa Cruz/PE, candidato em situação semelhante.

Citadini, que disputou as eleições anteriores e estava em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de voto, deverá recorrer da decisão.

Dois outros candidatos, Paulo Garcia e Andres Sanches, por compra de votos, serão ainda julgados nos próximos dias.

ATUALIZAÇÃO: NOTA OFICIAL DE ROQUE CITADINI

A Chapa Corinthians Mais Forte, formada pelo candidato a Presidente Antonio Roque Citadini, e pelos candidatos a Vice-presidentes Osmar Stábile e Augusto Melo, repudia a decisão do Presidente do Conselho Deliberativo, Guilherme Strenger, após parecer da Comissão Eleitoral, por considerá-la equivocada.

O candidato Antonio Roque Citadini, como amplamente demonstrado em sua peça de defesa, preenche todos os requisitos estatutários e legais para ser candidato.

Além de não ter fundamento, a acusação deveria ter sido recusada porque a comissão eleitoral deveria se ater a analisar os requisitos pertinentes a candidatura, que estão prescritos apenas no Estatuto.

Cumpre destacar que o Excelentíssimo Desembargador Strenger foi o presidente da Comissão Eleitoral nas últimas eleições do Corinthians, em 2015. Naquela eleição, Citadini também foi candidato e, estando em situação estatutária e legal idêntica à deste pleito, nada lhe foi objetado.

A decisão de hoje também coloca sob suspeição a legitimidade do Doutor Strenger como Presidente do Conselho Deliberativo, uma vez que ela se baseia em decisão do Conselho Nacional de Justiça aplicada às eleições do Santa Cruz de 2009. Naquela oportunidade, foi determinado que um magistrado tampouco poderia ser Pesidente do Conselho Deliberativo.

Por todo o exposto, a Chapa Corinthians Mais Forte está determinada a que seja respeitado o seu direito e irá recorrer a todas as instâncias estatutárias e judiciais pertinentes para que a candidatura democraticamente apresentada, seja respeitada.

Finalmente, a Chapa Corinthians Mais Forte, ciente de que está à frente nas pesquisas, convoca suas chapas aliadas e seus eleitores a manter e aumentar a mobilização com vistas à eleição do dia 3 de fevereiro.

Assine o canal do Blog do Paulinho no YouTube ! Vídeos inéditos diariamente !

janeiro 15, 2018

Pra ter acesso a conteúdos exclusivos do Blog do Paulinho assine nosso canal do YouTube:

https://www.youtube.com/paulinhonet

Outras mídias sociais do blog:

Twitter: @blogdopaulinho

Facebook: http://www.facebook.com/blogdopaulinho.com.br/

Instagram: http://www.instagram.com/blogdopaulinhooficial

WhatsApp: (11) 98402-3121

Tuma Junior ameaça Blog do Paulinho: “vou me empenhar em prendê-lo”

janeiro 15, 2018

Paulo Li e Romeu Tuma Junior em viagem à China

Candidato a presidente do Corinthians, o ex-delegado Romeu Tuma Junior não tem reagido bem às matérias do Blog do Paulinho que desnudam um passado, alem de expor também o presente, que, aparentemente, queria esconder.

Há pouco mais de dois anos, sem ser procurado, ofereceu-se para defender este jornalista, no famoso episódio da indevida prisão.

Tuma acreditava, talvez, que o caso se resolveria, no máximo, em uma semana, mas acabou desenrolando-se por quatro meses e dez dias, até o dia da soltura.

“Estou te defendendo pela causa, sem cobrar nada”, disse não só a mim, como também a diversas testemunhas e também em algumas manifestações públicas.

Não era verdade.

Assim que saí da penitenciária de Tremembé, o ex-delegado passou a pedir alguns favores, que, por acreditar estar em dívida de gratidão pelo seu trabalho, aceitei realizar, até então não conflitantes com minha atividade jornalística:

Entre os quais:

  • escrevi todo um capítulo do livro “Assassinato de Reputações 2”, sem ser creditado (a meu pedido), nem cobrar pelo trabalho, que trata sobre dados, que somente o Blog do Paulinho possui, da CPI do BNDES (simples busca no blog com o termo “BNDES” tornará clara a informação);
  • compareci a uma manifestação pelo impeachment de Dilma Rousseff (que iria, de qualquer maneira, por apoiá-la, inclusive editorialmente, no blog), e fiquei ao lado dele e de seus amigos, recusando-me, porém, a subir no palanque;

Não contente, Tuma Junior, sempre alegando “ter sido prejudicado, profissionalmente” ao me defender – por conta de supostos boicotes de meus inimigos, tentou interferir no conteúdo deste blog, pedindo diversos favores, alguns indecentes.

Entre os quais:

  • parar de falar mal do vice-presidente do Corinthians, Jorge Kalil;
  • parar de falar mal do candidato à Prefeito de São Paulo, Celso Russomanno;
  • escrever notinhas positivas para seu parente, o atual vereador Eduardo Tuma;
  • Apoiá-lo, editorialmente, como candidato à presidência do Corinthians.

Neguei-me a realizar todos os pedidos, deixando claro a ele: “sou grato por ter me defendido, sou seu amigo, mas não há hipótese de interferência em meu blog”.

Logo depois, indignado, Tuma Junior protocolou em todas as ações em que o escritório dele me defendia uma carta de desligamento de meus casos, alegando, explicitamente: “quebra de confiança”.

Imaginem um juiz lendo seus processos e tendo acesso, sem saber do que se tratava, a uma carta em que seu ex-advogado o trata como “inconfiável”.

Por sorte, a fama dele o precedia e o estrago foi menor do que poderia ser.

Soube, depois, de algumas defesas desastrosas que realizou em meus processos, uma delas, em erro gravíssimo, deixando de recolher custas em recurso de segunda instância, transitando, em consequência, ação em julgado ainda na primeira instância.

Quando Tuma Junior decidiu, oficialmente, disputar a presidência do Corinthians, este blog tratou-o como fez com todos os candidatos, relatando os fatos, mas, por razões óbvias, investigando vida pregressa.

As descobertas, alarmantes, estão sendo publicadas há algumas semanas, e não diferenciam-no, em exemplo, doutros personagens listados, desde sempre, pelo blog.

Por conta de nosso trabalho, Tuma Junior passou a desmentir-se, o que beira o nonsense, no âmbito de desqualificar as informações.

Repetiu o discurso de Andres Sanches e seu grupo, no facebook e noutras mídias, de que o Blog do Paulinho “é propriedade de Citadini”, que este jornalista obedece ao “Juca Kfouri”, insinuando, ainda, ao intitular sua manifestação como “Gaiola das Loucas” evidente ilação com homossexualidade, mesmo tendo convivido, durante o meu período de cárcere, com a minha família: esposa, filho, irmão, etc.

Ou seja, disse o que nunca poderá comprovar – por ser mentira, ultrapassando limites da decência, como no caso de “Assassinato de Reputações”, diferentemente deste Blog do Paulinho, que tem comprovado tudo que informa a respeito de seu comportamento.

Em último lugar nas pesquisas eleitorais do Corinthians, sentindo-se, ainda, confrontado por um jornalista que não teme seus repentes de DOI-CODI (do qual foi colaborador), Tuma Junior voltou, novamente, a se contradizer, realizando ameaças de todos os tipos à minha integridade.

Se antes, até em manifestações públicas a meu favor, dizia: “O Blog do Paulinho está preso por combater corruptos”, “A arma dele é a caneta”, entre outras frases em que, aparentemente, não acreditava, sem contar o fato de ter tomado de assalto o nome “Democracia” para sua chapa no Timão (“um escárnio”, como bem disse o jornalista Flavio Gomes, na FOX), agora o ex-delegado, em mensagem enviada a um associado famoso do Corinthians, ameaçou:

“Por isso q agora vou me empenhar em prendê-lo além de processa-lo. Abs”

Levando-se em consideração que Tuma Junior não é mais policial, aposentou-se por Mandado de Segurança, dizem, temendo ser demitido por conta de sua comprovada ligação com Paulo Li, tratado como chefe da Máfia Chinesa no Brasil, o recado torna-se ainda mais grave do que parece, lembrando tempos que o Brasil procura esquecer, dos quais a família Tuma, ao lado de Ulstras e outros repugnáveis, fizeram o que fizeram neste país.

A Tuma Junior, o Blog do Paulinho esclarece que não teme sua truculência, repudia sua história e está preparado, sem medo, para enfrentar as consequência do trabalho jornalístico que empenhou-se, há onze anos, em realizar.

Já fui preso por tratar quem achava bandido como “bandido”, mas não corro o risco de parar atrás das grades por corrupção.

Em agosto de 2015, o advogado Romeu Tuma Jr e familiares de Paulinho
protestaram contra a prisão do jornalista (Imagem: Divulgação)

Paulo Garcia e a chapa “Preto no Branco” seriam os mais ameaçados de impugnação no Corinthians

janeiro 15, 2018

Ainda hoje, a Comissão Eleitoral divulgará punições ou absolvições nos pedidos de impugnações envolvendo candidatos a presidência do Corinthians e também às vagas ao Conselho Deliberativo Alvinegro.

Fonte bem informada do Parque São Jorge garante que Paulo Garcia, dono da Kalunga, e a chapa “Preto no Branco”, união da família “Monteiro Alves” com a facção “Fora Dualib”, são os mais ameaçados.

Ambos pelo mesmo motivo: compra de votos.

Citadini, amparado no Estatuto do Corinthians, que não prevê impedimento em conselheiro do TCE ser presidente alvinegro, teria conseguido comprovar a legalidade de sua candidatura e Andres Sanches se livrado da “degola” ao jogar a “Preto no Branco”, de seus apoiadores, na fogueira.

Em se confirmando ou não as punições, o caso deverá ainda ser levado ao Conselho Deliberativo do clube, responsável pela palavra final em todas as impugnações.

Após cair no “conto do chinês”, Milan enfrenta grave crise financeira e esportiva

janeiro 15, 2018

Resultado de imagem para Yonghong milan

Em abril de 2017, o suposto magnata chinês Li Younghong, comprou a tradicional equipe do Milan por apenas US$ 860 milhões (R$ 2,8 bilhões).

Uma pechincha.

Apenas nove meses depois, evidências de tramoia, antes ofuscadas pela euforia, provavelmente beneficiando os gestores anteriores, entre os quais Silvio Berlusconi, após resultados esportivos medíocres, começam a vir à tona.

Apesar de se tratar de um negócio de valores expressivos, o comprador chinês não foi checado adequadamente.

Li Younghong nunca foi quem dizia ser, nem tinha as garantias financeiras que dizia ter.

Qualquer semelhança com a MSI de Kia Joorabchian ou outros mecenas generosos do futebol não se trata de mera coincidência.

Parte do dinheiro que o chinês colocou na compra do Milan (R$ 1,2 bilhão) era oriundo de empréstimo com o Fundo Norte-Americano Elliott Management, com fama de cobrar juros acima do mercado.

Neste negócio a taxa foi de 11% ao ano.

A dívida precisará ser renegociada, já que o Milan alega não possuir recursos para pagá-la, porém o Fundo, que pode tornar-se dono da equipe em caso de inadimplência, aceita apenas fazê-lo com a parte do acordo colocada em nome do clube, recusando-se a fazê-lo com a Rossoneri Sport, de Li Younghong, que chegou à Itália dizendo-se dono de fortuna em negócios de mineração e investimentos imobiliários, além de contar com apoio do Governo da China.

Nada disso era verdade.

As tais minas estão em nome de terceiros – que negam associação com o dono do Milan, não existe registro da participação de Li em negócios imobiliários, e o Governo Chinês, desconfiado, recusou a entrar na operação.

Sem dinheiro para pagar contas básicas, nem como explicar a origem dos recursos de suas contratações, o Milan, que caiu no conto do chinês, corre serio risco de insolvência financeira, além de, esportivamente, sofrer sanções que podem levá-lo, inclusive, ao rebaixamento.

Romeu Tuma Junior está enrolado, criminalmente, na Justiça Federal por “Assassinato de Reputações”

janeiro 15, 2018

José Eduardo Romão que acusa Tuma Junior de mentir em “Assassinato de Reputações”

“Segundo o querelante, diversas declarações constantes do livro intitulado Assassinato de Reputações: um crime de Estado seriam mentirosas, feitas como único intuito de recuperar a honra do querelado (Tuma Junior).”

(trecho de ação criminal contra ROMEU TUMA JUNIOR, na 4ª VARA FEDERAL)


Um dos mantras repetidos por Romeu Tuma Junior, que, por vezes, passa como verdade por conta do desinteresse da imprensa em averiguar, é o de que ninguém ousou processá-lo pelo teor das “revelações” do livro “Assassinato de Reputações”, obra que tenta desvinculá-lo do contrabandista chinês Paulo Li, apesar desde ter trabalhado em seu gabinete e também prestado serviços a seu ilibado pai, por três décadas.

A informação não procede.

Em 11 de maio de 2015, José Eduardo Elias Romão, ex-diretor do departamento de justiça, subordinado à Secretaria Nacional de Justiça, á época chefiada por Tuma Junior, processou o ex-chefe, que, na obra, disse tê-lo demitido após descobrir esquema de chantagem, sem seu conhecimento, para estabelecer as “classificações indicativas” com as emissoras de televisão.

A ação, por calúnia, injúria e difamação, corre na 4ª Vara Criminal da Justiça Federal, em São Paulo, sob nº 0005340-59.2015.4.03.6181.

Diz trecho da instrução:

“Trata-se de queixa-crime instaurada contra ROMEU TUMA JUNIOR, dando o como incurso nas penas dos artigos 138, caput; 139, caput, c/c 141, caput, incisos II e III, todos do Código Penal.”

“Segundo a inicial, o querelado teria publicado um livro no qual teria lançado acusações a vários agentes públicos do Governo Federal, inclusive a muitos que com ele teriam trabalhado no Ministério da Justiça, caso do querelante, o qual exerceu o cargo de Diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação entre fevereiro de 2004 a junho de 2008, período parcialmente coincidente como que o querelado ocupou o cargo de Secretário Nacional de Justiça, entre setembro de 2007 e junho de 2010.”

“Segundo o querelante, diversas declarações constantes do livro intitulado Assassinato de reputações: um crime de Estado seriam mentirosas, feitas como único intuito de recuperar a honra do querelado.”

“Assim, além do decreto condenatório, requereu na queixa-crime seja arbitrado valor mínimo para a reparação decorrente de danos morais, com fulcro no art. 63, parágrafo único e art. 387, caput, inciso IV, ambos do Código de Processo Penal.”

Em manifestação preliminar, em vez de defender-se, após ser tratado como mentiroso, Tuma Junior tentou, sem sucesso, pedir absolvição sumária por prescrição.

Abaixo alguns trechos:

“(…) o querelado apresentou resposta à acusação às fls. 131/242, requerendo a absolvição sumária, diante da redação do art. 397, inciso IV, do Código de Processo Penal, insistindo na tese de ocorrência da decadência e violação ao princípio da indivisibilidade da ação penal privada”

“Decido. Neste momento de cognição sumária, dos elementos presentes nos autos, verifico a presença de indícios suficientes para corroborar a tese deduzida na queixa-crime, aptos a autorizar o prosseguimento do presente feito.”

“Não vislumbro qualquer hipótese de absolvição sumária do art. 397 do Código de Processo Penal.”

Com efeito, as alegações de decadência e ofensa ao princípio da indivisibilidade da ação penal privada foram já analisadas e superadas na decisão de fls. 113/114.”

“Todavia, diante da irresignação do querelado, passo a fazer as seguintes considerações. Não se sustenta a tese defensiva de que o querelante teria tomado conhecimento da existência do livro no próprio ano de sua publicação, em 2013, haja vista inexistir qualquer prova nos autos nesse sentido”

“O mero fato de um livro ser publicado não implica dizer que todos tomaram conhecimento de seu conteúdo. Conforme se observa do documento juntado à fl. 42 (recibo referente à compra do livro), a ciência do querelante somente se deu em 04 de abril de 2015, devendo o transcurso prazo decadencial se iniciar a partir da referida data”

A sequência do julgamento foi marcada por tensão.

Aparentemente, a Corte desconfiou que Tuma Junior trabalhava para atrasar os trabalhos, talvez ensejando a prescrição, indicando diversas testemunhas, nem todas relevantes para o caso.

Até o “pastor” Silas Malafaia foi chamado a depor.

Numa das audiências, Tuma Junior chegou a ser retirado da sala por ordem expressa do magistrado, comportamento que serviu para o ex-Secretário Nacional de Justiça, em 30 de novembro de 2017, há pouco mais de um mês, quando o Tribunal preparava-se para efetivar a Sentença, conseguir, por Mandado de Segurança – alegando cerceamento de defesa, sobrestar (paralisar) a decisão, até que o impasse seja resolvido.

A Justiça Federal obedeceu a decisão, em 11 de dezembro de 2017.

Por conta desta manobra, Tuma Junior pode ter escapado, por hora, de condenação criminal, que, se proferida em dezembro, em tese, poderia impugnar sua candidatura, por “ficha suja”, à presidência do Corinthians.

Palmeiras admite que Valdívia era intermediário da própria contratação

janeiro 15, 2018

O ex-jogador em atividade, Valdívia, vem ganhando sucessivas ações de cobrança de comissão contra o Palmeiras, em nome de sua empresa, a Jorge Luis Valdivia Toro ME.

Desde o primeiro instante, o Blog do Paulinho alertou para a imoralidade do jogador ter sido agente de si próprio na negociação que o levou de volta ao Verdão.

Como de hábito, os dirigentes palestrinos desmentiam a versão, dizendo que não tratava-se de dinheiro de intermediação, mas de luvas acertadas quando da efetivação do acordo.

Porém, recentemente, na tentativa de travar o pagamento ao chileno, os advogados do clube entregaram a verdade.

Diz trecho de sentença, na ação nº 1111945-10.2016.8.26.0100:


“Mantenho as decisões de fls. 273/274 e 282/283, por seus próprios fundamentos.Não há incompetência absoluta porque se trata execução de título extrajudicial consistente em contrato
de prestação de serviços de intermediação, de natureza civil e não trabalhista, sendo de todo irrelevante que a empresa que intermediou o negócio, ora exequente, tenha como único sócio o próprio atleta cuja contratação intermediou, eis que a intermediação, de natureza civil, é atividade que não se enquadra no conceito legal de relação de trabalho, ausente a
subordinação, além do que, por sua própria definição, no caso concreto, a intermediação precede o vínculo trabalhista, não se confundindo ambas as relações jurídicas.No mais, como já dito, a execução é definitiva e não há recurso pendente com efeito suspensivo, nada impedindo o levantamento pelo credor.”


Ou seja, tão legal quando dirigente dividir comissão com agente de futebol, o procedimento, evidentemente imoral, precisa ser reavaliado pelos conselheiros palestrinos, para que, no mínimo, solicitem explicações a quem, à época, aceitou esse tipo de negociação.

Fernando Garcia cobra R$ 2,1 milhões do Santos na Justiça

janeiro 15, 2018

Fernando Garcia

Por intermédio do obscuro SEV/Hortolândia, uma de sua “barrigas de aluguel” (agora juntou-se a elas o tradicional Nacional/SP), o agente Fernando Garcia ingressou com ação de cobrança contra o Santos.

O valor é de R$ 2.169.309,98.

Na ação, que tramita na 2ª Vara Cívil de Santos, o juiz Claudio Teixeira Villar estabeleceu três dias para o Peixe quitar a pendência ou pagamento de 30% do valor, em juízo, para brigar pela questão.

Recentemente, Garcia colocou o zagueiro Cleber na Vila, o mesmo pelo qual responde ação na FIFA e também no MPF por práticas tratadas como criminosas na condução deste e de outros negócios no futebol.

No Peixe possui ainda os jogadores: Marco Rotondano, Matheus Jesus, Matheus Nolasco, Zé Roberto e Stefano Yuri.


%d blogueiros gostam disto: