Anúncios

Archive for janeiro \31\UTC 2014

Portuguesa está de volta à Série A: Justiça concede liminar e obriga CBF a descumprir decisão do STJD

janeiro 31, 2014

lusa

“(…)concedo a antecipação de tutela e o faço para suspender os efeitos da decisão proferida pelo STJD em relação à Associação Portuguesa de Desportos, com o restabelecimento dos 4 (quatro) pontos que lhe foram retirados quando do debatido julgamento realizado em 27 de dezembro do ano passado e o cancelamento da multa; mantendo, por conseguinte, o resultado do campeonato brasileiro de 2013 e a Lusa na série A do Campeonato Brasileiro de 2014.”

SENTENÇA COMPLETA – 31/01/2014

Reqte:  ABC Associação Brasileira do Consumidor 
Advogado: Rodrigo Rodrigues de Castro 
Reqdo:  Confederação Brasileira de Futebol – CBF
“Anote-se a intervenção do Ministério Público. Atenda a parte autora o quanto solicitado pelo Ilustre Promotor de Justiça, trazendo aos autos cópia legível do documento de fls. 11, no prazo de 48 horas.

Aceito a competência e explico o motivo.

A meu aviso, se trata mesmo da configuração do instituto da conexão como aduzido na exordial, na medida em que, embora não sejam iguais, as causas guardam entre si verdadeiro vínculo e uma notória relação de afinidade; de sorte que, existente este liame que é notório como dito – se impõe o processamento desta demanda com fundamento no artigo 103 do Código de Processo Civil.

E, efetivamente, não se poderia negar a incidência da mencionada norma legal, até mesmo para prestigiar o princípio constitucional da igualdade ou isonomia, na medida em que as situações vivenciadas pelos clubes punidos são, pelo menos numa análise inicial, como dito alhures, afins.

Desta forma, determino o processamento conjunto das demandas, mesmo porque incide no caso em testilha o Estatuto do Torcedor, legislação especialíssima que regulamenta as relações de consumo na esfera esportiva.

Verifico, outrossim, que a pertinência subjetiva ativa é regular, na medida em que foram esgotados, como é cediço, os recursos nas instâncias da justiça desportiva; cuidando-se, a autora de associação de defesa de consumidores, representando seus associados e também torcedores da Associação Portuguesa de Desportos – artigo 82 do Código de Defesa do Consumidor e artigos 2o. e 34, ambos do Estatuto do Torcedor.

Faço uma breve anotação neste ponto.

Destarte, o interesse de agir da associação decorre da própria autorização da Carta Magna e do torcedor decorre justamente da norma mencionada acima, que especifica como direito do torcedor que os órgãos da justiça desportiva observem os princípios lá elencados, dentre eles o da publicidade (que se discute neste caso como se verá) na forma do artigo 35 do estatuto em comento. Assim sendo, caso se concretize a não observância de qualquer destes princípios, o torcedor poderá exercer esse direito, provocando o Poder Judiciário.

Aliás, não consigo vislumbrar outra forma do exercício do direito que é conferido ao torcedor pelo estatuto específico, mesmo porque não se trata de discutir eventual erro de arbitragem por exemplo, mas sim, permita-me a redundância, um direito constituído pela lei federal, cuja análise é, a meu ver, objetiva e não subjetiva.

Ademais, seria negar vigência ao mencionado artigo permitir que só o clube de futebol, no caso específico, tivesse direito de ingressar com a ação. Nem se trata, ademais, de casuísmo. A lei é para ser cumprida para todos indistintamente.

Se não ocorreu a sua observância para os demais casos similares ou idênticos, estamos, efetivamente, não respeitando a lei.

A passiva, por sua vez, decorre da responsabilidade da ré pelas decisões proferidas pela Justiça Desportiva, que integra a sua estrutura de organização (art. 1o. do RISTJD). Colocada a questão nestes termos, passo a decidir o requerimento de concessão da antecipação de tutela.

A medida, a meu aviso, deve ser concedida.

Pelo que se vê da arguição inicial, a decisão proferida pela justiça desportiva que aqui se discute – desrespeitou o disposto no artigo 35, “caput” e parágrafo 2o, do Estatuto do Torcedor, na medida em que não verificou com correção a data em que foi publicada a suspensão do atleta Héverton. Efetivamente, a data da publicidade da referida decisão se deu em momento posterior ao jogo contra o Grêmio 09/12/2013, conforme demonstrado na exordial, de forma que o referido atleta estava em condições regulares para participar da partida contra o time gaúcho 06/12/2013.

Em sendo assim, a punição imposta referente à perda de pontos e cobrança de multa é irregular e merece, portanto, ser suspensa até decisão final do processo.

De se anotar, ainda, que a regra do artigo 35 do referido estatuto não pode ser alterada, modificada ou revogada pelas normas administrativas da entidade ré e nem mesmo pelas decisões da justiça desportiva. Explico: a incidência do princípio da hierarquia das leis impõe tal conclusão, já que o Estatuto do Torcedor é lei federal e se sobrepõe às regras administrativas supramencionadas.

Além disso, a discutida regra do artigo 35 não está inserida na referida lei por acaso.

Com efeito, a publicidade dos atos é marco inicial de ciência dos interessados para que cumpram a decisão proferida e do prazo para a interposição de recursos. Desta forma, diante do desrespeito ao Estatuto do Torcedor, de rigor reconhecer a verossimilhança.

Neste sentido, aliás, tem sido o ensinamento do Ilustre Jurista IVES GANDRA MARTINS ao afirmar que: “O Estatuto do Torcedor, sendo uma lei federal e posterior ao CBJD, tem uma força que não pode ser tirada, e nesse particular, para que o torcedor seja sempre informado, foram colocados três artigos, 34, 35 e 36, e um deles traz a declaração nítida de que decisões passam a prevalecer a partir do momento em que haja publicação, conforme os tribunais federais …” (cfe. entrevista que se encontra no sítio – http://sportv.globo.com/site/programas/sportv-news/noticia/2014/01/ives-gandra-defende-lusa-e-diz-que-cbf-deve-tentar-solucao-politica).

Anote-se, ainda, por oportuno que, como bem anotou o DD. Promotor de Justiça, Doutor ROBERTO SENISE LISBOA: “...há indícios suficientes de descumprimento de lei federal aplicável ao caso (artigos 34 a 36 do Estatuto do Torcedor), podendo a demora ou o retardamento da prestação jurisdicional causar prejuízos irreversíveis ao torcedor, de maneira geral (e não apenas da Portuguesa)….

O dano irreparável, por sua vez, decorre do decretado rebaixamento da Portuguesa, que reduz drasticamente a sua cota de televisão e impede a formalização de bons contratos de patrocínios. Adiciono, por fim, que o torcedor brasileiro, na realidade, salvo quando comprovada a má-fé, fraude ou prática de crime, quer ver acolhido e respeitado o resultado obtido em campo, ou seja, não havendo a configuração de prejuízo decorrente de conduta dolosa, efetivamente, vale o mérito desportivo, vale o que está estampado no placar, vale a bola na rede.

Foi o necessário, a meu ver.

Posto isso, presentes os requisitos legais, concedo a antecipação de tutela e o faço para suspender os efeitos da decisão proferida pelo STJD em relação à Associação Portuguesa de Desportos, com o restabelecimento dos 4 (quatro) pontos que lhe foram retirados quando do debatido julgamento realizado em 27 de dezembro do ano passado e o cancelamento da multa; mantendo, por conseguinte, o resultado do campeonato brasileiro de 2013 e a Lusa na série A do Campeonato Brasileiro de 2014.

Fixo multa-diária, limitada a trinta dias, de meio milhão de reais no caso de descumprimento da presente decisão, levando em consideração o poderio econômico da ré, que deverá ser revertido para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

Oficie-se com urgência.

Cite-se pelo rito ordinário. Ciência ao Ministério Público. Expeça-se o edital (art. 94, CDC). Intime-se. NOTA DE CARTÓRIO: Ofício expedido e disponível para impressão

Anúncios

Confraria dos Churumelas diz não se meter na política do Corinthians

janeiro 31, 2014

rachid

O conselheiro do Corinthians, Antonio Rachid, um dos doze fundadores da “Confraria dos Churumelas”, procurou-nos para esclarecer a posição da entidade, após a publicação, pelo blog, da matéria denominada “Grupo de Andres Sanches se aproxima da oposição corinthiana”.

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/01/31/grupo-de-andres-sanches-se-aproxima-da-oposicao-corinthiana/

“A Confraria é formada por pessoas de várias correntes políticas no Parque São Jorge, de todos os grupos, mas, apesar disso, é absolutamente apolítica. Queria deixar claro que toda e qualquer declaração política, seja de “a” ou “b”, não reflete a opinião da Confraria.”, disse Rachid.

“O objetivo da Confraria é reunir amigos para arrecadar fundos que são utilizados em obras sociais, assistenciais, etc.”, continuou.

“No próximo dia 28 de março realizaremos uma festa em comemoração aos 20 anos da Confraria dos Churumelas, no Parque São Jorge. Todas as lideranças do clube estão contribuindo para o evento. Será uma festa para mais de 1000 pessoas.”, finalizou.

Os negócios nebulosos de Barcelona, Sandro Rosell e Palmeiras

janeiro 31, 2014

CIPULLOfrizzo tirone

Escancaramos, ontem, a estreita relação comercial entre o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, com os empresários Marcos Malaquias e André Cury (este representante da equipe catalã no Brasil).

https://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/01/30/dis-derrubou-sandro-rosell-que-teria-recebido-metade-dos-10-milhoes-de-euros-pagos-ao-pai-de-neymar/

Negócios sendo realizados, entre eles o de Neymar, com informações de que os referidos intermediários depositariam, em suas contas, comissões pagas ocultamente, ao ex-mandatário espanhol.

O Palmeiras, lamentavelmente, parece ter entrado na dança.

Dois jogadores foram repassados ao clube, Keirrison e Henrique, com o intuito de valorizá-los numa equipe grande do Brasil, para que Rosell pudesse justificar as contratações, posteriores, pelo Barcelona.

Atletas, convenhamos, sem nível para vestir a camisa da equipe catalã, e que, segundo o jornal Marca, da Espanha, estão entre as cinco piores contratações da história do clube.

Mas isso pouco importava a Rosell, e sim os comissionamentos oriundos da transação, valorizada pela passagem dos atletas pelo Palmeiras, novamente pagos a seus “parceiros”, Malaquias e Cury, e, como se observa no caso Neymar/Santos, com provável retorno, também, ao bolso de dirigentes palestrinos.

Em janeiro de 2008, o Palmeiras pagou 2,2 milhões de Euros para retirar Henrique do Coritiba, com aval de V(W)anderlei(y) Luxemburgo, utilizando dinheiro emprestado por J.Havilla, que, não por acaso, é parente de André Cury.

O dirigente de futebol palestrino era Gilberto Cipullo.

Seis meses depois, o Barcelona pagou o dobro do valor para adquirir o atleta – exatamente como queria Rosell – 8 milhões de Euros, acrescidos de 2 milhões de Euros de luvas, estas utilizadas também, para beneficiar os envolvidos no negócio.

Anos depois, em junho de 2012, o diretor de futebol do Palmeiras, à época, Roberto Frizzo, anuncia a repatriação do jogador, evitando dizer quanto o clube pagou para fazê-lo.

Fato é que o Barcelona registrou na Federação espanhola nada ter recebido sobre o negócio, mas, de maneira inexplicável, até então, André Cury, parceiro de Rosell, cobra do Verdão R$ 4,5 milhões.

Há quem diga, gente envolvida na transação, que a divisão de valores seria entre o ex-presidente do Barça, Frizzo, Tirone e os intermediários, Malaquias e Cury.

Mas não parou por ai.

Logo depois de fazer a ponte Henrique, Palmeiras e Barcelona, os empresários ligados a Rossel, em janeiro de 2009, colocaram Keirrison, também do Coritiba, no Palmeiras.

No mesmo esquema: empréstimo de 650 mil Euros, de J.Havilla, parente de André Cury.

Assim como na negociação de Henrique, seis meses depois, o Barça pagou inacreditáveis 16 milhões de Euros pelo jogador.

Destes, o Palmeiras, que teria direito a 2 milhões de Euros, nada recebeu.

Uma parte serviu para quitar a pendência com J.Hávilla, outra foi utilizada, de maneira “estranha”, para pagar premiações devidas a V(Wanderlei(y) Luxemburgo.

Dos 14 milhões de Euros restantes, 80% foram pagos a Hávilla, que tinha os direitos sobre o atleta, e 20%, quase 3 milhões de Euros, aos intermediários de Rosell, os agentes Malaquias e Cury.

Negócios inexplicáveis, porém milionários, realizados por pessoas “complicadas” do mundo futebolístico, em que poucos lucraram muito, mas os principais interessados, Palmeiras e Barcelona, quando não usados, saíram no prejuízo.

Nas fotos abaixo, Marcos Malaquias, intermediário de Sandro Rosell, com os jogadores Henrique e Keirrison

malaquias e henrique

malaquias e keirrison

Grupo de Andres Sanches se aproxima da oposição corinthiana

janeiro 31, 2014

churumelas

Em recente jantar da Confraria Churumelas (90% do grupo, se não mais, formado por associados do Corinthians), realizado no restaurante Mr. Chiken, chamou a atenção o clima de “começo de namoro” entre oposicionistas do clube e recém desgarrados da gestão Mario Gobbi.

De um lado, Roque Citadini, Fran Papaiordanu, Emerson Piovesan, e seguidores, do outro, líderes do grupo de Andres Sanches, entre eles, André Negão e Valdir Coxinha.

Em comum, críticas vorazes à atual administração do Corinthians.

Causou estranheza o não comparecimento de Osmar Stabile, e seu grupo, oficialmente ligado aos oposicionistas, dando margem a especulações de que estaria, talvez, em dúvida sobre os caminhos a serem seguidos, politicamente.

Paulo Garcia também não foi, mas apenas porque está de férias, nos Estados Unidos.

Logo após o encontro, frases de alguns participantes, publicadas em redes sociais, deram ainda mais margem a especulações de que um novo grupo político estaria em formação no Parque São Jorge.

“Nova base aliada ainda faltam muitos companheiros que se ausentaram por motivos particulares companheiros estes legítimos e tradicionais corinthianos.”, disse Fran Papaiordanu.

André Negão, em conversa pelo facebook com Marcio “seboso”, também ligado a Andres Sanches, ao ser questionado sobre a reunião, declarou:

“Vou falar uma coisa, estou atras de voto, do nosso lado, agora, só sobrou o meu amigo, meu irmão, Andrés. Estou trabalhando”.

É, sem dúvida, uma declaração explícita de rompimento com a atual administração do clube.

A desastrosa administração de Kalil Rocha Abdala, candidato a Presidente do São Paulo, na Santa Casa de Misericórdia

janeiro 31, 2014

kalil mac

Desde 2008, o candidato oposicionista à presidência do São Paulo Futebol Clube, Kalil Rocha Abdala, ocupa o cargo de provedor da Santa Casa de Misericórdia.

Na verdade, o gestor.

Porém, sua administração, que aproximou a entidade do caos financeiro, é duramente criticada até por parceiros de diretoria, como o Sr. José Luiz Setúbal:

“No começo de dezembro, foram publicadas reportagens na imprensa brasileira, que mostravam relatórios do Banco Mundial, afirmando que o problema da saúde no Brasil estava menos relacionado com o problema do subfinanciamento governamental e mais com a baixa qualidade da gestão. (…) acredito que estes sejam os mesmos problemas da nossa Santa Casa de Misericórdia de São Paulo”, disse Setúbal, em carta enviada a membros da Instituição.

Mas não parou por ai:

“(…) a gestão continua equivocada e com as mesmas pessoas (Kalil havia prometido mudanças), o planejamento estratégico não existe como ferramenta de gestão e os números apresentados são inexatos e mudam frequentemente, mês a mês, com a dificuldade para mostrarem balancetes parciais.”

“Temos observado, ano após ano, VOLUMOSOS DÉFICITS nas demonstrações contábeis da Irmandade, que se resumem em dívidas cada vez maiores e mais críticas.”

Na sequência, Setúbal fez uma análise financeira detalhada da administração Kalil, desde 2008 (sem os números de 2013), revelando absoluta preocupação com o resultado:

Kalil SPFC 1

Kalil SPFC 2

Kalil SPFC 3

Os indicadores acima, demonstram, claramente, que, apesar de ser um advogado renomado, Kalil não tem boas credenciais para gerir um clube com a grandeza, além das responsabilidades administrativas e políticas, do São Paulo Futebol Clube.

TJ-SP aceita recurso de Carla Dualib e processo de R$ 15 milhões contra o Corinthians vai a julgamento

janeiro 31, 2014

carladualib

Por decisão do TJ-SP, em acordão assinado pelo Desembargador Hamid Bdine, decidiu-se pela reabertura do processo de indenização movido pela empresa SMA, de Carla Dualib, neta do -ex-presidente do Corinthians, contra o clube.

R$ 15 milhões, corrigidos desde 2009, é a pretensão.

Carla alega que o Corinthians descumpriu acordo, unilateralmente, ao retirar a empresa do clube, em 2004, com contrato vigente, para favorecer a MSI.

Decisão de primeira instância havia encerrado a ação por prescrição, alegando que o contrato da SMA com o clube findou-se em 2006, mas a empresa se manifestou apenas em 2009.

Equivoco reparado pelo TJ-SP, demonstrando que a prescrição, nesses casos, é de dez anos.

“A relação contratual das partes se extinguiu em fevereiro de 2006 (fs. 30 e 33) e a presente ação indenizatória foi proposta em março de 2009. Mesmo que se considere que os prejuízos reclamados pela apelante ocorreram a partir de novembro de 2004, com a contratação da empresa MSI pelo apelado, conforme sustentado nas razões recursais, a prescrição da pretensão não teria ocorrido.”

Mais uma dor de cabeça para o Corinthians, fruto da terrível parceria com a MSI, empresa ligada, segundo o MPF, a lavagem de dinheiro da Máfia Russa.

Inteligência na torcida do Fluminense

janeiro 31, 2014

nelsonmotta

“Fiquei envergonhado com essa coisa toda. Acho que a gente tinha que jogar a Série B, ser campeão e voltar. Sou legalista em tudo. Do jeito que a coisa foi, o time merecia ser rebaixado mesmo. E a Portuguesa merecia também, por incompetência, lambança. Tinham que subir os primeiros da Série B, e a Portuguesa e o Fluminense deveriam jogar a Série B com humildade. Mas o que posso fazer? Não tenho culpa de nada disso.”

NELSON MOTTA, escritor, para o REDAÇÃO SPORTV

Lula e a Internet

janeiro 31, 2014

lulacollor2

O ex-presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, mitômano convicto, ousou, com enorme cara de pau, falar sobre o “jogo rasteiro da internet”.

Quase o mesmo que Fernandinho Beira-Mar criticar a existência do tráfico de Drogas.

O PT é, além de pioneiro, o maior financiador de trolls e sites de difamação do Brasil.

Uma tática que deu tão certo que muita gente passou a copiá-la, dando margem a criação de empresas que sobrevivem apenas desse “ofício”, levando, também, até algumas agências de publicidade, de nível rasteiro, a incluir o “serviço” no pacote.

No mesmo texto, Lula insinua – quase uma ameaça velada – sobre a responsabilização (criminal) das pessoas que utilizam a internet, evidentemente mandando recado aos que criticam suas ações.

Fácil de falar quando sua gente não assina os textos que escreve, e se esconde atrás de lamentáveis, venais, que passam o dia inteiro com a missão de infernizar espaços sérios e corajosos de combate a corrupção, e seus devidos corruptos.

Aduladores do Caos

janeiro 31, 2014

pm rapaz baleado

(Trecho da coluna de REINALDO AZEVEDO, na FOLHA)

“Defende-se hoje, a céu aberto, que PMs enfrentem desarmados os fascistoides que vão para as ruas portando coquetéis molotov –e assim é desde a primeira manifestação em São Paulo, no dia 6 de junho do ano passado.

Tenta-se linchar um policial que cometeu a ousadia da legítima defesa.

A repressão ao tráfico de drogas vira agressão aos direitos humanos.

O desvio assume, enfim, o papel de contenção que cabe à norma.

Insiste-se na farsa ridícula da luta da “sociedade contra o Estado”, e policiais “negros e morenos” (como diria Gilberto Carvalho), saídos daquela mesma periferia que seria a portadora do futuro, são tratados como o braço armado da velha ordem a retardar a aurora.

O Brasil não é o Egito.

A nossa democracia, por enquanto ao menos, não vive sob tutela, a não ser a desses milicianos do futuro.

É bem verdade que o PT se esforça para tomar o lugar da sociedade e tenta estatizar até os “manos” e as “minas” dos “rolezinhos”.

Mas ainda não logrou o seu intento.”

Corinthians, Pato e os R$ 40 milhões: rir para não chorar

janeiro 30, 2014

pato banco

DIS derrubou Sandro Rosell, que teria recebido metade dos 10 milhões de Euros pagos ao pai de Neymar

janeiro 30, 2014

Malaquias e Rossel

Após investigar, por conta própria, a negociação que levou Neymar para o Barcelona, o grupo DIS, absolutamente documentado, municiou a oposição do clube catalão, ocasionando a renúncia do presidente Sandro Rosell.

Antes disso, Rosell teria oferecido, por fora, 5 milhões de euros para Delci Sonda desistir de entregá-lo.

Na prática, dos 10 milhões de Euros, recebidos por Neymar pai, explicados de maneira pouco convincente em recente entrevista coletiva, metade foi destinado como “comissionamento” ao ex-presidente do Barcelona.

Participaram do esquema, que lesou muitos bolsos, mas beneficiou outros, além do presidente do Barça, os empresários Marcos Malaquias (na foto, se divertindo com com Rossel) e André Cury, que teriam servido até de “bolsos” para a destinação de alguns recursos não contabilizados, digamos, de maneira transparente.

E Neymar, apesar de mais valioso, e, por razões óbvias – de talento, inclusive – chamar mais a atenção, não foi o único negócio lucrativo dessa gente.

O grupo ganhou dinheiro, também, ao levar para a Catalunha atletas que sequer chegaram a vestir a camisa do Barça, mas renderam polpudas comissões.

Entre os quais, Henrique, negociado recentemente pelo Palmeiras com o Napoli, e Keirrison, o fracasso que todos nós conhecemos.

No caso de Neymar, foi por intermédio da própria DIS – chutada, posteriormente, no negócio – que os empresários Malaquias e André Cury entraram na jogada, já intencionados em realizar uma ponte com Rosell, a quem representavam muito mais do que ao Barcelona.

Com o esquema fechado, Delci Sonda, com Neymar ainda garoto, comprou 40% de seus direitos, que eram do Santos, intermediados, e acompanhados, desde sempre por Rosell, que se utilizava dos agentes citados para não aparecer.

Nessa operação, Neymar recebeu R$ 5 milhões, depositados em sua conta, no Itaú, na agencia 1542.

Wagner Ribeiro recebeu 10%, R$ 500 mil, depositados no banco HSBC, agencia 0405, numa conta em noma da WM Markenting Esportivo.

Pelo contrato assinado entre DIS e Neymar, testemunhado por Nardine Gonçalves Silva Santos e Thiago Ferro, o jogador e seu empresário obrigavam-se a avisar a DIS sobre qualquer proposta de negociação, no prazo máximo de 48 horas.

neymar contrato

Porém, a DIS começou a desconfiar que algo havia de errado no momento em que o Santos, inexplicavelmente, aceitou reduzir, sem compensação aparente, o tempo de contrato de Neymar. indicando possível negociação em andamento.

Uma ação que, em tese, desfavorecia o próprio clube, a DIS, mas dava vantagem comercial aos empresários e, também, ao próprio jogador.

Não deu outra.

No final de 2011, antes do Mundial de clubes, o “staff” de Neymar recebeu, à margem do conhecimento não apenas da DIS, e, talvez, do Santos – não de LAOR – a quantia de 10 milhões de Euros, supostamente a título de adiantamento.

Mas, foi exatamente desse dinheiro, que Rosell, Neymar (pai e filho), e os intermediários Malaquias e Cury, segundo informações, se beneficiaram.

Cury e Malaquias receberam, em suas contas, 2,5 milhões de Euros, cada.

Destes, 4 milhões de Euros foram repassados a Rosell, sobrando 1 milhão a ser dividido pela dupla de intermediários.

Neymar pai abocanhou para si, e seu filho, 5 milhões de Euros, destinado 500 mil Euros a Wagner Ribeiro.

Transações facilmente comprováveis com a abertura dos respectivos sigilos bancários, já que, descuidados, ou acreditando na impunidade, utilizaram-se das próprias contas na operação.

Todos esses dados, levantados em investigação da DIS, a que tivemos acesso, foram repassados a policia espanhola, e, depois, expostos em reunião de conselheiros do Barça, quando Rosell foi convidado a se retirar do clube, evitando, assim, a exposição maior do escândalo.

CONFIRA ABAIXO FOTOS QUE COMPROVAM O ESTREITO RELACIONAMENTO DOS INDIVÍDUOS CITADOS NA MATÉRIA

Malaquias, Cury (escondido) e Neymar pai em jatinho para assistir jogo da Seleção em BH

malaquias, cury escondido neymar pai jogo seleção bh

Sandro Rosell, Neymar pai e Malaquias, em Barcelona

Malaquias, rossel e Ney pai

Neymar pai, Wagner Ribeiro e Malaquias

Ney pai ribeiro e malaquias

Malaquias, Neymar e Wagner Ribeiro

Malaquias, Neymar e Wagner Ribeiro

Sandro Rosell, esposa e Malaquias

Malaquias, esposa e Rossel

Malaquias e Neymar pai, felizes, noutro jatinho

malaquias, carlos e neymar pai

Neymar pai e Malaquias, jogando golfe

Malaquias e Neymar pai no golfe

Andres Sanches diz não fazer parte da gestão Gobbi e retira apoio a Roberto “da nova” Andrade

janeiro 30, 2014

Gobbi e Sanches discutem e por pouco não falam as verdades

Em bate-papo com o jornalista Dassler Marques, publicado pelo portal Terra, o ex-presidente do Corinthians, Andres Sanches, demonstrou todo seu desapreço pela gestão de Mario Gobbi, indicando, ainda, importante mudança de postura para as próximas eleições alvinegras.

Ao desmentir ter sido a origem dos vazamentos da informação sobre as dívidas do clube – embora veiculadas por seu porta voz, o comentarista Neto – Sanches atacou o diretor financeiro Raul Corrêa, aproveitando-se, ainda, para se desvincular totalmente da atual administração:

“Eu, Andrés, não tenho nenhuma participação na administração e no departamento de futebol do Corinthians e soube pela imprensa o valor da dívida do clube. O vice-presidente financeiro Raul Correa concedeu entrevista à ESPN na semana passada e relatou os valores da dívida. O Corinthians tem uma diretoria e somente ela é responsável pelas informações do clube”.

A maior surpresa, porém, já que seu atrito com Gobbi é público e notório, foi a mudança de discurso com relação às próximas eleições do clube.

Se antes o ex-presidente dizia, não apenas no Parque São Jorge, mas também à imprensa, que seu candidato era Roberto “da nova” Andrade, parece, agora, ter desistido de apoiá-lo:

“A eleição do Corinthians está longe e ainda não tenho um candidato”.

Declaração que dá margem a diversas especulações, e movimentações, indicando que, se antes Andres conseguiria eleger até um Mané da Carne da vida, agora, com a divisão de seu grupo anterior, não arriscará mais em nomes de pouca expressão, abrindo margem a formação de novo grupo político no Timão.

Prefeitura manobra para não retomar terreno do Corinthians

janeiro 30, 2014

haddad andres candido

Ocorre, há alguns meses, um caso absolutamente inusitado na história da relação entre Prefeitura de São Paulo e seus devedores.

Anos atrás, a Justiça determinou que o terreno em frente ao Parque São Jorge fosse devolvido à municipalidade, por diversos fatores, entre eles a utilização para fins lucrativos de uma área cedida gratuitamente.

O tempo passou, o Corinthians recorreu, e perdeu.

Estranhou-se que a Prefeitura, assim que Fernando Haddad assumiu, pediu para que a execução fosse interrompida, dando prazo de seis meses para que o clube conseguisse recursos para comprar a referida área.

Isso não aconteceu.

Razão pela qual o judiciário decidiu pela retomada da execução.

Porém, por ordem de Haddad, novo adiamento, agora de 90 dias, foi solicitado, dando fôlego para o Timão tentar reverter a situação.

Ou seja, enquanto o Ministério Público de São Paulo tenta impedir prejuízo à população, o PT trabalha para que a cidade não receba o que lhe é devido, fazendo as vezes de advogado de defesa do devedor, em ação que nem mesmo Kafka conseguiria imaginar.

Palmeiras monta comissão para investigar gestões Belluzzo e Tirone

janeiro 30, 2014

belluzzo 2frizzo tirone

Ontem, como era de se esperar, a reunião do Conselho Deliberativo do Palmeiras pegou fogo.

À princípio, os assuntos principais eram a previsão de gastos e outras deliberações ligadas a finanças, mas, uma importante decisão dos conselheiros roubou o protagonismo.

Criou-se uma comissão de sindicância, em que nove membros foram escolhidos, com a finalidade de apurar indícios de corrupção nas gestões de Luis Gonzaga Belluzzo e Arnaldo Tirone,

A ordem é não abafar nada, e punir, criminalmente, os responsáveis por qualquer desvio de conduta.

Conselheiros do clube prometem ficar atentos para evitar o ocorrido em recente auditoria nas contas de gestões passadas, que não teve resultado divulgado, sabe-se lá por quais motivações, pelo ex-presidente, agora também investigado, Arnaldo Tirone.

Jornalismo na Copa do Mundo

janeiro 30, 2014

Jornalismo de verdade vs. Assessoria de imprensa informal

(Trecho da coluna de JUCA KFOURI, na FOLHA)

“Denunciar os elefantes brancos, o gasto desmedido de dinheiro público com estádios em vez de investimentos nas sedes, as remoções arbitrárias, por mais que irrite o jornalismo chapa-branca, é obrigação de quem, como dizia Millôr Fernandes, sabe que jornalismo é oposição, não armazém de secos e molhados.”


%d blogueiros gostam disto: