Advertisements
Anúncios

Os negócios nebulosos de Barcelona, Sandro Rosell e Palmeiras

CIPULLOfrizzo tirone

Escancaramos, ontem, a estreita relação comercial entre o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, com os empresários Marcos Malaquias e André Cury (este representante da equipe catalã no Brasil).

http://blogdopaulinho.wordpress.com/2014/01/30/dis-derrubou-sandro-rosell-que-teria-recebido-metade-dos-10-milhoes-de-euros-pagos-ao-pai-de-neymar/

Negócios sendo realizados, entre eles o de Neymar, com informações de que os referidos intermediários depositariam, em suas contas, comissões pagas ocultamente, ao ex-mandatário espanhol.

O Palmeiras, lamentavelmente, parece ter entrado na dança.

Dois jogadores foram repassados ao clube, Keirrison e Henrique, com o intuito de valorizá-los numa equipe grande do Brasil, para que Rosell pudesse justificar as contratações, posteriores, pelo Barcelona.

Atletas, convenhamos, sem nível para vestir a camisa da equipe catalã, e que, segundo o jornal Marca, da Espanha, estão entre as cinco piores contratações da história do clube.

Mas isso pouco importava a Rosell, e sim os comissionamentos oriundos da transação, valorizada pela passagem dos atletas pelo Palmeiras, novamente pagos a seus “parceiros”, Malaquias e Cury, e, como se observa no caso Neymar/Santos, com provável retorno, também, ao bolso de dirigentes palestrinos.

Em janeiro de 2008, o Palmeiras pagou 2,2 milhões de Euros para retirar Henrique do Coritiba, com aval de V(W)anderlei(y) Luxemburgo, utilizando dinheiro emprestado por J.Havilla, que, não por acaso, é parente de André Cury.

O dirigente de futebol palestrino era Gilberto Cipullo.

Seis meses depois, o Barcelona pagou o dobro do valor para adquirir o atleta – exatamente como queria Rosell – 8 milhões de Euros, acrescidos de 2 milhões de Euros de luvas, estas utilizadas também, para beneficiar os envolvidos no negócio.

Anos depois, em junho de 2012, o diretor de futebol do Palmeiras, à época, Roberto Frizzo, anuncia a repatriação do jogador, evitando dizer quanto o clube pagou para fazê-lo.

Fato é que o Barcelona registrou na Federação espanhola nada ter recebido sobre o negócio, mas, de maneira inexplicável, até então, André Cury, parceiro de Rosell, cobra do Verdão R$ 4,5 milhões.

Há quem diga, gente envolvida na transação, que a divisão de valores seria entre o ex-presidente do Barça, Frizzo, Tirone e os intermediários, Malaquias e Cury.

Mas não parou por ai.

Logo depois de fazer a ponte Henrique, Palmeiras e Barcelona, os empresários ligados a Rossel, em janeiro de 2009, colocaram Keirrison, também do Coritiba, no Palmeiras.

No mesmo esquema: empréstimo de 650 mil Euros, de J.Havilla, parente de André Cury.

Assim como na negociação de Henrique, seis meses depois, o Barça pagou inacreditáveis 16 milhões de Euros pelo jogador.

Destes, o Palmeiras, que teria direito a 2 milhões de Euros, nada recebeu.

Uma parte serviu para quitar a pendência com J.Hávilla, outra foi utilizada, de maneira “estranha”, para pagar premiações devidas a V(Wanderlei(y) Luxemburgo.

Dos 14 milhões de Euros restantes, 80% foram pagos a Hávilla, que tinha os direitos sobre o atleta, e 20%, quase 3 milhões de Euros, aos intermediários de Rosell, os agentes Malaquias e Cury.

Negócios inexplicáveis, porém milionários, realizados por pessoas “complicadas” do mundo futebolístico, em que poucos lucraram muito, mas os principais interessados, Palmeiras e Barcelona, quando não usados, saíram no prejuízo.

Nas fotos abaixo, Marcos Malaquias, intermediário de Sandro Rosell, com os jogadores Henrique e Keirrison

malaquias e henrique

malaquias e keirrison

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: