Desmascarando a WTorre

A WTorre publicou seu balanço anual na edição de ontem do “Estadão”.

O documento comprovou todas as afirmações realizadas por este blog, principalmente no que diz respeito à péssima saúde financeira da empresa.

Desmente tudo o que o “playboy” Walter Torre Junior disse na reunião de apresentação da Arena Palestra Itália.

Note que na sessão em que é demonstrada a previsão sobre empreendimentos em construção e desenvolvimento, somente a ARENA Palestra Itália aparece sem estimativa alguma.

 

Evidencia clara que tudo o que foi falado até agora sequer está planejado para acontecer em 2010.

Ao observar o gráfico abaixo você nota que o estado financeiro da WTorre é absolutamente caótico.

Os empréstimos bancários aumentaram em 36,7%, atingindo a exorbitante marca de R$ R$ 1,54 bilhão (maior do que a atual dívida) enquanto o caixa caiu 58,8%, demonstrando, no mínimo, que tiveram um ano difícil.

Enquanto isso a dívida da empresa passou para R$ 1,39 Bilhão, um acréscimo de alarmantes 87,7%.

Para evitar a falência, notamos que o patrimônio líquido da empresa está se desfazendo.

Apenas em 2009, a WTorre perdeu 24%.

 

Entre seus maiores credores estão os bancos Votorantim e Santander.

Com dificuldades em arcar com as despesas, o “empresário” foi obrigado a ceder 14,55 % do controle acionários para estas instituições financeiras.

E o numero tende a crescer após a loucura realizada com aquisições de imóveis (entre eles o da Eletropaulo, próximo da Marginal) para pagamento parcelado, sem que o faturamento da empresa fosse condizente com a operação.

Segundo o acordo costurado com o Banco Votorantim, se a empresa não honrar com seus compromissos seu “dono” corre o risco de ser afastado da direção. 

Com os próprios documentos da empresa comprovamos que a WTorre não tem condições de cumprir o compromisso com o Palmeiras.

Ainda há tempo de evitar que o vexame se prolongue, basta os dirigentes palmeirenses terem coragem de admitir seus erros e buscarem novas alternativas no mercado.

Confira abaixo o dono da WTorre faltando com a verdade após ser questionado por este espaço.

Facebook Comments
Advertisements

30 Replies to “Desmascarando a WTorre”

  1. Uma sugestao: porque a WTorre nao contrata o Beluzzo. Afinal, alem de diferenciado, ele é o melhor economista que ja pisou neste planeta.

    Como ele deu jeito no time da Turiassu, deve ser facil dar jeito tb na empresa parceira.

  2. Admitir erros? O Sr. Belluzzo já admitiu alguma vez que foi um dos pais do Plano Cruzado que afundou o Brasil na época? Ou que foi secretário de ciência e tecnologia do governo Quercia, um dos mais corruptos da história de São Paulo, e que logo depois virou dono de faculdade privada? Tudo isso enquanto tinha dedicação de 40 horas semanais na Unicamp…
    Não, pelo contrário. No alto de sua vaidade infinita, prefere se auto proclamar como “um dos maiores economistas do mundo”, título que ninguém sabe de onde foi forjado.

    Tem muito mais podreira por trás desse contrato com a WTorre. Ñinguém é inocente.

    Pergunte aos blogueiros que fazem linha de apoio auxiliar pro Belluzzo e à WTorre, quem sabe eles não tem maiores informações, afinal lobista da WTorre vive escrevendo no 3VV, por exemplo… Quer fazer um teste? Experimenta criticar a arena lá pra ver o que acontece…

  3. Caro Paulinho,

    Admiro muito seu trabalho. Sou torcedor da Ferroviária e do Corinthians. Porém no caso da Arena vc realmente não tem todas as informações. Trabalho no escritório de projetos que, em parceria, com o escritório de portugal vem desenvolvendo o projeto da arena do Palmeias. Inclusive fizemos o projeto do próprio banco Santander na antiga torre da Eletropaulo.

    O projeto está pago. Está finalizado. O funding para a obra está em caxa. Enfim, a arena dos palmeirenes sai.

    Qualquer outra dúvida não deixe de me contactar no mail que informo no cadastro. Será um prazer responder as suas dúvidas.

    ps – Continue assim …manda brasa

    Um abraço

    Guilherme Augusto L. Corrêa

    Paulinho: Você sabe que não é verdade…

  4. Agora vc matou a cobra e mostrou o pau, mesmo assim muintos pxxxxxs vão ficar indignados porque Belluzo e um semi-deus, não e?

  5. Paulinho. Sou um palmeirense nato e todos sabem disso.
    Pode apostar que o Belluzzo está lendo o que voce escreveu e neste momento ele te agradece demais. Voce sabe que o Belluzzo tem alta estima por voce.
    A minha vontade era que o Palmeiras fizesse esta arena com recursos próprios. O Palmeiras pode.

    FRANCISCO TERRA. BRAÇO FORTE. MÃO AMIGA.

  6. ESSE TEXTO JÁ ESTÁ REGISTRADO EM CARTÓRIO. DESTA FORMA, SEU USO SOMENTE SERÁ LIBERADO APÓS MINHA AUTORIZAÇÃO:

    A PARTICIPAÇÃO DE BELLUZZO NO PLANO CRUZADO

    O Plano Cruzado foi um conjunto de medidas econômicas, lançado pelo governo brasileiro em 28 de fevereiro de 1986, com base no decreto-lei nº 2.283, de 27 de fevereiro de 1986,[1] sendo José Sarney o presidente da República e Dilson Funaro o ministro da Fazenda.

    Além de Dilson Funaro, outros economistas participaram da elaboração do Plano, como João Sayad, Edmar Bacha, André Lara Resende e Persio Arida. No dia 16 de janeiro, João Sayad, Persio Arida, André Lara Resende, Oswaldo de Assis e Jorge Murad votaram a favor do Plano, Dilson Funaro, João Manuel Cardoso de Mello, Luiz Gonzaga Belluzzo, Andrea Calabi e Edmar Bacha acharam-no muito arriscado. Com a recusa da maioria, João Sayad, Ministro do Planejamento, afirmou que iria pedir demissão. Jorge Murad convenceu o seu sogro José Sarney a adotar o Plano Cruzado, apoiando Sayad, Persio Arida, Andre Lara Resende e Jorge Murad, a favor do Plano.

    Não era exatamente o que Belluzzo traçava para aquele momento. O dom de previsão já o incomodava com aquele pré-lançamento do Plano Cruzado.

    OS IDEAIS DE LIDERANÇA E CONFIANÇA

    Belluzzo antes da crise, em novembro de 2008:

    “Cabe ao governo mudar o sinal: é preciso ser prático e adotar as políticas que são tomadas no mundo inteiro”, completou Belluzzo. Para ele, cabe ao Estado estimular o crédito do mercado interno, seja fazendo investimentos públicos para aquecer a economia e promover o crédito. “Aumentar gastos não produz, necessariamente, um efeito inflacionário”, concluiu.

    A REDENÇÃO BRASILEIRA: BELLUZZO, O MENTOR DO PLANO REAL

    Após constatar o que já era previsto, Belluzzo passou a ter uma obsessão. Cortar ao máximo o número de zeros da moeda nacional. Para ele era surreal uma nota de 10 mil ou 5 mil. Ele levava consigo a obstinação de fazer uma moeda simples e funcional.

    Após a queda do Plano Cruzado, surge o Cruzado Novo, derivado do Plano Verão.

    Mais uma vez a política monetária brasileira vivia épocas de inflação e moedas com vários zeros, pois assim se adequariam mais facilmente ao sobe e desce dos preços.

    Mas, mesmo nesta época, Belluzzo já traçava em São Paulo a moeda redentora do Brasil. Mas devido à sua ingenuidade em relação à pessoas, confidencia o estratagema ao colega e rival da PUC, Persio Arida (este sim, o cabeça do Plano Cruzado).

    O Plano de Belluzzo era muito audacioso. A idéia era fazer uma moeda paralela ao dólar americano, simples. Para isso, o Brasil teria que garantir financeiramente todo o setor produtivo nacional com recursos do Tesouro Nacional e do FGTS.

    E o mais importante: que a nova moeda fosse baseada nos valores da URV.

    Era preciso dar garantias e segurar qualquer “marola” por ao menos 1 ano. Nenhuma empresa poderia pedir concordata. O governo teria que segurar qualquer provável crise. Inclusive moratórias.

    A prova maior de que Belluzzo foi o mentor do Plano Real foi dita por Giani Grisendi, ex-proprietário da Parmalat italiana.

    “Era 1992 e o Brasil passava por uma crise inflacional espantosa. Mesmo com os altos impostos do fisco italiano ficava difícil acreditar que o Brasil seria mais seguro para se investir do que a Itália.”

    “Mas em 1991 já conhecia o Luiz Gonzaga. E em 1992 ele me garantiu que o Brasil seria como um paraíso fiscal, porém legal. Quase o chamei de louco, mas aceitei”

    E todos sabem o que era a Parmalat antes e depois de passar pelo Palmeiras.

    O Plano estava traçado, nos cofres da UNICAMP e na cabeça de Belluzzo. Mas ele deixou o plano vazar e foi dexado de lado. Fora traído.

    Pouca gente sabe, mas até mesmo os animais da fauna brasileira nas notas foram idéia de Beluzzo. E ele fazia questão de colocar a arara em homenagem subliminar ao periquito, mascote palmeirense.

    Leiam o que Fernando Collor disse sobre o outro suposto pai da criança:

    André Lara Resende: “O choque terá problemas políticos, mas é tecnicamente possível e aceitável”. (Collor se estende na conversa sem explicar, só fala “André”, que não era luminar. Ganharia projeção “indevida” com o Plano Real, não era o mais brilhante. Mas pessoalmente foi vitorioso, mora e vive luxuosamente na Europa).

    ESPERO QUE O QUE VOCES ACABARAM DE LER, LHES SIRVA PARA ABRIR UM POUCO A CABEÇA. INVESTIGUEM, DA MESMA FORMA QUE EU FIZ. SOMENTE ASSIM A VERDADE APARECERÁ.

    PARABÉNS A QUEM LEU ESSAS VERDADES. OBRIGADO.

    FRANCISCO TERRA. BRAÇO FORTE. MÃO AMIGA.

  7. Paulinho, sou do Rio mas tenho acompanhado seu brilhante trabalho. Longe de dar palpite no seu trabalho, sugiro que voce seja mais conciso nas sua perguntas para nao dar chance a esta turma de criar um ambiente conturbado quando vc extende sua pergunta. Desculpe-me a intromissao, nao sou jornalista e parabens pelo seu trabalho.

  8. Caro
    então me responda porque o projeto da arena sequer é mencionado no site do arquiteto Tomas Taveira: http://www.tomas-taveira-proj.pt/?

    Porque o arquiteto nunca esteve apresentando seu projeto e esclarecendo dúvidas perante a comunidade palmeirense (aliás, ele já esteve no Brasil alguma vez?)

    Porque a escolha de um arquieto portugues, que desconhece legislação e condições para se implementar um projeto desse tipo no BRasil?

    Por que o projeto foi anunciado como já estando aprovado em 2008, 2 anos atrás, sendo que até agora prefeitura não emitiu todos os alvarás necessários? Que responsabilidade tem seu escritório nessa gestão incompetente (pra dizer o mínimo) do processo?

    Porque as maquetes eletrônicas apresentadas ao público são de tão má qualidade, deixando a entender que não foram feitas por um profissional da área? Foram feitas em programa gratuito baixado da internet, pra vc ter uma idéia do amadorismo.

    Agora uma dúvida técnica: como o projeto prevê a utilização da mesma estrutura das atuais arquibancadas para uma outra arquibanca superior, se esta não aguenta nem a carga atual?

    Grato
    (o clube se negou a responder essas questões todas as vezes que foram encaminhadas às pessoas (in)competentes)

  9. Tá vendo ninguém liga, cadê a maior torcida que cresce no planeta, kkkkkkkkkkkkkkkkkk, se não é a TRAFFICO, tava morta faz tempo, o clube tá com o pires na mão!

  10. Apenas o Mineirão, a Arena da Baixada, o Beira-Rio, Fonte Nova e Morumbi estão com o planejamento dentro do esperado. Pra que nada atrase, as obras devem começar no máximo em Março de 2010.

    O Maracanã tem um orçamento de 800 milhões mas não sabe nem quando começarão as obras. Vale lembrar que no começo, o projeto era pra 500 milhões. O edital de licitação foi feito apenas no fim de janeiro. Vale lembrar que a três anos o governo gastou 250 milhões na reforma do estádio pro Pan, e vai tudo pro saco, já que o estádio virá abaixo, deixando intacta apenas a estrutura externa.

    A Arena das Dunas conhecerá o vencedor da licitação apenas no fim de Abril. E as obras devem começar apenas no segundo semestre. Este é o estádio que mais preocupa as autoridades.

    A Arena Recife só fará sua licitação no início de Abril. O pior é que o governo de Pernambuco está demorando muito pra demolir o atual Castelão.

    O Vivaldão, Mané Garrincha e Verdão estão com o cronograma caminhando em cima do prazo e tem um planejamento de começar as obras em 1º de Março. Em 2007, o planejamento era gastar 350 milhões no Mané Garrincha, mas o orçamento já dobrou. Os problemas políticos no DF podem atrasar a obra.

    O Verdão pediu no ano passado uma revisão orçamentária a FIFA, pedido prontamente atendido. Muita boa vontade não? Além do mais, segundo publicação de um site do Mato Grosso, uma das empresas que participarão das licitações entrou na justiça e travou o processo. Além do mais, a empresa de transporte público do estado entrou na justiça para impedir a demolição do antigo Verdão. Caso a liminar seja aceita, Cuiabá corre risco de perder sua sede.

    Os três estádios particulares da Copa estão entre os mais adiantados… coincidencia né? E a FIFA ainda quer um projeto estatal para o estado de SP.

  11. ENCALMEM-SE, NOBRES GUERREIROS PLEIADIANOS.
    A NOMEADA DA PLÊIADE ESTÁ CAUSANDO INVEJA EM MUITA GENTE.
    ESSES CALAFANJES QUEREM SURFAR NA FAMA ARREBATADORA DA PLÊIADE DO BEM.
    NO ENTANTO, NÃO É COM ESSA FINALIDADE QUE CERQUEIRA VEM HOJE AO BLOG DO PAULINHO.
    NA NOITE HESTERNA, CERQUEIRA FOI INFORMADO DA RETIRADA DE DOIS SOBRECABADOS MEMBROS DA PLÊIADE, DR.SEMPRÔNIO E JÔNEI, UM JUSTO.
    CERQUEIRA, PORTANTO, FAZ UM APELO: PENSEM, CAROS AMIGOS.
    NÃO É HORA DE DEBANDADAS, MAS SIM DE TRIUNFOS.

    C.B CONCLUI ASSIM SEU ARRAZOADO.

  12. A Verdade Sobre o São Paulo e o Estádio Palestra Itália

    Não é de hoje que o clube da Turiassu costuma justificar seu ódio contra a SOBERANIA, dizendo que o São Paulo FC quis tomar o seu estádio (como se fosse grande coisa), pra si.

    Como tais afirmações não tem embasamento histórico ou jornalistico, elas sempre me causaram perplexidade e inconformismo. Como poderia um gigante querer algo que é de outros?

    Mesmo no estado novo de Getúlio Vargas, um momento conturbado em função da guerra e da intolerância racial, haviam leis; e naquela época, mais que hoje, o estado estava disposto a fazer com que fossem cumpridas.

    A constituição vigente no periodo em questão, assegurava o direito a propriedade incluindo de estrangeiros, e no caso de desapropriação, o proprietário ( pessoa física ou jurídica ), teria direito a indenização:

    “A primeira Carta Política editada em 1934, art. 113, 17: É garantido o direito de propriedade, que não poderá ser exercido contra o interesse social ou collectivo, na forma que a lei determinar. A desapropriação por necessidade ou utilidade pública far-se-á nos termos da lei, mediante prévia e justa indemnização. Em caso de perigo imminente, como guerra ou commoção intestina, poderão as autoridades competentes usar da propriedade particular até onde o bem público o exija, ressalvado o direito a indemnização ulterior”.

    Fonte Jus Vigilantibus

    Portanto, afirmar que o São Paulo FC quis tomar o Pq. Antartica é balela e conversa de bêbado em boteco do Bixiga. Porque ainda que houvesse a despropriação ( somente o estado pode desapropriar ), haveria indenização. O São Paulo lógicamente nem poderia desapropriar como não poderia pagar indenização, e se fosse pagar, pra que comprar uma PORCARIA como esse estádio ?

    Mas como vocês sabem, uma mentira repetida muitas vezes se torna verdade. Pelo menos até que alguém resolva apurar a verdade real, sem cortes e edições.

    O fato é que o Co-irmão, foi reduto de seguidores de Hitler e Mussolini, imigrantes que trouxeram seus ideais de superioridade racial e xenofobia. Que lutavam, mesmo a distância pela vitória do Fuhrer e do Duce na guerra da limpeza étnica da europa. E para isso colaboravam com seus países de origem com ajuda financeira em troca de títulos de nobreza.

    Tal comportamento não patriota, ou patriota com seus paises de origem, gerou problemas com o governo de Getúlio que os obrigou a mudar de nome e se abrasileirar.

    Uma pesquisa publicada em 2006 por um historiador da Faculdade de Fliosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, mostra a versão imparcial e real da cena que ocorreu naquele período de 1937 a 1945, desmistificando e desmascarando essa inverdade:

    “O historiador Alfredo Oscar Salun aponta que na época da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1942, Corinthians e Palmeiras foram forçados a expulsar cerca de 150 sócios de origem estrangeira, inclusive alguns de seus dirigentes. Os dois clubes estavam entre as entidades atingidas pela legislação repressora do Estado Novo, especialmente de 1941 até 1945, quando aumentou o rigor na vigilância da polícia política aos grupos estrangeiros e seus descendentes.

    Vigilância

    A desobediência às normas de nacionalização poderia levar ao fechamento dos clubes. “No caso do Palestra Itália, isso gerou rumores não confirmados de que dirigentes do São Paulo manobravam nos bastidores para tomar seu patrimônio“, relata Alfredo Salun. “Os boatos e a mudança de nome para Palmeiras, em 1942, tornaram o episódio marcante na história do clube e dos seus torcedores, ao contrário dos fatos ocorridos no Corinthians.”

    Equipes mais populares da época, Palestra Itália (antigo nome do Palmeiras) e Corinthians atraíam grande número de torcedores de origem imigrante, muitos dos quais operários, caracterizando-os como times populares. “Quando o Brasil declarou guerra à Itália, Alemanha e Japão, a vigilância aos estrangeiros pela Delegacia de Ordem Política e Social (DEOPS) aumentou, devido a suspeitas de espionagem”, conta Salun.

    “No Palestra Itália, predominavam os italianos, e no Corinthians havia também italianos, além de espanhóis, alemães e até árabes”, explica o historiador, que pesquisou os efeitos das medidas de nacionalização para sua tese de doutorado no Núcleo de Estudos de História Oral (NEHO) na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

    Após a entrada do Brasil na guerra, o Conselho Nacional de Desportos (CND) baixou uma série de regulamentações para o esporte, em acordo com o projeto nacionalista do regime do Estado Novo (1937-1945). “Os clubes de futebol foram atingidos, tendo que expulsar dirigentes e associados estrangeiros, principalmente os ligados aos países do Eixo, rotulados como ‘Súditos do Eixo’.”

    A aplicação das leis levou a destituição do presidente do Corinthians Manuel Correncher, espanhol de nascimento. “O clube conquistou vários títulos na gestão de Correncher, considerado uma figura folclórica, comparada a de Vicente Matheus”, conta Salun. “A presidência foi assumida por Mario de Almeida, interventor indicado pelo CND, que ocupou o cargo por alguns meses, até o clube escolher um novo presidente.”

    “Em um clube é uma história conhecida e celebrada e no outro, silenciada e apagada”, destaca o historiador. Nesse aspecto, o pesquisador desenvolve um trabalho em História Oral, com torcedores, jogadores e dirigentes. “Esses clubes não foram os únicos na capital paulista que foram alvos da repressão, mas tinham maior torcida e prestígio.”

    Reuniões de diretoria dos dois clubes só eram feitas com autorização da DEOPS e a presença de um agente do órgão. “Os clubes também precisavam de permissão oficial para jogos fora de São Paulo, especialmente no litoral, devido a importância estratégica das regiões costeiras na Segunda Guerra Mundial.”

    Após as expulsões, Corinthians e Palmeiras realizaram uma “campanha de nacionalização” para atrair novos sócios, nascidos no Brasil. “A imprensa da época viu essa iniciativa como uma prova de patriotismo”, diz Salun. “Os estrangeiros expulsos começaram a retornar aos clubes após 1945, como reflexo do final da Guerra, de medidas liberalizantes adotadas pelo governo de Getúlio Vargas e o fim da perseguição à ‘quinta-coluna’, espiões e os ‘Súditos do Eixo’.”

    http://www.usp.br/agen/repgs/2007/pags/002.htm

  13. Paulinho,qual a experiência que você tem em análise de balanço?

    A dívida do Real Madrid,beira a casa do bilhão,será que ele está falido?

    Por fim,procure entrar no clube do Palmeiras e veja a quantidade de obras que vem sendo feitas nele?
    Quem está pagando?A troco de quê o Palmeiras já desmontou se Palácio de Eventos e várias quadras?

    Eu até prefiro que esta arena não sai nos moldes atuais.Acho que é pequena demais e só vai beneficar a empresa.
    Pra mim,o estádio tem que ter capacidade para no mínimo 50 mil pessoas.

  14. Você teve acesso ao contrato W TORRE X PALMEIRAS?

    Por acaso não consta nenhum tipo multa por quebra do mesmo?

    E as informações de que os fundos para a construção da Arena já estão disponíveis nos bancos parceiros?São mentiras?

    Além do mais,a W Torre tem projetos monumentais,você acha que exporia seu balanço como se estivesse à beira do caos como você tenta passar?

    Pra mim,mesmo que o projeto saia do papel e fique perfeito,você vai sempre achar algum motivo para criticá-lo.

    A impressão que dá é que você tem um birra pessoal com o Sr.Torre.Plaiboy ou não,não se pode misturar as coisas.
    A informação tem que ser passada sem qualquer ponta de ressentimento pessoal.Seja qual for o motivo.

    Sds.

  15. Paulinho,

    Peço desculpas, mas preciso discordar de que a primeira tabela colada prova que não foi planejado nada para a Arena.

    Ora, o número que aparece para cada empreendimento é estimativa de área locável. Isso se aplica a empreendimentos comerciais (escritórios, galpões, etc.), mas não a estádio.

    Por isso a estimativa para a Arena aparece como N/A (Não Aplicável), ou seja, não tem muito sentido estimar área locável para a arena.

    Até pode-se argumentar que seria possível estimar área locável para camarotes e espaços comerciais, mas apresentar esta tabela fora de contexto e dizer com base nisso que não há projeto já é exagero.

    Concordo, entretanto, que a saúde financeira do grupo não está em seus melhores dias, uma vez que sempre foi muito agressivo financeiramente (alavancado) e deve ter sofrido com a crise do ano passado.

    Um abraço,

    Vinícius

  16. Paulinho,

    É tão verdade que tenho provas…quer ver? Outra coisa…entre no site…www.edorocha.com.br e veja se o taveira está brincando no brasil de fazerestádio ou se está trabalhando com gente séria.
    Repito..sou corinthiano e gostaria que este estádio estivesse sendo feito para meu time…o da Ferroviária (com nosso $$) já está funcionano…mas isso já é outra história (daquelas..quer saber?)

    abç
    Guilherme Augusto L. Corrêa

  17. Continuo aguardando a resposta Paulinho.
    Denunciar as safadezas até concordo.Agora, analisar balanço?Onde você aprendeu?

    Responda as perguntas.Nenhuma delas é ofensiva,apenas gostaria de saber já que acompanho seu blog.

  18. Talvez no fim das contas a Arena não saia, e a empresa tenha problemas. Faz parte dos riscos que correm empreendimentos privados, que não sugam o dinheiro público como a construção e muitos anos depois a reforma de estádios para a copa.
    Agora, este post está tão amador, tão cheio de erros (desde o scan e a colagem toda torta dos demonstrativos), o autor demonstra tanto despreparo para tratar do assunto, cita dados tão fora de contexto que na verdade o torcedor fica ainda mais desinformado sobre a real situação da Arena.
    O Palmeiras e a construtora podem estar cometendo graves erros, mas a análise e o nível de informação a respeito são indigentes e não esclarecem rigorosamente nada.
    Fui atraído até aqui na esperança de encontrar alguma informação séria e consistente, mas só perdi meu tempo.
    Patético.

  19. Paulinho,

    Voce entende de futebol…

    Acho que voce entende de jornalismo…

    Acho que voce manda bem quando desmascara a bandidagem…

    Tambem acho que a WTorre esta tendo tempos dificeis…

    Mas voce não entende “lhufas” de balanço…toda vez que fala de balancos, financas, bndes ou outros assuntos correlatos, voce fala algumas besteiras gigantescas…

    Eu, se fosse voce, evitaria ëntrar nestes assuntos…

    Henrique

  20. Paulinho, se você ainda tinha esperanças de a Arena Palestra não sair, sinto muito, pois olha só a notícia que saiu hoje.

    A WTorre entrou com pedido para ABRIR O CAPITAL NA BOLSA DE VALORES, ou seja, vai entrar muita grana na empresa, por mais que você duvide de sua saúde financeira. E assim, terá dinheiro mais do que suficiente para construir a Arena Palestra.

    “WTorre entra com pedido de oferta pública primária e secundária de ações na CVM

    01/03/10 – 15h36
    InfoMoney

    SÃO PAULO – A WTorre Empreendimentos Imobiliários entrou na última sexta-feira (26) com um pedido de registro de oferta pública primária e secundária de ações ordinárias na CVM (Comissão de Valore Mobiliários).

    A oferta abrangerá também o mercado de balcão não-organizado, além de esforços de colocação dos ativos no exterior, visando os investidores institucionais estrangeiros. De acordo com a empresa, a oferta não será registrada na SEC (Securities and Exchange Commission).

    O número de ações ofertadas, termos e condições da oferta serão informados ao mercado conforme aprovados pelo Conselho de Administração da WTorre e pela CVM, informa a empresa.”

  21. paulinho, eu cai de paraquedas nesse blog, e não entendi uma coisa, porque essa perseguição com a wtorre?? Tem algum motivo pessoal, profissional??

  22. Você quer causar polêmica isso sim, só fala coisa sem fundamento.
    Acho que “alguém” quer aproveita já que a Wtorre está em evidência.
    Você deve ser a junção de um monte de corinthiano burro em um só.. kkkkk

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.