Rosenberg utilizou-se de preposto para trazer patrocinador enrolado na justiça ao Corinthians

O UOL revelou, ontem, que a Universidade Brasil, empresa do grupo UNIESP, absolutamente enrolado na Justiça, com dezenas de denúncias que variam desde crimes ligados ao estelionato até calotes milionários (somente num processo a execução é de R$ 40 milhões), com TACs descumpridos junto ao MF e também à AGU, além de objeto de CPI na Assembleia de Deputados em São paulo, foi trazida ao Corinthians pelo ex-vice-presidente alvinegro Luis Paulo Rosenberg.

https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2017/05/19/parceiro-com-historico-de-fraude-foi-ao-corinthians-com-andres-e-rosenberg.htm

Participou da operação, também, o “dono do clube”, Andres Sanches, com anuência do presidente Roberto “da Nova” Andrade, que desde o acordo firmado com o deputado, que garantiu-lhe êxito em recente processo de impeachment, não consegue negar pedido algum do parlamentar.

Todos negam recebimento de vantagens.

Porém, bastidores da negociação indicam, no mínimo, procedimentos suspeitos no episódio.

A UNIESP foi trazida a Andres Sanches por um de seus benfeitores políticos, Osmar Basílio, presidente do CORI (órgão que, em tese, deveria fiscalizar o Corinthians), por conta da amizade que mantém com Fernando Costa, proprietário da Instituição.

O deputado, então, colocou Rosenberg no circuito, que dialogou com o marketing alvinegro e tratou de, no mínimo em duas reuniões, tocar o fechamento do negócio.

Não haveria, diante deste quadro, a necessidade de intermediários para alinhavar o acordo, muito menos pagamento de comissionamento a terceiros, levando-se em consideração que todos os nomes ligados ao Corinthians negam os recebimentos.

Porém, conforme revelou o Blog do Paulinho durante a semana, existiu uma empresa que intermediou, oficialmente, o negócio (apesar de sequer ter sentado à mesa), sob comissionamento (pago pelo Corinthians), de nome Brazilian Sports Management Consultoria Esportiva Ltda, que, em verdade, tratava-se de uma revendedora de cosméticos denominada “Egydio Zeppelini Junior Representações Ltda”, fundada em 1998, mas que teve o objeto social e o nome alterados, convenientemente, quatro meses atrás, em janeiro de 2017.

Seu proprietário é o associado do Palmeiras, Cesar Zepellini, membro da Chapa Academia (que concorreu ao conselho palestrino), mentor do sistema financeiro (criação de um Fundo) que orquestrou o empréstimos do ex-presidente Paulo Nobre ao Verdão.

Patrocinador do Corinthians foi investigado em CPI da Assembléia Legislativa de São Paulo

O empresário é parceiro comercial de Luis Paulo Rosenberg.

Coincidência semelhante somente no negócio “Poá Textil”, que depois virou “SPR”, gestora das franquias que negociam produtos com a marca do Corinthians, que tem Caio Campos, braço direito de Rosenberg enquanto dirigente alvinegro, na condição de CEO da empresa, ou seja, principal operador administrativo e comercial.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

2 Replies to “Rosenberg utilizou-se de preposto para trazer patrocinador enrolado na justiça ao Corinthians”

  1. É uma patacoada atrás da outra.

    A incapacidade dos dirigentes atuais do Corinthians em administrar o clube é algo assustador. Não conseguir patrocinador sério é consequência das péssimas referências que o que desejam patrocinar o clube tem dos atuais dirigentes e da “sombra” que os comanda.

    Acho que, qualquer empresa com histórico parecido não merece confiança, mas no Brasil é complicado encontrar empresas sérias que desejem estar no futebol. São poucas as que se aventuram. Tem clube bancado – não apenas patrocinado – por empresa encalacrada, com processos por uso de laranja – segundo revista IstoÉ – devendo R$ 600 milhões, bem aceita e defendida com “unhas e dentes” por muitos de seus torcedores.

    Eu não quero mais uma MSI – ao que parece essa empresa não vai envolver-se em negócios com jogadores – no Corinthians. Mesmo que ela vá apenas pagar para expor sua marca, acho bom o clube ficar atento.

    A Lava Jato precisa com urgência pegar de vez os que tiverem envolvidos de forma irregular com o petrolão e, o Corinthians expulsar os mesmos o mais rápido possível – espero que seja possível – e assim o clube poderá ser novamente levado a sério, pois enquanto esse pessoal estiver por lá, nada mudará de forma positiva.

    CLUBE EMPRESA URGENTE!!!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.