Advertisements

O mito do goleiro estrangeiro

Por ROBERTO VIEIRA

http://oblogdoroberto.zip.net/

Quando o arqueiro Pablo Miglione do Boca Juniors papou um soberbo peru contra o Fluminense, os mais antigos não puderam segurar o riso.

É que todos conviveram com o mito do goleiro estrangeiro.

Durante o século XX o Brasil conviveu com algumas lendas tidas como verdades.  A gente não tinha petróleo, comunista comia criancinha, goleiro bom era goleiro de fora. Então o São Paulo foi buscar Jose Poy. Ídolo nas décadas de 50 e 60 no arco tricolor. O Atlético-MG se socorreu de Mazurkiewicz. O Santos de Pelé importou Cejas. O Bahia trouxe Buttice, que depois rumou para o Corinthians.

O Brasil produzia craques em todas as posições, menos no gol. A exceção era Gilmar. Mas Gilmar era tão calmo que não podia ser brasileiro segundo os críticos.

A Copa de 70 foi o apogeu da crise. Gilmar havia se despedido da canarinha. Félix assumiu seu lugar. Veio o jogo com a Inglaterra. Banks fez milagre na cabeçada de Pelé. Félix fez milagre na cabeçada de Lee. Mas Banks era inglês, jogava de luvas. Félix era nacional e insistia em defender o pão nosso de cada dia de mãos desnudas. Veio o jogo com o Uruguai, Pelé tirou Mazurkiewicz pra dançar, Félix salvou o Brasil de uma prorrogação com uma defesa cinematográfica aos 44’ do segundo tempo. A imprensa elogiou a coreografia do goleiro uruguaio e ignorou o número 1 do Brasil. Cega.

Mas uma coisa deixava os comentaristas com uma pulga atrás da orelha: Por que os estrangeiros não brilhavam tão intensamente no Brasil?

A explicação era simples. Foi dada por Cejas em entrevista quando defendia o Santos. O problema estava nos nossos atacantes. Na Argentina, na Alemanha, na Inglaterra todo mundo só rezava o Pai Nosso. Gol, só de cartilha. Todo goleiro já sabia o que ia acontecer. Aqui, não!

Cejas foi brincar de se adiantar e levou um chapéu de Dirceu Lopes. Saiu pra enfrentar Leivinha e tomou uma caneta. Depois de muita vaia descobriu que no Brasil goleiro era profissão perigosa. Aliás, o próprio Pelé ia destruindo o mito por onde passava. Viktor da Tchecoslováquia quase toma um gol do meio de campo. E o milésimo gol foi comemorado contra o argentino Andrada que esmurrava o chão inconformado. Mito?

De tanto enfrentar os melhores atacantes do mundo, de tanto aprender com os arqueiros que vinham de fora aos milhares, o goleiro brasileiro hoje é o melhor do mundo.  Fernando Henrique provou isso contra o Boca. Claro que de vez em quando ainda aparece um órfão do passado. Gente que jura de pés juntos que Oliver Kahn é melhor que Marcos.  Máspoli superior à Barbosa. Pato Abbondanzieri mais seguro que Júlio César…

Mas é só da boca pra fora do campo. Dentro das quatro linhas goleiro bom é goleiro Made in Brazil.

Facebook Comments
Advertisements

9 comentários sobre “O mito do goleiro estrangeiro

  1. Divanio

    Abaixo a ficha ténica do jogo Brasil 3 x 1 Urguai:
    Gols: Cubilla, aos 19, e Clodoaldo, aos 44 minutos do primeiro tempo; Jairzinho, aos 31, e Rivelino, aos 44 minutos do segundo tempo
    Árbitro: J. M. Ortiz de Mendibíl (Espanha)
    Local: Estádio Jalisco (Guadalajara, México)
    Público: 51 mil pessoas
    Duas observações sobre o texto:

    a) como houve cabeçada uruguaia aos 44′ do segundo tempo, se o gol do Rivelino foi neste minuto de jogo?
    b) esqueceu-se o autor do texto do gigante uruguaio Rodolfo Sergio Rodríguez y Rodríguez , um dos maiores goleiros que os campos brasileiros já viram!

  2. Divanio

    Vamos ver se este Fernando Henrique é tão bom na próxima quarta-feira !

  3. Marcondes

    Sorry Roberto, mas Abbondanzieri é sim melhor e mais seguro que Júlio César.

    De resto, concordo com o texto.

    Parabéns pela análise!

  4. Carlos

    Sim, já tivemos goleiros estrangeiros que marcaram época no futebol brasileiro (além dos já citados no texto e Rodolfo Rodriguez – citado pelo Divanio):
    Goycochea, Roberto Fernandez, Fillol.

    Mas também tivemos cada tranqueira por aqui:
    Johnny Herrera, Tadic, Tavarelli, Saja…

    Mas não troco nenhum goleiro estrangeiro (pode ser alemão, italiano, inglês…) por um brasileiro!

    Abraços

  5. Victor Farinelli

    Dizer que os goleiros estrangeiros são horríveis só porque o reserva do Boca Juniors frangou feio chega a ser ridículo. Quiçás você desconheça alguns fatos, por exemplo, que o Migliore é um goleiro reserva, que o titular Caranta, um excelente goleiro, e que jogou quatro meses no sacrifício esse ano devido a um problema no joelho (que arrebentou de vez nos jogos contra o Cruzeiro, quando ele jogou muito mal).

    Migliore é filho de líderes de La Doce, uma importante torcida organizada do Boca, e por isso está onde está, beneficiado pela daninha relação entre clube e torcida. É claro que o Fluminense não tem nada a ver com isso, problema do Boca, mas daí a dizer que os goleiros brasileiros são os melhores do mundo por causa de uma falha do Migliore chega a ser risível.

    Vá comparar os goleiros brasileiros com o Buffon, com o Casillas, com o Van der Sar, o Lehmann, o Cech, o Villar.

    Infelizmente, meu caro Roberto, Máspoli sim foi muito melhor que Barbosa, Yashin e Carrizo tinham muito mais técnica e coragem que Gilmar, com todo o respeito que o bicampeão merece, e Banks, Mazurkiewicks, Meier, Fillol, Andrada e tantos superaram a Félix e Manga por muito.

    Não pára por aí: Zoff valeu por dois Carlos, Rodolfo Rodriguez era uma muralha enquanto Valdir Peres foi uma porteira aberta, imagina então comparar os excelentes arqueiros belgas Pfaff e Preud´Homme com Acácio e Taffarel, seria de uma covardia sem tamanho.

    Pessoalmente, prefiro Kahn a Marcos, mas não por muito, Julio Cesar é sim melhor que Abbondanzieri, mas não melhor que o novo Carrizo argentino.

    É inegável que os goleiros brasileiros melhoraram muito, mas por favor, faça umas comparações com goleiros de verdade, e não com o Migliore, senão soa a patriotada chauvinista, coisa que se espera de um Galvão Bueno e não de você.

  6. Eduardo Silva

    Isso é impressionate, todos crucificam Valdir Peres por um frango, ele já defendeu penalti em final e fez milagres pelo São Paulo, Junto com Poy, citado no texto, Zetti e Rogério um dos maiores goleiros da história do clube

  7. Jackson Kenedy

    Valdir Peres não pode entrar na lista de grandes goleiros do Brasil, é só lembrar da seleção de 1982, era quase perfeita não fosse pela falta de goleiro (valdir peres) e centro-avante (chulapa) a altura do resto do plantel… faltaram naquele time Leão, João Leite ou Carlos (todos melhores v.peres) e o Reinaldo com a nove (infelizemente ele se machucou antes da copa)….
    Quanto ao resto dos comentários,.. concordo em partes, o Brasil possui goleiros que não deixam a desejar a nenhum goleiro do mundo, mas daí a dizer que temos os melhores goleiros do mundo é ridículo, tá pior que o gaysão bueno… rss….
    Pra mim o melhor do mundo hoje é Buffon e o Júlio César é um dos melhores….

    Abraços;

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: