Advertisements

Toga no chão

xadrez stf

Da FOLHA

Por JOSÉ PAULO CAVALCANTI FILHO

“Nada a estranhar que haja sempre homens assim, dispostos a pagar, com decisões e votos, suas nomeações aos cargos”

Adaucto Lucio Cardoso apoiou o golpe militar, foi fundador da Arena e, em 1966, era presidente da Câmara dos Deputados. Mas não se curvava, diferentemente da grande maioria dos homens daquele tempo. E de hoje, também. Mesmo aqueles a quem nos referimos como vossas excelências.

Quando o general Castelo Branco cassou o mandato de alguns deputados, reagiu altivamente. E declarou considerar sem efeito as cassações. Por pouco tempo. Que, no fim daquele mesmo dia (20 de outubro de 1966), o Exército ocupou o Congresso Nacional.

Na reabertura dos trabalhos (em 22 de novembro), Adaucto disse não aceitar a humilhação de ver o Parlamento fechado. Uma resposta rara dada por quem apoiava o governo. Nenhum dos outros presidentes, do Senado ou da Câmara, neste e nos dois outros momentos em que o Congresso foi fechado (em 13 de dezembro de 1968 e 1º de abril de 1977), sequer protestou. Renunciou à presidência. Mas acabou indicado para o Supremo Tribunal Federal.

Adaucto honrou a casa. Respeitava as leis. Mas sabia ouvir, também, a voz das ruas.

Tanto que concedeu habeas corpus ao líder estudantil Vladimir Palmeira e a Darcy Ribeiro, então preso. Para desgosto dos ocupantes do Palácio do Planalto, que cobravam subserviência. E a recebiam de (quase) todos. Até de juízes. Estamos falando de tempos idos, claro.

Segue a vida e, em 1971, o general Médici editou o decreto-lei nº 1.077 –que estabelecia a censura prévia de jornais, revistas e livros. Em aberta violação à Constituição de 1969, que não admitia qualquer censura. Deve ter rido, ao assinar. O general gostava de rir, senhor meu. Eram negros anos.

Naquele tempo, apenas o procurador-geral da República podia questionar a constitucionalidade das normas jurídicas. O MDB, então único partido de oposição, pediu que impugnasse o decreto-lei. E o procurador-geral, subserviente, teve o desplante de declarar que não via qualquer violação à Constituição. Nada a estranhar que haja sempre homens assim, dispostos a pagar, com decisões e votos, suas nomeações aos cargos.

O MDB entrou com reclamação diretamente no Supremo. Adaucto pôs em julgamento. Mas fez, antes, discurso afirmativo, indicando que os brasileiros esperavam um gesto do Supremo. Discurso de quem, ao contrário de alguns pares seus, tinha coragem cívica.

Ao fim da votação, apenas ele votou contra a censura. Os demais ministros exercitaram a vilania se refugiando em tecnicalidades. De onde menos se espera, daí é que não vem nada mesmo, ensinava Millôr.

Adaucto declarou que seus pares envergonhavam a casa. Que não se sentia mais à vontade para conviver com eles. E jogou sua toga na curul (assim se chama a cadeira dos ministros), segundo uns; ou no chão do plenário, segundo outros. Após o que foi embora. Saiu do Supremo para entrar na história, dá vontade de repetir a frase de Getúlio. Evandro Lins e Silva, mestre querido, disse que “sua atitude foi única, continua única e provavelmente nunca se repetirá”. Será?

P.S. Hoje, não estarão em julgamento os embargos infringentes. Hoje, quem será julgado é o Supremo.

JOSÉ PAULO CAVALCANTI FILHO, 65, advogado no Recife, é membro da Comissão Nacional da Verdade

Advertisements

Facebook Comments

13 Responses to “Toga no chão”

  1. Jorge Araújo Says:

    Com certeza o ministro responsável pelo voto não repetirá o gesto de Adaucto, não tem culhão pra isso. Esperamos pelo menos que seu voto comungue com os anseios do povo brasileiro, justiça e verdade e igualdade para todos. Tenho um certo receio que esse ministro vai fazer xixi fora do penico, me preocupa as consequências desse resultado.

  2. Herbert Says:

    O Brasil precisa de mais Adauctos.

  3. Peixoto-Pres.Prudente/SP Says:

    Putz, a Folha de SP, aquela que emprestou caminhões para a Ditadura levar os estudantes presos para serem massacrados, torturados e mortos nos porões do DOI-CODI?????. e esse Adaucto, foi um dos fundadores da “democrática” ARENA????..kkkk.
    O Ministro Celso Mello só jogará sua toga ao chão, se ele contrariar sua as próprias convicções e afirmações anteriores, de que aceitaria os embargos infringentes….
    Não acredito que as pressões dos canalhas da mídia direitista e tucanalha sejam capazes de fazer um Ministro do STF DESDIZER tudo o que dissera antes…
    Acho que hoje a tarde nem vou assistir o jogo do Barcelona…vou acompanhar o choro desses canalhas…

  4. Celso Says:

    Parece que não, dependendo do voto do sr, se favoravel aos Embargos Infringentes, o povo brasileiro defiitivamete perderá de vez a fé em todos poderes constituidos nesse País e seria a hora do povo ir para as ruas de novo e não fazer manifestaões públicos e sim na frente da casa de todos envolvidos nessa vergonha, acampar lá e não sair até que alguma atitude seja tomada em prol do brasil,

  5. Fred2 Says:

    Mais de 30 anos se passaram, guardadas as proporções, a historia continua a mesma.

    Ai do povo que não aprende com sua história.

  6. GOMAO Says:

    Posso estar enganado e espero queimar a minha língua. Mas está com cara que esse ministro vai dar banana ao povo, e continuar nas graças da teta farta do governo.
    Torço realmente para estar errado.

  7. Luli Says:

    Bom lembrar também da honradez e moralidade do Almirante Júlio de Sá Bierrenbach, ex- Ministro do STM, no caso do atentado do Riocentro quando “peitou” o general chefe do SNI e o presidente Figueiredo.

  8. BizOuro KiSSucO Says:

    Peixocanalha, nem todo petista é petralha mas todo petralha quer ir pra vala

  9. Lampião - Odaliscas da Fiel, a torcida curicana! Says:

    Pior do que tudo isso é ler as asneiras do PEIXOTO…

    Tudo que começa com P dá em merda

    Pedreiro, Puta, PETISTA, Pintor,

  10. Alex Rosa Says:

    essa foi um tapa na cara de muitos por aí e aqui! kkk

    Peixoto-Pres.Prudente/SP Disse:
    setembro 18, 2013 às 9:17 am
    Putz, a Folha de SP, aquela que emprestou caminhões para a Ditadura levar os estudantes presos para serem massacrados, torturados e mortos nos porões do DOI-CODI?????. e esse Adaucto, foi um dos fundadores da “democrática” ARENA????..kkkk.
    O Ministro Celso Mello só jogará sua toga ao chão, se ele contrariar sua as próprias convicções e afirmações anteriores, de que aceitaria os embargos infringentes….
    Não acredito que as pressões dos canalhas da mídia direitista e tucanalha sejam capazes de fazer um Ministro do STF DESDIZER tudo o que dissera antes…
    Acho que hoje a tarde nem vou assistir o jogo do Barcelona…vou acompanhar o choro desses canalhas…

  11. Jesus Says:

    Ei Tucanalhas, será que se o Celso de Mello votar contra os Embargos Infringentes, a população de São Paulo vai parar de sofrer com esse governo inútil??

    Quarta-feira – 18/09/2013

    Trem de carga descarrila, bate em vagão da CPTM e fere ao menos 5 em SP.

    Criminosos assaltam mercearia na Zona Sul de SP.

    Homens renderam vigilantes e roubaram dinheiro e armamento no Morumbi.

    Metro opera com lentidão nessa Quarta-feira.

    Sistema Prodesp deixa fora do ar Poupa Tempo, Delegacias e Detran-SP, por amis de 24 horas.

  12. Marcelo Barge Says:

    Elegemos esta raça de ladrãos e agora queremos reclamar !!!
    Bem feito para a cara de quem votou no PT !!!
    Vale lembrar que o Haddad de elegeu ano passado no meio de julgamento como disse na epoca !!
    Obrigado São Paulo !!!!
    Voces merecem !!!!

  13. Lampião - Odaliscas da Fiel, a torcida curicana! Says:

    Paulinho

    Sugiro mudar o texto do post.
    Os curicanos analfabetos (Peixoto, Jesus e outros) não sabem o que é Toga, podem confundir com TOBA NO CHÃO…

    Imagina essa curicanada raspando a bunda no chão….

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d blogueiros gostam disto: