Advertisements

Sergio Corrêa da Silva e a promiscuidade com Marco Polo Del Nero

Cortes de Mano Menezes demonstram submissão a José Maria Marin

(Trecho da coluna de PAULO CALÇADE, no ESTADÃO)

“Por que o presidente da CBF não se livra de Sérgio Corrêa? Porque ele usa a arbitragem para angariar apoios e votos para Marco Polo Del Nero. Simples assim.”

FALTA BOM SENSO

No futebol profissional praticado no Brasil, a autoridade no campo de jogo é exercida por um amador. Diferentemente de muitas ligas, como a argentina, a inglesa, a japonesa e a mexicana, por exemplo, a arbitragem por aqui está em segundo plano. É quase um bico, um hobby.

Exige-se profissionalismo, mas o ambiente para que ele floresça inexiste. Salvo exceções, o nível dos árbitros brasileiros é fraco, confirmado a cada rodada. Ignora-se, porém, a complexidade do sistema e a responsabilidade de cada um de seus componentes. Os árbitros são a parte visível do problema. No futebol verdadeiramente profissional, eles deveriam ser muito bem formados e terem suas decisões avaliadas e analisadas para que todos pudessem se aproximar da tão desejada coerência.

Lamentavelmente, em vez de aprimorá-los, a CBF os ameaça. Além de conteúdo técnico, fácil de ser desenvolvido no mundo virtual, falta-lhes bom senso. Exposta e vulnerável, lamentavelmente a arbitragem nacional é obrigada a fazer o jogo dos cartolas.

A atuação de Sérgio Corrêa, diretor da Comissão de Arbitragem, explica boa parte das lambanças de seus comandados. Reproduzo uma mensagem dele aos árbitros, exatamente como foi escrita: “A cruzada pelo respeito continua e agregamos o combate a praga da simulação! Vamos combinar: na partida que for observado desrespeito a arbitragem por parte dos jogadores, goleiros que deixam o gol e vai em direção ao árbitro para reclamar… Idem para qualquer integrante da comissão técnica – tudo nos termos previstos pelas regras – devem receber a sanção devida. Caso não ocorra, vamos fazer o mesmo… Esquecer os que esquecem de cumprir!”

Durante muito tempo os jogadores exageraram nas reclamações. Algo precisava ser feito, mas sem bom senso, retirado por decreto pela chefia, não vai funcionar. Por que o presidente da CBF não se livra de Sérgio Corrêa? Porque ele usa a arbitragem para angariar apoios e votos para Marco Polo Del Nero. Simples assim.

Advertisements

Facebook Comments

One Response to “Sergio Corrêa da Silva e a promiscuidade com Marco Polo Del Nero”

  1. Euclydes Zamperetti Fiori Says:

    Lava Jato nas administrações da CBF, federações e respectivas comissões de árbitros

    Porra!

    Espero que a partir desta matéria, as imundas salas da CA-CBF e filiadas recebam componentes químicos fortes para combater as sujeiras ali impregnadas por dirigentes e árbitros desprovidos do respeito aos amantes do futebol

    Contem comigo

    Candidato-me para exercer a função de aplicador destes componentes

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: