Dinheiro repassado pelo Corinthians à Odebrecht para pagar BNDES foi confiscado pela Justiça. Quase R$ 500 milhões sumiram

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 500 milhões de uma conta da Odebrecht específica para pagamento do financiamento do BNDES, liberado para construção do estádio de Itaquera, utilizado pelo Corinthians.

Sem a incidência de juros, o valor a ser quitado pelo clube é de R$ 420 milhões.

Diz a coluna de Mônica Bergamo, na FOLHA de hoje:

“A Justiça determinou nesta semana o bloqueio de R$ 500 milhões de uma conta bancária da Odebrecht. Os recursos serviriam para cobrir o financiamento que o BNDES concedeu para a construção do Itaquerão. O pedido foi feito por meio de uma ação popular que discute a regularidade da negociação com o banco.”

SURPRESA

“A Odebrecht, no entanto, só tinha R$ 200 mil na conta.”

Os dilemas são:

  • onde estão os quase R$ 500 milhões que, em tese, não poderiam ser retirados da conta, a não ser para a finalidade específica (pagar o BNDES) ?
  • qual a origem destes valores, sob responsabilidade de pagamento do Corinthians, mas de repasse obrigatório pelo Arena Fundo, controlado pela Odebrecht ?
  • que medidas tomará a CAIXA, intermediadora do acordo, que, por contrato, pode requerer a posse do estádio em caso de inadimplência do empréstimo ?

São muitas as obscuridades do negócio entre Corinthians e Odebrecht, algumas delatadas na “Operação Lava-Jato”, como o caso de pagamento de propina a dirigentes alvinegros (citados Andres Sanches, André Negão e Vicente Cândido), outras, como é o caso agora, ainda passíveis de explicações.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.