Advertisements

Arraial da promiscuidade: Presidente do CORI do Corinthians segue fazendo negócios no Parque São Jorge

Osmar Basilio e Andre Negão

Ontem, no Parque São Jorge, a pretexto de arrecadar fundos para o “Grupo Socorrista Itaporã”, entidade espírita localizada no Tatuapé, o Colégio Drummond, de propriedade do presidente do CORI alvinegro, Osmar Basílio, organizou uma festa junina nas dependências do Corinthians, em clara inadequação com o que prevê o Estatuto do clube, que impede qualquer tipo de negócio realizado com conselheiros.

Além de, segundo informações, não pagar pela locação do espaço, Basílio, que colaborou financeiramente na fracassada tentativa do vice alvinegro, André Negão, de chegar à Câmara de Vereadores de São Paulo, espalhou a marca de sua empresa no local, em propaganda gratuita ampliada por suposto fim assistencialista.

Ou seja, o lucro pela exposição da imagem é evidente.

A atitude, de promiscuidade entre um órgão fiscalizador (CORI) com o fiscalizado (a Diretoria), enganou a poucos e revoltou associados e conselheiros do clube.

Abaixo alguns desabafos, que recebemos por wathsapp:

“(…) mais de 5 mil pessoas… beneficente para quem ?”

“Estacionamento de sócios cheio, transito infernal durante todo o dia, sujeira no Parque São Jorge inteiro… “

“Despesas de água, luz… quem paga ?”

“Alvará de Funcionamento… tiraram ?”

“R$ 25 de estacionamento… foram para os caixas do clube ?”

“Mesas no gramado… tudo estragado… e os sócios ? Todos prejudicados… além disso teve jogo de Basquete… Marginal entupida…”

“Pediram autorização para o Conselho para este evento ?”

“Cartão de consumo custava R$ 2… daí abastecia para o evento… no final, devolvia ou doava para o evento”

“Caminhões e carros do Drummond dentro do estacionamento de sócios… entupindo tudo”

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: