Advertisements
Anúncios

Deputada apela a Geraldo Alckmin para “tombar” estádio do Canindé e salvar a Portuguesa

clecia-gomes

No último dia 19, a deputada estadual Clécia Gomes (PHS) ingressou com pedido direto ao Governado de São Paulo, Geraldo Alckmin, para que este interceda, com rapidez, mas pelos meios legais, pelo tombamento histórico do estádio do Canindé.

O prazo é apertado já que o Leilão do imóvel está marcado para o próximo dia 07 de novembro.

Diz trecho do documento:

“Diante de tal situação, é de extrema urgência que não se meçam esforços para preservar o Estádio Doutor Oswaldo Teixeira Duarte, que é a representação viva dos nossos descobridores e carrega em suas cores e tradições, um pedacinho de Portugal em São Paulo. O objetivo do tombamento, visa a evitar que todo o acervo histórico e cultural do Estádio seja perdido no tempo e no espaço, trazendo profunda tristeza, angústia e perca para todo o povo luso-brasileiro, portanto, todos nós! “

Se acatado, o tombamento não impedirá o leilão, mas praticamente o inviabilizará, levando-se em consideração que o provável comprador dificilmente teria interesse em adquirir o bem para mantê-lo como estádio de futebol.

Abaixo a íntegra da proposição da deputada Clécia Gomes:

CAPÍTULO IV

Das Indicações

Artigo 159 – Indicação é a proposição pela qual são sugeridas aos poderes do Estado ou da União medidas de interesse público que não caibam em projeto ou moção de iniciativa da Assembleia. Deve ser redigida de modo que no texto a ser transmitido se contenham todos os elementos necessários à sua compreensão. (40)

Artigo 160 – Lida em súmula na hora do Pequeno Expediente, e assim publicada, o Presidente a encaminhará independentemente de deliberação do Plenário.

Artigo 161 – No caso de entender o Presidente que determinada indicação não deva ser encaminhada, dará conhecimento da decisão ao autor. Se este insistir no encaminhamento, o Presidente da Assembleia a enviará à Comissão de Constituição, Justiça e Redação, ou à que deva examinar o seu mérito, conforme o caso.

Parágrafo único – Se o parecer for favorável, a indicação será transmitida; se contrário, será arquivada.

INDICAÇÃO Nº 106428, DE 2016

INDICO, nos termos do artigo 159 da XIV Consolidação do Regimento Interno, ao Excelentíssimo Senhor Governador do Estado, as providências no sentido de determinar à Secretaria de Cultura que efetue providências junto ao CONDEPHAAT, para que se inicie um estudo técnico da localidade, arredores, entorno e do próprio imóvel do Estádio Doutor Oswaldo Teixeira Duarte, conhecido como Estádio do Canindé ou ainda Estádio da Portuguesa, para fins de tombamento como patrimônio histórico do Estado de São Paulo.

JUSTIFICATIVA O Deutsch Sportive, clube da colônia alemã em São Paulo, possuía um imóvel no bairro do Canindé, onde praticava os mais variados esportes. Mas, com a declaração de guerra do governo brasileiro aos países do Eixo, durante a Segunda Guerra Mundial, começa uma perseguição a clubes das colônias desses países, inclusive a alemã. O Deutsch resolve vender seu imóvel temendo perdê-lo confiscado.

Em 1956, a Portuguesa adquiriu o imóvel no bairro do Canindé. Para que pudessem ser realizadas partidas oficiais no local e atender às exigências da Federação Paulista de Futebol, foram realizadas várias reformas, levantados alambrados e uma arquibancada provisória de madeira. Estas primeiras arquibancadas acabaram conferindo ao estádio o apelido carinhoso de “Ilha da Madeira” — título que, além de ser alusivo à condição da edificação, também se refere à ilha portuguesa.

Com tais características, o Canindé recebeu sua primeira partida oficial em 11 de novembro de 1956, quando a Portuguesa venceu uma seleção formada pelos rivais Palmeiras/São Paulo por 3 a 2. Com o nome de Estádio Independência, o Estádio do Canindé foi inaugurado oficialmente em 09 de janeiro de 1972, com a partida Portuguesa 1 a 3 Benfica. Em 1979 o presidente Manuel Mendes Gregório rebatizou o estádio com o atual nome de Estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte, homenageando seu predecessor na presidência do clube. Sendo até um dos estádios candidatos á sede da Copa do Mundo de 2014, perdendo tal eleição posteriormente para o Corinthians.

Em 2015, com a Portuguesa passando por grave crise financeira, chegou ao ponto de penhora do Canindé. Diante de tal situação, a diretoria do clube decidiu por iniciar uma reforma que reduziria a capacidade do estádio para 15 mil espectadores e permitiria maior exploração comercial do terreno., chegando a ser alugado para uma igreja.

Assim, atravessando profunda dificuldade financeira, o Estádio do Canindé terá 45% (quarenta e cinco por cento) de sua área levada à leilão, com lance inicial de R$ 154.296.529,68, para pagamento de dívidas trabalhistas.

Diante de tal situação, é de extrema urgência que não se meçam esforços para preservar o Estádio Doutor Oswaldo Teixeira Duarte, que é a representação viva dos nossos descobridores e carrega em suas cores e tradições, um pedacinho de Portugal em São Paulo. O objetiva do tombamento, visa a evitar que todo o acervo histórico e cultural do Estádio seja perdido no tempo e no espaço, trazendo profunda tristeza, angústia e perda para todo o povo luso-brasileiro, portanto, todos nós!

Deputada Clélia Gomes

São Paulo, 19 de setembro de 2016

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: