São Marcos do Palestra Itália, muito obrigado !

Absolutamente emocionantes os momentos vividos por todos os amantes do futebol e principalmente os palmeirenses na despedida de São Marcos, no Pacaembu.

38 mil pessoas que viram o Mito palestrino fazer questão de entrar no gramado com seus três filhos, um de apenas um mês e sua esposa, cantando com todo o amor possível o hino do Palmeiras.

Depois, demonstrar a velha forma ao realizar difíceis intervenções em batidas de Rivaldo e Ronaldo, e até fazer um gol, de pênalti, o primeiro e único de sua carreira, este claramente com a ajuda do amigo Dida.

Numa partida em que Cleber e Edmundo fizeram o torcedor palestrino lembrar o que era ter um bom zagueiro e um excepcional atacante na equipe.

Logo após os dois a dois, gols de Marcos e Paulo Nunes para o Palmeiras e Edilson e Luizão para a Seleção de 2002, São Marcos jogou alguns minutos no ataque, substituindo Evair, e até Ademir da Guia entrou no gramado.

O jogo terminou aos 26 minutos do segundo tempo, quando o relógio marcava 12 horas PM, do dia 12, do 12 de 2012, número marcante da camisa do ídolo palmeirense.

E o estádio parou, as luzez foram desligadas, o refletor encontrou São Marcos, que, após um emocionante discurso, pediu, como se fosse possível para o torcedor palmeirense “nunca esquecê-lo.”

Certamente não esquecerá.

Por fim, a justa volta olímpica, em cima de um carrinho utilizado para carregar as macas, recebendo o aplauso e o carinho de todo o Pacaembu, fechou a carreira, com chave de Ouro, de um dos maiores jogadores de todos os tempos.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.