Advertisements
Blog do Paulinho

Presidente da CAIXA entrega mentiras do Corinthians em acordo pelo estádio

Em entrevista à Jovem Pan, Daniella Marques, presidente da CAIXA, confirmou o que o leitor do Blog do Paulinho, sempre bem informado, já sabia há algum tempo: o Corinthians não pagou um centavo dos R$ 400 milhões emprestados há quase oito anos.

“(…) essas operações não foram pagas, então, hoje estão provisionadas a zero no balanço”

“(…) não foram pagos… ai você vai entrando em atraso… você entra em classificação de risco até que chega uma hora em que você ‘marca zero’, você fala: ‘não espero mais nada…’, mas, ainda assim, você atua para reestruturar essa dívida””

Não à toa, o novo arranjo de tentativa de quitação foi estabelecido em R$ 611 milhões.

Após a repercussão, cartolas do Timão correram para desmentir a informação.

Porém, diferentemente do que ocorre em Parque São Jorge, em que o auditor do balanço é parceiro do diretor de finanças – e também do antecessor, na CAIXA, absolutamente monitorada por investidores e pela sociedade, as contas são levadas à sério.

Nesse contexto, fica claro que tudo o que saiu do Arena Fundo, entre CIDs e dinheiro da operação da Arena, foi repassado à Odebrecht e, talvez, a outros intermediários não identificados.

Daniella disse ainda, o que foi escondido pela diretoria do clube, que para garantir o novo financiamento, o Corinthians cedeu a renda, os recebíveis de contratos de televisão e até, pasme, direitos sobre jogadores de futebol.

“(…) agora vai sair uma operação de reestruturação, se não me engano foi comunicada hoje, pra que a gente reforce as garantias e aí, trazendo garantias, envolvendo: a bilheteria do estádio, a venda do direito de transmissão dos jogos, a cessão de alguns jogadores…”

Ao empurrar alguns atletas à CAIXA, o Timão será ainda, por óbvio, responsável pela indenização aos intermediários que participam dos negócios.

Todo esse impacto, arrasador para o clube, será sentido somente na próxima gestão, já que, espertamente, o atual presidente, Duílio ‘do Bingo’, fez questão de criar uma janela de pagamento que o livra dessa obrigação.

Este péssimo acordo foi aprovado em unanimidade pelo Conselho, o que demonstra a má-fé de alguns e a covardia de outros.

Sem que exista, até o momento, sequer uma comprovação do pagamento dos naming-rights do estádio de Itaquera – tratado por Duílio como responsável por quase metade da pendência -, muito menos plano financeiro crível, levando-se em consideração que nos balanços dos últimos quinze anos nunca sobrou dinheiro para pagar as parcelas que o clube, agora, se compromete a honrar, sem contar a necessidade de amortizar outras pendências, que superam R$ 1 bilhão, qualquer promessa na contramão desta realidade aproxima-se de verdadeiro ‘conto do vigário’, em que os falsários são amplamente conhecidos da coletividade alvinegra.


Abaixo, vídeo e transcrição:

Daniella Marques – presidente da CAIXA

“Na época da operação original, da construção do estádio do Itaquerão, em 2014, tanto a CAIXA como o BNDES, entraram como credores, o que é diferente…”

“Agora eu tenho um imóvel (estádio) que, possivelmente, eu posso vender ou fazer alguma transação imobiliária”

“Naquela época (o banco) entrou como credor… financiando a obra do estádio, com as empreiteiras que participaram… essas operações não foram pagas, então, hoje estão provisionadas a zero no balanço”

Jovem Pan

“O que significa ‘provisionada a zero’?”

Daniella Marques – presidente da CAIXA

“Vamos supor… eram R$ 2 bilhões que foram emprestados… não foram pagos… ai você vai entrando em atraso… você entra em classificação de risco até que chega uma hora em que você ‘marca zero’, você fala: ‘não espero mais nada…’, mas, ainda assim, você atua para reestruturar essa dívida”

“Então, a equipe lá de finanças da CAIXA vem atuando com muito afinco nisso… no maior interesse público, e agora vai sair uma operação de reestruturação, se não me engano foi comunicada hoje, pra que a gente reforce as garantias e aí, trazendo garantias, envolvendo: a bilheteria do estádio, a venda do direito de transmissão dos jogos, a cessão de alguns jogadores… para que a gente reforce as garantias e recupere estes recursos…”

“Então, é uma operação que vem transitando desde 2014, aliás, antes de 2014, que é quando teve a Copa, até hoje…”

“Isso foi uma operação de crédito muito mal sucedida, no final, que a gente tenta ainda reestruturar, recuperar, e agora foi mais um capítulo disso”

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “Presidente da CAIXA entrega mentiras do Corinthians em acordo pelo estádio

  1. guest

    Na Transamérica, o Alex Müller (se não me engano) disse que o Conselho não apita nada nessa história, que a postagem do Duílio nas redes sociais se referia ao conselho a título de deferência.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: