Justiça quebra sigilo fiscal de candidato a presidente do Corinthians. Números surpreendem

Ricardo Maritan, Augusto Melo e José Avenia Neri

Ontem (16), em entrevista ao ‘Globo Esporte’, Augusto Melo, candidato a presidente do Corinthians, voltou a demonstrar desconforto quando questionado sobre a origem do dinheiro que banca sua campanha.

Respondeu que parte dos valores provém de seus próprios recursos e que o restante é fruto de doações espontâneas de seus seguidores.

No Parque São Jorge, especula-se a possibilidade do aporte de agentes de jogadores parceiros do candidato.

Há quem fale até em parcerias mais ‘complicadas’.

Recentemente, em ação ligada ao Banco do Brasil, a Justiça de São Paulo ordenou a quebra de sigilo fiscal de Augusto Melo.

O Blog do Paulinho teve acesso às três últimas declarações de Imposto de Renda do candidato (2017, 2018 e 2019), todas com números surpreendentes.

De cara, o documento de 2019, referente aos rendimentos de 2018, desmente a afirmação, reiterada no ‘Globo Esporte’, de que Melo seria um ‘empresário aposentado’ há três anos e meio.

No campo de recebimentos previdenciários o valor discriminado é ‘ZERO”.

Augusto declarou ao Fisco que sua renda anual foi de R$ 23.580,00.

Média de R$ 1.965,00 mensais.

Não há nenhum outro tipo de rendimento apontado pelo candidato.

É estranha, também, a declaração de bens de Augusto Melo.

Em 2017, o ‘empresário’ alegava possuir R$ 100 mil em capital social da empresa ‘Vicla Comércio de Bolsas e Assessórios’, que, revelamos ontem, teve vida curta (dissolvida após um ano) e parece ter sido criada com objetivo único de receber dinheiro oriundo de intermediação de jogadores.

Para saber mais, basta clicar no link a seguir:

Do Corinthians à Barbarense: os esquemas de Augusto Melo, empresário de jogadores que é candidato a presidente do Corinthians

Por razões óbvias, em 2018, Melo revelou que a empresa foi encerrada e ‘zerou’ o capital apontado anteriormente.

Para o Fisco, o candidato a presidente do Corinthians declarou como único ‘bem’ a posse de R$ 320 mil, em espécie.

R$ 90 mil a mais do que dizia ter em 2017, apesar da aparente impossibilidade, diante da renda apresentada, de comprovação da origem destes recursos.

Em 2018, Augusto protocolou na Receita Federal informações de rendimentos mensais, obtidos em 2017, de apenas R$ 500,00 (menor do que o salário mínimo).

Um ano antes, em 2017, seus rendimentos oficiais, referentes ao exercício 2016, foram de, em média, R$ 596,00 mensais.

Resta saber para quem Augusto Melo estaria mentindo.

Se ao Fisco, não seria a primeira vez.

O Blog do Paulinho revelou, recentemente, que o cartola foi condenado a dois anos e dez meses de prisão por sonegação de impostos.

Candidato a presidente do Corinthians foi condenado a dois anos e dez meses de prisão por sonegação de impostos


Em tempo: à Justiça, meses atrás, Augusto Melo declarou não possuir mais um centavo sequer dos R$ 320 mil, em espécie, que declarou ao IR, porém, não conseguiu comprovar, documentalmente, o destino desses recursos, razão pela qual foi multado.

Facebook Comments
Advertisements

One Reply to “Justiça quebra sigilo fiscal de candidato a presidente do Corinthians. Números surpreendem”

  1. AGORA DA PRA ENTENDER PORQUE CITADINE ABANDONO ESSA BARCA FURADA. UM EX PRESIDENTE DE TRIBUNAL DE CONTAS NÃO IA PODER TER SEU NOME LIGADO A ESSE 171. QUE TRISTE MOMENTO VIVE O CLUBE CORINTHIANS. DIVIDA BILIONARIA, DEFICITE, SEM CREDIBILIDADE, MARCA ARRANHADA, TIME DE MERDA E DOS 3 CANDIDATOS A PRESIDENTE O MENOS PIOR É O DELEGADO BANANA. QUE DEUS SALVE O CORINTHIANS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.