Advertisements

Para evitar mais constrangimento, presidente do Conselho do Corinthians tem que renunciar

Antonio Goulart e Andres Sanches

Ontem (20), o Blog do Paulinho revelou que Antonio Goulart, presidente do Conselho Deliberativo do Corinthians, foi condenado, pela terceira vez, por improbidade administrativa, recebendo três punições: multa, perda de cargo político e também dos direitos de se candidatar, votar e ser votado pelos próximos cinco anos.

O leitor terá acesso aos detalhes, com exposição de documentos, clicando no link a seguir:

Presidente do Conselho do Corinthians, após terceira condenação por improbidade, está inelegível pelos próximos cinco anos

Diz o art. 28, parágrafo C, do Estatuto do Corinthians:

“É passível da pena de desligamento o associado que (…) for condenado por sentença transitada em julgado pelas práticas de crimes hediondos ou infamantes”

Wladimir Braga

Segundo o Professor Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais, Wladimir Flávio Luiz Braga, um crime pode ser considerado infamante:

  • dependendo das circunstâncias em que foi praticado, ou seja, dos motivos que levaram o agente a delinqüir e dos meios empregados;
  • se acarreta ao autor profundo aviltamento moral: desonra, indignidade, má-fama (infâmia), perda de credibilidade e, consequentemente, maior reprovação social.

Seguramente, a condenação de Goulart se enquadra nesse perfil.

Duas das condenações transitaram em julgado e, a mais recente, segue o caminho natural dos recursos protelatórios.

Diante do cenário exposto, ainda que se possa discutir teses diversas sobre a possibilidade ou não do desligamento de Goulart do quadro associativo alvinegro, é certo que não existe mais credibilidade para o ex-vereador ocupar o importante cargo de Presidente do Conselho.

Para evitar mais constrangimentos ao Corinthians, urge o pedido de renúncia do cartola.

Até para que o ato sirva de exemplo às centenas de postulantes a novos cargos do Conselho, que serão votados nas eleições marcadas para novembro.

Não se pode confiar a alguém de currículo tão deplorável poderes que possam, de alguma maneira, interferir no pleito alvinegro, entre os quais a condução da votação de contas da gestão Andres Sanches.

Ainda que o vice-presidente, que assumirá o cargo, seja o desembargador Ademir Benedito, ligado, como dinheiro e bolso, ao presidente alvinegro.

O exemplo, neste caso, se sobrepõe à consequência.

Goulart obedece ao candidato a presidente Paulo Garcia, dono da Kalunga e irmão do agente de jogadores Fernando Garcia.

Paulo Garcia e seus “seguidores” em evento de apoio a Goulart
Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: