Advertisements

General Heleno, a Gestapo e os celulares

Ontem (26), a Polícia Federal promoveu ação cinematográfica em investigação que pode levar o lamentável governador do Rio de Janeiro à prisão.

Foi autorizada, inclusive, a quebra de sigilo telefônico do mandatário carioca.

Se embasada apenas na motivação policial, o comportamento seria digno de aplausos, mas indícios fortes apontam para utilização governamental da instituição contra desafetos do Presidente da República.

A PF sendo tratada como Gestapo.

Resta saber agora a opinião do ‘corajoso’ General Heleno, que, na semana passada afirmou a possibilidade de ‘consequências imprevisíveis’ se o celular de Bolsonaro fosse objeto de apreensão.

O do Governador do Rio de Janeiro pode?

Não há muito tempo, Heleno destacou, em vídeo, a figura, segundo ele, ‘ilibada’ de Wilson Witzel:

Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “General Heleno, a Gestapo e os celulares”

  1. Isso é obra desse presidente psicopata. O coronavirus ameaça milhões e os governadores todos estão fazendo a coisa certa. Bolsonato não governa, a intenção dele é fazer o mal. Não existe comunismo nenhum ameaçando o capitalismo ou a democracia. Nos protestos de Junho de 2013, Dilma Rousseff admitiu os protestos , coisa que Bolsonaro não admitiria porque ele é o ditador de verdade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: