Golden State Warriors repudia Trump e dá lição ao mundo

Campeão de dois dos três últimos campeonatos da NBA, o Golden State Warriors tratou de inserir o último deles, conquistado dias atrás, na história da luta contra o autoritarismo.

É praxe entre todos os conquistadores de títulos expressivos nos EUA visitar o presidente do país, em evento bem mais importante para o mandatário faturar politicamente por conta da popularidade alheia do que propriamente para o clube.

Não se trata, claro, de exclusividade americana a mistura de esporte com política, sempre em desfavor da população.

Vale lembrar exemplos mais famosos no Brasil, como a chegada das seleções campeãs mundiais, que se viram obrigadas a bajular os respectivos presidentes, e até clubes populares, que também posaram ao lado de políticos, parlamentares, etc.

Ontem, porém, os campeões da NBA, em protesto contra o deplorável governo Donald Trump, por unanimidade (comissão técnica, jogadores e direção) anunciaram que não beijarão as mãos da presidência, e sequer viajarão a Washington.

Um exemplo para o mundo.

Sim, houve outros pela história, nem todos no mesmo contexto, mas ainda assim importantes, como a “Democracia Corinthiana”, que se insurgiu contra os desejos de um governo militar brasileiro, mas poucos com a relevância e a visibilidade do atual, em que o melhor time, do esporte mais popular (basquete), do país que comanda o mundo recusa-se a homenagear seu ditador.

Há esperança no Planeta.

O recado foi transmitido e, espera-se, assimilado pelos que, tomara, sejam estimulados a agir com a coragem de não se aliar ao que não presta, mesmo que seja apenas em evento protocolar, mas ainda assim com poder de sugestionar positividade a quem exala imoralidade.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

5 ideias sobre “Golden State Warriors repudia Trump e dá lição ao mundo

  1. Teve isso mesmo? Vi várias notícias dizendo que não era verdade, que nem tinham recebido convite ainda.

    “Today is all about celebrating our championship. We have not received an invitation to the White House, but will make those decisions when and if necessary.”

    Read more at http://wwos.nine.com.au/2017/06/14/13/53/nba-champions-golden-state-warriors-deny-a-decision-has-been-made-about-white-house-visit#86EAz0ZpyCs1ByCP.99

    Paulinho: Teve…

  2. Como o respeito que merece, a exemplo de mim, a grande maioria que acompanham o seu blog, possui senso crítico suficiente para refutar sua opinião pessoal infeliz e totalmente equivocada sobre o Presidente dos Estados Unidos. Termos usados no seu post como “ditador”, “deplorável”, “imoralidade”, não cabe à presidência dos E.U.A., pois, foi eleito democraticamente pelo povo americano através do voto, obedecendo as regras por meio das quais os cidadãos elegem os seus representantes de acordo com a sua Constituição. Além disso, o sistema político americano garante os princípios fundamentais de um regime democrático, como sufrágio universal, eleições livres e justas, livre expressão, direito de oposição, imprensa livre etc.
    É isso!!!

  3. Você viu que um intolerante seguidor do Trump atirou em parlamentares do partido progressista americano, os Democratas?
    Ah, não, né?
    O cara era seguidor do socialista Sanders e atirou em republicanos durante uma partida de basebal. Feriu gravemente um parlamentar.

    E, de novo, essa presepada de que os caras se insurgiram contra os militares? Rapaz, tinha 20 anos nesta época, nada disso é verdade. Sócrates e cia simplesmente usurparam o poder. O técnico e dirigentes não mandavam nada, quem mandava era a turma do Sócrates. E eles não fizeram absolutamente nada contra os militares. NADA. O resto é mentira.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.