Anúncios

Cartolas, conselheiros e torcedores agem por dinheiro

“Simples assim, embora precise ser desenhado num país em que traficante se vicia, prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme e pobre é de direita, como dizia Tim Maia. E jornalista faz merchan. É mesmo a cara do Brasil.”


Da FOLHA

Por JUCA KFOURI

Grande amigo, apaixonado por política e por futebol e, como só se diz no Brasil, irritantemente honesto, conta ouvir de seu analista que ele sofre de “masoquismo patológico”.

Só pode.

Porque não há nada mais parecido com o Brasil que o futebol brasileiro, ou, por outra, nada mais parecido com o futebol brasileiro que o Brasil.

Deixemos pra lá o Marco Polo que não viaja e seus antecessores.

Lembremos, de novo, dos acontecimentos recentes no Palmeiras, e dos no Corinthians, em 2005.

Então, dizia-se: “Não importa a origem do dinheiro da MSI desde que venha via Banco Central”.

Assim é no futebol e na política.

Se o dinheiro vem de tráfico de drogas, de armas, de porca agiotagem, de doleiro, de lavagem, dane-se, importa aparentar ser decente.

Há até quem distinga o dinheiro de caixa 2 para se eleger do para enriquecer nas campanhas, como se fossem dinheiros diferentes e como se quem usa para um fim não use para o outro.

Do mesmo modo os petistas, em vez de ajoelhar no milho e pedir desculpas ao país por terem se lambuzado, dizem ter agido como os demais partidos, como se isso os inocentasse.

O caso do Corinthians acabou na morte, aparentemente por envenenamento, do chefão russo Boris Abramovich Berezovsky em seu luxuoso apartamento em Londres.

Mas o dinheiro dele entrava pelo Banco Central para comprar Carlitos Tévez, Nilmar, Mascherano e sabe deus quem mais.

Era, do enviesado ponto de vista em voga, “legal”.

Na segunda-feira passada vimos espetáculo deprimente para validar a eleição como conselheira do clube da patrocinadora do Palmeiras, Leila Pereira, sem ter tempo suficiente como sócia para tanto.

Simplesmente se fez tabula rasa do estatuto porque, segundo o discurso de um dos majoritários conselheiros subservientes ao dinheiro da Crefisa, “não é hora para melindres legais diante do tamanho do patrocínio”.

No Corinthians o dinheiro era sujo, mas “legal”. No Palmeiras o dinheiro é visto como limpo, mas compra uma ilegalidade.

Deixemos claro na suruba brasileira (perdão rara leitora e raro leitor, mas o termo é de um membro da quadrilha nacional), porque há quem não entenda: não se discute a legitimidade da pretensão da patrocinadora palmeirense em vir a presidir o clube.

Só aponta-se para o fato de o estatuto alviverde não permitir sua candidatura, objeção nem sequer mencionada na votação legitimadora.

Simples assim, embora precise ser desenhado num país em que traficante se vicia, prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme e pobre é de direita, como dizia Tim Maia. E jornalista faz merchan.

É mesmo a cara do Brasil.

Os tucanos chamam de petralhas quem vê o atual governo pior que o anterior. Os petistas chamam de coxinhas quem acha o inverso.

Os corintianos chamavam de “anti” os críticos da MSI, da Arena Corinthians e da promiscuidade com o governo.

Os palmeirenses chamam de invejosos quem mostra a indecência em curso no clube.

Porque é tudo por dinheiro e, se é assim, fica uma sugestão, sem ironia, sem segundas intenções e melhor que a achada pelo eleitorado dos Estados Unidos: Silvio Santos para presidente!

Anúncios

4 Respostas to “Cartolas, conselheiros e torcedores agem por dinheiro”

  1. Jerônimo Silva Says:

    E quando o Flamengo se juntou ao Eike Batista para juntos administrarem o Maracanã….a e o vice do flamengo ta preso, a e ai nem vamos comentar….

  2. odeiomundo (@odeiomundo) Says:

    sou pobre, e sou de direita. Até hoje não sei porque todo esquerdista comunista é contra isso. Ridículo.

  3. marcospaulo2015 Says:

    Pobre de direita. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Raja Natureza Says:

    o Brasil é um país onde jornalista vende entrevista com o nome de “serviços jornalísticos” e quanro à candidatura de Silvio Santos para presidente, o colunista está atrasado em cerca de 30 anos, quando o Silvio Santos se lançou candidato e os amigos do jornalistas conseguiram bloquear com um golpe na justiça.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: