Áudio de Bernard compromete Alexandre Kalil em transação para o Shakhtar Donetsk

Alexandre Kalil
Alexandre Kalil

Recentemente, o jogador Bernard foi negociado pelo Atlético/MG para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por 25 milhões de Euros (R$ 77 milhões), numa das maiores transações da história do país.

A divisão dos valores teria que ter sido efetuada da seguinte maneira (segundo documentos obtidos pelo blog):

  • 75% para o Galo: R$ 57.750.000,00
  • 15% para Bertolucci/Kia Joorabchian: R$ 11.550.000,00
  • 10% BMG (Coimbra F.C.): R$ 7,7 milhões

A família tinha os 25% (que o Galo concedeu na assinatura do primeiro vínculo), mas vendeu 10% ao ex-jogador Bebeto (tetra-campeão mundial), que revendeu-os ao BMG, por R$ 1,5 milhão.

Bernard negociou, posteriormente (antes da negociação com o Shakhtar), os outros 15%, por R$ 2,85 milhões, com os referidos empresários.

Existia, porém, acordo firmado, entre Bernard e seu “descobridor”, Rubens Martins, responsável por levá-lo ao Atlético, de repassar-lhe 5% de eventual transação futura: R$ 3,85 milhões, que nunca foi honrado.

Martins recebeu apenas R$ 200 mil, porque Bernard alegou ter sido coagido por Alexandre Kalil, candidato a Prefeito de Belo Horizonte, à época, presidente do Atlético/MG,  a abrir mão dos 15% (para Bertolucci/Kia), dois meses antes da venda para a Ucrânia, em troca de um apartamento de pouco mais de R$2,25 milhões, com o restante do saldo, provavelmente, quitado em espécie.

ATLÉTICO TENTOU COMPRAR 15% DE BERNARD

Casos Lyon e Galo-Cruzeiro escancaram imoralidade dos bastidores no futebol

Assim que percebeu o potencial de Bernard, o Atlético/MG tentou adquirir 15% que a família possuia, até então, sobre os direitos do jogador (que foram cedidos pelo próprio Galo, anteriormente, na assinatura do primeiro contrato).

O clube ofertou uma casa no valor de até R$ 2,8 milhões.

Bernard encontrou um imóvel nesse padrão, mas, quando apesentou a Kalil, a história mudou de figura, com o presidente atleticano recuando sob alegação de que o clube enfrentava dificuldades financeiras.

BERNARD VENDE SEUS 15% A GIULIANO BERTOLUCCI/KIA JOORABCHIAN

casa-bernard

Em 10 de maio de 2013, dois meses antes da transferência para a Ucrânia (quando, por razões óbvias, a proposta já era de conhecimento dos empresários), Giuliano Bertolucci, que o MPF, em relatório, trata como preposto do iraniano Kia Joorabchian, compra os 15% de Bernard (com aval assinado por Alexandre Kalil).

A suspeita é de que todos, de alguma maneira, esperavam lucrar com o jogador.

Segundo Bernard (em áudio que o blog disponibiliza ao final da matéria), Kalil teria ameaçado o atleta se não abrisse mão do valor que teria de receber por direito:

“O Kalil falou que não ia dar minha porcentagem na venda”.

O Blog do Paulinho, na última semana, publicou áudio em que o pai de Bernard diz que o presidente do Galo mandou o atleta pegar uma casa de R$ 2,5 milhões, dizendo, “é a sua parte”, alegando que havia outros beneficiários a serem pagos.

Pai de Bernard detona (e entrega) candidato a Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil

Pressionado, o atleta abriu mão de quase R$ 12 milhões pelo imóvel referido, que custou, no final, R$ 2,25 milhões, e foi quitado com dinheiro de Giuliano Bertolucci/Kia Joorabchian, nos seguintes termos: R$ 900 mil de entrada + 10 parcelas de R$ 135 mil.

As transferências bancárias se deram da conta do empresário diretamente para a dos ex-donos da casa.

escritura-1

A VENDA DE BERNARD PARA A UCRÂNIA E O OBSCURO CAMINHO DO DINHEIRO

bernard-contrato-venda

Em 08 de agosto de 2013, dois meses após as transações que terminaram por conceder 25% de Bernard para os parceiros Giuliano Bertolucci/Kia Joorabchian (15%) e BMG – o banco do Mensalão (10%), a venda do atleta foi concluída junto ao Shakhtar Donetsk, por 25 milhões de Euros (R$ 77 milhões).

Porém, segundo Bernard (em áudio abaixo), destes, R$ 54 milhões ficaram com o Galo (dos R$ 57.750.000,00 a que teria direito pelos 75%) e os outros R$ 23 milhões: “(…) foi pro caralho a quatro mesmo… Giuliano Bertolucci”, revelou.

Segundo contrato firmado pelo Atlético com as partes, Bertolucci/Kia teriam direito a receber R$ 11.550.000,00 e o BMG/COIMBRA, R$ 7,7 milhões.

Ou seja, R$ 19.250.000,00, não R$ 23 milhões.

Teria, destas fontes, o presidente do Galo saciado a sua sede ?

Alguns questionamentos são pertinentes nessa operação:

É mais fácil acreditar que a família de Bernard teria aberto mão de receber R$ 11,5 milhões em troca de R$ 2,8 milhões por coação do presidente do Galo ou que as partes se uniram por um mesmo ideal ?

Por que Alexandre Kalil, em nome do Atlético, teria oferecido um imóvel no valor de pouco mais de R$ 2 milhões para adquirir 15% da família em nome do Galo, e, mesmo sabendo que poderia pagar parcelado, retirou a oferta, dias depois, para, em sequencia, estimular o jogador a aceitar proposta semelhante de agentes de futebol, segundo Bernard, indicado pelo mandatário alvinegro ?

Noutro áudio, que o blog tem guardado (para não identificar um dos interlocutores), o pai de Bernard faz novas revelações:

  • Kalil teria prometido dar um carro de luxo para Bernard assim que aceitasse a proposta do Shakhtar, mas quando o atleta estava com o contrato em mãos, teria falado: “não vou te dar nada, acerte-se com eles”… o negócio só não melou porque Giuliano/Kia, do bolso, presentearam o atleta com um Porsche;
  • Da sala do presidente do Shakhtar, Bertolucci ligou para Kalil para pegar o número da conta do Atlético, para que os R$ 77 milhões fossem pagos, à vista, conforme combinado… Kalil, segundo  pai de Bernard, falou: “Não ! Pelo amor de Deus, não pode transferir para o Brasil, receba por ai…”. Em sequencia, a equipe ucraniana depositou o dinheiro num banco europeu, do qual apenas R$ 54 milhões teriam sido enviados ao Brasil (parte chegou até a ser bloqueada)… que destino levou o restante da quantia ?
  • O Pai de Bernard diz que Kalil, a título pessoal, teria recebido parte do dinheiro pago pela equipe Ucraniana.

ABAIXO, ÁUDIO (COM TRANSCRIÇÃO) DE BERNARD, EM CONVERSA COM AGENTE DE FUTEBOL, REVELANDO DETALHES DA TRANSAÇÃO:

Empresário

“Bernard, esses R$ 77 milhões gerou ciúme lá em Donetsk ?”

Bernard

“Ah! Gerou né… maior venda da história do país… a maior compra, né ?”

Empresário

“O Kalil vai pegar agora uns R$ 54 milhões, não é isso ? Que já liberou…”

Bernard

“R$ 54 milhões…”

Empresário

“E os outros R$ 23 milhões vão pra onde ?”

Bernard

“tem o Gi… dinheiro foi pro caralho a quatro mesmo… Giuliano Bertolucci”

Empresário

“Mas quanto você tinha de participação no contrato ?”

Bernard

“Nada…”

Empresário

“Mas por que ?”

Bernard

“A minha porcentagem eu peguei na casa, né ?”

Empresário

“Jesus do Céu!

Bernard 

(inaudível) olha, o dinheiro está agarrado até hoje… isso ai é desespero que eu ia passar com vocês…

Tá na casa, (inaudível) pegou a casa… deu uns 10%, 15 eu acho… 10 ou 15 que eu tinha…”

Empresário

Brigaram na Justiça e não mandaram abrir mão não ?

Bernard

Vou abrir mão de r$ 12 milhões ? Ai é foda…

Empresário

Ai o que aconteceu… me fudeu… abriu mão do meu…

Bernard

Eu não ia ganhar os R$ 12 milhões (se recusasse a casa)

Empresário

Jesus !

Bernard

O Kalil falou que não ia dar minha porcentagem na venda

Empresário

Ah! Mas se tá no contrato, meu filho…

Bernard

Não adianta…

Empresário

Eu não vou (se colocando no lugar de Bernard)

Bernard

Ah, tá! Daí eu não vou e eu tô fudido… ai eu fico ganhando dinheiro ai… encostado no Galo e não vou… daí os caras me fodem tudo… aí eu entro na Justiça contra o clube… a torcida me fode… entendeu ?”

TRECHOS DO CONTRATO EM QUE O ATLÉTICO/MG (COM ASSINATURA DE KALIL) DEU AVAL À VENDA DOS 15% DE BERNARD (QUE SERIAM DA FAMÍLIA, MAS ESTAVAM EM NOME DO CLUBE) PARA BERTOLUCCI/KIA:

contrato-1

contrato-3

contrato-4

contrato-2

 

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.