À PF: do que vive André Negão, vice-presidente do Corinthians e candidato a vereador pelo PDT ?

lord andre negão

Noticiamos, ontem, que o vice-presidente do Corinthians, André Negão, candidato a vereador em São Paulo pelo PDT (partido submisso ao PT), foi exonerado do cargo de “chefe de gabinete” do deputado federal Andres Sanches, pelo qual recebia R$ 13 mil em salários.

Sua única renda comprovada, até então.

Antes disso, André Luiz Oliveira (verdadeiro nome de Negão) teve uma vida obscura, em que não há comprovação de renda compatível com seu crescimento de patrimônio.

Em duas oportunidades (quando trabalhava nas categorias de base do Corinthians na gestão Dualib), antes de 2007, foi preso em flagrante por contravenção ligada ao Jogo de Bicho, e noutra, em 2011 (quando já era diretor da gestão Andres Sanches – responsável por contratar empresas para reforma do CT, por exemplo), mais uma vez frequentou a delegacia, acusado pelo mesmo crime anterior, ampliado com a inclusão de suspeita de operar máquinas de vídeo-bingo.

Apesar de, em entrevista, ter se declarado “ex-bicheiro”, Negão negou todas as acusações no âmbito de suas prisões, assim como o fez, também, em recente condução coercitiva da Polícia Federal, acusado de receber R$ 500 mil em propina da ODEBRECHT, que transformou-se em flagrante, também, por porte ilegal de duas armas.

Ou seja, oficialmente, desde os anos 90, André Luiz não possui renda comprovada, excetuando-se período em que o verador Wadih Mutran arrumou-lhe vaga na Sub-Prefeitura da Vila Maria, por dois ou três anos, em que recebeu pouco mais de R$ 3 mil mensais (sem comprovação de frequencia), absolutamete incompatíveis com seu padrão de vida.

Diante deste quadro, é difícil justificar, por exemplo, a compra de um apartamento no Tatuapé (local em que reside), avaliado em R$ 1 milhão, assim como alguns imóveis que possui na Vila Maria, e, por consequencia, uma empresa de “chassis”, que, dizem, tratar-se, em verdade, de desmanche de automóveis (o sócio de Negão foi morto, recentemente, em situação até então não esclarecida), próximo ao Corinthians, além dos carros que dirige, alguns com valores superiores a R$ 100 mil.

Do que vive, e viveu, André Negão, antes e depois da exoneração do cargo que exercia no Gabinete do Deputado Federal Andres Sanches (PT) ?

Sanches que, por sinal, também encontra a mesma dificuldade em comparar seus rendimentos aos bens adquiridos.

Esta é a questão que há anos está sem resposta “oficial” no Parque São Jorge, e que a PF tem obrigação de esclarecer, apesar de na “oficiosidade” todos saberem que jogos de azar, intermediação de jogadores e obras bancadas pelo Corinthians (e pela ODEBRECHT), talvez, possam explicar o que documentos dificilmente comprovarão.

negão pf

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.