Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

1

Sétima Rodada da Série A1 do Paulistão 2014

Sábado 08/02

Bragantino 1 x 1 Botafogo

Árbitro: Wilson Luiz Seneme

Partida bem disputada, cartões amarelos: 01 pro Bragantino – 04 para os defensores botafoguenses, corretamente aplicados, no todo; Seneme e assistentes cumpriram normalmente suas atividades.

Domingo 09/02

Palmeiras 1 x 1 Osasco Audax

Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral

Item Técnico

Durante o transcorrer da contenda, o árbitro, quando de lances faltosos não manteve o mesmo discernimento, quanto à penalidade favorável a equipe palmeirense, no finzinho do jogo, sofrida por Marquinhos, cobrada e perdida por Alan Kardec, na real, sua interpretação foi correta, pela TV, não.

Por este motivo, fico com a decisão do árbitro

Ponte Preta 2 x 1 São Paulo

Árbitro: Marcelo Pietro Alfieri

Acertou na sinalização da penalidade máxima favorável a equipe são-paulina, sofrida pelo atleta Álvaro Pereira, batida por Rogério Ceni e, convertida no gol da derrota tricolor

Mogi Mirim 1 x 1 Corinthians

Árbitro: Alessandro Darcie

Assistente 01: Marcio Luiz Augusto

Assistente 01: Ricardo Pavanelli Lanutto

Item Técnico

Ocorreu erro na não marcação de impedimentos ocorridos nas áreas de atuação dos dois assistentes; em um deles, quatro defensores do Mogi estavam impedidos, nada foi sinalizado, inclusive, pelo árbitro, que, neste lance, estava bem colocado

Terça Feira 11/02

Santos 2 x 0 Comercial – RP

Árbitro: Marcio Henrique Góis

Trabalho normal dos representantes das leis do Jogo

Política

Farinhas do mesmo saco

2

2

3

4

5

6

7

8

Aos hipócritas e defensores dos bandidos “Di-Menó” incrustados nas ONGs e demais entidades; solicito que leiam com devida atenção, assim como, que adotem, ao menos, um, destes, coitadinhos

“Direitos Humanos”

“Quando eu era juiz da infância e juventude em Montes Claro, norte Minas Gerais, em 1.983, não havia instituição adequada para acolher menores infratores. Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos. A policia prendia, eu tinha que soltá-los.

Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos “pequenos” assaltantes à cadeia pública, em sela separada dos presos maiores.

Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos (por coincidência, três militantes). Exigiam que eu liberasse os menores. Neguei. Ameaçaram denunciar-me a imprensa nacional, a corregedoria de justiça e até a ONU. Eu retruquei para não irem tão longe, tinha uma solução.

Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa, com toda a responsabilidade delegada pelo juiz.

Pernas pra que te quero! Mal se despediram e saíram correndo do fórum. Não me denunciaram a entidade alguma, não ficaram com os menores, não me “honraram” mais com suas visitas e… os menores ficaram presos. É assim que funciona a “esquerda caviar”

Tenho uma sugestão ao Professor Paulo Sérgio Pinheiro, ao jornalista Jânio de Freitas, a Ministra Maria do Rosário e a outros tantos admiráveis dos direitos humanos no Brasil.

Criemos o programa social “Adote um Preso”. Cada cidadão aderente levaria para casa um preso carente de direitos humanos. Os benfeitores ficariam de bem com suas consciências e ajudariam filantropicamente, a solucionar o problema carcerário do país. Sem desconto no Imposto de Renda.

Rogério Medeiros Garcia de Lima, desembargador (Belo Horizonte, MG).

Finalizando

“O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons.”

Martin Luther King 

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

sp-15/02/2014

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: