8 de julho de 1983, Estudiantes 3×3 Grêmio, a maior batalha gremista completa 30 anos

gremio estudiantes 1983

Por JOSÉ RENATO SATIRO SANTIAGO

Na primeira fase da Taça Libertadores da América de 1983, o Grêmio eliminou o Flamengo e as equipes bolivianas do Blooming e do Bolívar.

Foram 6 jogos, com 5 vitórias e 1 apenas um empate, com 13 gols a favor e 4 contra.

Nas Semifinais os adversários foram Estudiantes de La Plata e o América de Cali.

Em 8 de julho, o Grêmio encerraria sua participação nas semifinais frente ao Estudiantes em La Plata.

O Imortal Tricolor liderava o grupo com 4 pontos.

O Estudiantes e o América possuíam 2 pontos.

Uma vitória gremista daria a classificação antecipada, sem que fosse necessário esperar pelo resultado do jogo entre América e Estudiantes na semana seguinte em Cali.

O primeiro tempo se encaminhava para o término em 0 a 0, quando o árbitro marcou uma falta a favor do Estudiantes.

Os jogadores argentinos partiram para cima do juiz para reclamar da entrada do gremista China.

Resultado, dois jogadores argentinos expulsos.

Com 9 em campo, a falta acabou por resultar o gol do Estudiantes, 1 a 0, marcado por Gurrieri.

O Grêmio partiu para cima e ainda no primeiro tempo, aos 45 minutos, Osvaldo empatou, 1 a 1.

Muitas reclamações dos jogadores argentinos que partiram para cima do bandeirinha, sob a alegação que o gremista estaria impedido.

Começou o segundo tempo, e aos 7 minutos, o Grêmio virou o marcador através de César, 2 a 1.

E muita reclamação argentina, com nova alegação de impedimento.

Aos 18 minutos, Renato Gaúcho marcou o terceiro, um golaço, 3 a 1 para o Grêmio.

A classificação estava bem encaminhada.

O jogo seguiu até o bandeirinha ser agredido com uma pedra.

No meio da confusão, mais um jogador argentino foi expulso.

Agora o Estudiantes tinha apenas 8 jogadores em campo.

Mais alguns minutos, Renato Gaúcho deu duas sequências de dribles e foi agredido.

Mais um jogador argentino expulso.

Faltavam 15 minutos para acabar a partida.

O Estudiantes tinham apenas 7 jogadores em campo.

O Grêmio vencia por 3 a 1.

O clima era de guerra.

Segundo registros da época, os jogadores gremistas passaram a ser ameaçados pelos torcedores.

Aos 31 minutos do segundo tempo, Gurrieri diminuiu para os argentinos, 2 a 3.

O que se viu a partir daí foi mais que uma “panela de pressão”.

Os brasileiros correram risco de vida.

Chegaram a marcar o quarto gol legal, anulado pelo bandeirinha, o mesmo que tinha sido agredido anteriormente.

Pouco depois, a torcida argentina acertaram o goleiro Mazaropi.

Aos 42 minutos, os argentinos chegaram ao empate, 3 a 3.

Após isto não houve jogo.

Bola fora de campo e a torcida gritando “Argentina Argentina”

Cabe lembrar que os portenhos viviam ainda o pesadelo que fora a Guerra das Malvinas frente os britânicos.

Com este resultado, tudo ficaria na dependência do último jogo.

Uma vitória simples em Cali daria a classificação ao Estudiantes.

Já aos colombianos do América restava uma goleada.

Os brasileiros torceriam por um empate.

E foi o que aconteceu.

Um 0 a 0 acabou dando vaga da final para o Grêmio.

Mais algumas semanas, viria seu primeiro título da Taça Libertadores, frente o Peñarol.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

16 respostas para 8 de julho de 1983, Estudiantes 3×3 Grêmio, a maior batalha gremista completa 30 anos

  1. Invejão 2013 disse:

    A Libertadores sempre foi um torneio porcaria, com violência extrema e árbitros arranjados. O que fizeram com o Corinthians este ano foi mais uma mostra do nível dessa competição. Foi o maior roubo da história do futebol mundial.

  2. Thiago Melo disse:

    Alguém sabe se tem algum link da internet com o vídeo deste jogo ?

  3. CPI da Copa disse:

    https://www.facebook.com/CpiDaCopa

    CPI da Copa é obrigação
    Abrace essa causa

  4. roberto disse:

    tinha um ingrediente a mais nesse jogo… uma semana antes do jogo, em plena guerra das malvinas, o governador rio grandense deixou aportar em rio grande um navio de bandeira inglesa
    isso deu mais combustível ainda pra um jogo que por si só já era uma guerra
    a imprensa argentina aceitou o fato como uma ajuda brasileira aos europeus, e disso pra passar pro futebol, foi um passo
    grande jogo

  5. Dejair disse:

    Do jeito q gremista ama argentino, deviam ter entregado o jogo

  6. luiz disse:

    Paulinho:
    Se não me engano, a vitória do Estudiantes frente ao América obrigaria a realização de um jogo desempate frente ao Grêmio e não classificação direta do ELP.

    Amigo Thiago, segue.

    Compacto
    http://www.youtube.com/watch?v=AhD0jH1WKR8&feature=player_embedded
    Completo

  7. Marcos disse:

    Me admira muito a cara de pau dos gremistas, com conivência da imprensa, em transformar fiascos tricolores em batalhas épicas. Outro caso é o da batalha dos Aflitos, mas deixo para discutir a Série B quem recorrentemente disputa essa competição, embora esteja acostumado a arrotar uma superioridade que não possuiu.
    Quanto a “batalha” de La Plata, os mais velhos dizem em Porto Alegre que o Grêmio passou a adotar o uso de calções pretos após essa partida, pois os calções brancos utilizados por alguns jogadores gremistas ao fim do jogo estavam marrons na região traseira, e não era de barro.

    Ademais, acho incrível a cara de pau de querer transformar em feito épico uma das maiores “pipocadas” da história da Libertadores, um time que vencia por 3×1 e com 4 jogadores a mais acaba cedendo o empate em 15 minutos. Justificam que os jogadores gremistas temiam por suas vidas nessa partida, porém o árbitro (sempre a figura mais visada pela torcida local) possivelmente era o Chuck Norris então, pois não titubeou em expulsar 4 jogadores do time local.

  8. Marcelo disse:

    Marcos. Vc pode não gostar de um clube, pode não concordar com a versão dos fatos e pode até achar tendencioso algo que não esteja de acordo. Mas isso não te dá o direito de desqualificar ou inventar besteira, principalmente quando vc peca pela ignorância. O Grêmio jogava de calção branco entre 1983-84 por causa da fornecedora de material esportivo. Se vc olhar no you tube a final contra o Hamburgo, está de calção branco. Se vc não tem algo brilhante para aportar, não fale besteira..

  9. É do ardo? disse:

    Marcelo, não perde teu tempo, esse é mais um dos “baixa auto estima” que circulam pela internet destilando suas frustrações…
    Batalha mesmo foi aquela na Vila Belmiro onde os jogadores do Inter se atiraram no chão para o jogo acabar por falta de jogadores suficientes…ou aquela contra o Paysandu, onde rolou uma “mala preta” tão vergonhosa que a torcida do Paysandu virou de costas para o jogo.Inclusive o vice da época revelou a patifaria de um time que já ganhou o terreno do Remendão de graça e agora quer que a pavimentação do entorno do BrioSA seja feito pela prefeitura…

  10. Gremista disse:

    Paulinho, nesse jogo aí os argentinos comeram até papel higiênico. Naquela época não havia exame antidoping na Libertadores e o pau comia solto nas partidas disputadas no Prata.

    Era 10X mais difícil ganhar uma Libertadores.

    P.S. O Grêmio desta última década não me representa.

    P.S.2 O profexô já foi tarde. Aliás não era nem pra ser cogitado
    pra treinar um clube com a escola e a cultura de futebol do
    Grêmio.

  11. Rafael disse:

    Uma vergonha! Um time com 4 jogadores a mais leva 2 gols e um sufoco! Isso é uma epopéia? Ganhar do Barcelona é o que então?

  12. Sérgio disse:

    Nossa que pipocada.

  13. Arriba disse:

    Como sempre, MATÉRIA DO GRÊMIO TEM QUE TER RECALCADO COMENTANDO. Nada mais normal de um clube nascido da raiva da rejeição, e como foi dito pelo próprio programa de tv TVINTER, “o inter nasceu para ENFRENTAR O GRÊMIO”, nada mais normal.

    O que esperar de um clube que EM MOMENTO ALGUM DA SUA SINISTRA HISTÓRIA DE COMPRAS DE ÁRBITROS, MÍDIA, GOVERNOS e agora ATÉ POLÍCIA E BOMBEIROS, precisou lutar pra conseguir algo?

    Torcedores que tem a IMBECILIDADE de dizer que não ganharam libertadores porque “não dava importância” e que “não havia mundial”…..

    Quanto mais eles falam isso, mais e mais mostram o quão pequenos são, tanto é, que O MUNDO FUTEBOLÍSTICO NÃO OS CONHECE, a não ser pelo MAZEMBAÇO.

    Alguns detalhes sobre essa partida:

    – ameaça POR TELEFONE na concentração gremista e SÓ CONTRA OS BRASILEIROS, DeLeon atendeu uma delas e disseram que “não é contigo gringo”.

    – no AQUECIMENTO gremista no gramado, o time do Estudiantes entrou e cada um agrediu um jogador Tricolor e voltaram aos vestiários.

    – no intervalo do jogo, o Grêmio estava no vestiário e a porta deste sofria uma tentativa de arrombamento. Espinosa perguntava ao segurança se podia prosseguir ao qual ouviu “aqui ninguém entra”. Lá pelas tantas, NOTOU-SE A FALTA DE CAIO……ONDE ESTAVA O CAIO? Ao abrir a porta do vestiário, o centroavante gremista havia sido espancado e era o SEU CORPO que estava sendo usado para arrombar a porta.

    – torcedores MORDIAM o alambrado.

    – após o jogo, os jogadores do Grêmio tiveram que sair disfarçados de policiais, pois seriam MORTOS.

    A Libertadores que era uma “competição xinfrim” na opinião de alguns, na verdade era uma GUERRA, e esta expressão, é para aqueles que NUNCA TIVERAM CAPACIDADE DE ERGUÊ-LA. Xinfrim é a ATUAL, uma competição que perdeu TODO O SEU ENCANTO, pois o futebol, virou NEGÓCIO, com jogadores frescos e papel picado no final.

  14. Marcelo disse:

    Cara, na boa, acho que é falta do que fazer. Ficar contestando a conquista dos outros, poxa. Pode ver o jogo na íntegra no you tube, pesquisar a Revista Placar da época, ou ir no arquivo público e ver a Zero Hora de 1983. Não me lembro que algum colorado fizesse menção ou tirasse sarro naquele momento. E isso que NA ZERO HORA DE ENTÃO, ESCREVIA O CID PINHEIRO CABRAL (CARA SUPERCOLORADO). Não tem graça alguma vir aqui e jogar pedrinha, atacando a história e assinando atestado de estupidez.

    Acho que o torcedor colorado se esquece das duas decisões recentes que teve com Estudiantes e, nem mesmo eles sabem explicar como ganharam.

    Mas enfim, ganhar pra que se eles só olham para o Grêmio…

  15. Artur disse:

    Neste jogo um jogador do Estudiantes tomou um cartao amarelo andes do jogo comecar (o primeiro a ser expulso depois pelo segundo amarelo), a midia e torcida do Gremio em Porto Alegre criticaram muito o Gremio, pois nao sabiam o que estava acontecendo no vestiario. Quando i time chega em Porto Alegre todos compreendem o que aconteceu e passam a apoiar o Gremio pois os Jogadores realmente correram risco de vida nesta Partida. Dizem que o Proprio Arbitro falava aos jogadores “entreguem se nao nenhum de nos sai daqui vivo”. Apos este jogo o Presidente do America de Cali liga para o entao presidente Fabio koff e diz para ele nao se preocupar, pois oAmerica havia passado pela mesma situacao quando foi jogar na Argentina e agora o estudiantes receberia o troco. O america coloca o exercito colombiano ao redor do Gramado em Cali para a partida e quando os Jogadores do estudiantes entram em campo para aquecer os soldados os espancavam com os canos dos fuzis e falavam que eles nao ganhariam o jogo ou a equipe nao voltaria para a argentina. depois do empate em 0x0 o Gremio se classificou para a final contra o penharol.

    PS: quando o Portaluppi faz o 3 gol neste jogo ele ainda vai provocar a torcida do estudiantes mandando eles calarem a boca.

  16. Pingback: O fairplay hooligan russo | alistadelucas

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.