Enquanto isso, o futebol cearense se encaminha para o fundo do poço

Por JOSÉ RENATO SATIRO SANTIAGO*

É verdade que, historicamente, foram poucos os momentos em que o futebol cearense teve grande destaque nacional.

As duas maiores equipes do estado, Fortaleza e Ceará, já chegaram a ser vice-campeãs da Taça Brasil e Copa do Brasil.

Sim, exceções, que fundamentam qualquer regra, no entanto fazia muito tempo que o futebol alencarino não vivia um momento tão ruim tanto dentro como fora de campo.

O ano de 2011 tinha acabado com três rebaixamentos nos campeonatos nacionais, dois que foram efetivados em campo e outro evitado de forma torpe.

Na Série A, o Ceará caiu para a Série B, após “conseguir” o feito de vencer apenas uma partida em casa durante todo o returno.

Na Série B, o Icasa de Juazeiro do Norte passou quase todo o campeonato na zona de rebaixamento, de onde não saiu ao final da competição.

Na Série C, talvez o fato mais vergonhoso de todos, o tradicional Fortaleza só não foi rebaixado devido a ridícula sequência de fatos duvidosos nos minutos finais da partida frente ao CRB. Um papelão!!!

Nada poderia ser pior para 2012, no entanto, novamente o papelão técnico e moral continua sendo a mote do futebol cearense.

Primeiro fato lamentável envolveu outra tradicionalíssima equipe, o Ferroviário que foi rebaixado de forma inédita e preventivamente resgatado por “irregularidades” envolvendo jogadores do caçula Crateús.

As vésperas da partida final do campeonato, o Clássico Rei, entre Fortaleza e Ceará, surgiram denúncias envolvendo um suposto acerto em partida entre o Alvinegro e o São Caetano pela Série B de 2009.

Mas, ainda havia mais por vir…

Ao final da partida que deu o bicampeonato ao Ceará, os dirigentes alvinegros proibiram seus jogadores de irem levantar o troféu de campeão, sob a alegação que a Federação Cearense de Futebol tinha arranjado o título para o rival.

Muito embora na final, o Fortaleza tenha tido um jogador expulso, e o Ceará tenha marcado o gol do título através de um pênalti, corretamente marcado.

Mesmos motivos utilizados pelos dirigentes do Leão do Pici a também não irem receber o troféu de vice-campeão estadual.

Enquanto os clubes cearenses tentam se acabar, os altos dirigentes e governantes de meu querido estado natal só têm olhos para a Copa do Mundo e dos benefícios que terão com ela.

Como diria o pernambucano mais cearense de todos, Luiz Gonzaga: “…Mas doutô uma esmola a um homem qui é são, Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão…”

*JOSÉ RENATO é jornalista, escritor, apresenta o programa “Por Fora do Campo”, todas as quintas-feiras, às 19h, pela rádio MidiaCast, além de possuir o maior acervo sobre futebol do Brasil.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.