Advertisements

Memória da Corrupção: CPI do Futebol

 

Mesa Redonda:  Tostão, José Trajano, Aldo Rebelo, Sílvio Torres, Juca Kfouri e Flávio Prado: sem corporativismo

Revista Isto É: A vez da imprensa

http://www.terra.com.br/istoe/1624/brasil/1624_avez_imprensa.htm

CPIs do futebol começam a investigar enriquecimento de jornalistas esportivos

Ricardo Miranda

As CPIs do Futebol na Câmara e no Senado podem não conseguir em quatro meses limpar os gramados, mas preparam uma bolada no estômago da imprensa esportiva brasileira. Na terça-feira 7, o jornalista Juca Kfouri, comentarista de futebol da Rede TV! e da rádio CBN, formalizou na Câmara uma acusação grave: repórteres pagos para cobrir ou comentar jogos de futebol têm se tornado agenciadores de atletas e intermediários em contratos entre clubes e empresas. Na quinta-feira 9, o presidente da CPI da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), decidiu investigar a origem do patrimônio do ex-repórter de campo da Rádio Globo Kleber Leite e do ex-repórter da Rádio Bandeirantes de São Paulo e ex-comentarista da Rede Globo José Hawilla. Leite, ex-presidente do Flamengo, vai ter que explicar como enriqueceu vendendo placas nos estádios e intermediando contratos de patrocínio. Hawilla, sócio majoritário da empresa de marketing esportivo Traffic, terá que contar como conseguiu intermediar o contrato de US$ 400 milhões entre a CBF e a Nike.

“Um jornalista não pode fazer jogo duplo”, afirma Rebelo. O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) decidiu fazer um requerimento convocando para depor, além de Leite e Hawilla, os ex-repórteres da Rede Bandeirantes Otávio Muniz e Luciano Jr., o ex-repórter da Rádio Globo de São Paulo Oliveira Jr. e o ex-sócio-diretor da Traffic Ciro José. Nenhum deles, por hora, vai como suspeito, mas a CPI acredita que têm muito o que contar. “Nunca fiz negócio com jogador. E não conheço jornalista que faça”, afirma Ciro, que hoje é o diretor internacional de Esportes a Motor da Rede Globo.

Na CPI, Kfouri contou que a promiscuidade não fica só no gramado. O jornalista disse que teve que sair da revista Placar, após 25 anos, porque foi proibido de criticar a CBF, comandada há 11 anos por Ricardo Teixeira. O Grupo Abril, dono da TVA, queria garantir para o grupo os contratos dos jogos da seleção. O comentarista disse que pelo mesmo motivo a revista Veja parou de fazer matérias criticando a CBF.

A CPI do Senado quebrou o sigilo bancário de sete empresas e 19 agentes autorizados pela Fifa no Brasil, entre eles Juan Figger, Reinaldo Pitta e Léo Rabello. Figger e mais dez empresários também são acusados por Renata Alves, ex-secretária do técnico Wanderley Luxemburgo, de fazer parte de um grupo que negociava jogadores. Na quinta-feira 9, Renata contou na CPI do Senado que Luxemburgo mantinha uma casa na Barra da Tijuca, no Rio, apelidada de “embaixada”, onde recebia empresários como Figger e Eduardo Sakamoto. Entre os que frequentavam a “embaixada”, segundo Renata, estava o dirigente do Vasco e deputado Eurico Miranda (PPB-RJ), terceiro vice-presidente da CPI da Câmara.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments
Advertisements

10 comentários sobre “Memória da Corrupção: CPI do Futebol

  1. Marcos Rogério Cabral

    Para variar, como estamos no país da impunidade, o que sobrou foi apenas a forma da pizza…

  2. Mello jr

    “Um jornalista não pode fazer jogo duplo”, afirma Rebelo vamos rir ahahahahahahahahah!
    Eu fico imaginando o Trajano com aquele bom humor que é peculiar olhando essa foto e pensando só faltou o nariz de palhaço !
    Conseguiram levar o Tostão deve ser por isso que desapareceu..de vergonha !
    Quanto ao Juca tenho certeza que deve ter ficado frustrado depois desse encontro.Em compensação Kleber Leite e especialmente José Hawilla titular da Traffic continuam mais ricos mais poderosos e mais influentes no futebol brasileiro.
    Porque nenhum orgão fiscalizador desse país se propõe a iniciar um acareação sôbre tanto dinheiro e poder concentrados numa só empresa ! ( Ah se alguem do Corinthians participasse … não é Paulinho ).

  3. DONIZETE

    ESSA CPI VAI PRO LIVRO DOS RECORDS, COMO O MAIOR ESGOTO A CÉU ABERTO, DO MUNDO. PENA QUE COMO TODAS AS OUTRAS, NÃO VAI DAR EM NADA. ELES COMPRAM TUDO E TODOS.

  4. Luis

    Agora eu quero ver… se for investigar todos, tem que se construir uma penitenciária só para jornalistas maus profissionais. Parabéns Juca!!!

  5. Kakashi

    Como sempre o Madureira envolvido.Eles não passam de uma cambada de porcos,ladrões.

  6. Cristiano Vieira

    Minha pergunta que não quer calar: Qual o problema de jornalista ter outro trabalho?

    Agora parar de cobrir reportagens pra ter contratos é demais. Mas quem é que põe a mer…, digo, o Ricardo Teixeira na CBF?

    É, não dá nem pra ter prazer no futebol mais.

    Tenho dito!

    ——————————————————–
    Cristiano Vieira
    http://www.cafecomamigos.com.br

  7. Alexandre

    Paulinho

    Toda essa lembrança para que mesmo?

    Para brindarmos a pizza?

    Denuncias que, ainda verdadeiras, não renderam nenhuma punição aos denunciados.

    Pior, deu ao Juca inimigos.

    Deu ao Kleber e J. o atestado de idoneidade que possibilitou não só a permanência no negócio como a sua expansão.

    Pobre País…

    Se a intenção era macular a imagem dos denunciados, pode ser, daqui a pouco, que a reverbaração de tanta sujeira não punida, sirva de alíbi aos de má índole.

    Nós, o povo de bem, perdemos na CPI, Paulinho.

  8. Rhay

    foi uma das cpi que mais conseguiram encontrar podridão no país. É possível fazer um dossiê com o que sai nos jormais e na tv…

  9. Neder

    Éh Paulinho, a coisa tá caminhando para onde vocês queriam, não é? Mas ainda falta gente conhecida aí, né? Vamos ver no que dá!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: