“Imperador” Adriano, enfim, recebe da polícia o devido tratamento

adrianobelo

A Polícia do Rio de Janeiro indiciou o atacante Adriano “Imperador” por Tráfico de Drogas e Associação ao Tráfico.

Crimes gravíssimos que podem lhe ocasionar um final de vida que há tempos persegue.

Por possuir INFORMAÇÕES, não apenas suposições, este jornalista sempre tratou, como pode ser observado com as últimas notícias, o proclamado “Imperador” da maneira que considerava devida, apesar do próprio, inteligentemente, ter convencido parte da mídia, por intermédio de terceiros, de que seria apenas vítima, ou viciado, do sistema.

Adriano desde sempre foi muito mais do que isso.

De maneira consciente, não apenas tomado por impulsos oriundos de qualquer fissura ou excitação.

Deu dinheiro, objetos e “prestígio”, ou seja, financiou, direta e indiretamente, as ações criminosas de deploráveis, gente que matou, indiscriminadamente, por acerto de contas ou pela tabela do vício, dezenas de jovens, além de ocasionarem a desestruturação de famílias inteiras.

Não há de se ter benevolência com traficantes e seus beneficiadores.

Que a mídia não vitimize mais um ex-jogador que merece o mesmo tratamento, se não mais, que os personagens diariamente expostos pelos mais diversos programas policiais.

ATUALIZAÇÃO: RESPOSTA DOS ADVOGADOS DE ADRIANO

Nota Imprensa: Adriano Leite Ribeiro

Por: Dr. Raphael Mattos e Dr. Ary Bergher, advogados

Na qualidade de advogados do senhor Adriano Leite Ribeiro, em razão das últimas notícias vinculadas pela imprensa, esclarecemos que trata-se de fatos ocorridos em 2008, sendo certo que a denúncia oferecida pelo Ministério Público não encontra qualquer respaldo legal/probatório, no inquérito policial. O certo é que o senhor Adriano não foi indiciado na mencionada investigação, havendo claro excesso acusatório.

Neste mesmo episódio, o senhor Adriano foi vítima, em razão da venda da moto que lhe pertencia, por terceira pessoa, sem sua autorização ou consentimento e com o uso de sua assinatura falsificada. Fato inclusive registrado pelo mesmo, junto à delegacia de polícia e apresentado para as autoridade competentes.

Quanto ao pedido de apreensão do passaporte. Trata-se de pleito descabido, sem qualquer fundamento idôneo e que busca violar seu direito constitucional ao trabalho.

A Defesa confia na Justiça, de forma a acreditar que esta acusação será rejeitada de plano.

Rio de Janeiro, 5 de novembro de 2014

 

Raphael Mattos e Ary Bergher, advogados.

Justiça do Rio rejeita denúncia contra o jogador Adriano

DO RIO – A Justiça do Rio rejeitou nesta quinta (6) a denúncia feita pelo Ministério Público estadual contra o jogador Adriano. O atacante foi denunciado na terça (4) sob acusação de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Para o advogado do jogador, Ary Bergher, houve “excesso do Ministério Público”.

Investigação de 2008 apontou que Adriano comprou uma moto para o traficante Paulo Rogério de Souza Paz, o “Mica”, da Vila Cruzeiro, zona norte do Rio, e a registrou no nome da mãe de Mica. Em depoimentos, Adriano sempre negou o envolvimento com o traficante.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.