Advertisements
Blog do Paulinho

Moradores do Morumbi tentam impedir utilização de praça em eventos do São Paulo

Em 2010, moradores do Morumbi e bairros adjacentes, através da Associação Sociedade dos Amigos da Vila Inah, promoveu Ação Popular contra o São Paulo, objetivando que a Praça Roberto Gomes Pedrosa não fosse utilizada como acessória de eventos do clube, nem que se permitisse a incorporação da área ao patrimônio tricolor.

Passados dose anos o assunto voltou à discussão.

O São Paulo, com autorização da Prefeitura, tornou-se gestor oficial da praça.

Em contrapartida assumiu a obrigação de preservá-la.

Inconformados, os moradores motivaram a Justiça novamente que, em resposta, ordenou a publicação de Edital para que qualquer cidadão e também o MP-SP, se quiserem, possam participar da ação, que pede, liminarmente, que o São Paulo seja impedido de comandar o local.


EDITAL PARA CONHECIMENTO DE QUALQUER CIDADÃO OU REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO, COM PRAZO DE 30 DIAS, expedido nos autos da Ação Popular – Domínio Público, PROCESSO Nº 0002209-31.2010.8.26.0053.

O(A) MM. Juiz(a) de Direito da 13ª Vara de Fazenda Pública, do Foro Central – Fazenda Pública/Acidentes, Estado de São Paulo, Dr(a). Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, na forma da Lei, etc. FAZ SABER A QUALQUER CIDADÃO INTERESSADO OU REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO, para fins do art. 9º da Lei nº 4.717 de 29/06/65, que, perante este Juízo e Cartório, ASSOCIAÇÃO SOCIEDADE DOS AMIGOS DA VIA INAH E OUTRO move uma Ação Popular – Domínio Público contra SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE E OUTRO, requerendo concessão de liminar para que se obste a utilização da praça Roberto Gomes Pedrosa em toda sua extensão, como estacionamento pago de veículos, depósito de materiais e caminhões que transportam equipamentos para shows, alojamento, banheiros e cozinhas para os funcionários dos organizadores, bem como se impeça sua incorporação ao patrimônio do São Paulo Futebol Clube bem como se proíba qualquer outro uso do local diverso daquele compatível com uma praça pública, bem de uso comum do povo.

Nestas condições, foi determinada a publicação deste edital para que no prazo de 90 dias, a fluir após o prazo de 30 dias supra da última das três publicações, qualquer cidadão interessado ou o representante do Ministério Público promova o prosseguimento do processo.

E para que chegue ao conhecimento de todos e que ninguém alegue ignorância, foi o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: