Advertisements

As estatais não remetem divisas

Governo FHC teve privatizações e reeleição polêmica; ouça podcast -  01/10/2018 - Poder - Folha

Por NAPOLEÃO DUMONT

Sobre a nova onda de carros elétricos, substituindo os motores movidos a combustíveis fosseis, Marcos de Lucca Rothen (“Carro na Tomada”, O Globo – Leitores, 20/4, p.17) levanta preocupante questão: o peso das contas de energia elétrica no bolso da população brasileira, ainda mais com a utilização das chamadas “bandeiras tarifárias”, que aumentam o preço do consumo.

Diz aquele leitor que “para investirmos na energia elétrica nos carros, devemos saber de onde ela virá”.

Ora, desde o desastroso entreguismo e absoluta falta de patriotismo do Sr. FHC, grande parte das hidroelétricas brasileiras foi “privatizada” (isto é, como que jogada no vaso sanitário), passando a pertencer a multinacionais estrangeiras.

Alegava o Sr. FHC que o Brasil não tinha que possuir empresas estatais de eletricidade.

E, então, começou a grande apropriação privada estrangeira (a rigor não privada!) do patrimônio público brasileiro.

Segundo aquele traidor da pátria, o Brasil não tinha que possuir estatais de eletricidade. Ah é?

Quem veio comprar, na ‘bacia das almas’, as estatais brasileiras de eletricidade ?

Vejam a traição!

Électricité de France, estatal francesa de eletricidade; EDP – eletricidade de Portugal, estatal portuguesa de eletricidade; Chilectra, estatal chilena de eletricidade; Iberdrola, empresa de economia mista, portanto, parcialmente estatal, espanhola de eletricidade; Estate Grid, estatal chinesa de eletricidade.

E agora, o atual (des)governo, com outro ‘estrangeirista’, quer privatizar a Eletrobrás, com as únicas estatais de eletricidade que nos restam. Todas, inclusive aquelas primeiras, que foram construídas com o suor e a vida de brasileiros desde 80 anos ou mais.

Nenhuma autoridade governamental, nenhum especialista, nenhum economista, nenhum órgão da mídia escrita, falada e televisada, nunca disse uma grande verdade (e exatamente por ser verdade, nunca é revelada para o público): as estatais não remetem divisas – lucros, dividendos, bonificações, etc. – para o exterior. O dinheiro fica no Brasil e não aumenta a dívida externa em dólares!

Venda de estatais coloca país em mãos estrangeiras

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: