Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“A conduta é um espelho no qual todos exibem sua imagem”

Johann Goethe: foi um escritor, filosofo e cientista alemão

————————————————-

23ª Delegacia da Policia Civil reitera que a presidência do SAFESP cumpra o inserido no:

Lembrete

O pedido de entrega dos materiais constantes no oficio policial, salvo engano, se baseia na representação assinada e protocolada por Aurélio Sant’Anna Martins, “excepcional jurista” e presidente do SAFESP,

No

Período que cumpria “licença” para disputar vaga da câmara municipal da cidade de Jacareí, situada no Vale do Paraíba do estado de São Paulo;

Delatando

Marcelo Marçal, ex-árbitro e principal integrante do blog que ostenta seu nome, de ter violentado o sistema de tecnológico SAFESP e divulgação de documentação sigilosa, dentre:

Estas

O contrato com a empresa de tecnologia da informação de propriedade do ex-árbitro Daniel Destro, que: após perícia no sistema SAFESP, descreveu ter encontrado fortes indícios de invasão.

Abreviando

Os ofícios emanados do distrito policial foram gerados conforme determinação da MMª juíza Adriana Barrea – DIPO IV do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo;

Ambos

Inseridos detalhadamente no site do tribunal, que pode e deve ser redigidos por profissionais do direito.

Salvo

Engano a desistência do processo poderá ser concretizada a qualquer instante, se acontecer, fortalecerá que conversando daqui e dali as partes chegaram a acordo, consumando o famoso e misterioso deixa pra lá.

——————————————————————

29ª Rodada da Séria A do Brasileirão 2020

Sábado 09/01/2021

Sport 0 x 1 Palmeiras

Árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)

VAR

Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)

Item Técnico

Erro inaceitável cometido por volta do ultimo minuto do acréscimo de cinco minutos, ocorrido logo após,

Everton

Atacante do Sport tendo o domínio da redonda pelo lado esquerdo do campo defensivo palmeirense,

Próximo

Da linha de fundo e pouco antes da área grande efetuou o cruzamento da redonda para o interior da área,

Logo

Rebatida rapidamente por um defensor que tinha a sua frente e próximo o consorte Roni,

Bola

Foi pra cima do Roni, que, de pronto, executou movimento normal para sair da redonda, neste movimentar a redonda bateu na mão direita;

Neste

Instante o boto-branco paralisa a refrega, rasga o livro de regra apontando penalidade máxima;

Chamado

Pelo VAR, foi ao monitor, igual a aprendiz, viu e reviu o lance uma pá de vezes, acatou a regra, retornou ao campo desfazendo o que houvera marcado.

Observação

O boto-branco deveria ter acrescido por ao menos mais cinco minutos, na minha contagem, passados dois ele encerrou a contenda.

Em Tempo

CA-CBF promoveu e promove contínuas transmissões com pífio aproveitamento,

Demonstrando

Claramente que teoricamente maioria pode ser capaz, na pratica meia boca é.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 05 para defensores do Leão do Norte e 03 para alviverdes

Domingo10/2021

São Paulo 0 x 1 Santos

Árbitro: Bráulio da Silva Machado (FIFA-SC)

VAR

Heber Roberto Lopes (SC)

Item Técnico

Árbitro e assistentes quando exigidos aplicaram corretamente as leis do jogo

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para tricolores e 04 para equipe praiana

Segunda Feira 11/01

Red Bull Bragantino 2 x 2 Atlético-MG

Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)

VAR

Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN)

Item Técnico

Pequenos erros que não influenciaram no resultado

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 04 para equipe mandante e 01 para visitante

Quarta Feira 13/01

Corinthians 5 x 0 Fluminense

Árbitro: Rafael Traci (FIFA-SC)

VAR

Adriano Milczvski (PR)

Item Técnico

Aceitável

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para defensores do coringão e 03 para tricolores das laranjeiras

———————————————————

Política

Precedente perigoso

Concessão de descontos a membros da PM na Ceagesp é medida de inspiração miliciana

Semanas depois de ter feito um agressivo discurso na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), prometendo que não privatizará a empresa, informando que escolheu para dirigi-la um coronel reformado de sua confiança e elogiando a atuação da Polícia Militar (PM) de São Paulo no combate ao crime, o presidente Jair Bolsonaro voltou a cortejar os membros da corporação. Desta vez, ele os brindou com uma medida absurda e ilegal, anunciada no sábado passado, em mais uma de suas costumeiras falas no cercadinho do Palácio da Alvorada. Sob a alegação de que sempre privilegiou bandeiras corporativas nos tempos em que foi deputado, o presidente anunciou que a Ceagesp dará descontos aos “fardados” que fizerem compras em suas instalações. “O policial militar de São Paulo pode comprar agora, fardado ou com documento, o que quiser para sua mesa com desconto de 20%”, afirmou. Em São Paulo, o coronel reformado da Polícia Militar por ele nomeado para a Ceagesp, Ricardo Mello Araújo, confirmou a concessão do benefício. Em nota, também afirmou que o desconto passará a fazer parte da “política da companhia”. Disse, ainda, que esse tipo de “política” é adotado “em muitos países”, sem enumerá-los.

Nem o presidente nem o coronel reformado, contudo, formalizaram a decisão que anunciaram. Nem poderiam fazê-lo, por vários motivos jurídicos, dos quais três merecem destaque.

Em primeiro lugar, como o Brasil é definido pela Constituição como uma república federativa e a Polícia Militar pertence ao governo do Estado de São Paulo, o presidente da República não tem competência legal para agir em áreas e atividades que não são de sua jurisdição. Apesar de a Ceagesp ser uma estatal federal, a manutenção da ordem pública em São Paulo é de responsabilidade da Secretaria da Segurança.

Em segundo lugar, como os custos dos descontos não serão bancados por órgãos públicos, mas arcados pelos permissionários da Ceagesp, que terão uma redução no seu faturamento em um período de crise econômica, o presidente da República e o coronel reformado que colocou à frente da Ceagesp estão impondo uma obrigação ilegal à iniciativa privada. Eles não só estão interferindo de modo abusivo e inconstitucional na economia de mercado, como também revelaram seguir uma prática tipicamente miliciana, no pior sentido da palavra, quando afirmaram que o desconto é uma “forma de agradecimento” a quem os protege. A impressão fica ainda mais reforçada quando o presidente da Ceagesp afirma que, apesar de a “política de descontos não ser uma imposição a ninguém”, procurará cada comerciante para que ajude “a quem nos tem ajudado”. Em terceiro lugar, a Constituição é clara quando afirma que os serviços públicos devem ser prestados em caráter geral e impessoal.

Como as Polícias Militares são, além de órgãos policiais, braços armados dos entes federados, seus membros recebem soldos arrecadados dos contribuintes. Portanto, não faz sentido, em termos jurídicos, institucionais e morais, esse tipo de “agradecimento”. O que poderá ocorrer com quem não quiser “ajudar”? O precedente é perigoso, pois, se a moda pegar, outras corporações do funcionalismo passarão a reivindicar “ajudinhas” para fazer o que é sua obrigação funcional, abrindo assim caminho para uma prática generalizada de chantagem e de perseguição a quem não quiser contribuir.

Por isso, antes que esse tipo de prática miliciana ou mafiosa se expanda, os órgãos de fiscalização têm de agir imediatamente. Cabe aos Ministérios Públicos federal e estadual investigar o que o presidente Bolsonaro chama de cumprimento de uma de suas “bandeiras corporativistas”. O “desconto a fardados” é um fato grave num momento em que o presidente Bolsonaro, além das “ajudinhas” concebidas para aliciar soldados, insufla motins nas Polícias Militares e flerta com a quebra da autoridade dos governadores sobre essas corporações.

Opinião do Estadão publicada no dia 15/01/202

——————————————————————

Terminando

“As mais célebres injustiças são aquelas travestidas de justiça”

Adágio de: Filipe Martins Alves Pereira

———————————————————

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-16/01/2021

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: