Advertisements

Traficante ‘Padrinho’ e Elenko Sports na Arena de Itaquera

Wesley (Marcos), detido pela INTERPOL por estelionato e falsidade ideológica, e Padrinho, preso por tráfico internacional de cocaína, no CT do Corinthians

Ontem, o Blog do Paulinho revelou, entre outras coisas, que Ângelo Canuto, preso e condenado por tráfico internacional de cocaína (a polícia federal flagrou movimentação de uma tonelada no Porto de Santos), após cumprida a pena, segue atuando no mercado de futebol em parceria com a Elenko Sports, de Fernando Garcia, irmão de Paulo Garcia, dono da Kalunga, candidato a presidente do Corinthians.

Antes da prisão, vendeu 25% do jogador Luciano ao Timão, que, à época, era gerido pelo delegado de polícia Mario Gobbi.

Em meio ao período de cárcere, já em sociedade com a Elenko, Padrinho anuiu com a transferência do atleta para o exterior, assinada por Roberto de Andrade, depois, com a reformulação contratual da venda, em fevereiro de 2019, protagonizada pelo atual presidente, Andres Sanches.

Documentos comprovam negócios nebulosos de três presidentes do Corinthians com Luciano e o traficante que o agencia

Porém, além de negócios, a parceria com Fernando Garcia também tem proporcionado lazer ao traficante, a ponto de, há pouco mais de um ano, em 15 de setembro de 2019, ter participado de uma ‘pelada’ na Arena de Itaquera, autorizada por Andres Sanches, a pedido da Elenko.

Um ‘mimo’ expressivo, que nem mesmo associados e conselheiros alvinegros – exceções feitas aos ‘amigos do Rei’ – teriam direito de receber.

A felicidade de Canuto foi expressada pelo próprio com a postagem do vídeo de uma de suas jogadas, efetivada no Instagram, com direito a agradecimento, pela ‘moral’, ao advogado Marcio Ribeiro e ao agente Ricardo Damata, ambos funcionários da Elenko.

Sem juízo de valor, que Fernando Garcia e Padrinho façam negócios em conjunto, desde que não ilegais, é problema de ambos, porém, ao utilizarem-se das dependências do Corinthians, não apenas para transacionar ‘mercadorias’, mas também em momentos de lazer, passa a ser assunto do clube.

Comprava-se, além disso, que a Elenko manda e desmanda nos bastidores alvinegros.

Gobbi e seu grupo, apesar de Canuto, à época, ter atividades ‘extra-campo’ absolutamente conhecidas da ‘boleirada’, alegam que não poderiam saber que o delegado de polícia sentava-se à mesa de negociações com um traficante.

Desculpa impossível de ser utilizada, passado o período da notória prisão de Padrinho, tanto por Roberto Andrade quanto pelo atual presidente, Andres Sanches, assim como pelo agente Fernando Garcia.


Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “Traficante ‘Padrinho’ e Elenko Sports na Arena de Itaquera”

  1. PAULINHO, QUAL DESSES QUE TAO SE APRESENTANDO COMO CANDIDATO,EXCETO O FILHO DO ADILSON VAI TER CORAGEM DE ACABAR COM ESSA MARMOTAGEM DO ESPANHOL MAFIOSO DA VILA DOS REMEDIO NO CORINTHIANS ????
    SERA QUE DESSES CANDIDATO AI ALGUEM VAI CORTAR AS ASAS DO ESPANHOL E ACABAR DE VEZ COM AS TETAS QUE ELE ELE TEM AS CUSTA DO CORINTHIANS ???
    MARIO GOBI, AUGUSTO MELO,PAULO GARCIA ???? ALGUM DESSES ? O QUE VOCE ACHA???? QUAL A TUA OPINIAO SOBRE TODOS ESSES CANDIDATOS ??? E O CITADINE, VAI APOIAR ALGUEM ???

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: