Advertisements
Anúncios

Atitude e sorte fazem São Paulo respirar

A limitada equipe do São Paulo fazia razoável partida contra o Botafogo, no Engenhão, até tomar a virada, perder uma penalidade e, em sequência, sofrer o terceiro gol, que parecia traçar o caminho do clube rumo à segunda-divisão.

Não matematicamente, porque ainda faltam muitas rodadas e os adversários, convenhamos, são fraquíssimos, mas na motivação de um time que parecia abandonado pela sorte.

Até que Dorival Junior, no desespero, lançou mão de qualquer esquema e, como ocorre nos melhores times de várzea, mandou todo mundo “para a frente”.

Deu certo.

Inacreditavelmente, o resultado virou, e a sorte parece que também.

Porém, o que melhor pode se extrair disso tudo, além dos três pontos, evidentemente, é a atitude demonstrada diante dum contexto absolutamente adverso: em vez de resignação, motivação.

Quanto aos jogadores que entraram no time, tirante Hernanes, que parece ter nascido, de fato, para vestir a camisa Tricolor, há de se ter paciência para analisar os novatos, evitando assim exageros que podem levar a decisões precipitadas.

O São Paulo respirou, amparado em atitude e sorte, mas, ainda, pouco futebol.

Precisa melhorar, não apenas para evitar o rebaixamento, mas almejando uma arrancada, compatível com a história do clube, ao melhor lugar possível na tabela.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: