Corinthians foi representado por “segurança” na Conmebol

Coronel Dutra ao lado de "Dr. Viola", membro Comitê de Ética do Corinthians

Coronel Dutra (dir.) ao lado de “Dr. Viola”, membro Comitê de Ética do Corinthians

Quando se pensa que não há mais possibilidade da gestão Roberto “da Nova” Andrade piorar no Corinthians, sempre surgem novidades que parecem inacreditáveis, tamanho é o descaso com o clube.

Em vez do presidente, talvez o vice ou algum diretor ligado ao futebol ter representado o Timão no sorteio de grupos da Copa Sul-Americana, na Conmebol, a responsabilidade coube ao segurança alvinegro, Coronel Dutra, conhecido também por ser espécie de “leão de chácara” do deputado federal Andres Sanches (PT).

O fundo do poço.

A situação gerou absoluta revolta no Parque São Jorge, além de prolongar o período de vexames do diretor de futebol Flávio Adauto, que sequer deu palpite na escolha.

Dutra chefia a segurança do Corinthians desde 2007 (entrou com Sanches no Corinthians) e, desde sempre, foi cercado por acusações graves de desvios de conduta.

Recentemente, o apresentador Neto, da BAND, em seu programa, garantiu que o PM possui três imóveis de aluguel nos EUA, em Miami, mesmo sem comprovação de renda que possa justificar as aquisições.

Vale lembrar que Sanches, por coincidência, também investiu em Miami, comprando apartamento em nome do filho e associando-se a uma filial do bistrô Paris 6, todos negócios realizados após a contratação de Alexandre Pato pelo Corinthians.

Pairam sobre Dutra, também, acusações de possíveis formações de milícias com PMs que lhe são submissos no Parque São Jorge, entre os quais o famoso Caveira (que já foi investigado sobre fazer parte de grupos de extermínio na Capital), este deslocado, quase sempre, para segurança particular de Andres Sanches e Ronaldo Fenômeno (quando estava no Timão).

Entre os “serviços” estaria o de grampear jornalistas, através da contratação de detetives particulares.

Uma das vítimas foi o Blog do Paulinho, que descobriu a operação e, em trabalho conjunto com a polícia de São Paulo, conseguiu prender o “araponga” que em depoimento garantiu ter sido contratado pelo Coronel Waldir Rapello Dutra, que enviava dinheiro através de Caveira, todos sob as ordens de Andres Sanches.

Lavado à delegacia, o então presidente do Corinthians, que contratou o atual presidente do Comitê de Ética do Parque São Jorge, Dr. Sérgio Alvarenga para defendê-lo, conseguiu se livrar do problema, após suspeita troca do delegado do caso (no lugar entrou um membro do TJD da FPF), que, mesmo diante de confissões e provas robustas, decidiu arquivar o caso.

Foi esse tipo de gente que representou o Corinthians numa Confederação Internacional, na última semana.

Em áudio, detetive que foi preso fala sobre viagem de Coronel Dutra aos EUA e alguns detalhes da investigação ao Blog do Paulinho

 

 

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.