Em depoimento à polícia, Mario Gobbi confirma veracidade de assinatura e se complica no Corinthians

gobbi e roberto

Recentemente, o Blog do Paulinho suspeitou de que assinaturas do então presidente do Corinthians, Mario Gobbi, colocadas em contratos firmados pelo clube dois dias antes das eleições de 2015, poderiam ter sido falsificadas (havia claras divergências).

Assinatura de presidente do Corinthians pode ter sido falsificada em aditivo de contrato com a CAIXA

As suspeitas ampliaram-se porque, na mesma data (assinalada em ata do Arena Fundo), o então candidato à presidência Roberto “da Nova” Andrade, em fraude, assinou documentação como se fora mandatário alvinegro, no lugar do verdadeiro presidente, cargo que era ainda ocupado pelo delegado.

O caso, gravíssimo, transformou-se em procedimento investigatório interno no Corinthians (processo de impeachment) e também no Inquérito Policialnº 476/2016.

Gobbi recusou-se a responder ao blog sobre a veracidade ou não de sua assinatura e teve sua oitiva na Comissão de Ética, no Parque São Jorge, impugnada, cirurgicamente, por conselheiros que fingem apurar os fatos.

Mas, no dia 17 de novembro de 2016, o delegado, intimado a prestar esclarecimentos sobre os fatos, no 52º DP, ao ser questionado pelo Dr. Roberto Tadeu Sampaio Lopes, afirmou que as assinaturas, de fato, eram verídicas.

Afirmou ainda que somente assinou os documentos (considerados lesivos ao clube) porque estava amparado em pareceres favoráveis de CORI e Conselho Deliberativo (desculpa usual de dirigentes para ‘lavar as mãos’ no Corinthians).

O depoimento de Gobbi na Polícia, se esclarece o caso das assinaturas, acaba por implicá-lo no rolo político em que se envolveu Roberto Andrade no Parque São Jorge, tornando-o conivente não apenas do que assinou, mas, por omissão, do que assinaram, indevidamente, em seu lugar.

gobbi-policia

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.