Cristiano Ronaldo e Ranieri mereceram ser os melhores do mundo de 2016

cr7

Pela quarta vez, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, conquistou o prêmio da FIFA de melhor jogador do mundo, desta vez de 2016, ano em que conquistou títulos expressivos, como a Champions League, a Euro e o Mundial de Clubes.

Em segundo ficou quem, de fato, é mais jogador, Lionel Messi (que já tem cinco conquistas), mas que no ano anterior esteve mesmo abaixo do vencedor em desempenho.

Pela primeira vez o argentino não compareceu à entrega, oficialmente vetado pelo Barcelona (que disputa na próxima quarta-feira a final da Copa do Rei).

Griezmann, como era de se esperar, ocupou a terceira colocação.

Outra premiação absolutamente justa foi a de melhor treinador, que ficou com Claudio Ranieri, regente máximo do improvável título inglês do então minúsculo Leicester, que iniciou o torneio pensando apenas em não cair.

Bonitas também foram as homenagens ao Atlético Nacional, pelo fair-play em favor da Chapecoense, e ao brasileiro Falcão, pela sua magnífica obra no Futsal.

Marlone, do Corinthians, perdeu o prêmio Puskas (gol mais bonito) para Mohd Faiz, da Malásia, deixando seu empresário Fernando Garcia frustrado, demonstrando, ainda, que o torcedor do Corinthians não se engajou, como faria noutros tempos, pela conquista.

Os únicos brasileiros, de fato, premiados foram os laterais Marcelo e Daniel Alves, que figurou pela sexta vez na Seleção do Mundo, configurada com a inexplicável ausência de Griezmann, terceiro do mundo, mas fora dos 11 selecionados.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.