Edinho Silva, Lula e os desvios na construção da Arena de Araraquara

(publicado originalmente em 21 de dezembro de 2015, republicado em homenagem a “Operação Greenfield”, da PF, que desvendou desvios em diversos Fundos, entre os quais o FUNCEF, citado nesta matéria)

edinho, lula e dilma

“Eu eu peguei e levei um projeto para o presidente Lula, na época (2008), um projeto de reforma… e ele chamou o Ministro Orlando (Silva) e pediu para o Ministro Orlando me atender.”

“Eu entrei com um projeto de R$ 7 milhões… e o Ministro Orlando me autorizou a fazer uma reforma: R$ 7 milhões….”.

“Virou o ano e eu disse: “Orlando,  se você me der mais R$ 5 milhões, eu entrego a Arena reformada inteirinha… Ai ele: “mas não, não é possível…”

“Daí, com a ajuda do presidente Lula, na verdade, não foram R$ 5 milhões, foram R$ 7 milhões…”

“Ai eu cheguei a R$ 21 milhões, que foi o projeto inteiro, e a Prefeitura tinha que entrar com R$ 5 milhões”.

“Então, com R$ 27 milhões, se eu não me engano… talvez um pouquinho mais, nós reformamos a Arena e fizemos a primeira Arena “padrão FIFA” do Brasil.”

“Tanto é que, na época, a presidente Dilma era Ministra Chefe da Casa Civil, ela veio com o Ministro Orlando visitar e ficou impressionadíssima com o padrão da Arena da Fonte”

——————————————————————————————————————-

Atual Ministro Chefe da Secretaria de Comunicação Social, o petista Edinho Silva sempre se comportou, na vida pública, como fiel soldado para os interesses dos “companheiros” de partido.

Nas últimas eleições, por exemplo, demonstrando o grau de confiança adquirido, foi tesoureiro de campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), apesar de ter “ajudado” outros candidatos, como o deputado federal Andres Sanches (PT),

Duas “intervenções” que estão sendo investigadas, neste momento, pelo MPF, sob suspeita de lavagem de dinheiro.

Antes disso, em 2008, então Prefeito de Araraquara, Edinho Silva, segundo o próprio, com ajuda de Lula e do então Ministro do Esporte, Orlando Silva Junior, desviou dinheiro da prefeitura (não previsto no orçamento), e também do Governo Federal, utilizando-o na reforma do estádio Fonte Luminosa, que se tornou Arena “padrão FIFA”, gaba-se o atual ministro.

Além disso, a Prefeitura pagou dívidas pessoais do clube, que, à época, havia se transformado em empresa “S/A”.

O blog apresenta, ao leitor, áudio do próprio Edinho revelando a negociação.

R$ 27 milhões (em valores atualizados, R$ 40 milhões) foram pagos à empresa Contern Construções e Comércio Ltda, que tinha José Carlos Bumlai, amigo pessoal do presidente Lula (informação confirmada pelo ex-presidente em recente depoimento à Polícia Federal), como grande incentivador de negócios.

constern arena

Bumlai está preso pela “Operação Lava-Jato”, acusado por diversos delitos e também por beneficiar, no que seria pagamento de propinas, familiares de Lula.

Vale lembrar que a Constern, braço de construção civil da Bertin, ambas com ligações com a UTC, ainda em 2008 (período da construção da Arena em Araraquara – com a ajuda do presidente da república, ressalte-se) participou do consorcio responsável pela construção da Usina de Belo Monte, que custou mais de R$ 30 bilhões.

O contrato, por 10% da obra, rendeu a Constern R$ 1,45 bilhão, parte do montante destinado a remunerar José Carlos Bumlai, amigo da família Lula, conforme comprova matéria da ISTO É DINHEIRO, à época.

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20100827/curinga-belo-monte/39794

Abaixo reportagem da revista Época que detalha, também, relação entre Lula, Bumlai e as construtoras referidas (entre as quais a responsável pela obra da Arena da Ferroviária).

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2015/11/jose-carlos-bumlai-o-amigao-de-lula-caiu-na-lava-jato.html

Site da Ferroviária indica a empresa Contern Construções e Comércio Ltda, como responsável pela obra:

http://www.ferroviariasa.com.br/ver-noticia/projeto-de-reforma-da-fonte-luminosa-e-apresentado-2008-08-05

ferroviaria site

CONFIRA, ABAIXO, TRECHO ESCLARECEDOR DE  ÁUDIO (COM A TRANSCRIÇÃO) DO MINISTRO EDINHO SILVA DETALHANDO TODA A OPERAÇÃO PARA REFORMA DO ESTÁDIO EM ARARAQUARA:

“Eu não podia dar o dinheiro para a Ferroviária, porque todas as contas da Ferroviária estavam bloqueadas e com pedidos de penhora… o que que eu fiz ? Eu fiz um concurso de credores. Eu publiquei em jornal e chamei todo mundo que tinha dívida, porque a Ferroviária era devedora, que viessem até a Prefeitura… e eu coloquei o dinheiro numa conta, com autorização judicial, a Prefeitura ia pagando as contas da Ferroviária.”

“A Prefeitura ia pagando as dívidas da Ferroviária, porque se colocasse o dinheiro na conta… o dinheiro desapareceria.”

“E ficou ainda um período em que nós falamos: outras dívidas vão aparecer. Então eu me comprometi, como Prefeito, que, num período, que dívidas que aparecessem a Prefeitura pagava”

“Ai eu olhava para aquele estádio, caindo aos pedaços, e pensava: o que eu vou fazer, com esse estádio, agora, para reformar…”

“Eu eu peguei e levei um projeto para o presidente Lula, na época (2008), um projeto de reforma… e ele chamou o Ministro Orlando (Silva) e pediu para o Ministro Orlando me atender.”

“Eu entrei com um projeto de R$ 7 milhões… e o Ministro Orlando me autorizou a fazer uma reforma: R$ 7 milhões….”.

“Ai teve um dia que, na virada do ano, 2007 para 2008, o ministro Orlando me liga e diz: “Edinho, você não tinha um projeto maior de reforma da Fonte Luminosa ?”. Eu falei: “eu tinha”. Ele falou: “Então entra com o projeto… ” Não vou falar aqui…. “porque uma cidade não apresentou o projeto e tem um dinheiro aqui….” Ai eu peguei e falei: “Ta bom, Orlando, quando que eu posso apresentar o projeto?”. Ele falou assim: “Segunda-feira”. Era uma sexta… eu não tinha projeto coisa nenhuma, entendeu ?

“Ai eu liguei para o Valter Rossato e falei: “Valter, nós temos que apresentar um projeto, na segunda-feira, da segunda fase de reforma da Fonte Luminosa até segunda-feira”. E toda a engenharia da Prefeitura trabalhou, e, segunda-feira eu estava com a segunda fase do projeto lá… então já tinha R$ 14 milhões… para reformar a Arena”.

“Virou o ano e eu disse: “Orlando,  se você me der mais R$ 5 milhões, eu entrego a Arena reformada inteirinha… Ai ele: “mas não, não é possível…”

“Daí, com a ajuda do presidente Lula, na verdade, não foram R$ 5 milhões, foram R$ 7 milhões…”

“Ai eu cheguei a R$ 21 milhões, que foi o projeto inteiro, e a Prefeitura tinha que entrar com R$ 5 milhões”.

“Eu não queria pegar dinheiro do orçamento… o que eu fiz… lá atrás, eu comprei… a Prefeitura comprou, os pavilhões da Facira, por R$ 5 milhões. Eu fui lá como Prefeito e comprei… e eu fui na FUNCEF, que é o Fundo de Pensão dos Funcionários da Caixa Econômica Federal, e apresentei um projeto para que a FUNCEF fizesse um hotel e um shopping center, ai ao lado da Arena, para eu fazer aquele espaço virar um espaço de comercio e de eventos… a FUNCEF topou. Ela me dava R$ 5 milhões. Ela comprava uma pedaço da área por R$ 10 milhões, uma área que eu havia comprado por R$ 5 milhões, eu vendi um pedacinho por R$ 10 milhões”.

“Os R$ 5 milhões era para fazer um centro de eventos e os outros cinco, contrapartida para o estádio.”

“Então, com R$ 27 milhões, se eu não me engano… talvez um pouquinho mais, nós reformamos a Arena e fizemos a primeira Arena “padrão FIFA” do Brasil… porque eu peguei o caderno de encargos da FIFA…com ajuda… a gente já tinha essa parceria com o Atlético/PR, com a ajuda do Mario Celso Petraglia, todo o pessoal que desenvolveu o projeto da Arena… tanto é que se você pegar o projeto da Fonte ela é muito parecida com a Arena da Baixada… o formato.. é claro que a Arena lá é mais sofisticada”.

“Tanto é que, na época, a presidente Dilma era Ministra Chefe da Casa Civil, ela veio com o Ministro Orlando visitar e ficou impressionadíssima com o padrão da Arena da Fonte e o custo, que era um custo baixo.”

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.